KOH PHI PHI

O paraíso tem endereço: Mar de Andaman, província de Krabi, na costa oeste da Tailândia. É nessa região que fica Koh Phi Phi, local que reúne as ilhas mais bonitas que já visitamos até hoje. Só isso!

Águas de todas as cores lindas possíveis, com temperatura e visibilidade perfeita em todas, sossego no início do dia e agito ideal até altas horas na ilha principal. Enfim, feita para você visitar. Não é à toa que, apesar da tragédia do tsunami que atingiu a região em 2004, continua recebendo cada vez mais turistas que retornam para lá em sucessivas oportunidades e é cenário de filmes que a tratam, devidamente, como lugar dos sonhos.

IMG_2905.JPG

MAYA BAY NO POR DO SOL – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

QUANDO IR

Novembro a abril (principalmente em janeiro e fevereiro, por serem os meses menos chuvosos do ano). Fuja da época das monções, que vai de maio a outubro! Cuidado com isso! Viajando durante as monções, há o risco de você sequer chegar no arquipélago.

CLIMA

Tropical úmido, com pequena alteração de temperatura. A mínima não passa de 24°C; e a máxima, de 34°C (meses mais quentes: fevereiro e março). Quente, mas nada insuportável, em função da brisa do mar.

QUANTO TEMPO FICAR

2 dias e 2 noites é o mínimo ideal para conhecer as principais praias e curtir a animada vida noturna da região.

COMO CHEGAR

Não há aeroporto em Koh Phi Phi e, por ser uma ilha não muito perto do continente, não dá pra ir de carro ou ônibus sequer através de balsas. Recomendamos que viaje até uma das duas cidades base abaixo (preferimos Krabi). Ambas vivem em função do turismo para Koh Phi Phi. Assim, a quantidade de agências que oferecem passeios de barco de boa qualidade é bem grande. Você não terá dificuldade nenhuma de achá-las. Tá com tempo sobrando em Phuket ou Krabi? Pesquise preço e pechinche/barganhe. Você pode economizar.

Vale destacar que as embarcações são padrão. Desde o mais rico ao mochileiro mais simples vai no mesmo tipo de barco. Não vimos nada do tipo “primeira classe”. Os barcos são rápidos, grandes e com considerável estabilidade. Não enjoamos no trajeto, mas se quiser garantir, tome um Dramin ou remédio similar 30 minutos antes de seu barco zarpar.

Outro destaque é que ao chegar no porto de Koh Phi Phi (Porto Tonsai), você tem que pagar uma taxa de 20 bahts em espécie por pessoa (isso é menos que um dólar).

A época do ano para ir até lá é fundamental. Isso porque os horários das saídas dos barcos podem ser alterados ou seu passeio ser até cancelado em virtude das condições adversas do mar e do tempo. Procure ir de novembro até abril. As chances desses indesejáveis imprevistos acontecerem reduzem muito.

IMG_2301

PHI LEH LAGOON – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

 

Saindo de Phuket – várias agências de turismo em Phuket vendem passeios diários de speed boats e ferries saindo do Porto Rassada para Koh Phi Phi (Porto Tonsai). O percurso dura aproximadamente duas horas. O valor varia: caso prefira que peguem você desde o hotel, levem até o porto e de lá siga de barco, custa quase 700 bahts; se quer economizar, compre só o passeio de barco saindo do porto (valor estimado de 400 bahts), sem precisar que te busquem no hotel. Os horários de saída são 9h, 14h30 e 15h, mas podem variar e ter passeios cancelados a depender das condições do mar e do tempo.

Saindo de Krabi – também há várias agências em Krabi que vendem esse passeio, com partida pelo píer Klong Jilad. O percurso é mais curto que o anterior (1h30), mas o valor é bem parecido (perto de 700 bahts, se incluir o transfer do hotel ao píer; e por volta de 400 bahts se só incluir o trajeto marítimo). Saídas diárias: 9h, 13h30 e 15h. Vale a mesma ressalva do anterior: passeios podem ter o horário alterado ou podem ser cancelados em virtude do estado do mar e do clima. Para entrar em Phi Phi, o visitante vai pagar uma taxa de THB 20.

VISTO

Não é exigido na Tailândia.

FUSO HORÁRIO

São 10 horas à frente do horário de Brasília. (UTC +7)

MOEDA

A moeda oficial é o Baht tailandês.

1 dólar equivale aproximadamente a 35 Baht tailandês. Para saber a cotação atualizada, confira o link do Banco Central.

IDIOMA

Tailandês ou siamês. Embora a escrita local seja impossível de entender, todos (sobretudo, os que trabalham com hotéis, restaurantes e que realizam passeios) compreendem bem o inglês e assim se comunicam com os turistas.  É mais fácil se comunicar em Koh Phi Phi que em Bangkok, diante da maior influência estrangeira na ilha.

DSC08942

BARCO TÍPICO EM MAYA BAY – PHI PHI LEH

HOSPEDAGEM

A concentração de albergues, pousadas e hoteis fica em Phi Phi Don, a ilha principal do arquipélago. Onde quer que você escolha ficar (na muvuca ou em um lugar mais privado), o trajeto é curto e feito a pé até o mar e as saídas de barco, com exceção de resorts mais isolados que ficam nas pontas da ilha, onde é necessário ir/voltar de barco ou táxi boat.

Falaram para a gente que os preços eram muito salgados, mas não achamos isso não. Ficamos no Sea Shell Hut Sunla e o valor da diária em um quarto simples, mas limpo e novo, com TV a cabo, ar condicionado e banheiro privativo, na vila de Tonsai, a poucos minutos das praias era abaixo de 100 reais.

Para economizar, reserve sua hospedagem com antecedência (as opções do seu estilo serão maiores). Para ajudar na sua consulta, indicamos a seguir algumas opções bem avaliadas por turistas:

Para mais alternativas, consulte os sites especializados Booking, Trivago ou Tripadvisor. Aos que desejam alugar um quarto, apartamento ou casa por uma temporada, deixamos o link do Airbnb.

O QUE CONHECER
IMG_1854

ESCADA VIEWPOINT

Aqui não há dúvida: conhecer todas as praias possíveis, principalmente da ilha vizinha de Phi Phi Leh é o principal motivo para a sua viagem até esse lugar (se brincar, razão maior da sua viagem para o Sudeste Asiático, acertamos?!).

Na ilha principal (Phi Phi Don, a única habitada do arquipélago), as praias de Tonsai e, sobretudo, de Loh Dalum são as indicadas para tomar um banho de mar, fazer canoagem, stand-up paddle e até parasail (espécie de paraquedas puxado por lancha em que você tem uma visão panorâmica privilegiada da ilha) e ouvir música animada. A maré fica perfeita para banho e práticas esportivas entre 9h e 15h30. Fora desses horários, você perceberá que o nível do mar baixa muito e rapidamente. É outro cenário.

É nessa ilha que são vendidos muitos passeios para a prática de snorkeling (ao norte, em Ko Mai Phai) e mergulho com cilindro (em Hin Bida, onde são vistos muitos tubarões, Anemone Reef e Maya Bay). O preço não é barato, mas o programa é muito elogiado por todos. Consulte a melhor empresa pelo comentários de quem já fez o passeio no Tripadvisor.

Outro local que deve ser conhecido em Phi Phi Don é o mirante Viewpoint. Trata-se do ponto mais alto da ilha principal e que garante uma linda vista da região. O local recebeu uma infraestrutura básica para abrigar as pessoas na hipótese de novos tsunamis. Uma verdadeira rota de fuga. A subida é íngreme, em uma escadaria que parece não ter fim, mas a recompensa vale à pena. Para chegar lá, há placas na rua principal que leva ao Porto de Tonsai, no meio do caminho deve-se pagar um pedágio com taxa simbólica de menos de 50 baht por pessoa. O melhor período para ir até o Viewpoint é pela manhã, até 11h, porque a iluminação solar nos mares que você verá lá de cima ficam ideais nesse turno, não criando sombra e atrapalhando a vista.

Tudo isso que dissemos acima é bem bacana e agradável, mas a cereja do bolo definitivamente são os passeios de barco para as ilhas vizinhas a Phi Phi Don (Nui Bay, Monkey Beach, Bamboo Island, Mosquito Island e as incomparáveis praias de Phi Phi Leh). De tão boas, falaremos sobre esses passeios no tópico específico a seguir.

PASSEIO DE BARCO

Obrigatório em seus dias nesse local. Têm passeios de um dia inteiro (que dura, na verdade, 6h) e de meio dia (3 a 4h). Os de menor duração podem ser feitos pela manhã ou final da tarde. Dá para ir em embarcações maiores – relativamente mais baratas e certamente com mais gente – OU fretar um barco privativo para você, casal ou poucos amigos mais próximos.

Há agências para todos os lados em Phi Phi Don que vendem os dois tipos de passeio. Procuramos em várias e conseguimos economizar tanto para ir com um grupo grande em barco comum (custa entre 10 e 15 dólares POR PESSOA) quanto para passear em long tail boat privativo (60 a 70 dólares POR BARCO). Pergunte para a recepção do seu hotel o local mais barato ou confiável.

Vá por nós: guarde a grana que tiver na viagem para fazer o passeio particular. Vocês pagam pelo barco (em torno de 60 a 70 dólares) e, dependendo da quantidade de conhecidos com quem você dividirá o passeio, sai mais em conta e é muito, mas muito melhor. Apesar de haver um “menu” extraordinário de praias que o barqueiro normalmente te levará, são os contratantes do passeio que estabelecem o horário de saída do barco e quanto tempo querem ficar (dentro das 6h de duração) em cada praia.

O passeio de um dia contorna a ilha de Phi Phi Leh (paradas em Maya Bay, Loh Samah Bay, Phi Leh Lagoon e Viking Cave), para na Mosquito Island, Bamboo Island, Nuy Bay e Monkey Beach. O de meio dia vai te levar às praias da Phi Phi Leh e Monkey Beach.

Sobre o passeio de um dia inteiro em barco privado, a primeira parada é na Maya Bay (“A praia”, sobre a qual descreveremos melhor no tópico abaixo). Depois chega em Loh Samah Bay, onde é possível mergulhar com snorkel e são apreciados cardumes dos peixes de todas as cores e tamanhos possíveis, em água morna, verde transparente e limpa. Em seguida, parada na Phi Leh Lagoon. Talvez, a parte mais bonita do passeio. Certamente, a que mais surpreende. O lugar é extraordinário. Que mar é aquele?! Uma lagoa de água salgada com água transparente que, em virtude das diferentes profundidades, revela uma cor branca em alguns trechos, azul e verde em outros. Impressionante! Bonito demais! Vá pensando só em Maya Bay. Isso é bom para você ficar encantado com lugares dos quais você nada espera, como é o caso dessa lagoa.

Coloque o queixo no lugar, limpe sua baba, recupere o fôlego porque seu dia promete: depois de passar pela Viking Cave (caverna sobre a água do mar – de cor linda, diga-se de passagem -, ainda em Phi Phi Leh, onde vive uma família de eremitas), e passar por um longo trecho do passeio em mar aberto, chegou a vez de conhecer a Mosquito Island e, depois, a Bamboo Island. Esta compete como forte candidata a mais bonita de todo o percurso. A água é inacreditável e a ilha é quase deserta. Praticamente toda sua. Linda demais! Ela é isolada e seu coreto bonito e prestes a ruir dá a impressão que foi abandonada para ser usufruída pelos turistas por que lá passam. De tão limpa que são suas águas de azul claro (daqueles de marca-texto), é possível ver tudo que tem dentro das baixas ondas que quebram na praia.

Já voltando em direção a Phi Phi Don, o passeio chega na impressionante Nui Bay. Outra parada destinada ao mergulho com snorkel sobre recife de corais. Aqui você visualiza vários peixes e, se tiver sorte, também consegue ver tartarugas e arraias. Mar sensacional com uma praia para relaxar (lembra a chegada de barco na Baía do Sancho, em Fernando de Noronha) e com uma imensa pedra sobre a água no horizonte.

Por fim, o barco chega na Monkey Beach: o mar, a nosso ver, com a cor mais bonita do passeio. Na praia, árvores e macacos simpáticos. Isso mesmo: macacos que não se intimidam com a presença dos visitantes. É bom tomar cuidado na interação com os bichos. Atenção para celulares, câmeras fotográficas e comidas.

Esse é o melhor passeio de barco. Não tem como sair menos do que realizado ou muito satisfeito. Não esqueça de levar um lanche e um dinheiro de sobra. Começa cedo pela manhã e termina no meio da tarde.

Importante sobre o barco privativo: muita gente fala que, quanto mais cedo você começar o passeio, melhor para evitar a aglomeração dos turistas que chegam depois nos barcos maiores. Não é bem assim. Deve-se levar em consideração que, quanto mais cedo você for, maiores são as chances de pegar a maré baixa (e isso quer dizer quase sem água na Maya Bay, em um cenário bem diferente do desejado) e o sol ficará batendo nos paredões rochosos e não no mar, o que deixará o visual dos sonhos incompleto. Dito isso, saia por volta das 8h ou 8h30 porque você chegará antes da “hora do rush” e com a maré muito boa para o banho, a praia bem tranquila e com o sol incidindo de maneira perfeita no mar e nos paredões.

Passeio em embarcação comum (3h a 4h) durante o dia: costuma sair às 9h, 9h30. Você paga com antecedência em uma das inúmeras agências da vila de Tonsai. Custa de 10 a 15 dólares por pessoa. O percurso, como dito antes, dura de 3h a 4h e passa pela Monkey Beach e pelas praias da ilha Phi Phi Leh (Phi Leh Lagoon, Loh Samah Bay, Maya Bay, além da Viking Cave). A ordem varia a depender das condições do mar.

Passeio de barco no final da tarde: como falamos no início desse tópico, o passeio mais curto pode ser feito no entardecer, saindo entre 15h e 16h do Porto de Tonsai. Ele é muito bom para ver o espetacular por do sol no Mar de Andaman, além de tomar banho e apreciar a Monkey Beach, as praias de Phi Phi Leh (Phi Leh Lagoon, snorkel na Loh Sama Bay, e Maya Bay) com outra luminosidade – Maya Bay, por exemplo, fica com um tom de azul mais esbranquiçado e a Phi Leh Lagoon mais esverdeada. Outro diferencial desse passeio é que você, com sorte, poderá nadar com plânctons (organismos bioluminescentes inofensivos que brilham na cor azul, verde e branca debaixo da água com o movimento dos banhistas).

IMG_2209

PHI LEH LAGOON – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

COMO CHEGAR ÀS ILHAS

Você há de convir conosco que tem filme cuja tradução do título não tem sentido ou que poderia ser resumido com outro nome, expressão ou frase. Todavia, poucos são os que resumem com exatidão o que veiculam. Esse é o caso do filme A Praia, com Leonardo di Caprio, lançado em 2000. Foi a partir dele que esse paraíso foi divulgado e atraiu turistas aos milhões de todas as partes do mundo. E qual seria a melhor parte do filme, o motivo principal para as hordas de forasteiros rumo a um lugar tão distante e diferente dos nossos hábitos? Para as duas perguntas, a mesma resposta: Maya Bay.

Trata-se de uma praia que parece intocada, selvagem, sem estrutura. Com água que varia o tom a depender da hora que você vai, e que está sempre extraordinária. Maré tranquila, sem ondas, de temperatura deliciosa (média de 28ºC; mesmo no final do dia você saindo dela não sente frio), com plantas e barraquinha de suporte na curta faixa de areia (dá para caminhar toda ela em menos de 5 minutos). E tudo isso completado com paredões rochosos incríveis, imensos, um do lado do outro, em formato arredondado que se complementa e que dá a impressão que o local é inacessível, fechado, sem saída.

Sem medo de errar: vá com todas as expectativas do mundo; elas serão ultrapassadas.

Para chegar nesse paraíso, só por barco (long boat tail, taxi boat, lancha ou embarcações maiores), que sai em diferentes horários. Quanto mais perto do meio dia, mais concorrida estará a praia. É muita gente, mas nada comparado a Porto de Galinhas ou Ipanema em dia de feriado no verão.

Para ter acesso à praia, relaxar e passar um tempo com a vista da areia para o mar e rochas é necessário pagar uma taxa de preservação que custa em torno de 100 bahts por pessoa, a cada passeio de barco que você faz até a praia (se você for de manhã paga 100; se for em outro passeio, no final de tarde, paga mais 100; se for no dia seguinte, paga outros 100 bahts).

Não deixe de ir. Se ficar mais de um dia em Koh Phi Phi, vá em todos para Maya Bay em diferentes horários para viver diferentes experiências e, em pelo menos um deles, vá de long boat tail privativo.

De qualquer jeito, imperdível!

Abaixo, foto de Maya Bay de manhã, meio dia ou final da tarde, respectivamente:

DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

A pé – a ilha principal (Phi Phi Don) é pequena e concentra em uma pequena área: restaurantes, bares, pousadas, lojas e baladas. Como é tudo amontoado, um mapa pode ajudar a achar endereços, mas perguntar para quem mora lá também é bem bacana. Tem gente que aluga bicicleta, mas não achamos que vale à pena. As ruas são cheias de pessoas e o desgaste em desviar delas não compensa esse transporte.

Barco –  para visitar as ilhas mais afastadas, só assim. São barcos de todos os tamanhos. Tem os taxis boats que cobram em torno de 100 baths por trecho; e tem os long boat tails (aquelas embarcações típicas da região,  que lembram canoas um pouco mais largas e maiores, com flores e fitas coloridas amarradas na proa; e com motor atrás) que podem ser alugadas por 60 a 70 dólares.

CULINÁRIA LOCAL

Comida tailandesa (pad thai, tom yum, kao phad e kuay tiew) e frutos do mar são as especialidades servidas nos restaurantes e barracas de rua da ilha. Mas também há restaurantes de gastronomia francesa, italiana e que preparam hambúrgueres caprichados por lá.

Lembrando que os pratos típicos tailandeses são temperados com muita pimenta e preparadas com produtos frescos. O Pad Thai é um macarrão de arroz salteado com frango, carne ou tofu, além de molho de shoyu, pimenta e açúcar. Já o Tom Yum é um caldo de camarão, com coentro, folha de limão kaffir, molho de peixe (nam-pla), suco de limão e pimenta. Kao Phad é arroz frito com pasta de curry acompanhado de frango ou camarão. Kuay Tiew é uma sopa com miojo. São vendidas em muitas barracas de rua a preços baixos.

Os frutos do mar mais presentes nos restaurantes locais são peixes, crustáceos e mexilhões. Você encontra de todos os preços, porém mais caros que a comida tailandesa.

Uma outra coisa sensacional comum por lá são os sucos de frutas em copos entupidos de gelos (mistura de raspadinha e smothie). São deliciosos e você encontra em várias esquinas.

Tem também sorvetes italianos preparados em pedras resfriadas, pasteis, crepes e waffles para lanches rápidos. Enfim, a Tailândia mais globalizada que existe.

RESTAURANTES

Concentram-se em Phi Phi Don, especialmente na rua principal para o Porto Tonsai e na rua que dá acesso a Loh Dalum.

  • Papaya Restaurant (comida tailandesa e asiática muito elogiada em ambiente bem praiano);
  • The Mango Garden (café e restaurante que serve ótima comida asiática e boas sobremesas);
  • Le Grand Bleau (comida francesa deliciosa, perto do porto Tonsai; iluminação baixa e bela decoração também marcam o local; não deixe de provar o profiteroles daqui);
  • Restaurante Chao Koh (especializado em frutos do mar, com vista para a baía de Tonsai);
  • Pum Thai (tradicional comida tailandesa que você pode aprender a fazer).

Outras opções você pode conferir no Tripadvisor.

DSC09042

BAR COM LUTA DE MUAY THAI – KOH PHI PHI

COMPRAS

Por ser tudo concentrado sem muito planejamento ou organização, há lojas espalhadas por toda a ilha. Indicamos a feira de tecidos e souvenirs próxima ao Porto de Tonsai e do Irish Pub.

VIDA NOTURNA

Sabendo que os turistas usam o dia para conhecer todas as praias que podem, os restaurantes, bares e diversão da ilha dedicam-se a atrair a atenção daqueles no agito da noite. Há dezenas de bares com música de todos os estilos (rock, techno, reggae, etc.), com destaque para o Stockholm Syndrome, o Irish Pub, Buffalo Bar e o Relax Bar.

Para quem gosta de uma experiência divertida mais arriscada, indicamos o Slinky Bar, na parte central da praia de Loh Dalum. Nesse lugar, vários malabaristas fazem acrobacias coreografadas com fogo, inclusive com participação de voluntários da plateia. Se não for participar, escolha um lugar protegido, porque, algumas vezes, a tocha escapa das mãos rápidas dos artistas.

DSC09011

SLINKY BAR – KOH PHI PHI

Outro lugar muito bacana para se conhecer é o Reggae Bar Phi Phi. O local, à primeira vista, é bem simples, sem sofisticação. Mas lá dentro você assiste a lutas de muay thai – a famosa arte marcial tailandesa. Se estiver no clima e estiver a fim de ganhar uma bebida gratuita, candidate-se a lutar no ringue. Isso mesmo, é possível lutar contra um amigo ou alguém desconhecido da plateia. São três assaltos e há luvas e proteção de rosto (como o boxe nas Olimpíadas). Muito divertido!

DSC09039

BALDES DE BEBIDAS – KOH PHI PHI

Também é possível comprar um balde de bebidas e drinques vendido em várias barracas nas ruas. Atenção na hora de escolher para evitar um com pouca higiene ou com garrafas de procedência ou conteúdo duvidoso. Uma seleção ruim pode acabar sua viagem.

NOSSA EXPERIÊNCIA

Fomos no início de fevereiro (sol e céu azul todos os dias) e ficamos na ilha por 3 dias e 2 noites, hospedados no Sea Shell Hut. Chegamos lá a partir de Krabi, no barco (que, apesar de não ser confortável, não balançou e foi rápido) do primeiro horário da tarde.

Em Phi Phi Don fomos ao Viewpoint por dois dias (um no meio da tarde e o outro às 9h da manhã) e gostamos mais de lá no período matutino.

Alugamos um barco privativo que dividimos com um casal de brasileiros (de Curitiba) e saímos para o passeio às 7h da manhã. O percurso é extraordinário. A liberdade de ter o barco a sua disposição e a beleza das praias quase toda para você vale qualquer valor que cobrarem (pagamos 60 dólares pelo barco, divido para quatro; um excelente preço). Como dissemos acima, procure sair 8h ou 8h30. Isso porque testemunhamos Maya Bay quase sem água e com o mar sombreado, só começando a ficar mais bonito quando estávamos saindo dessa praia.

Como não tem muita coisa para fazer durante o dia, fizemos novamente o passeio (só que, dessa vez, em um barco maior, com mais gente e mais barato) no final da tarde e outro perto do meio dia. Valeu muito à pena. Adoramos ver Maya Bay do jeito que imaginávamos  – ao meio dia – e o por do sol da região. Além disso, vivemos a experiência única de nadar com os plânctons, que parecem estrelas ou vaga lumes na água (passeio do fim de tarde). Sensacional!

As praias que mais gostamos foram Maya Bay, Phi Leh Lagoon, Bamboo Island e Monkey Beach, nessa ordem.

Durante as noites, curtimos muito o Slinky Bar (malabarismo com tochas acesas) e as lutas de muay thai no Reggae Bar. Também adoramos jantar no Le Grand Bleau e jantamos no Valentine’s Day (Dia dos Namorados em boa parte do mundo) no Papaya Restaurant. Tudo delicioso!

Ficamos viciados nas barraquinhas de suco gelado e nas que vendiam waffles com nuttela. Outro destaque foi o pad thai de rua que amamos (comemos em dois dias diferentes) na tranversal a que dá acesso à praia de Loh Dalum.

Gostamos de tudo. Achamos os custos mais baixos que os de Bangkok e o povo super simpático (tem muito gringo que escolhe a ilha para viver por um tempo e arruma um emprego por lá, principalmente os que trabalham em embarcações, em agências de turismo, restaurantes e nas lojas de mergulho). As praias são indescritíveis e a noite tem muita opção. Indicamos, pelo menos dois dias e duas noites por lá.

img_3116

MAYA BAY AO MEIO DIA – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

DICAS

Alugue um barco privativo (long boat tail). Para não pesar tanto no bolso, chame um casal ou mais alguém em quem você confie.

Faça o passeio de barco privativo pelo dia inteiro (6h), saindo às 8h ou 8h30. Mais cedo que isso não compensa.

Conheça o Viewpoint no começo da manhã (vá até as 10h). A vista é mais bonita nesse horário.

Se tiver mais tempo no local, faça o passeio de barco do fim de tarde.

Cuidado com as bebidas vendidas por lá. Prefira latas vedadas. Evite águas e bebidas não lacradas.

Atenção também para frutas e peixes expostos. Observe a higiene do local antes de comprar seu produto. Verifique se ele é frequentado por nativos e, principalmente, por outros turistas.

Se passar mal, procure um médico. Há postos de saúde em Phi Phi Don. Tem um na rua principal de acesso à praia de Loh Dalum.

Não se esqueça de levar dinheiro para entrar em Phi Phi Don (taxa do Porto de Tonsai: 20 bahts por pessoa) e para ir até Maya Bay (aproximadamente 100 baths por pessoa, a cada vez que você visita aquela praia; se preferir ficar no barco, não paga).

⇒ Para sacar dinheiro, há caixas eletrônicos e bancos espalhados na parte central de Phi Phi Don. A quase totalidade dos restaurantes e bares aceitam pagamento através de cartão de crédito ou débito das bandeiras mais famosas (Visa e Mastercard), mas prefira pagar em dinheiro para evitar a cobrança do IOF.

CURIOSIDADES

O tsunami que atingiu a região em 2004 foi o terceiro maior registrado em um sismógrafo (picos entre 9,1 e 9,3 graus na escala Richter) e chegou a alterar e 2,5 cm a posição do Polo Norte, com milhares de mortos e outros tantos desaparecidos. Ainda hoje há vestígios do seu estrago em áreas arruinadas e hoteis em reconstrução. Diante de seu impacto, atualmente há rotas de fuga e alarmes para evitar novo desastre.

→ Diferentemente do que dá a entender no filme A Praia, Maya Bay não possui plantação de maconha, não abriga comunidade hippie e seu horizonte não é totalmente fechado por paredões. Apesar de muitas rochas gigantes, há uma larga entrada de barco para o local.

→ A família que vive isolada na Viking Cave consegue obter mantimentos a partir da venda de excrementos de morcegos raros que vivem na caverna e que tem valor de mercado por serem ricos em vitaminas.

SEGURO VIAGEM

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

IMG_2588.JPG

VIEWPOINT PELA MANHÃ – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

IMG_2706

PHI LEH LAGOON DE MANHÃ – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

img_2985

PHI LEH LAGOON DE MANHÃ – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

img_3015

MAYA BAY PERTO DO MEIO DIA – KOH PHI PHI, TAILâNDIA

img_3021

MAYA BAY AO MEIO DIA – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

img_3056

MAYA BAY DE MANHÃ – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

img_3108

MAYA BAY PERTO DO MEIO DIA – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

IMG_2755.JPG

PHI LEH LAGOON – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

IMG_3098

MAYA BAY PERTO DO MEIO DIA – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

IMG_2956

POR DO SOL NO MAR DE ANDAMAN – KOH PHI PHI, TAILÂNDIA

OUTROS POSTS QUE PODEM INTERESSAR VOCÊ:

O QUE SABER ANTES DE IR PARA ÁSIA

TAILÂNDIA – BANGKOK

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

  ⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

9 comentários sobre “KOH PHI PHI

    • conhecendolugaresblog disse:

      Oi, Thaís! Que bom que você conseguiu aproveitar algumas dicas! Para ser sincero, não lembramos o nome da agência que organizou o passeio. Fizemos com a agência indicada pela nossa pousada, Sea Shell Hut, que fica no centro, a poucos minutos a pé do porto de Tonsai. Se quer uma dica direcionada, procure o Sea Shell Hut e pergunte sobre o passeio (foi a opção mais barata que encontramos sobre esse programa imperdível). A lojinha da agência é do outro lado da calçada. Eles foram ótimos, mas se não estiver aberto ou se não te tratarem do jeito que você prefere, fique tranquila: caminhe pela ilha principal. Há várias agências excelentes em toda parte. Negocie o preço. Não feche no primeiro que te oferecerem. Não precisa contratar com antecedência. Basta acertar na véspera.

      Curtir

  1. Pingback: SIEM REAP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s