GUIA PRÁTICO – GRÉCIA

Casinhas brancas, mar transparente, comida mediterrânea, moinhos,  valores atrativos, mitologia, cultura, construções milenares e muita história. Esses são alguns dos muitos motivos que levam tantos turistas até esse país  incrível, berço da civilização ocidental.

A Grécia é formada por um território continental, onde fica sua capital, Atenas, e por uma infinidade de ilhas.

Se você está sonhando em conhecer esse país de paisagens impressionantes, está no post certo! Preparamos para você as informações que precisa para planejar essa viagem dos sonhos. Caso queira saber mais especificamente sobre Atenas, Mykonos ou Santorini, estamos trabalhando para disponibilizar esses posts! Acompanhe o blog.

 

QUANDO IR

De outubro até abril, é frio e os dias mais nublados. Se quer conhecer as ilhas, não deve escolher esse período.

Para pegar sol e temperaturas agradáveis, a época ideal para ir vai de maio até começo de outubro. Mas fique atento quanto à lotação: julho e agosto são cheios em virtude das férias de verão europeias. Sendo assim, indicamos junho e setembro como melhores meses para conhecer a Grécia, aproveitando bem as ilhas.

COMO CHEGAR

Não há voos que vão direto do Brasil para Atenas. Desta maneira, é bom pensar em outro país a conhecer se quiser aproveitar a conexão para tal finalidade.

Nossa sugestão, caso os preços de passagens Brasil x Grécia estejam muito elevados, é que você compre passagem para Itália (ou outro país em que o valor da passagem esteja mais acessível) e outra passagem da Itália ou do outro país próximo de sua preferência para a Grécia. Fizemos isso para chegar à capital grega e conseguimos uma economia muito grande comprando desta maneira. Além disso, aproveitamos bastante na Itália antes e depois de ir para Grécia.

Para dar uma noção de distância, um voo saindo de São Paulo até Roma demora em torno de 11 horas e da capital italiana até Atenas quase 2 horas.

dsc05495

ATENAS, GRÉCIA

COMO CHEGAR AS ILHAS

Preparamos post sobre Santorini e Mykonos, em que você poderá conferir todas essas informações detalhadas. Já vamos adiantando seus preparativos, passando uma noção geral de como chegar as ilhas de avião ou barco.

Avião –  A Aegean, Astra e a Olympic  fazem voos para as  ilhas. Confira a melhor alternativa para você no Decolar. Saindo de Atenas para Mykonos você gasta em torno de 35 minutos voando. Para chegar a  Santorini, a duração média é de 45 minutos.

Outras ilhas:  Heraklion (Creta) ou Paros, são 50 minutos de voo. Kefalonia, Rhodes ou Zakynthos, 1 hora. Fizemos uma seleção entre as mais famosas, a Grécia tem mais de 2 mil ilhas!

Barco – Existem diferentes tipos de barco para sua escolha, assim como diferentes empresas que fazer o mesmo percurso.

  • Ferry:  É o tipo mais barato, mas se você tem pouco tempo não deve escolher esse tipo de embarcação pois ele é mais lento.
  • Hydrofoil:  Essa é a opção mais rápida. No entanto, como esses barcos não partem quando as condições de clima não estão boas, achamos que não vale à pena comprar sua passagem com antecedência para eles, devido ao risco de cancelamento. Por isso, é sempre bom planejar a época do ano da sua viagem para estimar a previsão do tempo. Também são conhecidos como  high spedd catamarans ou Flying Dolphin.
  • High Speed Ferries: Para nós, é a melhor alternativa. São como navios. Maiores que as outras opções. Sobre preço e tempo de percurso, são intermediários: mais caros e rápidos que o Ferry, e mais baratos e lentos que o Hydrofoil. A vantagem é que é muito difícil o cancelamento de saída desse tipo de embarcação.

Preparamos abaixo uma listagem das empresas que fazem trajetos entre as ilhas gregas. Você pode consultar nos sites, os horários e valores atualizados que se enquadram no seu planejamento (todos eles oferecem versão em inglês, é só escolher tal opção).

Anek Lines

Blue Star

Hellenic Seaways

Minoan Line

Nel Lines

Sea Jets

OBS.: Um ponto contra o deslocamento por avião é que, nas grandes companhias, em geral, para ir de uma ilha a outra os voos incluem uma escala/conexão em Atenas. Então, por exemplo, para voar de Mykonos a Santorini, que são ilhas próximas, você tem que passar primeiro em Atenas e de lá ir para Santorini, o que torna a viagem muito longa. No verão, com as companhias menores funcionando, é possível encontrar voos diretos entre as ilhas.

VISTO

Brasileiros não precisam de visto.

dsc05081

MYKONOS, GRÉCIA

FUSO HORÁRIO

UTC/GMT +2 ; no verão, UTC +3. Isso quer dizer que, normalmente (sem horário de verão no Brasil e na Grécia), a diferença é de 5 horas a mais para as terras gregas. Todavia, essa disparidade de fuso é reduzida para + 4h no final do ano, a partir de novembro (quando há o horário de verão brasileiro) e aumentada para +6h no meio do ano, a partir de maio (durante o verão europeu).

MOEDA

Euro. Há casas de câmbio no aeroporto e no centro de Atenas. Caso sua conexão na capital seja curta, fique tranquilo: nas ilhas principais (Mykonos, Santorini, por exemplo) também é fácil locais de conversão monetária. Para saber a conversão monetária oficial atualmente, acesse esse link do Banco Central.

IDIOMA

Grego, mas o inglês é a segunda língua mais falada.

Algumas palavras em grego para você já ir estudando:

Bom dia -Kaliméra                                    Sim – Né                                    Perto – Kodá

Boa tarde – Kalispéra                                Não – Ohxi                                Longe -Makriá

Boa noite – Kalinirta                                 Direita – Deksiá                       Por favor – Parakalô

Obrigado (a) -Efharistô                            Esquerda – Aristerá

dsc05290

SANTORINI, GRÉCIA

QUANTO TEMPO FICAR

Não vamos mentir: quanto mais tempo (sobretudo nas ilhas), melhor. A sensação de estar num lugar com paisagens lindas e tranquilas, com povo simples e receptivo, além de comida gostosa e saudável, é viciante.

Mas sabemos que essa não é a realidade de quem viaja. Por isso, o ideal é ficar por 1 semana ou 10 dias, distribuídos para Atenas (2 ou 3 dias completos são suficientes na capital), Mykonos (3 dias), Santorini (3 dias) e, se puder, Zakynthos (2 dias).

Entretanto, fique atento: são milhares de ilhas, olhe as fotos e estrutura delas para decidir quais adequam-se mais ao seu estilo ou interesse de viagem (tem várias para todos os gostos). Fique mais dias nas ilhas que em Atenas. Trabalhe com essa referência e lembre-se que existem ilhas muito pequenas (Paros e Antiparos), que demandam menos dias, e outras maiores (como Santorini, Creta e Rhodes), que devem ser conhecidas durante uma estada mais prolongada.

HOSPEDAGEM

Sobre essa parte, já adiantamos que a Grécia oferece ótimas opções de hospedagem por valores bastante atrativos. É até mesmo difícil de acreditar consultando em sites de busca. Sobre esse assunto e as dicas de hospedagem, falamos melhor nos posts de Atenas, Mykonos e Santorini. Caso queira ter uma noção de preços, confira as alternativas do Booking.

dsc05219

HOSPEDAGEM EM SANTORINI, GRÉCIA

O QUE CONHECER

Quando decidimos fazer nossa viagem, apesar de ficarmos encantados pelos relatos e pelas fotos de muitas ilhas, decidimos fazer as mais clássicas juntamente com Atenas. Se tivéssemos mais tempo também iríamos para: Zakynthos, Rhodes e Paros.

Tudo depende da sua limitação de tempo. Mas saiba que visitando “só” Atenas, Mykonos e Santorini você já terá acesso às clássicas ruas de casinhas brancas, aos moinhos, às famosas festas, à cratera do vulcão (em Santorini), aos passeios de barco e às praias como Paradise, Platys Giallos,  Perissa, Kamari e Red Beach.

DESLOCAMENTO DENTRO DAS CIDADES

Em Atenas, há metrô, ônibus e táxis. Procure se hospedar na região de Plaka. A partir dela você conhece os pontos turísticos principais caminhando.

Em Mykonos e Santorini é possível alugar carro ou quadriciclo. Para isso, é necessário que você leve a carteira de habilitação válida. Não precisa ser a internacional. Nessas ilhas há ônibus de linha baratos, mas que circulam a cada hora.

CULINÁRIA LOCAL

De uma forma geral, a culinária da Grécia utiliza muita carne, vegetais e frutos do mar. Tudo com muito azeite e ervas. É grande o consumo também de queijos, iogurte e frutas. Os vinhos locais são bastante apreciados também.

Preparamos uma rápida lista com os pratos gregos mais famosos:

Moussaka  – é o prato grego mais conhecido. De uma forma simples, é um tipo de lasanha que leva berinjela, carne de carneiro e molho béchamel.

Gyros –  é como o kebab, só que utiliza-se carne de porco. Você vai ver muito aquela carne enorme girando no espeto, que eles utilizam para cortar as fatias e montar o Gyros. É bem fácil de achar e barato.

Souvlaki – A melhor explicação que podemos dar é que trata-se de um tipo de  churrasquinho. Geralmente servem com salada ou batata frita e molho.

Pita – É o tipo de pão deles. Vimos muitas opções de Gyros com Pita, Souvlaki com Pita… São as opções que já explicamos acompanhadas com pão grego.

Queijo Feta – é o queijo que mais vimos por lá, em vários pratos. É feito com leite de cabra ou ovelha. Muito gostoso.

Tzatziki – tradicional aperitivo grego, feito como pasta/patê à base de pepino, iogurte e alho. Vai muito bem com a tradicional salada e o queijo feta.

Uzo – é uma bebida típica da Grécia, alcoolica. É feita com anis e é interessante o fato de que fica branco se entrar em contato com a água. É bastante forte com quase 50% de alcool.

Gemista – tomate (ou também pimentão) que eles recheiam com arroz e colocam  molho e azeite.

dsc05384

RESTAURANTE EM SANTORINI, GRÉCIA

NOSSA EXPERIÊNCIA

Amamos cada lugar da Grécia, especialmente as ilhas. Fomos em maio e só enfrentamos chuva no final da primeira tarde em Santorini. No restante do período em que estivemos lá, encaramos lindos dias de sol e muito vento frio apenas em Mykonos (leve um casaco nem que seja para essa ilha).

Chegamos em Atenas e aguardamos a conexão para Mykonos no próprio aeroporto da capital, que é moderno e de boa sinalização. Ficamos 2 dias nessa primeira ilha e, por ter sido nosso primeiro contato com o paraíso grego, foi a nossa preferida. Nesses dias, fomos de ônibus até as praias de Platys Giallos (linda demais!), Psarou, Ornos e Paradise. O clima nesta praia é muito bacana para quem curte uma balada que vai até o nascer do sol.

Outro ponto alto (talvez o melhor) em Mykonos foi a caminhada pelo lindo centro turístico da ilha (Mykonos Town ou Chora), com as casas e igrejas brancas de janelas azuis, verdes ou vermelhas, plantas e flores nas sacadas, chão pintado de branco, lojas excelentes, restaurantes charmosos com velas ou luz baixa. O destaque nessa parte da ilha são os moinhos e as casas coloridas da Little Venice, avistados logo na chegada desse centro. É de arrepiar ficar naquele lugar. Muito agradável. Falaram-nos que Mykonos era bastante agitada, mas achamos muito tranquila e ótima para aproveitar. Talvez se fôssemos em julho e agosto, nossa impressão fosse outra. Para mais detalhes, acesse o post de Mykonos (ainda em edição).

De lá, fomos para Santorini de barco (empresa Hellenic Seaways), onde ficamos por 2 dias. O passeio é bem tranquilo e rápido, em uma embarcação confortável. A ilha também é espetacular, com casas brancas amontoadas em diferentes níveis no alto de uma gigante encosta/falésia, igrejas com cúpulas azuis, vinhedos sensacionais, lojas e restaurantes incríveis. Fizemos passeio de barco até a cratera do vulcão, andamos de teleférico. Depois de tudo o que experimentamos, o que mais gostamos foi o bairro de Oia, com o lindo por do sol e ruas estreitas em um labirinto muito charmoso. Confira mais no post de Santorini.

Atenas foi nossa última parada na Grécia. A capital é bonita e com atrações turísticas muito próximas entre si. O que mais gostamos foi conhecer a linda Acrópole com monumentos anteriores a Cristo, belas vistas, anfiteatros, estátuas e jardins impressionantes. Fomos também ao histórico Estádio olímpico Panateico, ao Parlamento, à Praça Syntagma, ao Jardim Nacional, ao Zappeion, ao Arco de Adriano e às ruínas da antiga biblioteca e do Templo de Zeus Olímpico. No bairro de Plaka, perto da praça Syntagma, há muitos restaurantes e lojas a bons preços, além do calçadão turístico e boêmio na saída da Acrópole. Valeu muito à pena, mas preferimos as ilhas.

dsc04907

MOINHOS – MYKONOS, SANTORINI

CURIOSIDADES

→ Foi na Grécia Antiga que se estabeleceram as bases para o desenvolvimento cultural ocidental. É considerada o berço do teatro, música, filosofia – noções de cidadania e início do racionalismo -, democracia (os governantes eram escolhidos diretamente pela maioria popular, embora os escravos não tivessem poder de voto), sistema educacional, arquitetura, matemática, literatura e competições esportivas (as Olimpíadas nasceram lá, tendo sido realizados os primeiros jogos na cidade de Olímpia).

→ A Grécia (chamada pelos gregos de Hellas) possui 11 milhões de habitantes – quase a população da capital São Paulo. Seu povo é um dos mais ávidos consumidores de azeite de oliva do mundo (21 kg per capita por ano contra 12 quilos na Itália).

→ O país quase saiu da zona do euro nos últimos anos. Encontra-se em processo de recuperação e austeridade financeira após enfrentar uma gravíssima crise econômica e elevadíssimo desemprego (é considerado um dos países mais pobres da União Europeia).

→ O país é um dos 15 países com maior quantidade de sítios considerados patrimônios da humanidade pela UNESCO, daí sua fonte de renda depender bastante do turismo – 15% do PIB do país é respondido pelas receitas derivadas desse setor. Dentre esses patrimônios tombados, o mais famoso monumento grego é o Partenon, finalizado no ano de 438 a.C, com colunas dóricas e estilo que serviram de molde para inúmeros edifícios espalhados pelo mundo. Localiza-se na Acrópole e foi construído como homenagem à padroeira Atena.

DICAS

 ⇒ Apesar da instabilidade econômico-trabalhista, o país é seguro. Maiores cuidados devem ser tomados em Atenas, sobretudo nos subúrbios da capital. Crimes violentos são muito raros, sendo mais comum a ocorrência de furtos.

⇒ Algumas lojas e empresas fecham entre 14 e 17h, mas as lojas próximas aos centros turísticos funcionam todos os dias, normalmente de 8h3o às 21h.

⇒ Pela impossibilidade de voos diretos partindo do Brasil, procure viajar para um país próximo à Grécia, de forma a ficar mais barato e rápido o trecho para chegar lá.

⇒ Se for para mais de uma ilha Cíclades (região onde se encontra Mykonos, Paros, Ios, Santorini), viaje até a primeira de avião. Dela para as outras ilhas, utilize o traslado de barco: é melhor e mais rápido do que precisar fazer conexão em Atenas. Para voltar a capital, vá de avião saindo da última ilha, caso ela conte com aeroporto.

⇒ Leve agasalho, principalmente para as ilhas gregas. O vento que sopra em Mykonos, por exemplo, é constante e frio.

⇒ Mais informações nos posts: Mykonos, Atenas e Santorini.

SEGURO VIAGEM

⇒ Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

dsc05468

ATENAS, GRÉCIA

dsc05104

MYKONOS, GRÉCIA

dsc05015

MYKONOS, GRÉCIA

dsc05054

MYKONOS, GRÉCIA

dsc05056

MYKONOS, GRÉCIA

dsc05026

MYKONOS, GRÉCIA

dsc05048

MYKONOS, GRÉCIA

dsc04944

MYKONOS, GRÉCIA

dsc04972

MYKONOS, GRÉCIA

dsc05333

SANTORINI, GRÉCIA

dsc05381

SANTORINI, GRÉCIA

dsc05233

SANTORINI, GRÉCIA

dsc05394

SANTORINI, GRÉCIA

dsc05212

SANTORINI, GRÉCIA

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do facebook!

7 comentários sobre “GUIA PRÁTICO – GRÉCIA

  1. Pingback: SANTORINI
  2. Pingback: MYKONOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s