SAN ANDRÉS

Arquipélago que pertence ao Caribe colombiano, a 1 hora de avião partindo de Cartagena, San Andrés é um lugar lindíssimo.

Marcada por seu povo simples, pela boa infraestrutura hoteleira e gastronômica, além dos excelentes passeios nos seus arredores, o local é perfeito para quem gosta de cenários deslumbrantes e sem muito agito.

A ilha toda é cercada por um mar absurdamente bonito. Tanto é assim que sua fama só cresce. Não sem motivo: San Andrés é o único lugar no mundo conhecido pelo ótimo slogan de ter um “mar de siete colores”.

A nosso ver, é o maior trunfo turístico da Colômbia – e isso não é pouca coisa nesse país que não sai do nosso top 5. Continue lendo o post sobre essa maravilha caribenha!

229

CAYO BOLÍVAR – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

COMO CHEGAR

Não há voos diretos e raros são os cruzeiros que saem do Brasil com destino a San Andrés.

Os voos (saindo de ou passando por São Paulo) são realizados pela LAN, COPA ou pela AVIANCA, com conexões mais comuns em Lima, Cidade do Panamá, Bogotá ou Cali.

Importante ficar atento à duração da conexão. Prefira as opções que dão maior intervalo (3h entre a chegada do seu primeiro voo e a saída do segundo é uma boa referência) para não correr o risco de perder o trecho para San Andrés por atraso no voo anterior.

Para consulta de valores e conexões atualizadas, confira o site das mencionadas companhias aéreas ou faça uma simulação pelo DECOLAR.

QUANDO IR

Qualquer que seja a época da visita, os sorrisos e o aproveitamento desse lugar lindo estão garantidos. A temperatura média durante o dia é de 27 graus e varia muito pouco com o passar das estações, tendo em vista que o clima é tropical úmido.

Agora, para correr menos riscos de chuvas prefira ir no período historicamente mais seco, que corresponde aos meses de dezembro a abril. Nessa época a temperatura continua, em média, acima dos 25 graus e as noites podem ser mais agradavéis com os ventos típicos de inverno pouquíssimo rigoroso. Indicamos os meses de março e abril como os ideais.

Não sendo possível viajar nesse período, fique tranquilo: por ser localizado mais ao sul do Caribe, a região não faz parte da “rota dos furacões”. Assim, apesar dos ventos e tempo instável (chuvas mais frequentes) em agosto e setembro, por conta da influência indireta dos furacões que transitam entre Cuba, Cancun e Flórida, não há perigo de destruição em San Andrés.

284

WESTVIEW – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

CLIMA

Tropical úmido, com pequena variação de temperatura durante o ano (média de 27°C).

69

VISTO

Não é exigido. Para entrar no território colombiano, basta o passaporte. Alguns levam o RG com foto recente e entram com tranquilidade. Preferimos o passaporte por ser a identificação internacionalmente aceita. Essa falta de burocracia faz desse lugar um dos mais fáceis para acessar no Caribe.

Importante ressaltar que, especificamente em San Andrés (diferente de Cartagena e Bogotá), é cobrada uma taxa para você adquirir a “tarjeta turistica“. Trata-se de uma autorização para você ingressar na ilha que é paga no aeroporto, antes de pegar as bagagens. O valor é equivalente a 50 reais na moeda colombiana (peso colombiano ou COP), por pessoa.

Mais um detalhe: essa taxa é cobrada a cada vez que você chega de um voo em San Andrés. No nosso caso, por exemplo, chegamos em San Andrés por Bogotá e pagamos a taxa. Saímos de San Andrés, ficamos três dias em Cartagena e voltamos pra San Andrés, o que nos fez pagar a taxa da “tarjeta turistica” pela segunda vez.

245

CAYO BOLIVAR – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

Também merece atenção o fato de ser necessário guardar devidamente essa “tarjeta turistica” recebida ao pagar a correspondente taxa de entrada. Essa autorização será cobrada toda vez que você viajar partindo de San Andrés. Não perca ela por nada! Do contrário, haverá problemas financeiros (multa pesada) e diplomática.

FUSO HORÁRIO

UTC -5h. Isso significa que desconsiderado o horário de verão, são normalmente duas horas mais cedo que o horário de Brasília (ex: quando o horário oficial brasileiro marca 17h, em San Andres são 15h).

171

MAR EM SAN ANDRÉS – COLÔMBIA

MOEDA

Peso colombiano (COP). Para cotação atualizada, confira o conversor monetário nesse link do Banco Central do Brasil.

IDIOMA

Espanhol. O povo colombiano é simpático e esforça-se para entender a língua portuguesa dos muitos turistas brasileiros que passam pelo arquipélago. Assim, retribua a gentileza: procure, ao menos, cumprimentar (Hola, buenos dias, buenas noches), agradecer (gracias) e saber algumas palavras básicas do idioma local (perdón, permisso, etc.). Isso sempre ajuda muito.

173

SAN ANDRÉS – COLÔMBIA

QUANTO TEMPO FICAR

O lugar é fascinante. O mar é lindo mesmo na praia do centro da ilha principal. Além disso, há muitos passeios de barco para ilhas diferentes na vizinhança; e bons restaurantes e lojas livres de impostos de importação. Gostamos tanto de lá que sugerimos, no mínimo, 4 dias completos. Nesse período dá para conhecer o essencial e fazer, pelo menos, dois passeios tradicionais pelas ilhas próximas.

Se puder ficar mais tempo, reserve uma semana no local (dá para emendar com as lindíssimas e quase desertas ilhas-irmãs de Providência e Santa Catalina, a 3h de barco – que não sai todos os dias – ou a 15 minutos de avião de San Andrés). Não tem como se arrepender.

221

CAYO BOLÍVAR – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

COMO SAIR DO AEROPORTO

Táxi é a melhor opção. O valor da corrida é mais barato se sua hospedagem estiver localizada mais próxima ao centro da ilha principal.

Alguns hotéis oferecem transfer gratuito, confira se o da sua preferência tem essa vantagem.

Não vimos parada/estação de ônibus de linha nas imediações do aeroporto. Ainda assim, não valeria à pena. Ele fica muito perto do centro (menos de 5 km), o que torna a corrida de táxi um bom custo-benefício.

HOSPEDAGEM

É muito forte a presença de bons hotéis da rede Decameron, espalhados pela ilha. Indicamos como área de referência o centro (perto da praia Peatonal), com maior quantidade de serviços e mais movimento de dia e de noite. Outra boa opção, sobretudo a quem gosta de mais sossego, é hospedar-se perto da praia de San Luís. Listamos a seguir algumas alternativas bem avaliadas por turistas:

Outras opções podem ser encontradas nos nossos parceiros especializados BOOKING, TRIVAGO e TRIPADVISOR. Caso deseje alugar casa, apartamento ou quarto para uma temporada, acesse o AIRBNB.

75

PULSEIRA DO EL VIAJERO – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

O QUE CONHECER
  • Westview: trecho da ilha em que foi montada uma estrutura (mini parque) com ótimas atrações que fazem aproveitar bastante a linda e diferenciada água do mar nessa área. Tem toboágua e trampolim que te lançam a uma boa altura direto para o mar. Tem o Aquanautas (experiência de mergulho incrível com escafandro, em que é possível caminhar por debaixo de 6 m de água, alimentando lindos peixes e tirando fotos com ele e com a estátua de Poseidon; esse passeio é pago a parte). Para entrar no Westview, paga-se uma taxa de menos de 5.000 COP, isto é, menos de 5 reais e lá é possível conseguir calçado apropriado, máscara para flutuação e colete salva-vidas. Melhor forma para chegar: por carrinho de golfe alugado;
283

TOBOÁGUA NO WESTVIEW – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

  • Hoyo Soplador: fenda entre rochas por onde sai uma forte corrente de ar e jato da água do mar decorrente da pressão decorrente da força das ondas que quebram por debaixo dela e canalizada na pequena superfície aberta. Parada rápida e divertida (cuidado com os nativos nessa região; leia a dica sobre isso ao final do post). Melhor maneira para conhecer: chegando de carrinho de golfe alugado;
  • La Piscinita: muito parecido com a ideia do Westview, só que mais simples (menos atrações) e, por isso, mais barato e menos concorrido. Nesse lindo trecho de mar é possível fazer snorkel e alimentar peixinhos também. O acesso também é pago e é de aproximadamente 3 reais (2.000 COP). Melhor forma para chegar: volta pela ilha através do carrinho de golfe alugado;
  • Praia do Centro: uma das mais bonitas da ilha. É movimentada e perto dela saem os passeios de barco para as ilhas vizinhas. Procure tomar banho na ponta mais à esquerda dessa praia (para quem olha de frente para o mar), já que é a mais agradável, com tons de azul bem vivos/fortes. Facilmente acessível para quem está hospedado na região ainda que em ruas afastadas do calçadão. Evite circular de carrinho de golfe por aqui (o movimento é grande e confuso);
54

PRAIA DO CENTRO – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

  • Praia de San Luís: outra praia de destaque, em virtude da variedade de tons bonitos do mar. Ela é mais sossegada que a praia do centro e é servida também de bons restaurantes, notadamente o Donde Francesca (atendimento demorado, mas comida muito elogiada).  Melhor forma de chegar: por carrinho de golfe;
  • Rocky Cay: perto da praia de San Luís fica essa ilhota que pode ser alcançada caminhando com água na altura da cintura. O mar é lindo (azul claro quase branco) e calmo. O diferencial desse lugar é que nele encontra-se a carcaça de uma embarcação que foi abandonada após ficar presa no banco de areio que circunda a pequena ilha. É um lugar tranquilo, com pouca gente. Boa parada se você for de carrinho de golfe, mula, scotter ou moto. Leve um calçado específico para não se machucar com as pedras.
  • Aquário e Haynes Cay: passeio imperdível que se faz de barco saindo do centro de San Andrés. Nessas ilhotas, principalmente no Aquário, a água é rasa e há recifes de corais, o que torna a visibilidade impressionante de tão cristalina. A estrutura é simples, mas atende com o essencial: há banheiro, lanchonete, lojinha e dá para alugar o indispensável snorkel para nadar vendo os peixes de vários tipos e algumas arraias. Para chegar em Haynes Cay (menos interessante que o Aquário, mas bastante rústica e quase inabitada), basta ir caminhando com água a 1,30m de altura a partir do Aquário. O trajeto é bem curtinho e divertido; perfaz 200 m. Para quem tem medo, é possível ir de pedalinho por aproximados 5.000 COP;
239

AQUÁRIO – SAN ANDRES, COLÔMBIA

  • Johnny Cay: junto com a atração anterior, é o bate e volta mais famoso saindo de San Andrés (Peatonal). Os três juntos duram o dia inteiro muito bem curtido. Essa ilha é bem bonita e dá para percorrê-la a pé tranquilamente. De um lado, há uma faixa de areia com barraquinhas que podem ser alugadas e onde dá para consumir petisco e almoçar. A cor é de um azul com matiz mais escura e as ondas que existem são baixas. Do outro lado da ilha (a menos de 10 minutos caminhando), há piscinas naturais lindíssimas, de cor mais clara,  com pedras (entre na água calçado, porque há alguns ouriços) e algumas iguanas circulando. É uma área com muito menos banhistas, mais autêntica, com mata quase virgem. Enfim, tem para todos os gostos;
  • Mantarrayas: um dos passeios mais legais e diferentes para se fazer. Você parte em um barco com guia, que conta algumas histórias da ilha e mostra alguns pontos importantes dela e, em seguida, atraca em uma parte mais rasa do alto mar (quase um banco de areia), com água lindíssima, onde é possível mergulhar e segurar arraias, sem precisar mergulhar com cilindro ou fazer grandes manobras. O melhor de tudo é que elas não têm caudas perigosas. A aproximação assusta um pouco, principalmente pelo tamanho e textura da pele delas, mas depois da primeira impressão, ao pegar uma nas mãos, a vontade que dá é ir atrás de outras e brincar com a natureza, sem machucar, devolvendo aqueles belos animais para o mar;
266

MANTARRAYAS – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

  • Cayo Bolívar: para quem não vai a Providência e Santa Catalina, este passeio de barco é provavelmente a experiência mais bonita, aventureira e privativa que sai de San Andrés. O lugar parece uma “micro miniatura” da ilha do filme Náufrago. É possível dar uma volta completa nessa faixa de areia com poucas árvores e vegetação baixa em menos de 30 minutos e o mar é impressionante e praticamente seu (não chega a ter 30 pessoas na ilhota com você durante o dia) por todos os lados; sem casas, sem energia elétrica, sem habitantes. Assim como em Johnny Cay, de um lado da ilhota a água é de um jeito diferente da outra face (que fica a menos de 500 metros da primeira). Uma é de um azul claro quase branco e turvo, um marca texto de tão intenso, e com profundidade gradativa; outra é transparente, sendo possível enxergar tudo e inteiramente rasa. Ideal para descansar e namorar ou curtir com os amigos. Importante destacar que os passeios para Cayo Bolívar não acontecem todos os dias. Pelo contrário. Há muitos relatos de pessoas que não conseguem ir porque o traslado deixa de operar por meses, em virtude da estrutura precisar ser melhorada constantemente e depender muito das condições do mar (tem gente que compra o passeio e, no dia que ele vai acontecer, a capitania suspende a autorização por mar revolto; caso você não queira ou não possa reagendar para outro dia sem custo adicional, seu dinheiro é devolvido). Quem tem a sorte de ir, o passeio começa cedo – a concentração ocorre às 7h45; saímos através da empresa Porto Fino – e dura até umas 4h da tarde. O almoço (peixe ou frango com patacón, pepino e arroz de coco que adoramos) e as bebidas estão incluídos no preço, que custa em torno de 150.000 COP. A ilhota fica a cerca  de 50 minutos de barco partindo de San Andrés. Se você curta boas emoções, vai gostar muito do trajeto de barco na ida. Caso não seja seu perfil, não arrisque.
  • Providência e Santa Catalina: se você tem de 5 a 7 dias em San Andrés, não deixe de fazer esse passeio extraordinário. O motivo atende pelo nome de Cayo Cangrejo, ilhota banhada pelo mar mais bonito onde já tomamos banho na vida. Para mais detalhes, confira o post específico que pode ser acessado nesse link.
  • Outras atividades recomendadas: mergulho com cilindro (custa de 160 a 180 mil COP dois mergulhos, sendo, assim, mais barato que em vários outros lugares do Caribe; acontecem em áreas como Blue Hole, Las Esponjas, La Piramide, Cantil del Faro) e parasail (preso a uma espécie de para-quedas que levanta com a força contrária do vento gerada com a lancha que puxa o cabo ao qual você está preso, você sobrevoa a ilha e tem uma visão aérea linda; custa aproximados 120.000 COP e tem saída na Porto Fino, cuja equipe te leva a uma área ideal).
DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

Há táxis e ônibus, mas o custo-benefício não compensa. Os veículos são antigos e não dão toda a liberdade e disponibilidade que você precisa para curtir a ilha no seu ritmo. Os ônibus são escassos e, por isso, costumam vir cheios e desconfortáveis. Prefira as opções abaixo.

No centro, não tem mistério: caminhe! As avenidas não são longas, quase todas têm calçadas e o movimento de motos lá é intenso, o que dificulta circular de automóvel. Todos os pontos principais são facilmente acessíveis a pé.

Lá no burburinho mesmo (que fica na parte norte da ilha), pechinche o preço do carrinho de golfe que você vai alugar nas inúmeras agências que oferecem esse transporte. Isso mesmo: carrinho de golfe. Esse meio de locomoção é um dos charmes da ilha principal de San Andrés. Isso se deve ao fato de que protege do sol, sua velocidade baixa (cerca de 30 km/h) é ideal para você desfrutar relaxando cada cantinho desse lugar mágico, e te permite dividir o preço pelos ocupantes, que podem ser amigos, familiares ou desconhecidos na mesma vibe que a sua.

A  volta na ilha tem a extensão aproximada de 27 km². Para se ter uma noção, você consegue conhecer todos os pontos principais em curtas paradas até antes do almoço (se não parar, o que não faz sentido, dura menos de 1h). Mas não faça isso. Apesar de ser possível você acertar o valor do aluguel do carrinho por hora, o ideal é você ficar com ele durante o dia todo, fechando o pacote pela diária, o que te permite aproveitar a ilha da forma que ela pede, relaxada.

O carrinho de golfe comporta até 2, 4 ou 6 pessoas, dependendo do modelo. O valor costuma incluir o tanque de combustível completo. Para te dar uma estimativa, ele custa em torno de 70.000 a 120.000 COP (entre 70 e 120 reais, a grosso modo). Confira o valor atualizado nas agências, já que eles podem variar dependendo da temporada que você vai e de seu poder de barganha.

67

PRAIA DO CENTRO DE SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

Carrinhos menos tradicionais, ou seja, mais velozes (um pouco) são conhecidos como “mulas” e facilmente alugados nas agências. Pela maior potência, o valor desse modal é maior, cerca de 130 a 150 reais.

Tanto o carrinho de golfe quanto a mula são simples de serem guiados. Não há marchas para serem trocadas, apenas dois pedais: GO (acelerar) e STOP (frear/parar). Assim, mesmo quem não é especialista no volante, vira-se bem. Importante destacar que não há seta no veículo para indicar a direção. Peça ajuda a seu carona para fazer gestos para a esquerda ou direita.

Para quem curte motos e bicicletas, dá para alugá-las em vários locais do centro da cidade e se aventurar pela ilha também dessa forma.

O fluxo só é complicado até sair do centro. Por lá, disputa-se espaço com as infinitas motos, táxis e famílias caminhando nas ruas, com a impressão de que não existe semáforo, nem sentido definido. Mas com cabeça fria e disposta a relevar pequenos e passageiros contratempos, tira-se isso de letra e muito rapidamente.

Apesar de serem raras as áreas reservadas especificamente ao estacionamento, é possível deixar seu meio de transporte em acostamentos mais largos e terrenos vazios próximos aos pontos turísticos, não sendo difícil improvisar uma vaga principalmente longe do centro.

Existem tantos pontos onde se pode alugar (inclusive informalmente, no boca a boca) esses transportes, que não é necessário fazer uma reserva antecipada ou se preocupar em garantir a sua alternativa. Leve o dinheiro, passaporte e carteira de habilitação (de preferência, PID – Permissão Internacional para Dirigir) e isso basta para você conseguir o aluguel, que pode iniciar das 9h até as 18h, mais ou menos – informe-se sobre o horário de funcionamento da locadora ao contratar o serviço.

Importante: leve as chaves e os documentos com você. A ilha não é perigosa, mas, nem por isso, dê pano pro azar.

273

VOLTA NA ILHA POR CARRINHO DE GOLFE – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

CULINÁRIA LOCAL

Peixes, lagostas, camarões e outros frutos do mar frescos são as especialidades locais. Esses principais costumam vir acompanhados dos típicos patacóns (massa frita feita com banana ou batata amassada) e arroz de coco. Tudo muito gostoso.

Outro destaque da região fica para o “rondón”, que é uma sopa de peixe ou marisco, com batata, banana e mandioca. Outra sopa típica é a de caranguejo. Tem também as famosas arepas colombianas, que são massas parecidas com sírio, que levam farinha de milho, sal e açúcar no preparo e diferentes recheios (carne, queijo e outros).

Isso é o peculiar da Colômbia, mas também há muitas opções de massas, comida asiática, peruana e lanchonetes (hambúrguer e batata-frita) na ilha.

As bebidas são também deliciosas, principalmente a limonada de coco (não deixe de beber essa maravilha colombiana), coco loco – que mistura três bebidas alcoólicas distintas e suportáveis – e coco fresa (sem álcool).

180

AQUÁRIO – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

RESTAURANTES
  • La Regatta: o melhor e mais famoso restaurante da ilha principal. Frutos do mar e drinks excelentes em estrutura montada sobre o mar, com algumas mesas à luz de velas;
  • Gourmet Shop Assho: restaurante do centro com comida variada e com destaque para a decoração interna repleta de garrafas de vidro no teto e nas mesas;
  • Restaurante Casablanca: massas e frutos do mar em um ambiente aconchegante, com vista para o movimento do calçadão e para o lindo mar;
  • Donde Francesca: outro elogiadíssimo restaurante, com comida sofisticada muito bem preparada. Fica na região onde fica a Praia de San Luis;
  • Mahi Mahi: peixes e frutos do mar frescos preparados com temperos tailandeses;
  • Cafecafé: pizzas, massas e lanches gostosos a bons preços. Bom, bonito e barato;
  • El Corral: lanchonete com sanduíches, batata-frita e milk shake excelentes. Outro bom, bonito e barato concorrido na ilha.
  • Juan Valdez: franquia da cafeteria colombiana mundialmente renomada. Parada obrigatória a quem vai para a Colômbia.
COMPRAS

Mais um ótimo motivo para visitar esse lugar tão querido pra gente. Afinal, a ilha é isenta de impostos e conta com lojas que vendem artigos de roupas, malas, eletrônicos, calçados, perfumes e outros por preços até mais baixos que os free shops, que podem ser pagos mediante cartão de crédito ou dinheiro em espécie (dólar ou peso colombiano).

Os melhores locais para compras são as avenidas do centro, em especial: Avenida Colón, Avenida Providência, Avenida Las Américas e Avenida Colômbia (calçadão beira-mar, também conhecido como Paseo Peatonal).

Cuidado com produtos falsificados espalhados em lojas de rua! Não caia na tentação do preço mais barato. Teste o produto e procure comprar nas lojas de marca/de confiança, tais como La Riviera, Madeira, President, Perfumerie.

O comércio costuma funcionar das 9h às 12h; reabre às 15h e vai até 20h30. Ótimo pra encaixar entre deliciosos banhos de mar e refeições.

VIDA NOTURNA

O centro comercial também é o mais movimentado durante a noite da ilha. Ótimos bares e restaurantes, além de boas baladas até a madrugada. Não espere encontrar o agito famoso de Cancun, mas dá pra se divertir tranquilamente nos fins de semana.

Os destaques ficam para o Coco Loco (mais conhecido e destinado aos que gostam de dançar) e para a boate do Hotel Sol Caribe. Outras boas opções são: Big Mama Original Reggae Bar (mais rústico/podrão) e Lighthouse Lounge Bar.

100

LIMONADA DE COCO E DAIQUIRI – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

NOSSA EXPERIÊNCIA

Fomos em abril aproveitando uma promoção (cada vez mais frequente) e seguindo a sugestão de um casal da família que havia passado a lua de mel na Colômbia, passando alguns dias em San Andrés. Nossa viagem ao arquipélago superou todas as expectativas. Até hoje temos um carinho enorme por aquele lugar, definitivamente a melhor parte da Colômbia, que é o país mais legal da América do Sul por qual já passamos.

Ficamos hospedados em uma suíte privativa do El Viajero Hostel (que também conta com quartos coletivos). Gostamos da hospedagem, tinha um café da manhã básico, um quarto limpo, equipe prestativa, andar específico para internet e a cobertura era para confraternizar ao som de um DJ do hostel. Outra vantagem é que fica a menos de 5 minutos a pé da linda praia do centro e das lojas mais conhecidas e ao lado de uma casa de câmbio. Eles emprestaram calçados específicos para áreas da ilha com mar que têm pedras e ouriços. O hostel era simples, mas foi muito melhor e mais confiável que o Hotel Portobelo Boulevard, outro local em que dormimos e que fica de frente pro mar, mas com uma equipe confusa e que cobrava por serviços não prestados e diárias excedentes.

Dos 5 dias que ficamos lá só choveu durante 1h em uma tarde. O resto foi de sol perfeito para aquele mar impressionante. Por isso, indicamos o mês de abril como excelente para viajar pra lá.

77

PRAIA DO CENTRO – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

Sobre os programas que fizemos: tomamos banho de mar na praia do centro; em uma  das inúmeras agências de turismo do centro, alugamos o carrinho de golfe dando uma volta na ilha, parando no Westview, Hoyo Soplador, Igreja Batista de San Andrés e Rocky Cay (essa locomoção é um barato, muito divertido e uma velocidade excelente para curtir a paisagem com calma, com trânsito praticamente inexistente em 80% da ilha); fizemos o passeio para Aquário e Johnny Cay; outro incrível passeio para mergulhar e segurar arraias sem cauda perigosa (Mantarrayas); outro de um dia inteiro para a lindíssima Cayo Bolívar; e uma viagem de barco para Providência e Santa Catalina (destinos imperdíveis por lá ficar a terceira maior barreira de corais do mundo e o indescritível Cayo Cangrejo).

Sobre restaurantes, ficamos apaixonados pelo La Regatta. Comemos lá três vezes. O lugar é muito bonito e aconchegante por ter mesas à luz de velas e uma estrutura sobre o mar. Comemos em outros restaurantes mais simples no centro e em bares bem bonitos, dos quais gostamos bastante também do Gourmet Shop Assho (cheio de garrafas no teto e na decoração do ambiente; tomamos um delicioso daiquiri e uma sempre espetacular limonada de coco), do restaurante do Hotel Casablanca (massa e frutos do mar deliciosos e incrível limonada de coco), da lanchonete El Corral (hambúrguer caseiro bem bacana), da cafeteria Juan Valdez (famosa com justiça pelo café colombiano mundialmente conhecido e que agrada bastante mesmo aos que não são muito fãs, como nós).

Os destaques ficam para: o passeio de carrinho de golfe (sobretudo para a parada no Westview e a experiência inesquecível e lindíssima do Aquanautas), a visita ao Aquário e às Mantarrayas, o passeio até Cayo Bolívar (no caminho, vimos um cardume de peixes voadores; inesquecível) e até Providência e Santa Catalina, os jantares no La Regatta e a limonada de coco de todos os bares e restaurantes por onde passamos.

Vá´por nós: visite San Andrés! Tudo o que a gente traz é a vontade de voltar pra lá.

78

PRAIA DO CENTRO (PEATONAL) – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

DICAS

⇒ Se fizer conexão em Bogotá, não se esqueça de levar um agasalho. A capital colombiana fica em uma altitude mais elevada (2.640 metros acima do nível do mar), o que faz dela uma cidade costumeiramente fria.

⇒ Guarde a “tarjeta turistica” que você tem que compraraté o final da viagem. Você precisará apresentar essa autorização ao deixar San Andrés.

⇒ Quando for tomar banho de mar não deixe de levar um calçado fechado sintético que você pode alugar ou pedir emprestado em várias lojas ou na sua pousada. Eles são apropriados para banhos em áreas com pedras e com ouriço (área de Westview, Rocky Cay, Aquário). Na praia do centro (Peatonal) não precisa. Lá não tem pedra.

⇒ Alugue o carrinho de golfe para dar uma volta pela ilha principal. Apesar de termos feito o percurso saindo pela esquerda do centro comercial (sentido anti-horário) e, mesmo assim, termos amado, o que as pessoas mais aconselham costuma ser dirigir pelo sentido horário (direita de quem sai do centro). Isso porque, desta maneira, os pontos turísticos mais indicados na ilha vão melhorando, ficando o principal destaque já no lado da volta: Westview.

⇒ Na volta pela ilha por carrinho de golfe, tome cuidado com seus documentos, cartão e dinheiro, principalmente no Hoyo Soplador. Essa área, por ser parada de muitos turistas, concentra muitos vendedores e frentistas. Eles começam a contar histórias e dizem que vão cuidar do seu transporte mesmo sem você pedir e, em seguida, cobram com certa hostilidade alguma “ajuda”. Finja que não entende e demonstre firmeza, cortando a conversa desde o início. Fique atento!

⇒ Com tempo bom e mar em condições tranquilas, não deixe de ir a Cayo Bolívar. Para tanto, confira antes se esse passeio está sendo realizado. Tem épocas em que ele fica suspenso, tendo em vista a estrutura quase inexistente lá e a tábua de maré.

⇒ Se puder, não deixe de ir para Providência e Santa Catalina, de preferência, através de avião (o trajeto de barco é mais longo e balança bastante). Nessa região fica Cayo Cangrejo, a ilhota cercada pelo mar mais bonito que já vimos até hoje, na terceira maior barreira de corais do mundo. Confira o post sobre esses lugares incríveis clicando no link acima.

⇒ Não saia da Colômbia sem provar a limonada de coco. Trata-se de uma bebida não alcoólica, que equilibra perfeitamente o azedo com o doce. Deliciosa. Provamos em Cartagena e San Andrés. Todas estavam incríveis.

250

CAYO BOLÍVAR – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

 

CURIOSIDADES

→ A ilha principal de San Andrés tem o formato curioso de um cavalo marinho.

→ Apesar de pertencer à Colômbia, San Andrés é uma ilha mais próxima da Nicarágua (190 km contra os 780 km de distância do país de Gabriel Garcia Marquez e Shakira), o que rende até hoje discussão entre os dois países.

→ A ilha serviu de base para corsários e piratas na busca de tesouros e saques a embarcações colonizadoras. Dentre esses fora-da-lei, destacou-se Henry Morgan, sobre o qual são feitas várias referências em grutas e bares de San Andrés.

→ O Hoyo Soplador, na ponta inferior da ilha principal, é uma fenda natural por onde se espirra água e por onde sai uma corrente de vento bastante intensa, em virtude de canalizar a força das ondas que quebram abaixo e afunilam-se no mencionado buraco, em um fenômeno físico interessante e divertido.

274

VOLTA DE CARRINHO DE GOLFE – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

SEGURO VIAGEM

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

  

114.jpg

SAN ANDRÉS – COLÔMBIA

285

WESTVIEW – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

153

AQUÁRIO – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

264

CAYO BOLÍVAR – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

260

CAYO BOLÍVAR – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

256

CAYO BOLÍVAR – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

239

AQUÁRIO – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

282

WESTVIEW – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

43

SAN ANDRÉS – COLÔMBIA

234(1)

SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

95

PRAIA DO CENTRO (PEATONAL) – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

104

GALERIA DE LOJAS E RESTAURANTES – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

228

CAYO BOLÍVAR – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

248

CELEBRANDO O NOIVADO – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

287

ROCKY CAY – SAN ANDRÉS, COLÔMBIA

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

 

5 comentários sobre “SAN ANDRÉS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s