VENEZA

Simplesmente a cidade mais diferente e romântica que já visitamos. Inacreditável saber que esse lindíssimo lugar não é unanimidade. Tem gente que acha que tudo é velho, mal cuidado e fedido. Para nós, é tanta beleza concentrada em Veneza que dá vontade de pedir para que toda cidade no mundo seja repleta de velharia e mau cheirosa daquele jeito.

As fotos e os elogios não são bastantes para descrever essa cidade que parece estar emergindo do fundo do mar e é repleta de avenidas de água, onde os táxis e ônibus são gôndolas, lanchas e outras embarcações. Acompanhe nossas informações e coloque Veneza na sua lista de 3 lugares imperdíveis para conhecer na vida.

DSC03986.JPG

GÔNDOLAS E CANAIS – PAISAGEM TÍPICA DE VENEZA, ITÁLIA

 QUANDO IR

A cidade costuma ser abarrotada de turistas em qualquer época do ano, mas a multidão é certamente maior em julho e agosto, com as férias de verão europeias.

As chuvas são bem distribuídas durante o ano, não sendo tão intensas e duradouras (historicamente, os meses menos chuvosos são janeiro, feveiro e março, mas a diferença para os demais meses é pequena e existe o risco de a sensação térmica mais fria e o entardecer mais cedo atrapalhar sua visita).

Sugerimos os meses de abril, maio, junho, setembro e outubro. Todos com clima ameno (mínima em abril e outubro é um pouco abaixo dos 10 graus) e com bons eventos, todos os bons estabelecimentos abertos e a cidade não fica nem fria e impossível de caminhar de tanta gente. Nossa preferência é em maio e setembro.

COMO CHEGAR

Não existe voo direto do Brasil à Veneza. Para chegar lá de avião saindo de nosso país, há frequentes conexões partindo de Lisboa, Roma, Paris e Berlim. Simule o melhor voo, a possibilidade de fazer um stopover (conexão de várias horas e que permite conhecer visitar a cidade da parada obrigatória) e consulte os melhores preços no DECOLAR ou companhias confiáveis como ALITALIA, TAP, LUFTHANSA.

Se já estiver no centro ou norte da Itália, super aconselhamos ir até Veneza de trem. Eles são rápidos e confortáveis, sendo operados pela empresa TRENITALIA. São menos de 4h de percurso partindo de Roma; 2h30 saindo de Milão; 2h de Florença, para citar os exemplos mais comuns.

DSC04001.JPG

PALAZZO DUCALE – VENEZA, ITÁLIA

 

Vale destacar que a estação de trem de Veneza é bem central, próxima a grandes atrações da cidade. Para quem prefere se hospedar na vizinha (e mais barata) cidade de Mestre, também há uma estação de trem específica aí. Importante: compre com antecedência sua passagem para garantir seu assento e leve-a impressa para evitar contratempos.

De carro, as estradas de acesso são: A4 (para quem vem de Turim ou Trieste); A13 (aos que chegam a partir de Bolonha). As duas são autoestradas, mais velozes. Outras opções, agora de estradas regionais: SS11 (aos que circulam passando por Pádua/Padova); SS309 (Romea da Costa Adriática).

Sobre essa forma de aproximação, cabe a ressalva: é impossível circular pelos pontos de Veneza de carro. Assim, para não pagar as diárias dos estacionamentos, além das que terá que pagar pelo uso desnecessário do veículo na cidade, caso queira dar uma bela volta de maneira independente por cidades italianas incluindo Veneza, sugerimos que alugue um carro quando sair de Veneza, caso sua viagem não termine aqui ou, caso seja o fim do percurso, devolva o automóvel em alguma locadora da cidade.

DSC04059

PONTE DOS SUSPIROS – VENEZA, ITÁLIA

VISTO

Não é necessário

FUSO HORÁRIO

(GMT+1). Tecnicamente, 4 horas a mais do que no Brasil. Podem ser 5 horas adiantadas durante o horário de verão italiano (entre abril e outubro) ou 3 horas a mais durante o horário de verão brasileiro (entre novembro e fevereiro).

MOEDA

Euro

DSC03957.JPG

SANTA MARIA DE SALUTTE – VENEZA, ITÁLIA

IDIOMA

Italiano, mas o inglês é bem aceito por lá. É interessante ter noção de algumas palavras no idioma local, para ganhar a simpatia dos nativos, evitar grosserias e até pra conhecer mais uma língua mesmo.

Expressões italianas básicas:

Ciao (oi e tchau)                                                      Biglietto (passagem)
Scusi (desculpe, com licença)                            Treno (trem)
Grazie mille (muito obrigado)                            Pullman / Bus (ônibus)
Per favore (por favor)                                            Metropolitana (metrô)
Niente (nada)                                                           Acquistare (comprar)
Nessuno (ninguém)                                               Arrivederci (até logo)
Buongiorno (bom dia)                                           Non capisco italiano (não entendo italiano)
Buon pomeriggio (boa tarde)                              Bisogno (preciso)
Buona sera (boa noite)                                          Piazza (praça)
Buonanotte (boa noite, quando estiver indo dormir)

DSC04297.JPG

CAMPANÁRIO E BASÍLICA DE SAN MARCO – VENEZA

QUANTO TEMPO FICAR

Depende de seu perfil de viajante. Se você é um turista que quer apenas ter uma boa noção do local visitado, mas sem aprofundar muito, 2 dias é um período suficiente lá. A cidade é lindíssima, mas pode ser conhecida perfeitamente nesse intervalo de tempo. Caso queira curtir o modo de vida do veneziano, observar o cotidiano das pessoas, se sentir um pouco como um morador local, aconselhamos 5 a 7 dias. Vale lembrar que trata-se de uma cidade extremamente cara (sobretudo, no quesito hospedagem).

Mesmo se você só for fazer um stopover (conexão mais longa, normalmente de 10 horas ou mais) em Veneza, consegue aproveitar e visitar muita coisa importante da cidade em 1 dia. Ruim é não ir pra lá.

DSC03958.JPG

PÍER DE GÔNDOLAS EM DORSODURO – VENEZA, ITÁLIA

COMO SAIR DO AEROPORTO

Ônibus – forma mais econômica para sair do aeroporto Marco Polo até o início da parte turística de Veneza (Piazzale Roma é o último ponto desses ônibus e fica bem perto da estação de trem de Santa Lúcia). Existem duas empresas que operam ônibus distintos: ACTV (Aerobus) e ATVO. Ambos contam com paradas na cidade de Mestre, que é muito utilizadas por turistas que desejam economizar na hospedagem.

A primeira empresa (ACTV) conta com ônibus mais simples, que percorre a linha 5 até a Piazzale Roma em 25 minutos. A passagem custa menos de 10 euros e, se combinada com o vaporeto (espécie de ônibus-embarcação), custa aproximados 15 euros. Fique atento que essa combinação só funciona se você mudar o meio de transporte em menos de 90 minutos. Consulte horários nesse link

Por sua vez, a ATVO possui ônibus mais confortáveis. Também custa quase 10 euros (e mais ou menos 15 euros para ida e volta) e faz o percurso em 20 minutos e corresponde ao itinerário da linha 35. Caso esteja hospedado ou prefira conhecer Mestre primeiro, pegue o ônibus ATVO da linha 35B. Verifique o horário de ambas as linhas aqui.

DSC04220.JPG

GRANDE CANAL E IGREJA DE SANTA MARIA DE SALUTTE – VENEZA, ITÁLIA

Caso você chegue pelo aeroporto da cidade de Treviso (Aeroporto de Canova; muito utilizado para voos low costs), há um ônibus da ATVO que leva até Mestre e Veneza, sendo todo o percurso até a Piazzale Roma feito em quase 1 hora. Custa em torno de 12 euros (pouco mais de 20 se for ida e volta). Veja os horários nesse atalho.

Táxi – também só pode circular até a Piazzale Roma. Se o custo desse transporte já é normalmente mais caro em outros lugares, imagine em Veneza (cidade em que os preços costuma ser muito salgados)! Essa opção vale à pena se você estiver com muitas malas (o que não é uma boa ideia em Veneza), puder dividir a corrida com outros passageiros ou não quiser esperar o horário dos ônibus.

Carro – como dissemos acima, trata-se de um meio de transporte completamente desnecessário em Veneza. Caso não se importe com os inconvenientes de um lugar em que esse modal não opera plenamente, e queira alugá-lo para sair do aeroporto e deixar no hotel para, depois, fazer um passeio pelas cidades italianas, consulte a RENTCARS.

*Fique atento se o seu hotel disponibiliza o serviço de traslado saindo do aeroporto como vantagem incluída no preço ou opcional a ser paga em acréscimo. Este serviço é sempre muito útil e confortável.

DSC04137

GRANDE CANAL VISTO DA PONTE DI RIALTO – VENEZA, ITÁLIA

HOSPEDAGEM

Voltamos a repetir que os custos diários em Veneza são bem altos, e o quesito mais dispendioso de todos é a hospedagem local. Aos que desejam pagar mais barato, a dica é dormir em Mestre – cidade separada de Veneza apenas por uma ponte e com boa infraestrutura. Há ônibus regulares e trens regionais que funcionam durante quase todo o dia.

A passagem de trem custa pouco mais de 1 euro e o percurso dura 8 minutos (o último trem Veneza-Mestre parte à 0h20. Em relação ao ônibus, são operados pela ATVO e pela ACTV e o bilhete custa quase 4 euros (menos de 8 euros ida e volta). De manhã o trajeto é feito pela linha 8A (pela ATVO) e pelas linhas 2, 7, 7L, 80 (ACTV),  e à noite pela N1 (veja os horários, preços atualizados e itinerários dos deslocamentos de ônibus da ATVO nesse link; e da ACTV aqui).

Querendo dormir na cidade-sonho que é Veneza, sem pagar absurdamente, fique em pousadas ou albergues/hostels próximos da Piazzale Roma ou da estação de trem de Santa Lúcia. Agora, se você é daqueles que chegou até Veneza e está disposto a pagar o que for para ficar no local das melhores atrações, hospede-se perto da Praça de São Marcos.

DSC04212.JPG

VENEZA – ITÁLIA

A seguir, elencamos algumas opções bem avaliadas por turistas, em diferentes níveis de preços (confira as condições de cada um – se o banheiro é privativo ou compartilhado, quais vantagens inclui, localização no mapa – antes de contratar):

Para mais alternativas de pousadas ou hotéis, acesse o BOOKING, TRIVAGO ou TRIPADVISOR. Se preferir alugar um apartamento ou quarto para uma temporada, aconselhamos o site AIRBNB.

DSC03689.JPG

VENEZA – ITÁLIA

O QUE CONHECER

Apesar de contar com belos monumentos e edifícios principais, Veneza em si já é fantástica. Tão bom quanto admirar a Igreja de São Marcos, é descobrir uma viela por onde passa um canal estreito que separa casas charmosas, com flores nas sacadas e um agradável bar por perto (e isso é o que mais tem na cidade).

Por isso, ainda que não se visite o interior daquela igreja ou do Palazzo Ducale ou não se suba na torre da praça principal, só de caminhar em Veneza, o programa está garantido. Tudo é para ser conhecido na cidade, sem qualquer preocupação com atrações específicas e roteiros pré-definidos. Relaxe, caminhe e fique arrepiado com tantas lindas surpresas.

Antes de destacar os pontos mais famosos, vale à pena resumirmos os bairros venezianos para o leitor já ter uma noção de localização na cidade. São seis áreas em Veneza: Santa Croce, San Polo e Dorsoduro (do lado esquerdo do Grande Canal), Cannaregio, San Marco e Castello (na margem direita do Grande Canal).

Santa Croce: é a região onde fica a Piazzale Roma e onde chegam e de onde partem os ônibus. Apesar de ser o local em que a maioria dos turistas tem o primeiro contato visual com Veneza, ele é pouco frequentado. Conta com bonitas pontes (Ponte della Constituzione, do arquiteto Santiago Calatrava; Ponte degli Scalzi), as belas igrejas (San Simeon Piccolo e sua imensa cúpula verde; San Stae e a detalhada fachada barroca), museus importantes (Museu di Storia del Tessuto e del Costume, sobre peças de roupas históricas da cidade; o lindo Cà Pesaro, com galeria de arte moderna em um pavimento e exposição de arte oriental em outro; a incrível Fondaco dei Turchi onde fica o Museu di Storia Naturale; Fondazione Prada, com exposições de arte).

DSC04135.JPG

VENEZA – ITÁLIA

San Paolo: vizinho ao anterior, este é o menor e mais antigo bairro de Veneza. Seus ótimos destaques ficam para o Mercado de Rialto (histórico centro comercial entre os venezianos e os mercadores bizantinos, vendem-se frutas e peixes e funciona todos os dias pela manhã, exceto no domingo), o Campo San Giacometto (onde fica o local que padronizava o preço das especiarias por toda a Europa e onde fica a igreja veneziana mais antiga, a de San Giacomo), a Ponte di Rialto (o mais antigo caminho erguido para atravessar o Grande Canal e ainda a ponte mais famosa da cidade), a lindíssima Scuola Grande di San Rocco (lugar com salões onde são expostas obras bíblicas pintadas por Tintoretto), a igreja Santa Maria dei Frari (bela fachada). É na região de San Polo, perto da Ponte di Rialto que concentram-se excelente lojas para compras de souvenirs turísticos e artigos luxuosos.

Dorsoduro: bairro que reúne excelentes museus, dos quais sobressaem a Galleria dell’Academia (o melhor museu com obras venezianas, do período gótico ao renascimento), a Collezione Peggy Gugghenheim (dentro de muros cobertos de trepadeiras fica a coleção com obras de Picasso, Chagall, Pollock, Mondrian e outros) e o Cà Rezzonico (onde fica o Museu del Settecento. Veneziano). Além disso, é nesse bairro que fica a Igreja de San Barnaba, com bela fachada e a segunda igreja mais bonita de Veneza, a barroca Santa Maria della Salute (só perde em beleza para a Igreja de São Marcos, mas há controvérsias). Bem pertinho dessa igreja fica a Punta della Dogana, que abriga o Centro de Arte Contemporânea da Fondazione Pinault e de onde se tem uma linda vista para o Grande Canal. Contornando essa ponta, você encontrará a extensa Zattere, uma avenida com vista para o canal e ilha de Giudecca (canal paralelo ao Grande Canal). Por fim, outras atrações nesse bairro são o Campo de Santa Margherita (ponto de encontro de estudantes e moradores para comer algo no final do dia) e a Ponte della Academia (um dos melhores lugares para tirar foto do Grande Canal), que duela com a de Rialto pelo título de mais bonita de Veneza.

DSC03675.JPG

IGREJA DE SANTA MARIA DA SAÚDE – VENEZA, ITÁLIA

Cannaregio: conectado a Santa Croce pela já citada Ponte della Constituzione (de Sebastião Calatrava), é nesse bairro – o mais populoso de Veneza – que fica a estação de trem de Santa Lúcia, além de muitas lojas e restaurantes (concentradas, principalmente, na Strada Nuova, a maior avenida de Veneza). Nessa região também localiza-se a bastante visitada Igreja de Santa Luzia (Santa Lúcia), a Igreja de Sant’Alvise (interior bem bonito), a igreja de Madonna dell’Orto, a Ponte alle Guglie, o Gueto Judeu (o mais antigo da Europa) e a Cà d’Oro (edifício dos mais fotografados da cidade em virtude de sua belíssima fachada gótica; lá funciona a Galleria Franchetti, com exposição de artes) e o famoso Cassino de Veneza.

San Marco: bairro que concentra os mais famosos monumentos e a mais bela praça de Veneza, além das lojas de grife e restaurantes mais caros. O passeio por ele é obrigatório para o turista sair ainda mais encantado por Veneza. Sem sombra de dúvidas, nessa região não pode faltar a visita à Praça de San Marco, à Basílica de San Marco (repleta de detalhes, com influência bizantina e que recebeu em 826 o corpo do santo que lhe dá o nome, vindo de Alexandria), o impressionante Palazzo Ducale (centro político na era de ouro da cidade; conta com lindos salões e incrível pátio interno), a linda Ponte dos Suspiros (liga o palácio onde os detentos eram condenados até a prisão), o Campanário de São Marcos (torre veneziana com a estátua do arcanjo Gabriel; para subir nela e ter a vista de parte da cidade de outra perspectiva tem que pagar quase 10 euros), a Torre do Relógio, com indicação dos dias, horas e signos do zodíaco e o Museu Correr (conta a história do apogeu de Veneza e a evolução dos costumes de seus moradores, com mapas e pinturas). Um pouco mais afastado da mencionada praça fica o importantíssimo Teatro La Fenice, que recebe óperas e espetáculos de renomados artistas e o Campo Santo Stefano (praça com bons restaurantes e cercado pelos belos edifícios).

DSC04006.JPG

PONTE DOS SUSPIROS – SAN MARCO, VENEZA, ITÁLIA

Castello: o maior bairro de Veneza. É pouco turístico, a Veneza dos venezianos. Por ficar colada à região de São Marcos, vale dar uma caminhada com as seguintes ênfases: Riva degli Schiavoni (extensa avenida que começa no bairro de San Marco e continua por Castello e margeia o canal de São Marcos com vista para a Ilha de San Giorgio Maggiore); belas igrejas de San Zaccaria (pinturas de Bellini e Tintoretto) e San Giorgio dei Greci (campanário torto; igreja dedicada aos gregos fugidos da dominação bizantina); a linda praça Campo de San Giovanni e Paolo (Campo del Maraviglie), com igreja de belos afrescos e hospital da cidade; o imponente e histórico Arsenale de Venezia (estaleiro onde foram construídos barcos e navios que trouxeram a hegemonia marítima da cidade, representado no vizinho Museo Storico Navale); Giardini della Biennale (raro espaço verde na cidade, no espaço em que é realizado, a cada dois anos, a bienal de Veneza); e avenida Giuseppe Garibaldi, com restaurantes e lojas.

Sobre atrações principais:

Ponte di Rialto – mais antiga que cruza o Grande Canal, conta com bela arquitetura, linda vista e várias lojas para comprar lembranças. Conecta os bairros de San Polo e San Marco.

Ponte dell’Academia – passarela que liga o bairro de Dorsoduro a San Marco, fica perto de museus e restaurantes muito charmosos.

Ponte dos Suspiros – última vista que os detentos tinham da cidade antes de serem condenados no Palazzo Ducale. Bela construção que pode ser vista em passeio de gôndola ou caminhando pela avenida Riva degli Schiavoni.

DSC04016.JPG

PONTE, CANAL E GÔNDOLA EM SAN MARCO – VENEZA, ITÁLIA

Praça e Basílica de San Marco – praça e igreja mas famosas de Veneza, cercada de lindos monumentos e restaurantes caros. Nessa área fica também a Torre do Relógio (feito em ouro e esmalte azul, indicando além das horas, as fases da lua e os signos do horóscopo; fica à esquerda da basílica para quem olha para ela) o Campanário (Torre Veneziana, com vista panorâmica), Palazzo Ducale, Museu Correr. Procure ir logo no começo da manhã para tirar as melhores fotos. Visite o interior da basílica e do Palazzo; são imperdíveis.

DSC04069

BASÍLICA DE SAN MARCO E CAMPANÁRIO (TORRE VENEZIANA) – VENEZA, ITÁLIA

DSC04075

PRAÇA DE SAN MARCO, COM A TORRE E BASÍLICA – VENEZA, ITÁLIA

Grande Canal de Veneza – principal via marítima da cidade, por onde circulam vaporettos, gôndolas e táxis aquáticos. Melhores vistas para esse canal: Ponte di Rialto (entre San Polo e San Marco) e Ponte dell’Academia (entre Dorsoduro e San Marco).

*Se estiver em casal ou grupo de casais, não deixe de fazer o passeio de gôndola. É caro (cerca de 80 euros por meia hora), mas não pode faltar na sua visita por ser bem romântico e por só existir lá (há cópia em Cingapura e outros países, mas o original e mais charmoso é definitivamente o de Veneza). Procure os profissionais credenciados. Há vários gondoleiros na cidade, mas o mais seguro mesmo são os que trabalham perto da Ponte di Rialto e no píer do lado da Praça de São Marcos.

Igreja de Santa Maria della Salute – fica no bairro de Dorsoduro, bem perto da Punta della Dogana, sendo um dos mais belos exemplares do barroco veneziano e facilmente observada das imediações da Praça de San Marco.

Ilha de San Giorgio Maggiore – pequena área acessível após um trajeto de 5 minutos de vaporetto que sai do píer ao lado da praça de San Marco. Nessa ilhota fica a bela Igreja de San Giorgio Maggiore (estilo renascentista, concluída em 1610, feita em mármore e com iluminação natural de seus arcos). Do alto da torre da igreja é possível apreciar a mais bela vista de Veneza.

Murano – para quem tem tempo sobrando em Veneza, vale à pena visitar o arquipélago de Murano, que fica a apenas 1 km da vizinha famosa. Destaque para as casas coloridas e principalmente para o trabalho de esculturas em vidro que é único no mundo feito nessa região.

DSC03792.JPG

MÁSCARAS DO CARNAVAL DE VENEZA – ITÁLIA

DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

Caminhando ou através de embarcações (vaporetto, gôndola ou traghettos, que são gôndolas específicas para atravessar o Grande Canal).

Se tiver condições físicas, perca-se pela cidade a pé. Essa é a melhor e mais barata forma de conhecer Veneza. Atravesse o Grande Canal pelas lindas pontes, desvende praças (campos) e vielas de água, igrejas escondidas, osterias, pizzarias e sorveterias desconhecidas. Não vai se arrepender e, ainda assim, alguma hora você chegará na Praça de São Marcos e nos mais famosos monumentos locais. Evite levar mochilas pesadas ou caminhar com malas. Há vários degraus para atravessar as pontes e muitas ruas são estreitas e descobertas.

DSC04064.JPG

PASSEIO DE GÔNDOLA – VENEZA, ITÁLIA

Caso esteja cansado ou queira conhecer a cidade sob outra alternativa, use o vaporetto (ônibus-lancha), principalmente se for para apenas um dia e para conhecer ilhas como Murano, Lido e Giudecca. Ele é caro (bilhete simples custa quase 10 euros e pode ser aproveitado para viagens ilimitadas durante 1 hora na mesma direção inicial, isto é, se você descer na segunda estação de seu trajeto, é possível subir em outro vaporetto que vá no mesmo sentido e dirigir-se até a última parada sem pagara nada a mais, desde que você o faça em menos de 60 minutos) e muito concorrido. Dispute, se possível, um lugar na janela.

Caso queira comprar um passe de vaporetto com várias passagens, as opções são: viagens ilimitadas em 24 horas por cerca de 20 euros; 48 horas por 30 euros; 72 horas, 40 euros; uma semana, por 60 euros. Esses passes incluem também trajetos de ônibus (exceto o que leva até o aeroporto.

Para subir no vaporetto é necessário validar o bilhete simples ou o passe em uma das máquinas da estação de onde você parte. As linhas principais circulam quase o dia inteiro (param durante a madrugada). Consulte os horários de funcionamento nesse link oficial. Veja todos os horários aqui (role a página e procure linhas 1, 2 e a noturna N Lido-Canal Grande).

DSC03769

VISTA DO CANAL GRANDE A PARTIR DO MERCADO DE RIALTO – VENEZA, ITÁLIA

RESTAURANTES

Não deixe de conhecer pelo menos uma osteria e sorveteria em Veneza. Caso queira economizar tempo e dinheiro, compre alguma fatia de pizza (sempre baratas) em qualquer dos vários pontos espalhados em Veneza. Também não deixe de provar os drinks típicos (bellini e spritz). Abaixo elencamos alguns restaurantes bem elogiados pelos turistas que visitam a cidade:

DSC03728.JPG

VENEZA – ITÁLIA

  • Osteria Alla Vedova (em Cannaregio, perto da Strada Nuova);
  • Osteria Al Mercá (em San Polo, perto da Ponte di Rialto);
  • Da Fiore (produtos frescos vindos diretamente do mercado e ambiente agradável; endereço: San Polo, 2012. Calle de Scaleter)
  • Al Bacareto (serve um delicioso cicchetti – aperitivo veneziano com tábua de frios e temperos – a preços justos; fica em San Marco);
  • Cavatappi (restaurante com menu fixo no almoço; também em San Marco);
  • VinoVino (perto do Teatro La Fenice, em San Marco; endereço: Ponte Delle Veste, 2007/A);
  • Venchi (uma das melhores sorveterias italianas; fica em San Marco, perto da praça principal; endereço: Calle dei Fabbri, 989)
VIDA NOTURNA

Veneza não costuma ser um destino procurado por solteiros em busca de bebidas e azaração. É uma cidade voltada para o turismo romântico de casais ou para famílias. Mesmo assim, em virtude de seu caráter universitário, não faltam bares e baladas por lá.

DSC04184.JPG

VENEZA À NOITE – ITÁLIA

As pedidas são o Campo de Santa Margherita (praça mais animada e disputada pelos universitários), Hard Rock Café (bem perto da Praça San Marco), bares próximos da Ponte di Rialto. Outros lugares muito elogiados para balada:

  • Piccolo Mondo Music Dance (único aberto até a madrugada; endereço: Dorsoduro, 1056/a, 30100);
  • Venice Jazz Club (Dorsoduro 3102, Ponte dei Pugni, S.Margherita -S.Barnaba, 30123);
  • Harry’s Bar (melhor bellini de Veneza; trata-se de um drinque veneziano feito com espumante e pêssego; endereço: Calle Vallaresso, 1323 – perto da Praça San Marco);
  • Baccaro Jazz (pratos venezianos e internacionais em ambiente embalado por ótima trilha sonora e decoração curiosa; fica em San Marco, perto da Ponte di Rialto)
DSC03944.JPG

VENEZA – ITÁLIA

COMPRAS

Para lembranças mais econômicas, há boas opções nas lojas da Strada Nuova (em Cannaregio).

Podendo gastar mais um pouco com artigos típicos como máscaras de carnaval de Veneza, vidros de Murano, roupas e joias, sugerimos as lojas na Ponte di Rialto e vizinhança.

Aos que desejam comprar artigos de luxo, há estabelecimentos de grife (Gucci, Louis Vuitton e outros) bem perto do Teatro La Fenice, em San Marco.

NOSSA EXPERIÊNCIA

Fomos no início de maio e ficamos dois dias completos em Veneza. Encaramos um período de sol muito agradável, sem chuvas. Hospedamo-nos no B&B ai Tre Ponti Venezia. Simples, limpo, bem localizado (perto da Piazzale Roma, sem precisar andar muito com malas), barato para os padrões venezianos e, apesar do banheiro compartilhado, muito sossegado e limpo.

O aeroporto é excelente e o ônibus que sai de lá para o centro da cidade é fácil de ser localizado, é confortável e muito tranquilo. Ótimo custo-benefício.

DSC04054.JPG

PASSEANDO DE GÔNDOLA NO GRANDE CANAL – VENEZA, ITÁLIA

Conseguimos comer em pizzarias e sorveterias excelentes (S2 pra Venchi) e muito baratas. Também almoçamos na Praça San Marco uma comida simples e a preço justo, além de experimentarmos aperitivos em San Polo, Castello e Cannaregio. Pesquisando direitinho e sem pressa é possível comer em restaurantes bons (não os melhores, evidentemente) e a preços abaixo de 15 euros por pessoa. Adoramos o cicchetti (aperitivo) e os drinks “bellini” e “spritz”.

Realmente, o mais legal a fazer em Veneza é bater perna. Caminhar sem rumo mesmo. Em um dia completo já dá para conhecer a cidade inteira, entrando em igrejas, parando em canaizinhos escondidos, em praças fotogênicas (claro que sem os detalhes de quem fica lá 5, 10 dias e consegue conhecer os museus). Lia vários blogs falando isso, mas ficava receoso em não conhecer monumentos e lugares de destaque. O medo é verdadeiramente indevido. Veneza toda é espetacular. É cada cantinho mais bonito que o outro que você esquece que tem uma Praça São Marcos para ser visitada. Acho que é o melhor lugar para se caminhar no mundo.

DSC04305.JPG

VENEZA – ITÁLIA

Todos os bairros são lindos, mas nossos preferidos foram Dorsoduro e San Marco. A primeira impressão da cidade é extraordinária. Nada se compara a Veneza (Bruges é linda, Recife também, São Petersburgo da mesma forma – para citar algumas que são tradicionalmente apelidadas como a cidade do texto, em virtude de seus canais -, mas Veneza é muito mais impressionante), ela é cinematográfica.

As atrações que mais gostamos e recomendamos são: Praça de São Marcos (basílica e Palazzo Ducale incluídos), Ponte di Rialto e Ponte dell’Academia, Igreja Santa Maria della Salute e passeio de gôndola.

2015-05-08_12.17.28

PAISAGEM COMUM DE VENEZA (ITÁLIA)

DICAS

⇒ Descubra a cidade de Veneza caminhando. Falamos isso várias vezes durante o post porque é a melhor dica para curtir a cidade. Evite vaporettos caros e lanchas absurdas, exceto se for ou estiver impossibilitado de caminhar.

⇒ Leve pouca bagagem. Sabemos que é difícil em uma viagem, mas parece que Veneza surgiu para evitar que saiamos de lá: são tantas escadas e ruas estreitas que as malas ficam mais pesadas e inconvenientes naquela cidade. Se for inevitável levar muita coisa, procure deixar suas malas na estação de trem ou do aeroporto (locker; o depósito de cada volume custa aproximados 15 euros/dia), e leve consigo apenas uma mochila ou algo similar para transportar apenas o indispensável para seus dias em Veneza. Outra maneira de evitar o cansaço e incômodo é contratar o serviço de transporte de bagagens da Transbagagli ou um um carregador do hotel.

IMG_20170910_145418_554

IGREJA SANTA MARIA DE SALUTTE – VENEZA, ITÁLIA

⇒ Procure hospedar-se em Veneza. Apesar de Mestre concentrar mais hotéis confortáveis e econômicos, o charme de dormir no centro daquela cidade insular é indescritível, além de facilitar muito seu deslocamento durante o dia. Consulte o BOOKING, TRIPADVISOR, TRIVAGO, compare preços e vantagens de cada hospedagem que te agradar, estude as formas de pagamento que menos afetem suas economias e não hesite em ficar lá nem que seja por uma noite.

⇒ Como o plano urbanístico de Veneza é um emaranhado de ruas em labirinto, peça por e-mail ou no site de seu hotel um mapa para chegar nele a partir do aeroporto, estação de trem ou Piazzale Roma.

⇒ Compre seus ingressos com antecedência (online) para entrar na Basílica de São Marcos, no Palazzo Ducale e nos museus que preferir (destaque para a Coleção Peggy Gugghenheim), principalmente se for no verão europeu. Dessa forma, você evita filas imensas e otimiza seu tempo. Não esqueça de levar seu voucher/comprovante.

⇒ Procure ir na Praça San Marco e suas atrações logo nas primeiras horas da manhã (8h/9h). Dessa maneira, você evitará o formigueiro das horas seguintes. Em seguida, caminhe no contrafluxo, conhecendo Castello, Cannaregio, Santa Croce, San Polo e Dorsoduro nessa ordem. Todos os bairros são lindos, mas os menos aglomerados e mais originais continuam sendo os da margem esquerda do Grande Canal (Santa Croce, San Polo e Dorsoduro).

⇒ Precisa de um impulso extra pra viajar, assista ao filme “O turista”, com Angelina Jolie e Johnny Deep. O filme é fraco, mas o cenário (filmado em Veneza) é incrível.

DSC03691

VENEZA – ITÁLIA

CURIOSIDADES

⇒ Reza a lenda que Marco Polo teria nascido em Veneza. No passeio de gôndola pelos canais de San Marco e San Polo, é feita uma breve parada onde é apontada a casa onde o desbravador teria vivido.

⇒ No século X, a frota de embarcações de Veneza era uma das maiores da Europa.

⇒ Vários papas nasceram em Veneza, sendo o último, Pio X.

⇒ Existem mais de 3.000 vielas e 400 pontes fazendo a ligação dentro da cidade, construída sobre um arquipélago de quase 120 ilhotas formadas por cerca de 150 canais numa lagoa rasa, separada do mar por essas pequenas porções de terra.

⇒ As casas e palácios de Veneza foram construídos através de troncos de madeira fincados em pedaços de terra. Ao misturarem-se com a água salgada e a areia e argila das camadas mais fundas da lagoa, a madeira endurecia com muita solidez. Com essa consistência, eram colocadas duas placas de madeira intercaladas com pedras e tijolos sigilados, depois, com istria (mármore indicado para suportar a umidade e a água salgada).

⇒ A expressão de cumprimento e despedida Ciao nasceu em Veneza. Sua origem deriva da expressão “s’ciavo vostro” (“vosso escravo” ou “a seu dispor”) e passou por reduções até virar o famoso termo.

⇒ A primeira mulher com curso superior no mundo era veneziana, Elena Lucrezia, doutora em Filosofia na Universidade de Pádua, em 1678.

⇒ Veneza foi a primeira nação (só virou cidade italiana com a unificação do país) que proibiu o comércio e troca de escravos

⇒ Acqua alta – trata-se do fenômeno das marés em que o nível da água sobe além do normal e cobre algumas calçadas venezianas. É raro e dura menos de duas horas. Não há que se temer se sua visita coincidir com esse período. A equipe do seu hotel avisa com antecedência e solicita que você leve calçados impermeáveis (alguns hotéis disponibilizam esse equipamento). Aproveite para olhar a montagem e desmontagem super rápida das passarelas.

SEGURO VIAGEM

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

DSC04217.JPG

CAMPANÁRIO DA PRAÇA SAN MARCO E PALAZZO DUCALE – VENEZA, ITÁLIA

DSC03761

GRANDE CANAL VISTA A PARTIR DA PONTE RIALTO – VENEZA, ITÁLIA

DSC04066.JPG

LATERAL DA CATEDRAL DE SAN MARCO – VENEZA, ITÁLIA

DSC03647

VENEZA – ITÁLIA

DSC04060

PASSEIO DE GÔNDOLA POR TRÁS DO PALAZZO DUCALE – VENEZA, ITÁLIA

 

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do facebook!

 

 

4 comentários sobre “VENEZA

  1. Viveca Cabral disse:

    Parabéns para este blog que vive se superando diariamente. Muita riqueza de informações e fotos que aguçam nossos sentidos para querer conhecer cada lugar mostrado por vocês.
    Veneza é uma cidade especial. É impossível não ficar enamorado por ela.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s