BRASÍLIA

Surpreendente e original. Se é para definir a capital do Brasil com poucas palavras, aquelas são bem adequadas. A cidade dos ipês, das tesourinhas, dos pilotis, dos setores, dos imensos parques, do elevado IDH, do por do sol espetacular e da arquitetura única no mundo é um lugar inacreditável, do tamanho da ousadia do ex-presidente Juscelino Kubitschek ao modificar o centro político do país do Rio de Janeiro para construir, a partir do final da década de 1950, uma cidade imensa onde só existia o cerrado.

Trata-se da cidade planejada por Lúcio Costa, desenhada por Oscar Niemeyer (provavelmente, o arquiteto mais famoso do Brasil), erguida por candangos (brasileiros de todas as partes que vieram em busca de oportunidade, principalmente partindo do Nordeste) que executaram os cálculos estruturais desenvolvidos pelo engenheiro e poeta pernambucano Joaquim Cardoso, e decorado por Athos Bulcão.

A mesma cidade de onde despontaram cantores e bandas de rock, como Cássia Eller, Zélia Duncan, Oswaldo Montenegro, Ney Matogrosso, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso (a banda se juntou aqui), Capital Inicial, Plebe Rude, Scalene e outros.

Apesar de não ser banhada pelo mar, Brasília possui muitas atrações vinculadas à água, como o Lago Paranoá e o Parque de Água Mineral. Trata-se da capital com aeroporto mais próximo para conhecer a linda Chapada dos Veadeiros (2h30 de carro), Pirenópolis (2h de carro), Formosa/Salto do Itiquira (1h30), Chapada Imperial (50 minutos). É cachoeira bonita que não acaba mais!

Enfim, um local que não aparece na lista da maioria das pessoas como destino programado, mas que conquista a todos que o visitam. Confira no post abaixo o porquê de mais um preconceito que deve ser desconstruído.

IMG_9114

CONGRESSO NACIONAL – BRASÍLIA

COMO CHEGAR

Por se localizar em uma região estrategicamente central e por ser uma das cidades mais importantes do país, Brasília é bem servida de voos nacionais (pela LATAM, GOL, AZUL, AVIANCA) que não são longos. Bom para quem vem direto de Manaus, Belém, Recife, Salvador, Campo Grande, Rio de Janeiro, São Paulo, Vitória, Porto Alegre e outros. Além disso, o fato de ainda não ser muito turística, torna as passagens até ela relativamente baratas.

Aos que vêm ou voltam de outros países, Brasília também é frequentemente utilizada como hub para outras conexões às cidades brasileiras, recebendo voos da AIRFRANCE, COPA AIRLINES, DELTA AIRLINES, entre outras.

Para simular seu trajeto e ter uma noção dos preços, basta acessar os links das companhias acima ou o do DECOLAR.

Se sua ideia é chegar de carro, importante destacar que as BRs 040, 060, 020 e 070 são as principais rodovias de acesso.

IMG_20171118_154534901_HDR.jpg

CATEDRAL – BRASÍLIA

QUANDO IR

Há duas estações bem definidas em Brasília: a chuvosa (do final de outubro ao final de abril) e a seca (de maio até o início de outubro).

No período de estiagem – principalmente junho, julho e agosto -, é certo que não chove em dia algum. Por sua vez, durante os meses de chuva, costuma haver raios, relâmpagos e trovões e alguns alagamentos, sobretudo entre novembro e fevereiro.

A temperatura não é um problema da cidade. Por ser a capital mais elevada do Brasil, as noites são agradáveis em 90% do ano, na média de 18°C, podendo atingir de 12°C a 9°C nas madrugadas de inverno. As tardes são insuportavelmente quentes apenas do fim de agosto até o início da chuva (em outubro).

Diante dessas circunstâncias, a paisagem da cidade muda muito a depender do mês da visita. Se a sua intenção é fotografar os espetaculares ipês e contemplar os melhores pores do sol, viaje até Brasília entre agosto e outubro. Apesar de ser marcada por um cenário triste com várias queimadas e muitas plantas esturricadas, a cidade tem nesses meses uma linda demonstração de resistência e beleza dos ipês (principalmente o rosa e o amarelo), com a beleza do céu sem nuvens para a linda despedida do sol.

A partir de novembro, com a volta mais regular das chuvas, florescem os flamboyants, bouganvilles e outras lindas plantas.

Se puder escolher, prefira ir em abril, maio ou junho: nesse período, a chance de chuva é menor, as temperaturas são amenas e as árvores e gramados ainda estarão verdes.

IMG-20160811-WA0029

IPÊS AMARELO, BRANCO, ROXO E ROSA – BRASÍLIA

 

CLIMA

Tropical de altitude. Isso significa que o verão é chuvoso e o inverno é seco e frio.

DDD

61

QUANTO TEMPO FICAR

Para conhecer apenas as atrações principais de Brasília, recomendamos 2 a 3 dias completos, pelo menos. A cidade é ótima para morar, todavia (e o que pode ser muito bom para quem tem pouco tempo) seus pontos turísticos principais são concentrados e podem ser visitados em um fim de semana ou feriadão.

Agora, se você tem uma semana ou dez dias de folga na cidade, não lastime; agradeça. No cerrado brasileiro, não há desperdícios. Aproveite para viajar até a Chapada dos Veadeiros, Pirenópolis, Salto do Itiquira (em Formosa) e/ou Chapada Imperial. São excelentes alternativas para quem adora turismo ecológico, repletas de cachoeiras, montanhas, vida simples e belas paisagens.

IMG_8888

SANTUÁRIO DOM BOSCO – BRASÍLIA

COMO SAIR DO AEROPORTO

Por localizar-se a 15km do centro, o Aeroporto Internacional de Brasília não gera grandes custos para quem aterrissa na cidade e se hospeda na área principal.

A corrida de táxi ou Uber até o Setor Hoteleiro Sul ou Norte não chega a custar R$ 40,00. Assim, se viajar com amigos ou familiares, a conta dividida pode ser tão em conta quanto o transporte público.

Tá viajando sozinho ou com uma galera que não gosta de táxi e tem pouca bagagem? Há ônibus executivo e ônibus comuns de boa qualidade.

20170901_173040

BIBLIOTECA, MUSEU, CATEDRAL – BRASÍLIA

 

A passagem do ônibus executivo custa em torno de R$ 10,00 e seu valor pode ser pago em guichês específicos no térreo do aeroporto, perto da parada de onde ele sai. Ele passa por importantes pontos da Asa Sul – inclusive perto de estações de metrô que podem levar até o terminal de ônibus interestadual (basta seguir para a estação “Shopping”) – e do Eixo Monumental, incluindo a rodoviária principal (de onde você pode fazer pegar outro ônibus para percorrer distâncias mais afastadas no Distrito Federal ou entorno) e o Setor Hoteleiro Sul e Norte. Ele sai a cada 30 minutos e funciona das 6h30 às 23h (de segunda à sexta, opera até meia-noite).

Para quem não está com pressa e quer gastar o mínimo possível, há ônibus comuns, que custam por volta de R$ 3,00. Suba no da linha número 11 para ir até a rodoviária central (que fica a uma caminhada de 20 minutos até a concentração de hotéis) e passar pela Esplanada dos Ministérios. Outros ônibus úteis ao turista que saem do aeroporto: linha 31, linha 1o2 e linha 113. Procure os que indicam no letreiro W3 Sul, W3 Norte, L2 Sul, L2 Norte, rodoviária ou Esplanada (os táxis são mais baratos saindo desses lugares para os hotéis e há maior variedade de ônibus).

Confira as opções de ônibus que passam pelo aeroporto no link: http://www.horarios.dftrans.df.gov.br

IMG-20170812-WA0050

CURVAS DE NIEMEYER NO MUSEU DA REPÚBLICA – BRASÍLIA

HOSPEDAGEM

O custo das diárias em Brasília não costuma ser baixo durante os dias úteis, mas dá para encontrar boas promoções para os fins de semana, quando a evasão de empresários, políticos e manifestantes esvaziam as pousadas e hotéis da cidade. Programe-se, compre com antecedência. Neste caso, as chances de descontos são maiores.

Os melhores hotéis são concentrados no início da Asa Sul e Asa Norte, próximos a shoppings e à rodoviária central. O planejamento de Brasília foi tão organizado que existe um setor específico para cada concentração de hotéis: Setor Hoteleiro Norte (com edifícios mais novos e que ficam perto do Brasília Shopping) e Setor Hoteleiro Sul (com bons e tradicionais hotéis perto do Parque da Cidade e do shopping Pátio Brasil)

Há também pousadas e pensões mais simples ao longo da avenida W3 (não aconselhamos por serem de precária qualidade e não autorizados pelo plano urbanístico) e em “bairros” mais afastados.

Indicamos a seguir uma relação de hotéis bem avaliados, com preços variados:

Para maiores opções, sugerimos a consulta aos sites BOOKING, TRIVAGO e TRIPADVISOR. Aos que preferem alugar quarto, casa ou apartamento para uma temporada, indicamos o AIRBNB para saber, de forma atualizada, a disponibilidade, as condições e o preço.

IMG-20170812-WA0067

HOTEL ATHOS BULCÃO – BRASÍLIA

O QUE CONHECER

São inúmeras atrações, principalmente o acervo inspiradíssimo de Oscar Niemeyer. O mais bacana desses monumentos é que, boa parte deles, foi construída no fim da década de 1950 e início da década de 1960 e continua atual, de tão diferentes e futuristas que são essas verdadeiras obras de arte gigantes, daí a genialidade de Oscar Niemeyer. Sua obra não tem data, não fica ultrapassada. Encanta, causa estranheza e provoca a interpretação do público.

Outra grande vantagem é que quase todos eles são gratuitos.

A maioria dos cartões-postais encontra-se no Eixo Monumental, mas há vários outros espalhados pela capital. Confira:

Congresso Nacional – é, junto com a Catedral, o símbolo mais famoso de Brasília. Projetado por Oscar Niemeyer, é a sede do Poder Legislativo federal e possui vários anexos, sendo o prédio branco em formato de H o maior e mais bonito. Todos os dias, a cada meia hora aproximadamente, são realizadas ótimas visitas guiadas gratuitas pelo seu interior, passando por salões, maquetes, obras de arte, túnel do tempo, pavilhão das bandeiras e pelos plenários (ambientes que aparecem na TV onde os deputados e/ou senadores reúnem-se para discutir e deliberar sobre projetos de lei, emendas constitucionais e outras propostas de cunho político) da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Se você for em dia útil, é bom respeitar o código de vestimenta, isto é, trajar roupa mais formal. Visita imperdível.

DSC02046

CONGRESSO NACIONAL – BRASÍLIA

DSC02076

PLENÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS – BRASÍLIA

Palácio do Planalto – sede do Poder Executivo, onde o Presidente da República trabalha; há visitas guiadas gratuitas aos domingos.

Supremo Tribunal Federal – órgão máximo do Poder Judiciário, onde são decididos casos emblemáticos e com maior repercussão social; há visitas guiadas gratuitas ao prédio principal, com acesso ao gabinete do Presidente do STF e o salão do Plenário, aos sábados e domingos.

Praça dos Três Poderes – por trás do prédio principal do Congresso, encontra-se esse belo espaço, que recebe esse nome em virtude de ser delimitado pelos três edifícios acima citados que simbolizam o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. Além disso, na praça localiza-se também: a bela escultura “Os Candangos”, que homenageia os trabalhadores que colocaram a mão na massa e fizeram a cidade ficar de pé; a escultura “Justiça”, na frente da entrada do Supremo Tribunal Federal; o gigante Mastro da Bandeira; o Panteão da Pátria (local que celebra os heróis e figuras importantes da história nacional); o Espaço Lúcio Costa, onde encontra-se uma grande maquete do Plano Piloto (fica sob o piso da praça); o Museu Histórico de Brasília (com uma escultura da cabeça de Juscelino Kubitschek na fachada).

20170901_175852

CANDANGOS E PALÁCIO DO PLANALTO – BRASÍLIA

Palácio do Itamaraty – linda sede do Ministério das Relações Exteriores. Também chamado de Palácio dos Arcos. Cercado por plantas nacionais e espelhos d`água projetados de forma muito inspirada pelo paisagista Burle Marx, além da escultura “Meteoro”, que simboliza a união e cooperação entre os cinco continentes, esse edifício também é aberto a visitas públicas. Trata-se do melhor tour guiado gratuito da cidade, com apresentação de esculturas, pinturas, mobiliário, tapetes, jardins e salões que contam bastante da história do Brasil. Vale muito à pena. Confira antes se as visitas estão sendo realizadas no período que você deseja visitar a cidade, clicando no link do título.

Palácio da Justiça – outra bela obra de Oscar Niemeyer, com cálculos estruturais de Joaquim Cardoso. É o prédio principal do Ministério da Justiça. Sua fachada é peculiar por apresentar as quatro faces com aspectos diferentes. No lado principal (voltado para o Eixo Monumental), há canaletas com quedas d`água, provocando um belo efeito.

Esplanada dos Ministérios – prédios que sediam as diferentes pastas do Executivo nacional, cada uma tratando de um tema diferente (Educação, Saúde, Previdência Social, Fazenda, Planejamento, etc.). Todas elas são iguais com a intenção de não despertar a aparência de que um é mais importante que o outro.

20170901_173626

CATEDRAL – BRASÍLIA

Catedral Metropolitana – icônico monumento de Brasília (pedra fundamental de 1958, embora apenas inaugurada em 1970). Talvez a obra mais bonita de Oscar Niemeyer. Perto da entrada, ficam as estátuas dos quatro evangelistas e, à direita, fica o campanário doado pela Espanha. Lá dentro, há vitrais coloridos, uma réplica micromilimétrica da Pietá (a original está na Basílica de São Pedro, no Vaticano), a cruz da missa inaugural de Brasília, a pedra esculpida que representa o sonho de São João Bosco acerca da construção da cidade; as esculturas de três lindos anjos de Alfredo Ceschiatti suspensos por cabos de aço da nave central; a via sacra pintada por Di Cavalcanti. Não deixe de ler a dica sobre o efeito sonoro das paredes da catedral ao final deste post!

Complexo Cultural da República – colado à Catedral, encontra-se esse imenso espaço inaugurado em 2006, que reúne o Museu Nacional (em formato semi-circular; aberto de terça a domingo, das 9h às 18h30) e a Biblioteca Nacional (funciona todos os dias, entre 9h e 21h; fim de semana, abre até 18h) separados por três grandes espelhos d`água redondos. Nesse complexo são realizadas várias exposições e shows, e lá também os jovens aproveitam para andar de skate e patinar.

IMG-20170812-WA0023

MUSEU NACIONAL – COMPLEXO CULTURAL DA REPÚBLICA – BRASÍLIA

Teatro Nacional – projetado por Niemeyer, possui estrutura em formato de pirâmide irregular. Sua fachada voltada para o Eixo Monumental é revestida por um painel em alto relevo de Athos Bulcão. Antes de visitá-lo, vale conferir a programação para saber se o teatro ainda encontra-se em reforma. Se estiver fechado, evite ir à noite até lá.

Torre de TV – a quarta estrutura mais alta do Brasil, com 244 metros de altura (fonte: Wikipédia) é um dos poucos monumentos em Brasília não desenhados por Oscar Niemeyer. Há um excelente mirante nela, aos 75 metros de altura, onde é possível avistar o Eixo Monumental, parte do Lago Paranoá, o Parque da Cidade e as asas Norte e Sul. Para subir nele, usa-se o elevador. Prepare-se para enfrentar uma longa fila, mas que não demora mais do que meia hora. De um lado da torre, há uma fonte de águas dançantes (à noite, fica iluminada) e uma escultura EU AMO BRASÍLIA, ótimos para fotos e passar um tempo. Nesse espaço costumam acontecer shows. No outro lado da torre, funciona a Feira, onde são vendidos artesanatos, móveis, roupas e utensílios, além de ter uma praça de alimentação.

20170901_171334(1)

TORRE DE TV – BRASÍLIA

Centro de Convenções Ulysses Guimarães – belo edifício curvilíneo com mosaico e vitrais azuis onde acontecem exposições, feiras, shows, peças e outros espetáculos.

Estádio Nacional Mané Garrincha – construído no lugar das ruínas do antigo estádio local para a Copa de 2014, esse estádio tem capacidade para 80 mil espectadores e recebe alguns jogos importantes do campeonato brasileiro e, principalmente, shows. Foi a sede mais cara daquele torneio (em torno de 1,5 bilhão) e possui uma cobertura muito bonita.

Praça do Buriti – é a praça dos três poderes do Distrito Federal, com o Palácio do Buriti (onde trabalha o Governador; sede do Executivo; na frente dele há uma réplica da “loba romana”que amamentou Rômulo e Remo, presenteada pela administração da capital italiana quando da inauguração de Brasília); o Palácio da Justiça do TJDFT (tribunal do Distrito Federal; representa o Judiciário) e a Câmara Legislativa (onde reúnem-se os deputados distritais; sede do Legislativo). No centro da praça, há o buriti, árvore que se assemelha visualmente a uma palmeira e é típica do Centro-Oeste brasileiro. Nesse espaço acontecem as maiores manifestações contra o governo do Distrito Federal.

Memorial JK– trata-se de um lindo museu que conta a história de Brasília e do ex-presidente Juscelino Kubitschek (aquele que determinou a mudança da capital para o Planalto Central e o primeiro a morar na cidade), por fotos, vídeos e objetos. O espaço externo também é bem bonito, com escultura do ex-presidente acenando para a capital, esferas coloridas, estátuas de JK com sua esposa (Sarah) e um espelho d`água na parte de trás desse monumento, perto do estacionamento. Sobre horário de funcionamento e preço da visita, acesse o atalho do título. Vale a visita.

DSC02271

MEMORIAL JK – BRASÍLIA

Parque da Cidade – o maior parque urbano do mundo consiste em uma imensa área verde, com diferentes percursos para bicicleta, skate, patins, caminhadas e corridas, passando por lagos represados, pinheiros e mata de cerrado, além de ser preenchido por um parque de diversões (Nicolândia), um kartódromo, um galpão de exposições, restaurantes, quadras de tênis, quadras poliesportivas, campos de futebol, vôlei de praia, frescobol, futevôlei, parquinhos e uma pista para carros que contorna seu perímetro, ligando os bairros Asa Sul e Sudoeste. Se tiver tempo, não deixe de dar uma volta. O lugar é bem agradável.

Todas essa atrações têm acessos pelo Eixo Monumental (o Parque da Cidade conta, ainda, com entradas pela Asa Sul e pelo Sudoeste). A seguir, listamos pontos turísticos em outras avenidas de Brasília.

Ponte JK – lindíssima ponte em formato de arcos/parábolas alternados, inaugurada em 2002, que atravessa o Lago Paranoá e liga a parte central de Brasília aos bairros Lago Sul, Paranoá, Jardim Botânico e São Sebastião. Perto dela, na margem voltada para a parte central da cidade, há vários restaurantes gigantes e muito bons (Mangai, Nau, Avenida Paulista, Corrientes 348, La Bonne Fondue, além de barraquinhas de cachorro quente). Recomendamos muito uma parada na orla perto dessa ponte, principalmente à noite. Perto dela é possível alugar um stand-up paddle e fazer um passeio bem legal pelo lago. A vista compensa. Caso queira tirar uma foto que melhor ilustra o caráter alternado dos arcos dessa ponte, você deve atravessar a ponte no sentido Lago Sul; depois dela, há um pequeno acostamento à direita; outro bom local para essa foto fica na avenida principal do Lago Sul logo que você dobra à direita ao atravessar a ponte (em direção às quadras com número decrescente) e, poucos metros depois, já nesta avenida, você estaciona rapidamente o carro e consegue registrar bem esse incrível monumento.

DSC09122

PONTE JK VISTA DO LAGO SUL – BRASÍLIA

Pontão do Lago Sul – excelente complexo de entretenimento à beira do Lago Paranoá, colado à Ponte Honestino Guimarães (antiga Ponte Costa e Silva). Concentra vários restaurantes badalados, quiosques, píeres e um calçadão muito agradável para passear em casal ou com família. O lugar é muito bem cuidado e bonito. A entrada é gratuita. Adoramos esse local e, por isso, recomendamos bastante, principalmente para o por do sol. Ponto muito concorrido no Reveillon da cidade (nessa festa, o ingresso é pago e salgado). Endereço: SHIS QL 10, Lote 1/30, Lago Sul, Cep 71630-100 (ou seja, quadra número 10 virada para o lago, no bairro Lago Sul).

IMG_8988.JPG

PONTÃO DO LAGO SUL – BRASÍLIA

Ermida Dom Bosco – junto com a Praça do Cruzeiro, esse é um dos mirantes preferidos dos moradores e turistas querendo avistar o lindo por do sol de Brasília. A vantagem deste é que fica à beira do Lago Paranoá e perto da Ponte JK. Nessa grande área – que recebe este nome por causa da pequena capela piramidal de mármore em homenagem ao santo italiano -, vários jovens fazem piqueniques, tomam banho no lago, andam de skate e praticam esportes, sendo um espaço público muito agradável da cidade. Fica na quadra número 29 do bairro Lago Sul.

Jardim Botânico – localizado em uma área um pouco mais afastada do centro, essa área ecológica é ótima para ir em família e levar as crianças. O espaço é bem grande e conta com mirante, Jardim Japonês, circuito para gincanas, orquidário, trilhas, mas seus maiores destaques são a área externa do café da manhã (sob a sombra de pinheiros e em mesas montadas rentes ao chão; na nossa opinião, o lugar mais agradável para fazer uma experiência diferente na primeira refeição do dia; fica no segundo estacionamento a contar da entrada do parque) e a ilhota com ciprestes perto da Casa de Chá. Gostamos muito desse lugar. Se tiver um tempo de visitá-lo, não vai se arrepender. A entrada é paga. Sobre horários e ingressos, clique nesse link para consulta atualizada.

Palácio da Alvorada – residência oficial do Presidente da República, também projetado por Oscar Niemeyer (mais um!). As colunas características da sua fachada de entrada foram inspiradas nas redes de descanso baianas e viraram o emblema da cidade, sendo reproduzido em várias construções populares pelo país. Para chegar lá, basta seguir a continuação do Eixo Monumental que passa do lado da Praça dos Três Poderes, passando por debaixo de um estreito e curto viaduto; antes desse Palácio, é possível avistar, à direita, o Palácio do Jaburu, residência do Vice-Presidente da República. É bom conferir se estão sendo realizadas visitas ao interior do Palácio da Alvorada. Elas, quando acontecem, são bem restritas. Mesmo se não estiverem autorizadas, vale dar uma passada rápida em mais este cartão-postal.

20170901_175614

ESTÁTUA DA JUSTIÇA E O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (STF) – BRASÍLIA

Píer 21 – outra área de lazer e ponto de encontro dos jovens na cidade. Nele há bons bares, restaurantes (Outback, Pizza Hut, Eighties), casa noturna, ótimo boliche e cinema, tudo isso à beira do Lago Paranoá. Se já viu todos os monumentos da cidade ou quer dar uma pausa rápida para comer ou divertir-se à noite, esse é um bom lugar. Frequentamos bastante. Endereço: Setor de Clubes Esportivos Sul (SCES), Trecho 2 Lote 32 – Asa Sul.

Centro Cultural Banco do Brasil – bonito edifício horizontal com ampla área externa. Lá são realizadas peças, shows, exposições gratuitas ou a preços simbólicos. Sempre é uma boa e rápida alternativa para uma distração diferente. Para acompanhar a programação, clique no link do título.

Santuário Dom Bosco – para nós, a igreja mais bonita da cidade e uma das mais impressionantes que já vimos. Ela é cercada por lindos vitrais azuis e roxos e por um imenso lustre central. Não deixe de conhecer! Entrada gratuita. Endereço: SEPS 702, Bloco B (significa: quadra 702 da Asa Sul; vá pela avenida W3 Sul, a mesma do shopping Pátio Brasil).

DSC09116

SANTUÁRIO DOM BOSCO – BRASÍLIA

Igrejinha do Chapéu de Freira (Igreja de Nossa Senhora de Fátima) – primeira igreja em alvenaria construída em Brasília. Foi erguida em realização a uma promessa feita pela ex-primeira dama, Sarah Kubitschek,  pela cura de sua filha. Há três coisas legais que justificam a visita a esse lugar: I) o belo formato curvo ascendente da parte superior dessa igreja e a coluna frontal que a sustenta; II) o esclarecedor painel a poucos metros da lateral direita da igreja, onde explica-se com ilustração e legenda a ideia de Lúcio Costa ao planejar as “superquadras”, com serviços e estabelecimentos diversos, para tornar cada uma autossuficiente, sem necessidade de grandes deslocamentos; e, para nós, o mais legal de todos III) o mural das pombas brancas invertidas com fundo azul, de Athos Bulcão (à primeira vista, pode parecer simples e nada demais, mas tire uma foto com essa parede como pano de fundo; com certeza, você vai adorar o resultado; isso é um dos maiores símbolos de Brasília, a obra mais conhecida de Athos Bulcão). Endereço: entre as quadras 307 e 308 da Asa Sul.

Caixa Cultural – outra boa opção para quem quer assistir a um show, peça ou exposição de alta qualidade a preços bem baixos, funcionando principalmente nos fins de semana. Perto daí (menos de 3 minutos caminhando), no piso térreo da sede da Caixa Econômica Federal, há uma série de vitrais bem bonitos que representam os diferentes estados do Brasil (entrada gratuita e só permitida durante os dias úteis da semana, em horário bancário). Endereço: Setor Bancário Sul Quadra 4 Lotes 3/4 – Asa Sul, Cep 70092-900.

IMG_20171118_164614752

PRAÇA DOS CRISTAIS – SETOR MILITAR – BRASÍLIA

Museu de Valores do Banco Central – para quem gosta de curiosidades, nesse museu localiza-se a maior pepita de ouro encontrada no Brasil, além de todas as moedas que já circularam no país. Lá também fica exposta a menor moeda do mundo. Aconselhamos aos que gostam de museus e que já viram todos os monumentos principais. Endereço: Setor Bancário Sul (SBS) Quadra 3 – Bloco B – 1º Subsolo, Cep 70074-900.

Museu do Catetinho – residência oficial de Juscelino Kubitschek durante a construção de Brasília e do Palácio da Alvorada. Com acervo que dá ênfase nos objetos que marcaram o final do anos 1950, dispostos em cômodos simples (para não distanciarem o presidente dos trabalhadores, que viviam em tendas e barracas), trata-se de uma agradável visita ao passado. Endereço: Km 0 – BR 040 / Gama – DF, Cep: 71.745-000

Cine Drive-in – trata-se do último cinema ao ar livre do Brasil, construído em 1973. Isso significa que os filmes projetados na imensa tela são assistidos pelos telespectadores dentro de seus carros ou em cadeiras/bancos trazidos de casa e o áudio da sessão é ouvido ao sintonizar o rádio do veículo em uma estação FM específica indicada na bilheteria (que é um verdadeiro guichê drive-thru). Se bater a fome ou sede, basta acender o farolete do carro, que o atendente vai até você, tira e leva o pedido. A experiência é única. Não há o conforto e a qualidade das salas modernas de cinema, mas não falta charme e nostalgia nesse ambiente que mantém viva aquela imagem que temos de filmes norte-americanos antigos. A gente adora e, quando pode, faz questão de assistir lá. Para conferir a programação e o valor do ingresso, acesse o link do título.

Parque Nacional de Brasília (“Parque de Água Mineral”) – amplo terreno em que é possível fazer trilhas e, principalmente, tomar banho nas piscinas naturais formadas a partir de poços d`água surgidos às margens do Córrego Acampamento. A água é fria, mas muito bonita (transparente). Verdadeiro local de diversão em contato com a natureza. Recomendamos, sobretudo em dias quentes. Endereço: Sman – Zona Industrial, CEP 70635-800. Telefone: (61) 3233-4553 (segundo o Google).

DSC02199

PARQUE NACIONAL (ÁGUA MINERAL) – BRASÍLIA

Torre de TV Digital – mais afastado da parte central de Brasília, já na região do Colorado, fica esse monumento desenhado por Oscar Niemeyer, inspirado no formato da flor do cerrado. Inaugurada em 21 de abril de 2012, ela possui duas cúpulas, uma delas com uma maquete de Brasília (semelhante ao Espaço Lúcio Costa, da Praça dos Três Poderes), e a outra onde está prevista a instalação de um bar/restaurante com vista panorâmica. A vista do estacionamento na base dessa torre é bem bonita, mas não é a nossa preferida (gostamos mais daquela da Torre de TV, do estacionamento do Iguatemi, e do caminho de volta do Jardim Botânico).

DSC04639

TORRE DE TV DIGITAL – BRASÍLIA

DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

A pé – apesar de vários pontos turísticos localizarem-se no Eixo Monumental, a cidade é muito grande e as atrações não são tão próximas umas as outras quanto a ilusão que o relevo plano e o céu livre de grandes prédios fazem supor. Assim, caminhar não é a melhor alternativa para se locomover por aqui. Se estiver com disposição e não se incomodar com o eventual sol forte e clima seco, vá em frente.

Ônibus – o transporte público é muito criticado em Brasília, em virtude da demora no intervalo entre ônibus e a pequena quantidade deles, além de não serem muito adequados para pontos turísticos mais afastados do Eixo Monumental, principalmente aos fins de semana. Dessa forma, para evitar contratempos e atrasos, evite esse modal. Se quiser arriscar, procure sempre ônibus que possuam no letreiro “Rodoviária”. De lá, partem coletivos para várias regiões do Distrito Federal e seu entorno. Para linhas e horários, acesse o site: http://www.dftrans.df.gov.br.

IMG_20171118_164425382

PRAÇA DOS CRISTAIS – SETOR MILITAR – BRASÍLIA

Metrô – existe metrô, mas ele circula apenas pelo lado sul e sudoeste da cidade (Asa Sul, Guará, Núcleo Bandeirante, Águas Claras, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia), sendo a estação “Rodoviária” a que fica mais perto dos monumentos. Dessa maneira, para o turista, só vale à pena circular de metrô para quem se hospeda longe do centro. Sobre estações, linhas, preço e horário, consulte o site: http://www.metro.df.gov.br.

Feitas essas considerações, a melhor forma de conhecer os pontos principais é de bicicleta (há muitas ciclovias extensas e seguras pela cidade) ou – para quem não aguenta longas pedaladas – de carro, pelo ônibus turístico/jardineira ou por táxi.

Bicicleta – Várias são as locadoras de bicicleta, mas o custo é um pouco elevado.  Para desbravar a cidade pedalando, cadastre-se no MOBILICIDADE e adquira seu passe para retirar as bicicletas rotativas laranjas do Itaú. Há muitas estações no Eixo Monumental e nas asas Sul e Norte. O custo do passe é de 10 reais ao ano e você pode utilizar a bicicleta por 1h. Caso você devolva em alguma das estações e respeite o intervalo de 15 minutos para pegar outra, não será cobrado nenhum custo adicional. Agora, querendo ficar pedalando por período superior a 1ª hora gratuita, sem intervalos,  ficará sujeito à cobrança de 5 reais por cada hora excedente.

IMG-20170830-WA0049

IPÊ BRANCO – BRASÍLIA

Carro – ir de bike é uma opção de deslocamento muito boa, mas não acessa de forma fácil e rápida os pontos turísticos mais afastados. Assim, dirigir com carro alugado é a melhor forma para conhecer todas as atrações de Brasília. Coloque o endereço dos locais de interesse no Google Maps ou no Waze e siga as orientações. Consideramos Brasília uma cidade bem sinalizada e com boas e largas avenidas, só existindo trânsito intenso entre 8h/9h e 18/19h. Dirigir por aqui pode parecer difícil com tanta sigla e números, mas depois de um tempo você entende que as direções atendem a uma lógica e percebe que é bem mais fácil do que dirigir em outros destinos. Só fique atento aos pardais (radares de velocidade e de transgressão de semáforo) e aos pedestres. Em Brasília, é obrigatório parar o carro e esperar o pedestre atravessar a faixa quando não há semáforo. Outro sinal de civilidade é que aqui é proibido buzinar, o que torna o trânsito muito mais silencioso e agradável que o normal. Para locação de carro, indicamos a RENTCARS.

Ônibus Turístico/Jardineira – ótima alternativa para quem quer conhecer os principais monumentos da capital, ouvindo breves explicações e curiosidades de cada ponto, sem precisar se preocupar em dirigir e estacionar. Funciona no mesmo esquema do de Curitiba: você compra sua entrada, que é comprovada com um pulseira colocada no seu pulso e que te permite descer em várias estações do circuito percorrido pela jardineira (passa na Praça dos Três Poderes, Catedral, Palácio do Itamaray, Ponte JK, Memorial JK). Assim que você escolhe o monumento que pretende visitar, você sai do ônibus, fica o tempo que achar conveniente no seu lugar de interesse e, ao deixá-lo, aguarda a próxima jardineira (que passa a cada 30 minutos, em média), para seguir seu passeio, sem precisar pagar nada a mais para subir novamente no ônibus turístico. No fim de semana, o passeio é ainda melhor: o ônibus é combinado com uma volta de catamarã pelo Lago Paranoá. Para informações sobre esse útil transporte, que sai do Brasília Shopping (colado no Setor Hoteleiro Norte), ligue para os números (61)99298-9416 /(61)99339-1166.

IMG_20171118_164650058_BURST000_COVER_TOP

PRAÇA DOS CRISTAIS – SETOR MILITAR – BRASÍLIA

Táxi ou Uber – boa opção para quem vai com amigos ou familiares. O custo das corridas não é tão alto para conhecer os pontos turísticos (dificilmente ultrapassa R$ 50,00, cada trecho). Uma boa dica é ligar para o telefone da empresa Alvorada, que concede 30% de desconto ao final do percurso Ligue: (61) 3321-3030.

LÓGICA DE DIREÇÕES/ENDEREÇOS (ORIENTAÇÃO URBANA)

Pensando na singularidade da capital federal (inspirada em grandes cidades norte-americanas, como Nova York e Washington) e a dificuldade inicial para quem visita essa cidade de siglas e números, apresentamos abaixo um resumo para melhor entender seus códigos e perceber que andar por aqui é mais fácil que tentar descobrir um nome de rua em uma cidade desconhecida. Afinal, a lógica dos números é matemática e universal.

Para se ter uma ideia, moramos aqui há mais de 6 anos e não decoramos nem 20% do significado das siglas. Saber o significado delas ajuda, mas não é fundamental para transitar por aqui.

Se, ao final do passo a passo elencado a seguir, as dúvidas persistirem, deixe um comentário ou encaminhe um e-mail pra gente. Teremos o maior prazer em responder.

20170901_175721

CONGRESSO NACIONAL VISTO DA PRAÇA DOS TRÊS PODERES – BRASÍLIA

Feitas essas considerações, fique atento:

  1. Apesar de Brasília ter o formato de um avião, imagine ela como uma cruz. A linha vertical (em pé) é o Eixo Monumental; a linha horizontal (deitada) é o Eixão das Asas;
  2. Olhando para a frente do Congresso Nacional – que é o prédio em formato de H, no final da linha vertical -, saiba que o lado esquerdo (calçada onde fica o Estádio Nacional, o Conjunto Nacional, o Brasília Shopping) é a Asa Norte. Assim, o lado direito (Catedral, Parque da Cidade, Pátio Brasil) consiste na Asa Sul;
  3. O “marco zero”(referência de onde partem as avenidas e endereços) da cidade é a rodoviária central ou Rodoviária do Plano Piloto. Ela é o ponto onde a linha vertical e a linha horizontal cruzam-se/tocam-se;
  4. As quadras de Brasília possuem três dígitos. Não existe quadra 7, nem quadra 26, tampouco quadra 1095. Todavia, existe quadra 413, 204; tudo sempre com três números.
  5. Na rodoviária, olhando para o Congresso Nacional, saiba que abaixo dela – indo para a Catedral, Congresso Nacional – as quadras são de número inicial par (200, 400, 600, 800). Por sua vez, acima da rodoviária – subindo em direção à Torre de TV, Brasília Shopping, Pátio Brasil -, as iniciais são ímpares (100, 300, 500, 700, 900);
  6. À medida que você se afasta da rodoviária nessa linha vertical, associe que os números iniciais aumentarão. Assim, indo em direção ao Congresso (isto é, abaixo da rodoviária; inicial par), as quadras sucederão nessa ordem crescente: 200, 400, 600, 800. Indo em direção à Torre de TV (acima da rodoviária; inicial ímpar), as quadras aumentarão: 100, 300, 500, 700, 900. Isso tudo imaginando a linha vertical;
  7. Pensando agora só na linha horizontal da cruz, tendo sempre como referência a rodoviária:  à medida que você se afasta da rodoviária e da linha vertical, os números finais aumentarão. Desta maneira, quanto mais você anda na linha horizontal (seja Asa Norte, seja Asa Sul) distanciando-se da rodoviária central, as quadras subirão os números finais: 203 Sul é mais perto da rodoviária e da linha vertical do que 214 Sul, porque a terceira quadra afastada da rodoviária é mais perto dela que a 14ª; 506 Norte é mais próximo da rodoviária e do Congresso Nacional que a quadra 510 Norte, porque a sexta quadra afastada da rodoviária é mais perto dela que a décima;
  8. Sabendo disso, basta combinar as regras anteriores: o primeiro dígito da quadra diz respeito se a quadra está abaixo (indo pro Congresso) ou acima (indo pra Torre de TV) da rodoviária. Ele indica se a quadra está acima ou abaixo da linha horizontal. Já os dois últimos dígitos, referem-se a quantas quadras você está distante da linha vertical e da rodoviária.
  9. Na hora de olhar um endereço comercial, preocupe-se, nesta ordem: a) se é na Asa Norte ou se é na Asa Sul; b) se a inicial é par ou ímpar; c) os dois números finais.
IMG_20170820_173600_496

IPÊS AMARELOS – BRASÍLIA

Exemplos:

– quero ir para o restaurante Villa Tevere, que fica na 115 Sul. Vamos desmembrar: a) fica na Asa Sul, à direita da rodoviária (olhando para a frente do Congresso; calçada da Catedral, conforme regra 2); b) o primeiro dígito, 1, é ímpar, ou seja, o restaurante fica acima da rodoviária e da linha horizontal (mais na altura da Torre de TV do que do Congresso; regra 5); c) os dois últimos dígitos, 15, indicam que a quadra é a décima quinta contada a partir da linha vertical e da rodoviária (regra 7).

– quero ir a uma farmácia na quadra 408 Norte. Combinando as regras 2, 5 e 7, significa que: a) fica na Asa Norte, à esquerda da rodoviária (olhando para a frente do Congresso; calçada do Estádio Nacional); b) o primeiro dígito, 4, é par, isto é, a farmácia fica abaixo da rodoviária e da linha horizontal (mais perto do Congresso do que da Torre de TV); c) os dois últimos dígitos, 08, indicam que a quadra é a oitava contada a partir da linha vertical e da rodoviária.

IMG_20171118_154806039.jpg

CATEDRAL – BRASÍLIA

Isso já é uma noção suficiente para você acertar algum endereço comercial na Asa Sul ou Norte. Agora, se quiser aprofundar e tornar mais precisa a sua orientação, saiba que:

10) A linha horizontal que corta no meio a Asa Norte e a Asa Sul (conhecida como Eixão das Asas) separa as quadras 100 das 200. Por ela, chega-se ao aeroporto, ao shopping Iguatemi, ao setor bancário, setor comercial, ao shopping Conjunto Nacional. Ela tem uma via arterial superior (é o eixo W), que dá acesso às quadras 100; e uma via arterial inferior (eixo L), que dá acesso às quadras 200;

11) Para sair da linha horizontal (Eixão das Asas) e subir ou descer para suas arteriais e paralelas, deve-se contornar as tesourinhas (trevos). Fique atento às placas.

12) Essa mesma linha horizontal, além das mencionadas vias arteriais, possui 3 avenidas paralelas, que também estendem-se para a Asa Norte e para a Asa Sul: i) W3, que separa as quadras 500 das 700 (é a avenida do Pátio Brasil e Brasília Shopping); ii) L2, que separa as quadras 400 das 600 (ela leva a bons restaurantes); iii) L4, que separa as quadras 800 do Setor de Clubes (dá acesso ao Píer 21, à Ponte JK, ao Coco Bambu perto do lago, ao Pontão do Lago Sul);

Assim, como último exemplo: quero sair da 210 Norte e ir para o Santurário Dom Bosco (702 Sul). A primeira coisa é saber que você terá que cruzar a linha vertical (Eixo Monumental) saindo da esquerda dela e ir para a direita (afinal, a Asa Norte fica à esquerda; e a Asa Sul, à direita, olhando da rodoviária para o Congresso). O segundo passo é saber que você vai ter que subir porque a quadra 210 (inicial par) fica abaixo da linha horizontal e a quadra 702 (inicial ímpar) localiza-se acima da linha horizontal. Terceiro: os dois dígitos finais de cada quadra significam por quantos quarteirões você terá que passar até chegar ao destino: 10 quadras da Asa Norte até a linha vertical e, desta, mais duas quadras para a Asa Sul. Lembre-se da informação das regras 10 e 12: a quadra 210 é cortada pela arterial da linha horizontal (eixo L) e a 702 é acessada pela avenida W3.

IMG_20171118_164046535

SETOR MILITAR – BRASÍLIA

Como falamos acima, é tudo lógica. Descubra o que é Asa Norte e Asa Sul, veja se a inicial da quadra é par ou ímpar, e vejas os dois últimos dígitos da quadra que revelam a distância em quarteirões para a rodoviária e a linha vertical (Eixo Monumental). Parece difícil, mas quando você pega o jeito é tão bom. Não se aprende de primeira, mas, se quiser, repita o passo a passo e simule acertar os exemplos anteriores sem ler sua resolução. Você consegue achar qualquer lugar sem perguntar pra ninguém.

A sensação de que você tá “dominando” e pegou o jeito de trafegar na cidade é muito boa; arrisque! Se, ainda assim, sobrarem dúvidas, mandem-nos. Teremos o maior prazer em ajudar.

CULINÁRIA LOCAL

Por ser um caldeirão de influências de todas as partes do Brasil, não existe um prato típico brasiliense (pelo menos, nós e nosso amigos desconhecemos). Aqui, pela proximidade geográfica, há muita comida goiana e mineira. É muito comum encontrar lugares que vendem pamonhas, empadões, arroz com pequi, frango com quiabo, feijão tropeiro, pães de queijo, etc. Além disso, pela presença histórica da cultura nordestina, é bem disseminada também a gastronomia daquela região: muita carne de sol, baião de dois e outros.

Ainda, pelo fato de ser capital, não faltam sushis, macarronadas, ceviches, parrilhas, crepes, caldos e hamburguerias, nas franquias de comida internacional espalhadas na cidade. 

IMG_9215

MEMORIAL JK – BRASÍLIA

RESTAURANTES

Por ser o terceiro maior polo gastronômico do Brasil, a capital federal possui opções para todos os gostos (comida nordestina, árabe, oriental, italiana, peruana, grega, francesa, etc) e preços.

Nas quadras comerciais da Asa Sul e da Asa Norte concentra-se a maior quantidade de restaurantes e bares, sobretudo as acessadas pela avenida L2. Outro centro de ótimos e lindos restaurantes é a região próxima à Ponte JK, colada ao Setor de Clubes Sul.

Além de várias unidades do Outback, duas do Madero, uma churrascaria Fogo de Chão, bons restaurantes veganos e ótimas praças de alimentação nos shoppings da cidade (principalmente, a Praça Gourmet do Park Shopping), indicamos abaixo excelentes alternativas:

  • Villa Tevere (lindo e conceituado restaurante italiano de dois andares, com decoração romântica acolhedora; muitas vezes conta com promoções de pratos específicos pelo Peixe Urbano ou Groupon; fica na quadra 115 da Asa Sul);
  • TAJ Bar (gigante restaurante, bar e que também serve de lounge criado em Curitiba; decoração linda e sofisticada, com imagens de Buda, fontes e luzes baixas em diferentes ambientes; serve comidas asiáticos, com destaque para as opções japonesas, tailandesas e da Indonésia; drinks deliciosos e inusitados são servidos lá; imperdível; fica quase ao lado do Píer 21);
IMG-20170812-WA0098

TAJ BAR – BRASÍLIA

  • Mangai (famoso restaurante self-service originado da Paraíba e com inúmeras e sensacionais tipos de arroz, feijão, carnes, saladas, purês e sobremesas incomparáveis; fica no Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 2, Lote 2, e colado a ele fica o belíssimo restaurante de frutos do mar – também de origem paraibana – chamado Nau);
  • Taypá (restaurante peruano muito bonito, com ceviches e outros pratos típicos deliciosos; fica no Setor de Habitações Individuais Sul, quadra interna 17, bloco G, do Lago Sul);
  • Universal Diner (comida contemporânea sempre premiada na cidade; a decoração modernista e carregada são marcantes nesse famoso restaurante local; fica na quadra 210 da Asa Sul)
  • Coco Bambu (famosa franquia cearense especializada em frutos do mar que conta com 2 belas e enormes unidades em Brasília; os pratos bem servidos, o atendimento é ótimo e, tudo isso, faz com que seja um dos restaurantes mais concorridos da cidade, com longas filas compensadas pela ótima sala de espera; tem uma unidade no Brasília Shopping e outra no Setor de Clubes Esportivos Sul, trecho 2);
  • Piantella (restaurante de ambiente formal, muito frequentado por políticos pela sofisticação; fica na quadra 202 da Asa Sul);
  • Kojima (restaurante japonês criado em Pernambuco, com diversas opções de qualidade e bonito ambiente escurecido; fica na quadra 406 da Asa Sul);
  • Fratello Uno (uma das melhores pizzarias da cidade; não deixe de pedir a incomparável pizza “Boa Viagem”; fica na quadra 103 da Asa Sul e na quadra 109 da Asa Norte)
  • Dona Lenha (culinária mediterrânea muito boa em ambiente super agradável e com preços moderados; tem na quadra 202 da Asa Sul, quadra 413 da Asa Norte, no Deck Brasil que fica  na quadra interna 11 do Lago Sul, e no Terraço Shopping);
DSC02267

PALÁCIO DA JUSTIÇA – BRASÍLIA

  • Peixe na Rede (frutos do mar em pratos bem servidos e a preços justos; o carro-chefe é a tilápia e outro impressionante destaque é o purê de banana delicioso como acompanhamento; tem na quadra 405 da Asa Sul, na quadra 309 da Asa Norte, entre muitas outras espalhadas);
  • Beirute (um dos mais antigos e tradicionais bares de Brasília, com público fiel e garçons que são verdadeiros patrimônios imateriais do local, é uma opção certeira para quem quer frequentar locais menos badalados, mas muito queridos na cidade; fica na quadra 107 da Asa Norte);
  • Kiosky da Rosa (espetos de carnes, frango ou queijo coalho servidos em pratos bem servidos em ambiente simples e famoso da cidade; opção econômica; não abre aos domingos; fica na quadra 1303 do Cruzeiro Novo);
  • Cachorro-Quente do Landi (o melhor hot dog da cidade e um dos melhores que já comemos; o atendimento é rapidíssimo, bem humorado e todos os ingredientes são caseiros, com destaque para o inigualável queijo derretido; vale muito à pena conferir esse lanche delicioso e barato; não abre aos sábados; fica na quadra 406 da Asa Sul);
  • Café Daniel Brand (a mais famosa patisserie de Brasília, com um lindo ambiente em um jardim aberto, servindo tortas e doces finos, além de salgado sofisticados típicos das padarias francesas; o pessoal adora o brunch de lá, embora a iluminação noturna seja super charmosa; fica na quadra 104 da Asa Norte);
  • Grand Bistro Paris 6 (além de servir boas refeições salgadas, essa franquia carioca destaca-se pelas sobremesas espetaculares – para quem é do pensamento “quanto mais doce, melhor”; todos os pratos recebem nomes de artistas e esportistas brasileiros famosos; o ambiente é bonito e a comida é ótima; fica no Shopping ID, colado ao Brasília Shopping e de frente para o Setor Hoteleiro da Asa Norte).
COMPRAS

Por ser a terceira cidade mais populosa do Brasil e local de passagem de muitos voos comerciais e empresariais, a cidade possui vários centros de compra de variados preços.

Para quem quer gastar menos em produtos de marcas menos renomadas, os lugares mais conhecidos para compras são: Feira dos Importados (peças de roupa e eletrônicos predominam), Feira da Torre de TV (móveis e artesanato); Feira do Guará, Feira do Cruzeiro e Feira da Ceilândia (esses mais voltados para vendas de alimentos típicos e temperos).

IMG_9196

BRASÍLIA SHOPPING

 

Aos que preferem circular em centros mais confortáveis e marcas mais conhecidas, as dicas ficam para os excelentes shoppings da cidade: Iguatemi (mais bonito e sofisticado, com marcas mais caras: Gucci, Louis Vouitton, Ermenildo Zegna, Ricardo Almeida, Versace, Emporio Armani, Sephora), Park Shopping (maior e mais variado, com marcas famosas, lojas tradicionais e de departamento: Tommy Hilfiger, Forum, Daslu, Animale, Forever 21, C&A), Brasília Shopping (vizinho ao Setor Hoteleiro Norte, com lojas como Farm, Uncle K, Colcci, Richards, Lez a Lez, Maria Filó e uma unidade do excelente restaurante Coco Bambu), Conjunto Nacional (lojas populares e algumas lojas famosas como Zara, Richards, Brooksfield e outras) e Terraço Shopping (agradabilíssimo shopping, bem família, com espetáculos em um espaço a céu aberto, mas com poucas lojas, na maioria acessíveis, como Hering, Boticário, Arezzo, e outras).

Para quem quer comprar uma lembrancinha alusiva aos monumentos ou artes encontradas em Brasília, além da Feira da Torre de TV, da Fundação Athos Bulcão (quadra 404 da Asa Sul), do Cobogó (entre as quadras 704 e 705 da Asa Norte) e do Objeto Encontrado (quadra 102 da Asa Norte), há vendedores ambulantes de miniaturas a baixos preços na Praça dos Três Poderes (perto do Supremo Tribunal Federal) e na entrada da Catedral (perto das estátuas dos autores dos 4 Evangelhos); e existem também quiosques na área de embarque do aeroporto, na saída da visita ao Congresso Nacional, entre outros pontos.

Caso prefira artigos mais diferentes, como blusas divertidas e originais, há ótimas lojas no Conic (vizinho à rodoviária central, perto do Setor Hoteleiro Sul), como “O Verdurão”, “Negro Blue” e “Kingdom Comics”. Evite ir ao Conic à noite. A área fica bem deserta e perigosa.

IMG_9105

PALÁCIO DO ITAMARATY – BRASÍLIA

VIDA NOTURNA

A cidade é bem agitada durante todas as noites, sobretudo de quinta-feira a domingo. As opções de bares animados são inúmeras. Há pontos de encontro movimentados como o Píer 21, o Pontão do Lago Sul, os bares universitários da quadra 408 da Asa Norte, os restaurantes e boteco da quadra 405 da Asa Sul, a avenida comercial do bairro Sudoeste (principalmente no “Primeiro Bar” e no “Fausto e Manoel”), etc. A desvantagem para quem gosta de curtir até altas horas da madrugada é que a maioria das cozinhas de bares fecha à meia noite, com exceções de pizzarias e botecos mais simples.

Além disso, há muitas casas de show onde toca música sertaneja, rock, samba, choro, jazz e atrações internacionais (CCBB, Caixa Cultural, Centro de Convenções, Ginásio Nilson Nelson, Torre de TV, Estádio Nacional, Complexo Cultural Nacional, Net Live Brasília, Vila Hípica), baladas de música eletrônica e pop rock (O’Riley, Amsterdã Street, Velvet Pub, o próprio TAJ Bar já mencionado na seção “Restaurantes”), sinucas (Área 51, Yes Club, Stranjas), boliches e festas em clubes espalhados pela capital.

Para saber o que vai rolar de legal na semana que você pretende vir ou acompanhar a programação para ter uma ideia dos preços dos agitos de Brasília, acesse o site do DEBOA ou do CORREIOWEB.

Se você gosta de festas mais alternativas, pode dar sorte de vir à cidade quando rolar as famosas Balaco, Makosa, Play, Funfarra e Mafuá.

Fique atento porque o agito noturno em Brasília não inicia muito tarde. Os bares enchem a partir do happy hour e as casas noturnas, às 23h aproximadamente.

IMG-20170813-WA0056

TAJ BAR – BRASÍLIA

NOSSA EXPERIÊNCIA

A cidade nos acolheu desde 2010. Não imaginávamos virmos para cá, e ainda bem que aconteceu. A sensação de segurança é maior que em muitas capitais brasileiras, principalmente para quem circula pelo Plano Piloto (Eixo Monumental + Asa Sul + Asa Norte). A organização, então, nem se fala! É de admirar. Consideramos aqui um lugar muito fácil dirigir, sendo o desenho da cidade e os endereços mais rapidamente compreendidos por turistas que em qualquer outra cidade grande do país.

A sensação de clima seco é constante, mas nada insuportável. Dá para acostumar. Além disso, existe a vantagem de raramente suarmos em Brasília. As noites são muito agradáveis durante quase o ano todo. Os dias são quentes durante poucos meses, principalmente final de agosto, em setembro e até meados de outubro.

Apesar de não ter a vantagem do litoral, as opções de lazer são variadas e a natureza compensa com muitas cachoeiras por perto. Além disso, gostamos muito do aproveitamento dos espaços públicos, com muitas quadras esportivas bem cuidadas por todos os locais, inúmeros parques (impressiona todo mundo que chega aqui a quantidade de árvores da cidade), muitos eventos, restaurantes e estabelecimentos que aproveitam bastante a orla do imenso Lago Paranoá.

Lojas, shoppings e cinemas excelentes; agendas culturais sempre lotadas; monumentos com estilo único no mundo, e a maioria com visitação gratuita e bons guias; natureza exuberante; por do sol capaz de reunir vários desconhecidos na Praça do Cruzeiro ou na Ermida Dom Bosco só para ser aplaudido de tão bonito que é; céu incomparável que é musicado e traduzido em versos por compositores e poetas como o “mar de Brasília”.

DSC02268

FONTE DA TORRE DE TV – BRASÍLIA

Enfim, pra gente, Brasília tem tudo para fazer qualquer turista sentir-se muito bem: diversão, infraestrutura, gastronomia, segurança, clima agradável, etc. Sem brincadeira… quase todos os amigos e familiares que vêm nos visitar e aproveitam para conhecer a cidade, saem daqui dizendo que morariam fácil nesse local.

Nós viramos fãs rapidamente, diante da qualidade de vida acima da média de boa parte da capital (no “bairro” do Lago Sul, há pesquisas que indicam que o IDH é equivalente ao de países escandinavos, famosos pela excelência nesse item).

Passeios que a gente recomenda muito: visitar o Palácio do Itamaraty; o Congresso Nacional; a Catedral; o Santuário Dom Bosco; o Memorial JK; subir na Torre de TV; caminhar ou pedalar no circuito menor do Parque da Cidade (passando pelo laguinho e, se der, pelo trecho de pinheiros); ver o por do sol e caminhar na orla do Pontão do Lago Sul; assistir ao entardecer de outro dia na Ermida Dom Bosco; estacionar o carro perto dos restaurantes do Setor de Clubes Sul só para avistar a Ponte JK (principalmente à noite); tomar café da manhã à sombra de pinheiros em mesas postas no chão no Jardim Botânico; assistir a um filme no Cine Drive-in; dar uma passada rápida pela Praça dos Cristais do Setor Militar; comer no Mangai, no Villa Tevere, no TAJ Bar e no Cachorro Quente do Landi.

Gostamos tanto daqui que a vontade é de escrever e elogiar muito mais.

Por fim, se você só planeja vir para a cidade uma vez, aconselhamos demais que separe um tempo maior de sua viagem para poder conhecer e dormir umas noites na Chapada dos Veadeiros. Aquele lugar é fantástico. Acesse o post correspondente no link destacado.

DSC02047

CONGRESSO NACIONAL – BRASÍLIA

DICAS

⇒ Entre novembro e julho, tragam algum agasalho. Mesmo no verão, as noites esfriam em virtude da chegada das chuvas.

⇒ Na época da seca mais intensa (entre junho e outubro), andem com garrafas de água e algum cosmético para umedecer lábios, nariz, olhos e extremidades.

⇒ Aluguem um carro ou circulem de jardineira. Caminhar não é uma boa ideia para o turista por aqui. Se for andar de táxi, ligue e cobre o desconto de 30% da empresa/cooperativa Alvorada.

⇒ Quer jantar no lugar que havia planejado nas quadras comerciais das asas e não encontra vaga para estacionar? Não se preocupe: contorne as quadras residenciais vizinhas, entre por elas e deixe seu carro guardado em alguma das várias garagens abertas ao público coladas aos prédios.

⇒ Grande parte das avenidas do Plano Piloto (Eixo Monumental + Asa Sul + Asa Norte) são de mão única, largas e com asfalto em bom estado, o que dá muita vontade de acelerar. Mas, cuidado! Há vários sensores de velocidade (pardais) espalhados pelo Eixo Monumental, avenidas W3, L2 e L4 (atenção ao pardal do caminho que dá acesso à região do CCBB, Ponte JK e restaurantes do Setor de Clubes Sul para quem vem pelo Eixo Monumental; ele multa quem exceder a 40 km/h).

IMG_8954

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO – BRASÍLIA

⇒ Ao dirigir, fique atento às faixas de pedestre e às buzinas. Em Brasília, é obrigatório dar a vez aos pedestres que atravessam em faixas não acompanhadas de semáforo, e é proibido buzinar.

⇒ Se for comer ou passear no shoppings da cidade, saiba que quase todos eles (exceto o Iguatemi) tem, dentro de sua área, um amplo espaço com vagas gratuitas. Elas não são cobertas, mas já ajudam a economizar.

⇒ Visitando a Catedral, após contemplar e tirar as fotos deste belo templo, não deixe de fazer a seguinte experiência: aproxime seu rosto da “quina” de uma das paredes e peça para sua companhia encostar com a face na outra “quina” da mesma parede, nessas posições comecem a conversar aleatoriamente (o efeito acústico é muito bacana, sendo possível ouvir com muita clareza mesmo a uma razoável distância; se estiver acompanhado de uma criança, ela vai adorar).

CURIOSIDADES

→ Planejada e desenvolvida a partir de 1956 e inaugurada em 21 de abril de 1960, Brasília é a única cidade do mundo construída no século XX tombada como patrimônio histórico e cultural da humanidade pela  UNESCO. É também a maior cidade construída no século XX e a cidade com maior área tombada como patrimônio mundial (112,5 quilômetros quadrados), sendo a terceira cidade mais populosa do país.

IMG_9135

PALÁCIO DO PLANALTO – BRASÍLIA

→ Sobre a origem de Brasília, o então Presidente do Brasil (Juscelino Kubitschek) concretizou um dispositivo da Constituição de 1891 que previa a mudança da capital federal do Rio de Janeiro para o interior do país, no Planalto Central, em uma área de 14.400 quilômetros quadrados. Coincidentemente, o padre italiano São João Bosco havia sonhado que seria construída uma terra de prosperidade e riqueza perto de um lago entre os paralelos 15 e 20 do Hemisfério Sul (onde fica Brasília); uma verdadeira premonição/inspiração.

→ A missa inaugural de Brasília foi celebrada na Praça do Cruzeiro, o ponto mais alto do Plano Piloto. A cruz original daquela cerimônia encontra-se na Catedral.

→ Apesar de ser conhecida pelo formato de avião do Plano Piloto, foi idealizada pelo urbanista Lúcio Costa – vencedor de um concurso específico para o projeto da capital – com o desenho de uma borboleta. Embora a concepção seja do mencionado carioca, ele não compareceu à inauguração da cidade por ter, assim como sua esposa, medo de viajar de avião. Ele visitou sua “cidade-obra” pouquíssimas vezes.

→ O Eixo Monumental é considerado a avenida mais larga do mundo.

→ O Lago Paranoá é um dos maiores lagos artificiais do mundo, sendo fruto do represamento do rio Paranoá. Ele é tão grande e importante para a cidade que faz de Brasília o lugar com a terceira maior frota náutica do país.

IMG_9183

FONTE DA TORRE DE TV – BRASÍLIA

→ De acordo com o Livro dos Recordes, no alto do Mastro da Bandeira (localizado na Praça dos Três Poderes), está hasteada a maior bandeira do mundo.

→ O Palácio do Catetinho foi o primeiro projeto de Oscar Niemeyer para Brasília, sendo o único dele feito todo em madeira. Foi construído em apenas 10 dias, em novembro de 1956. É conhecido como o “Palácio das Tábuas”. Lá JK recebeu a rainha Elizabeth II. Às margens da nascente de água do lado desse palácio, Tom Jobim e Vinícius de Moraes inspiraram-se para compor os principais versos da famosa canção “Água de Beber”. Os dois foram convidados por Juscelino (“o Presidente Bossa Nova”) para passar uns dias no palácio, tendo solicitado a ambos que compusessem uma música que exaltasse a criação da nova capital. A referida fonte de água foi batizada com o nome de Tom Jobim.

→ De acordo com o censo do ano 2.000, mais da metade da população de Brasília não era nativa da cidade. Assim, a maioria dos moradores não nasceu na capital federal.

→ Sua natureza político-jurídica diferente a aproxima de capitais como Washington (EUA) e Camberra (Austrália). Brasília é a capital do Distrito Federal, o qual é uma unidade federativa que não possui municípios. Isso mesmo: não hã eleição para prefeito nem vereadores. Os “bairros” de Taguatinga, Ceilândia, Cruzeiro, Águas Claras, Sobradinho, entre outros são tecnicamente Regiões Administrativas (RA) ou popularmente conhecidas como “cidades-satélite” e são conduzidas por administradores não eleitos pelo povo. Apesar de não ser o mais correto, quase todos os estudos e quase toda a população trata Brasília e o Distrito Federal como sinônimos.

→ De acordo com o Wikipédia, a cidade possui o segundo maior PIB por habitante entre as capitais do Brasil, e o quinto maior entre as cidades principais da América Latina, sendo três vezes maior do que a renda média  brasileira.

→ É a capital mais elevada do Brasil (pouco mais de 1000 metros de altitude).

IMG-20160811-WA0030

FLORES DO PERÍODO SECO – BRASÍLIA

DSC09120

PONTE JK VISTA DO LAGO SUL – BRASÍLIA

IMG_8947

IPÊ AMARELO – BRASÍLIA

IMG_8963

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL – BRASÍLIA

IMG_9029

PONTE JK – BRASÍLIA

IMG_9084

PALÁCIO DA ALVORADA – BRASÍLIA

IMG_9101

METEORO – PALÁCIO DO ITAMARATY – BRASÍLIA

IMG_9093

PALÁCIO DO ITAMARATY – BRASÍLIA

IMG_9140

PALÁCIO DO PLANALTO – BRASÍLIA

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do facebook!

11 comentários sobre “BRASÍLIA

  1. Pingback: PIRENÓPOLIS
  2. Pingback: CHAPADA IMPERIAL
  3. Pingback: RIO DE JANEIRO
  4. Regina disse:

    Que lindo artigo! Moro aqui há 45 anos e amo Brasília, me considero uma Candanga. É tão difícil ler artigos que não falem só da BsB política, as pessoas precisam conhecer a Brasília humana e vocês fizeram isso muito bem! Parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Pingback: CHAPADA DIAMANTINA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s