AMSTERDÃ

Romântica, animada, curiosa e encantadora. Esses são alguns dos primeiros adjetivos que vêm à cabeça quando o assunto é a cidade de Amsterdã.

São mais de mil pontes e inúmeros canais que garantem muito charme ao lugar. Da mesma forma, quem procura agito durante as noites, não tem como se decepcionar com a capital holandesa, famosa por seus costumes libertários (vitrines de prostituição e ambientes liberados – dentro de regras estabelecidas – para consumo de drogas).

Esse contraste entre tradição (vários monumentos do século XVII) e vanguarda faz de Amsterdã um destino que justifica todas as grandes expectativas, independentemente do seu estilo de viagem.

A cidade das bicicletas, museus e praças certamente tem muito a oferecer. Confira abaixo informações, fatos e fotos para auxiliar sua programação de viagem.

IMG_20170128_104317_025.jpg

OUTONO EM AMSTERDÃ – HOLANDA

COMO CHEGAR

Existem várias opções de voos diretos partindo do Brasil. Fique atento principalmente à companhia (holandesa) KLM que, geralmente, oferece bom preços. Entre outras grandes empresas que viajam para Amsterdã, muitas são familiares ao brasileiros, como TAP, Air France e Lufthansa, além de outras que você pode consultar no site do Decolar. Se já está em território europeu, pode garantir maior economia usando as low costs que você pode consultar através de simulações e compras no Skyscanner.

Caso esteja pensando em fazer o percurso por via terrestre, consulte as opções de trem através da Real Europe, sugerimos também o site da companhia holandesa NS para consulta de valores e horários. Viajar de trem até Amsterdã é uma ótima opção para quem parte da Bélgica, do nordeste da França (incluindo Paris), centro-norte da Alemanha (incluindo Berlim, Düsseldorf, Colônia e até Frankfurt). Para ajudar como referência para GPS ou aplicativo de direcionamento, bem como acompanhar horário, preço e companhias de trem, o endereço da Estação Central de Trens de Amsterdã (Amsterdam Centraal) é: Stationsplein, 1012 AB Amsterdam

De carro, você conta com uma boa estrutura, mas fique atento aos valores de estacionamento cobrados na cidade. Para alugar carro, aconselhamos a consulta e o fechamento de contrato junto a RENTCARS. Para citar os acessos mais comuns: E19 que passa a ser E311 e, depois, E35 (para quem vem de Paris e Bruxelas); E30 (para quem vem de Berlim, saindo pelas rodovias alemãs de número 10 e 2); e A73 + E31 + E35, nessa ordem (para quem sai de Colônia, Düsseldorf, Frankfurt ou Stuttgart).

Chegando de ônibus, no site da companhia Eurolines você pode comprar sua passagem e saber detalhes sobre o trajeto.

QUANDO IR

De acordo com nosso julgamento a melhor época para ir são os meses de abril, maio, setembro e outubro (devido à temperatura).

Vale dizer que o tempo em Amsterdã é bastante instável. Mesmo no verão, as temperaturas dificilmente ultrapassam 20ºC. Na primavera e outono, há mudanças súbitas de temperatura. Enfim, os dias são bastantes imprevisíveis e chove muito na cidade (nada torrencial, mas é uma chuva constante). Para tentar ajudar na escolha da época da sua viagem, é importante saber que, estatisticamente, os meses menos chuvosos são abril, fevereiro, maio, junho e agosto, nessa ordem.

IMG_20170128_102250_995.jpg

AMSTERDÃ – HOLANDA

No entanto, existem vantagens e desvantagens que cada estação oferece. Confira abaixo quais são para que você possa chegar decidir.

Inverno – Nessa estação o frio é intenso, sendo que alguns dos canais até mesmo congelam. Se você não se importa com esse fator, pode aproveitar para vivenciar a patinação no gelo, um esporte muito apreciado pelos habitantes da cidade.

Primavera – A temperatura já não é tão rigorosa e a estação é acompanhada de muitas cores e flores. Se quiser estender sua viagem, pode conhecer o Keukenhof, um parque de flores que fica próximo a cidade. Esse lindíssimo parque das tulipas coloridas fica aberto apenas em abril e começo de maio. Se puder, viaje em abril.

Verão – No verão, você encontra temperaturas mais altas, mas em contrapartida dias mais longos e mais agitação pelas ruas. Se você quer ver gente é a melhor época, se não gosta de disputar espaço, é melhor pensar em outra estação.

Outono – Temperatura agradável, folhas caindo trazendo charme ao local. Porém, os dias já não são tão longos, o vento já é bem frio e as ruas não estão tão movimentadas.

img_20170128_105523_293

AMSTERDÃ – HOLANDA

VISTO

Não é exigido visto para brasileiros, apenas passaporte válido.

FUSO HORÁRIO

Para saber a diferença de horário, é preciso ficar atento ao horário de verão.

  • Com horário de verão em Amsterdã e não no Brasil: 3 horas a mais na Holanda.
  • Com horário de verão no Brasil e não em Amsterdã: 4 horas a mais na Holanda.
  • Sem horário de versão em ambos países: 5 horas a mais na Holanda.
MOEDA

Euro.

IDIOMA

O idioma local é o holandês, mas o inglês é ensinado nas escolas e você não terá dificuldades quanto a isso. Se quiser se arriscar no holandês, seguem algumas palavras (colocamos a pronuncia entre parênteses):

  • Hallo (rrálô) = Olá
  • Spreekt u Engels?  (shprekt ü ênguels) = Você fala inglês?
  • Hoe maakt u het? (hu haatet?) = Tudo bem?
  • Goed morgen/middag/avond ( rrude morren/midárr/afônd) = Bom dia, boa tarde, boa noite.
  • Aangenaam kennis te maken (aahnchenam kenis te maken) = Prazer em conhecê-lo.
  • Ik spreek niet goed Nederlands (ik shprék nit huut nederlants) = Eu não falo bem holandês.
QUANTO TEMPO FICAR

Hum… mais uma vez, difícil opinar. Considerando um mínimo possível, 3 dias é a indicação. Se puder estender a viagem, existem cidade próximas a Amsterdã que valem à pena. Considere essa possibilidade para conhecer o Parque das Flores (Keukenhof) e/ou Marken e Volendam, Roterdã e Haia.

IMG_20170128_103641_477.jpg

OUTONO EM AMSTERDÃ – HOLANDA

COMO SAIR DO AEROPORTO

Você tem muitas opções para sair do gigante e moderno Aeroporto Schiphol.

Antes de mais nada, verifique se o seu hotel disponibiliza o serviço de transfer/traslado/receptivo incluído no preço das diárias. Se não estiver incluído e você quiser essa comodidade, negocie com o hotel através de e-mail ou pelo campo de pedidos especiais dele no BOOKING ou TRIVAGO. Acertado esse transfer, basta ficar atento à pessoa que segura uma placa com o nome de quem fez a reserva (ela já estará esperando no portão de desembarque).

Caso não tenha essa facilidade acima, o aplicativo Uber é bem aceito no lugar e você poderá usar sem dificuldades. Para nós, é a melhor alternativa de transporte para quem está com pressa e/ou chega de viagem à noite e/ou pode dividir a corrida com mais 2 ou 3 pessoas. A corrida até o entro deve custar entre 30 e 35 euros, no modelo co carro mais barato (Uber X). Normalmente, o ponto de partida combinado no sistema é em frente do Hotel Sheraton. Não se esqueça de habilitar seu cartão de crédito para uso internacional antes de chegar na cidade.

O táxi, por sua vez, cobra de 40 a 50 euros. O ponto oficial dos taxistas credenciados é do lado de fora do saguão. Basta seguir as placas desde o aeroporto. Se sua opção é táxi, consulte o site  do aeroporto para fazer a reserva do seu trajeto.

Existe a opção de ônibus para o centro logo em frente à saída do aeroporto. Algumas opções: Amsterdam Sloterdijk (ônibus 69) e Leiden (ônibus 365). Confirme com suas hospedagem a melhor opção, caso essa seja sua modalidade escolhida. Outra alternativa de ônibus é a linha 197, da empresa Conexxion. Ela demora muito (cerca de 40 minutos; o dobro do tempo percorrido pelo trem), portanto, o preferível é ir de Trem ou Uber. Para pagar, basta validar seu cartão OV-chipkaart (comprado previamente) ou pagar em dinheiro ao motorista. Custa entre 5 a 10 euros, a depender de onde você pretende descer.

Sobre os trens, o site para conferir maiores informações é o NS. O local de partida fica no subsolo do aeroporto. Custa em torno de 5 euros até a Centraal Station. Para comprar sua passagem, há máquinas/cabines amarelas no saguão do aeroporto que aceitam cartão de crédito com senha. Preferindo comprar com algum funcionário, basta dirigir-se ao balcão de venda de passagens. Adquiridas as passagens, basta descer as escadas rolantes e encaminhar-se a plataforma 1 oue 2 (confira no painel azul ou pergunte a algum funcionário em qual delas o próximo trem para a Estação Central vai parar).

IMG_20170128_105108_179.jpg

AMSTERDÃ – HOLANDA

HOSPEDAGEM

Existem vários bairros que são considerados boas opções de hospedagem, o mais famoso é o Jordaan. Outra localização excelente é hospedar-se perto das praças Dam, Rembrandt, Leidse ou Museumplein (praça em holandês é “plein”), por serem cheios de bares, restaurantes e agitada vida noturna. Outro endereço bacana de ficar é próximo à Estação Central de Trens. Considere também hospedar-se no bairro De Pijp (perto do museu da cerveja Heineken e do mercado Albert Cuyp).

É comum hospedagens sem elevador, fique atento a esse detalhe.

Caso deseje ficar hospedado em um barco estacionado em um dos muitos canais (“house boat”, saiba que essa típica e charmosa hospedagem holandesa é mais cara.

Segue abaixo uma relação de hospedagens bem avaliadas pela experiência própria de turistas:

Para outras opções de hospedagem, acesse os sites especializados do BOOKING, TRIVAGO ou TRIPADVISOR.

Aos que querem alugar uma casa, um apartamento ou um quarto por uma temporada, aconselhamos a consulta ao AIRBNB.

IMG_20170128_110602_235.jpg

AMSTERDÃ – HOLANDA

O QUE CONHECER

Passeio de barco pelos canais – Passeio imperdível, normalmente acompanhado de degustação de queijos e vinhos, com direito a guia, que apresenta os pontos principais da cidade e conta histórias e curiosidades sobre os monumentos e o estilo de vida dos nativos. Não deixe de fazer esse passeio, principalmente à noite, com as fachadas dos prédios e as pontes iluminadas. Quase todas as opções de cruzeiro same da Prins Hendrikkade, 25, no cais ao lado oeste da Estação Central, perto do ponto de táxi.

Os cruzeiros mais básicos oferecem audioguia em várias línguas (inclusive, português), duram 1h e saem a cada meia hora da Prins Hendrikkade, 25. Os passeios acontecem entre 9h e 18h. São várias empresas que fazem o percurso. Elas ficam nos arredores da Centraal Station e da Leidseplein. O ingresso custa cerca de 15 euros. Não precisa reservar horário.

Tem também a opção de Cruzeiro Hop-on Hop-off, em que você desce no ponto turístico que você quiser (desde que esteja no itinerário do barco), faz a visita e tira as fotos que deseja, e embarca na próxima balsa. Ele vale para o dia inteiro e você só paga uma vez por cada dia que você utilizar esse serviço. Passa pela Praça Dam, Casa de Anne Frank, Museu Van Gogh, Heineken Experience, moinhos de vento, Rijksmuseum e principais pontes da cidade. Sai a cada 25 minutos, das 10 às 17h, do mesmo local: Prins Hendrikkade, 25, no cais ao lado oeste da Estação Central, perto do ponto de táxi.

Para quem deseja combinar o passeio de barco com uma visita ao Rijksmuseum, a melhor alternativa é o ticket que custa cerca pouco mais de 30 euros (que permite uma relativa economia na entrada do museu).

Outra opção interessante é o ônibus/barco Floating Dutchman. Isso mesmo: o veículo anfíbio sai da Centraal Station, dá uma volta pelo centro histórico e, perto do Museu NEMO, abre as barbatanas e entra na água para a parte final do passeio. Dura 45 minutos e permite duas perspectivas diferentes da cidade. Custa em torno de 25 euros e sai do Van Gogh Cafe, na Prins Hendrikkade, 25.

Para quem está disposto a pagar mais caro para curtir uma experiência mais privada e quer agradar o parceiro(a), a dica é fazer o cruzeiro romântico noturno por quase 80 euros, que sai da Centraal Station. Ele inclui jantar a luz de velas no barco, com direito a 4 pratos. Chegue 15 minutos do horário marcado.

img_20170128_111654_702

PASSEIO DE BARCO NOTURNO – CANAIS DE AMSTERDÃ

Casa de Anne Frank – incrível museu montado no apartamento onde a menina judia e sua família viveram e, com a ocupação nazista, esconderam-se. Impressionante presenciar o tamanho dos quartos secretos e os improvisos que a família fazia para sobreviver, com áudios da leitura do famoso diário dela, além de objetos, desenhos e mapas originais, em uma das descrições mais impressionantes da agonia e medo de civis durante a II Guerra. Muito emocionante. Imperdível. Como há limitação de visitas diárias, reserve o seu acesso com antecedência pelo link oficial do título.

A Casa Anne Frank está situada no canal Prinsengracht, nºs 263-267, no centro de Amsterdã. Partindo da Estação Central , leva cerca de 20 minutos caminhando. Os bondes 13, 14 e 17 – além dos ônibus 170, 172 e 174 – param perto do museu, no ponto “Westermarkt”.

Museu Van Gogh – Considerado por muitos como o museu favorito, o lugar reúne obras e conta sobre a história do pintor holandês que apesar do fracasso em vida, atualmente é aclamado. O legal é ver as influências e a mudança do estilo desse gênio com o passar dos anos e a progressiva loucura dele retratada nos quadros e nas cartas originais que ele trocou com seu irmão Theo e com o pintor Gauguin.

De vida conturbada e marcante, Vicent Van Gogh atrai a atenção de muitos. Por não ser tão grande, você pode aproveitar para combinar com a tradicional foto no letreiro “I AMSTERDAM” e conhecer o Rijksmuseum.

Letreiro com IAMesterdam – Próximo ao Museu de Van Gogh você encontra o tradicional letreiro para fotos. Fica bem em frente ao Museu Nacional de Amsterdam (Rijksmuseum).

Rijksmuseum – é o Museu Nacional dos Países Baixos, um dos mais importantes museus da Europa, com ampla área dedicada às obras do pintor Rembrandt.

Museu Stedelijk – O museu coleciona arte e design modernos e contemporâneos de Amsterdam.

Obs: O Museu Van Gogh, o Rijksmuseum, o Stedelijk e o Museu de Diamantes (Royal Diamonds) ficam todos muito próximos, precisamente na praça Museumplein. Para chegar aí: aos que vêm Estação Central, as opções são o bonde/tram 2 (sentido Nieuw Sloten) ou 5 (sentido Amstelveen Binnenhof). A parada é a Van Baerlestraat. Outras formas de ir: pelo tram 3 ou 12 e descer na Van Baerlestraat, e trams 16 e 24 ou ônibus 145, 170 ou 172 e descer na Museumplein.

img_20170128_111016_335

MUSEU VAN GOGH – AMSTERDÃ, HOLANDA

Passeio de bicicleta – Alugar uma bicicleta e sair por Amsterdã é sem sobra de dúvidas uma ótima opção, a cidade é toda cortada por ciclovias e estacionamentos apropriados. Existem semáforos só para bikes e a prioridade é sempre delas.

Red Light District – Famoso por suas vitrines de prostitutas expostas, bares e baladas. Passeio imperdível para conferir esse aspecto tão famoso da cidade, que você só encontra por lá. Por ali perto, não deixe de caminhar até a Oude Clerk, uma linda igreja do século XIV onde foi enterrada, entre outros, a esposa do pintor Rembrandt. Não tire fotos das vitrines! Você pode acabar perdendo seu celular ou câmero. Esse pitoresco distrito fica bem próximo ao centro histórico, a poucas ruas da Praça Dam. Utilize como referência a rua Oudezijds Achterburgwal entre as ruas Gordijnensteeg e Korte Stormsteeg. Estação de metrô mais perto: Nieuwmarkt.

Vondelpark – jardim público mais bonito e frequentado da capital. Há muito espaço verde para piqueniques, prática de esportes e brincadeiras ao ar livre, além de contar com um lago com muitos pássaros. Caminhe até lá saindo Museumplein em direção à Leidseplein. Fica a uma curtíssima caminhada do Museu Van Gogh e do Stedelijk Museum. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 3 ou 12.

Begijnhof – lindo jardim secreto, acessado através de uma portinha na praça Spui. Ele é rodeado de casas do século XVII e XVIII e é bem silencioso. Um oásis pouco conhecido por turistas e que é ótimo para fugir um pouco do burburinho, além de ser gratuito. Fica a uma caminhada de 10 a 15 minutos da Praça Dam e perto do Mercado das Flores. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1, 2 ou 5  e descer na estação Spui (Nieuwezidjs Voorburgwal).

Leidseplein – praça mais animada de Amsterdã, com vários bares, restaurantes, casas noturnas e coffe shops (bares onde é possível fumar maconha, desde que dentro do seu interior e não se utilize da ajuda dos funcionários da casa para acender ou ensinar como usar). Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1, 2 ou 5  e descer na estação Leidseplein.

Praça Dam – é a praça cívica da cidade, com monumentos, o Palácio Real (um dos principais pontos turísticos da cidade;  há visitas guiadas, nas quais são apresentados belos quadros e artefatos medievais; confira os horários e preços atualizados no site oficial); a bela Igreja Nova (Nieuwe Kerk) e obelisco em homenagem às vítimas da Segunda Guerra Mundial. Fica bem perto da Estação Central de Trens e do Distrito da Luz Vermelha. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 4, 9 ou 16; ou os ônibus das linhas 755, 757, 759, 761, 763, e descer na parada Dam.

Heineken Experience – Para os apreciadores de cerveja, essa visita guiada não pode faltar. Durante o percurso todo o processo de fabricação e história do nascimento e consolidação dessa famosa marca são explicados de forma interativa. O passeio termina com direito a degustação de chopp e cerveja preparados artesanalmente. Fica a uma caminhada de 10 a 15 minutos do Museumplein. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 16 (descer na estação Weteringcircuit/Weteringsch) ou o bonde/tram 4 (descer na estação Stadhouderskade), que também serve para a próxima atração.

Albert Cuyp – o maior mercado a céu aberto da Holanda e um dos maiores da Europa. Comidas, temperos e lembranças são os itens mais consumidos desse local. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 4 (descer na estação Stadhouderskade).

Mercado das Flores (Bloemenmarkt) – localizado em um dos canais mais antigos de Amsterdã (Canal Singel, entre as pontes de Koningsplein e Muntplein), essa sequência de lojas flutuantes vendem inúmeras flores, bulbos e sementes de um dos principais produtos de exportação do país, além de lindas porcelanas (Delfts Blauw), tamancos pintados e queijos holandeses. Fica no meio do caminho entre a Leidsenplein e a Praça Dam, perto do jjardim secreto Begijnhof. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1, 2 ou 5 (estação Koningsplein).

Gassan Diamonds Amsterdam – Museu de joias e artigos de luxo. Fica perto do Red Light District e do mercado Waterlooplein. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 9 ou 14 (estação Mr. Visserplein), os ônibus 246 (parada Waterlooplein/Valkenburgerstraat; é muito perto daqui), 757, 759, 761 ou 763 (parada Waterlooplein), metrô 51, 53 ou 54 (estação Waterlooplein ou Nieuwmarkt).

Museu Marítimo Nacional – É interessante para conhecer melhor sobre a fundação e como funciona a cidade. Traz toda a sua exposição relacionada a peças e acessórios relacionados a história e a tecnologia atual associadas a temática marítima. Para chegar, basta o ônibus das linhas 22, 48 ou 246 (parada Kadijksplein).

IMG_20170128_110113_163.jpg

I AMSTERDAM – MUSEUMPLEIN, HOLANDA

Filial de Amsterdã do Hermitage – O importante e famoso museu de São Petersburgo, Rússia, o Hermitage tem filial na cidade de Amsterdã, com pinturas, esculturas de artistas clássicos e contemporâneos de altíssima qualidade. Para chegar, basta ir de metrô (linhas 51, 53 ou 54) e descer na estação Waterlooplein.

Casa Rembrandt – Foi onde viveu entre 1636 e 1658 um dos maiores pintores holandeses de todos os tempos. Hoje abriga várias de suas peças e muito da sua história. Fica perto do Gassan Diamonds. Para chegar, basta pegar o ônibus da linha 246 (parada Waterlooplein/Valkenburgerstraat) ou o metrô das linhas 51, 53 ou 54 e descer na estação Waterlooplein.

Museu do Sexo de Amsterdam – Como o próprio nome já diz, o museu tem a temática do sexo e aborda de maneira diferente o assunto, com instrumentos de fetiche e curiosidades sobre as relações sexuais no mundo. Fica muito perto da Centraal Station, Praça Dam e Red Light District. Para chegar, há várias opções (bonde/tram 1, 2, 5, 13, 17 para a Estação Central,  4, 9, 16, para a Dam; ônibus 18, 21, 22, 48, 170, 172, 174 para a Estação Central, 755 ou 757 para a Dam).

Centro de Ciência NEMO – Museu de ciência e tecnologia em formato de barco. Fica bem no centro da cidade, facilitando o acesso para visitação. Fica perto do Museu Marítimo Nacional. Para chegar, basta pegar o ônibus da linha 32, 33, 34, 35, 761, 763 (parada IJ Tunnel) ou das linhas 22, 48 ou 246 (parada Kadijksplein).

Sobre outros museus – Separamos aqui a lista completa dos museus mais famosos da cidade, incluindo outras muitas opções que não colocamos no post em decorrência do grande número: Museus em Amsterdã.

OBS: Keukenhof (que fica na cidade de Lisse, entre Amsterdã e Haia) – se você viajar em abril ou até o início de maio (primeiros 10 dias), não perca a oportunidade de conhecer um dos parques floridos mais bonitos do mundo, repleto de tulipas coloridas, entre árvores e lagos. Para chegar no parque, basta pegar o ônibus 858, que sai a cada 15 minutos do Aeroporto Schiphol (mais precisamente bem perto do Arrivals 4, em uma porta ao lado do Starbucks), e leva 40 minutos até o destino. Lembrando que para chegar no aeroporto saindo do centro, basta ir até a Centraal Station e pegar o próximo trem (existem várias opções; basta olhar o letreiro ou perguntar). O parque tem wifi gratuito.

*PARA QUALQUER DESSAS ATRAÇÕES, CONFIRA SE EXISTE DESCONTO E COMPRA ANTECIPADA NO TICKETBAR. Você economiza tempo e dinheiro através desse site especializado em ingressos fáceis.

img_5301

PRAÇA DAM – AMSTERDÃ, HOLANDA

DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

Definitivamente, a cidade das pontes e canais não é uma cidade para carros. Querendo arriscar esse meio de transporte, indicamos o aluguel na RENTCARS.

Sugerimos caminhadas ou pedaladas pela cidade, que é plana e convida o turista a conhecê-la com “a cara no vento”, parando quando quiser. Andar por Amsterdã é incrível. Se puder ir a pé da Estação Central até a praça dos museus, o percurso é de aproximadamente três quilômetros, e vale muito ´à pena. Cuidado com as ciclovias, os ciclistas são muito rápidos, atropelamento de turistas que não prestam atenção a sinalização não são raros.

No entanto, para quem hospeda-se longe dos pontos principais, a forma mais apropriada é deslocar-se por bondes/tram (tem muitos e para todos os lugares; é o melhor transporte público interno), metrôs ou ônibus. Se for o seu caso, compre o cartão I Amsterdam City Card, que permite deslocamentos ilimitados entre diferentes modalidades de transporte público (inclusive, os noturnos), dentro do tempo de validade que você comprar para ele – de 1 a 4 dias -, além de garantir acesso a dezenas de museus na cidade e cruzeiros pelos canais de forma gratuita ou com consideráveis descontos.

O cartão acima é o mais completo e mais caro, mas existe outra alternativa bem indicada para turistas: o cartão GVB, que permite viagens ilimitadas de ônibus, metrôs e bondes dentro do intervalo que você comprar (24h, 48h, 72h, 96h, etc… – lembrando que só começa a contar a partir da primeira validação no primeiro transporte municipal que você usá-lo), porém, sem descontos nos museus ou outras atrações.

Para quem está muito bem localizado (veja seção “Hospedagem”) e pretende conhecer a cidade caminhando ou pedalando, basta comprar o bilhete avulso (OV-chipkaart), que custa menos de 5 euros e vale para qualquer tipo de transporte público durante 1h. Você pode pagar dentro do bonde ou nas máquinas posicionadas dentro do veículo. É necessário validação na entrada e saída.

Todos esses três tipos de cartão apenas funcionam para transportes operados pela empresa GVB (não funciona para a Conexxion nem para a NS). Há quiosques espalhados por toda a cidade, inclusive no Aeroporto e na Praça da Estação (Stationplein). Também é possível comprar seu cartão online e retirá-lo em um desses quiosques.

IMG_20170128_101823_438.jpg

CANAL E BICICLETAS – AMSTERDÃ, HOLANDA

Lembrando que o metrô é bem limitado e funciona mais para quem está hospedado na periferia da região metropolitana. Não atinge todos os pontos da cidade, mas pode ser combinado com ônibus; para de funcionar por volta da 0h. São 4 linhas, sendo que até a Centraal Station só chegam os da linha 51 (laranja), 53 (vermelha) e 54 (amarela).

Ônibus de turismo – Consulte o city sight seeing amsterdam e o Hop-on-hop-off-bus. Se não conhece sobre essa modalidade de transporte leia nosso post Primeira Viagem Internacional. Com essa opção você percorre os principais pontos de maneira eficiente e prática, podendo ter uma rápida panorâmica da cidade, subir e descer quantas vezes quiser no ônibus durante 1 dia, fazendo as paradas nos pontos que considere prioritário até que passe o próximo ônibus sem precisar pagar a mais pelos sucessivos embarques e desembarques. Ótimo custo-benefício.

CULINÁRIA LOCAL

Em Amsterdã você encontra de tudo um pouco, cozinha holandesa, chinesa, americana… Opções não faltam. Se está a procura de comida local, seguem algumas opções:

Haring – peixe cru servido nas feiras livres.

Batata frita – Sim! O produto é muito consumido e em diversos tamanhos. Você vai encontrar muitos lugares vendendo.

 Queijos – Mundialmente famosa por seus queijos, não é a toa. Prove o Gouda ou Edam!

Sobre lanches rápidos,  o bitterbalen, que são bolinhos recheados com  creme de carne,  e o frikandel (croquete de carne) e o kaassoufle (croquete de queijo).

Duas marcas de cerveja que hoje pertecem ao mesmo grupo, Heineken e Amstel, são holandesas e lá você encontra em grande oferta.

img_20170128_102644_480

MERCADO DAS FLORES (BLOEMENMARKT) – AMSTERDÃ

RESTAURANTES

Se sua viagem prevê um investimento gastronômico, segue opções sofisticadas e bem avaliadas:

Moeders – comida típica holandesa servida em um lugar aconchegante/pequeno. Procure reservar com antecedência, pois muitos procuram essa autêntica experiência local para aproveitar a noite. Como curiosidade, você pode levar uma foto da sua mãe para decorar o restaurante, que é repleto de fotos das mães (daí o nome Moeders) dos clientes. Peça o Hollandse rijsttafel (combo de pratos típicos holandeses; serve duas pessoas). Para chegar, basta pegar o bonde/tram 10 (estação Marnixstraat/Rozengracht) ou o ônibus 80 ou 280 (parada Marnixstraat/Rozengracht)

d’Vijff Vlieghen – restaurante romântico, também com cozinha típica holandesa. Ambiente com decoração clássica, em espaço intimista e comida gostosa. Fica muito perto do Beginjnhof e da Praça Dam. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1, 2 ou 5 (estação Spui/ Nieuwezijds Voorgurwal).

IMG_5088

AMSTERDÃ – HOLANDA

Restaurant Adam – com certificado de qualidade do TRIPADVISOR, esse restaurante serve comida refinada com misturas inventivas. Confira as fotos no site oficial. Fica muito perto do Vondelpark, na face oposta a que está voltada para o Museumplein. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1 (estação Rhijnvis Feithstraat) ou bonde/tram 17 (estação Surinameplein) ou ônibus 15 (parada Surinameplein).

Restaurant’t Zwaantje – cardápio variado, com comida muito farta, gostosa e a preços razoáveis. Sobremesa excelente. Enfim, restaurante pequeno (reserve antes) que agrada a todos os gostos. Tudo é elogiado, principalmente, o salmão de lá. Fica aberto até 23h. Fica perto do Begijnhof e do Westermarkt, a curta distância da Praça Dam. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1, 2 ou 5 (estação Spui/Nieuwezijds Voorburgwal) ou bonde/tram 13, 14, 17 (estação Westermarkt) ou ônibus 170, 172, 174, 272, 752, 754, 758 (parada Westermarkt).

Vinkeles – comida francesa moderna em um ambiente de tijolo aparente bem no centro de Amsterdã. Pratos coloridos e minimalistas bem indicado pelo TRIPADVISOR. Também fica perto do Begijnhof, do restaurante anterior e do Mercado de Flores. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1, 2 ou 5 (estação Spui/Nieuwezijds Voorburgwal).

De Stadskantine – excelente custo-benefício em um ambiente descontraído e sem garçom. Você pede o prato no balcão de atendimento (não aceita dinheiro; só cartão), espera ser servido ali mesmo e vai sentar em uma mesa, que pode ser coletiva. São poucas opções, mas são gostosas e baratas: há sopas, cafés, croissants e um prato do dia (pode escolher entre carne, peixe ou vegetariano), que sempre muda, e acompanhado de produtos orgânicos e frescos. Fica perto do mercado a céu aberto Albert Cuyp e, um pouco mais distante, da Heineken Experience. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 3 ou 4, ou ônibus 754 (estação Ceintuurbaan/Van Woustraat).

De Kas – restaurante sofisticado, com atendimento muito elogiado e que serve produtos em sua maioria produzidos na estufa de frente para o ambiente das mesas. É mais caro, mas de alta gastronomia. Querendo conhecer, mas para gastar menos, procure ir no almoço (embora a experiência do jantar seja melhor avaliada). Fica afastado do centro da cidade, a 2,5 km do mercado Albert Cuyp. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 9 ou ônibus 41 ou 757 (parada Hogeweg).

Libero – restaurante italiano excelente, com destaque para o rib eye e para as pizzas. Fica também nas bandas do Heineken Experience e do mercado Albert Cuyp. Para chegar lá, basta pegar o bonde/tram 4 ou 12 (estação Victorieplein) ou ônibus 62, 65, 245 ou 754 (parada Victorieplein).

Lobby Restaurante & Bar – um dos restaurantes mais românticos e bonitos de Amsterdã. Fica no Hotel V Nesplein e conta com uma linda vista para a cidade, além de ter uma decoração que mistura coisas modernas e vintage. Fica a menos de 300 m da Praça Dam. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 4, 9 ou 16 (estação Dam) ou 14 (estação Spui/Rokin) ou ônibus 755, 757, 759, 761 ou 763 (parada Dam ou Spui/Rokin)

Le 4 Stagioni – outro ótimo restaurante italiano, com atendimento bacana e grande diversidade de pratos de boa qualidade. Destaque para as sobremesas, em especial, para o tiramisu. Bem perto do Museu Van Gogh e do Museu Stedelijk. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 16 (estação Jacob Obrechtstraat) ou 3, 5 ou 12 (estação Van Baerlestraat) ou ônibus 758 (parada Van Baerlestraat).

img_20170128_112411_189

AMSTERDÃ – HOLANDA

Ciel Bleu – outro da categoria sofisticado e que, quem pode pagar, tem que ir. Possui 2 estrelas Michelin e fica localizado em um dos últimos andares do Okura Hotel, com linda vista de Amsterdã. Relativamente perto do mercado Albert Cuyp. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 12 (estação Scheldestraat) ou 4 (estação Amstelkade) ou ônibus 754 (parada Amstelkade).

De Silveren Spiegel – restaurante elegante, tradicional e hospitaleiro, em uma casa do século XVII, com comida saborosa, bem feita e servida com produtos colhidos por produtores locais. Fica ao norte da Praça Dam, muito perto da Centraal Station. Para chegar, basta seguir em bonde/tram ou ônibus que leve até uma dessas referências.

Cabe destacar que os holandeses jantam cedo (18h, 19h). Por isso, não procure fazer sua refeição noturna tarde da noite, do contrário, seu destino será uma rede de fast food.

COMPRAS

Uma dica importante de compra é o mercado aberto Albert Cuyp Market (no bairro De Pijp, perto do museu da Heineken) e o Mercado de Flores (Bloemenmarkt), que apresentam grande diversidade de produtos e é ótimo para garantir as lembrancinhas da viagem.

Se você procura marcas e opções para compras de roupas e acessórios não vai se decepcionar na capital do país, pois as maiores grifes possuem unidades na cidade. Porém, não há um ponto específico, estão espalhadas por Amsterdã. Entre os endereços principais, listamos:

  • Leidsestraat – imensa variedade de lojas de todo tipo de produto (roupas, sapatos, cosméticos, shopping). Acesse a relação de estabelecimentos no link do título. Fica muito perto da Leidsenplein. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1, 2 ou 5 e descer na estação Koningsplein ou Keizersgracht/Leidsestraat;
  • Kalverstraat – rua de compras mais conhecida de Amsterdã. Fechada para pedestres, repleta de opções de roupas de moda, celulares, livros, artigos esportivos, sapatos. E o melhor, não precisa dividir espaço com carros e bicicletas, já que é uma rua só para pedestres. Fica bem perto do Begijnhof e a meio quilômetro da Praça Dam. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 4, 9, 14 ou 16, ou ônibus 755, 757, 759, 761, 763 (parada Spui/Rokin);
  • PC Hooftstraat – é a rua das grifes caras: Chanel, Louis Vutton, Hugo Boss, Dolce & Gabbana. Fica bem próxima ao parque Vondelpark e a Praça dos Museus (Museumplein). Para chegar, basta pegar o bonde/tram 2, 3, 5 12 ou 16 (estação Van Baerlestraat);
  • Waterlooplein – mercado de pulgas (antiguidades, quinquilharias e artesanato, camisetas e bolsas). Fica perto da Casa de Rembrandt, do Gassan Diamonds, a pouco mais de 1 km de caminhada da Praça Dam. Para chegar, basta ir de metrô até a estação Waterlooplein (linhas 51, 53 ou 54) ou de ônibus da linha 757, 759, 761 ou 763 (parada Waterlooplein);
IMG_20170128_102931_221.jpg

PRODUTOS DO MERCADO DAS FLORES – AMSTERDÃ

    • Bijenkorf – loja de departamento chique que vende moda masculina, feminina, infantil,perfumes, acessórios de cozinho, livros e um café. Fica na Praça Dam;
    •  ArenA Boulevard (Bijlmer) – pegando um metrô da linha 54 na Centraal Station, você chega nesse paraíso dos eletrônicos (Media Markt) e materiais esportivos (Decathlon e a Perry) da cidade, além de ter um shopping com lojas para decoração residencial. Basta descer do metrô (linha 50 ou, preferencialmente, 54 na estação Bijlmer ou Bullewijk).
VIDA NOTURNA

Os bairros mais animados para curtir a vida noturna são Jordaan e De Pijp. O Bairro da Luz Vermelha (Red Light District), é muito conhecido pelas prostitutas que ficam dentro de vitrines, além de ter bares e restaurantes é  também imperdível. Outro lugar que não pode faltar pra quem pretende curtir o agito da noite de Amsterdã é a Leidseplein, com seus coffeshops, smart shops e baladas. Elencamos algumas boas opções abaixo:

      • Paradiso (se puder escolher uma balada, essa é a pedida; consulte a programação no site pra comprar sua entrada antecipada para o show no dia de seu interesse; no dia que não tem show, a música que toca é pop; o mais legal de tudo é que o clima massa do lugar acontece dentro de uma igreja desativada, com a arquitetura preservada). Fica perto da Leidsenplein. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 7, 10 ou 16 (estação Leidsenplein ou na estação Spiegelgracht);
      • Bourbon Street (casa que toca jazz/soul/rock/funk ao vivo e é a opção menos opulenta da lista, com acesso gratuito antes das 23h; fica perto da Leidseplein). Também muito perto da Leidsenplein e da balada anterior. Para chegar, basta pegar os bondes/tram indicados antes ou os da linha 1, 2 ou 5 (estação Leidseplein);
      • Escape (uma das mais antigas e maiores casas noturnas da capital holandesa, com vários ambientes imensos; pela infraestrura e excelente música eletrônica conduzida por famosos DJs, além de incríveis bebidas, o preço é salgado; o acesso ao banheiro é cobrado, mas não é caro). Fica muito perto do Mercado de Flores (Bloemenmarkt), do Waterlooplein e da Casa de Rembrandt. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 4, 9 ou 14 ou ônibus 755, 757, 759, 761 ou 763 (estação Rembrandtplein);
      • Club Up (bastante recente, na vibe do undergrund clandestino, com músicas distintas  – soul, hip hop e eletrônico – em duas pistas e dois bares; por ser a balada da moda, chegue cedo para ficar da metade pra frente da fila gigante; localiza-se na região da Leidseplein). Fica a poucos passos da Leidseplein, e das baladas do Paradiso e música da Bourbon Street. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 1, 2, 5, 7, 10 ou 16 (estação Leidseplein);
      • Studio 80 (elogiadíssima balada underground da cidade, com músicas mais regionais e menos tocadas nas rádios; ela é pequena e, por isso, o ideal é chegar cedo; fica na Rembrandtplein). Fica a menos de 100 metros da Escape e, assim, perto do Mercado de Flores e Casa de Rembrandt. Para chegar, basta pegar o bonde/tram 4, 9 ou 14 ou o ônibus 755 ou 757 (estação Rembrandtplein);
      • Panama ( a menos de 3 km da Centraal Station, fica essa balada com bons DJs, que divide o mesmo ambiente onde, em outros horários, funciona um teatro e um restaurante). Para chegar, basta pegar o bonde/tram 26 (estação Kattenburgerstraat) ou 10 (estação C. van Eesterenlaan) ou ônibus 48 (parada Jan Schaeferbrug) ou 759 (parada C.v. Eesterenlaan).
IMG_5322

NOITE DE AMSTERDÃ – HOLANDA

NOSSA EXPERIÊNCIA

Apesar de uma passagem rápida, a cidade nos encantou e ficam as melhores referências e lembranças possíveis. Uma cidade bastante interessante, vibrante, com muitas opções culturais e que pra todos os lugares que se olha, tudo é lindo. Uma das cidades que mais gera na gente a vontade de morar.

Passamos apenas dois dias, sendo que no terceiro optamos por conhecer Marken e Volendam.

Das opções que mais gostamos, destacamos: Casa de Anne FrankMuseu Van Gogh, caminhar pelo Dam, curtir a noite na Leidsenplein, Red Light District e, principalmente, o passeio de barco noturno pelos canais de Amsterdã, apreciando a arquitetura local e ouvindo sobre fatos curiosos da cidade (além de comer ótimos queijos e vinhos locais).

IMG_4961

PASSEIO DE BARCO PELOS CANAIS – AMSTERDÃ, HOLANDA

DICAS

⇒ Na Holanda,  o consumo de drogas como a maconha e o haxixe não é proibido. Não que seja legalizado. Na verdade, é tolerado. Fique atento ao fato que não é aceito consumo nas ruas, somente nos coffee shops. Não é permitido que turistas saiam alterados ou provoquem transtornos em decorrência do consumo dessas drogas. Tome cuidado!

⇒ Outro cuidado que o turista desavisado deve ter é quanto à circulação de bicicleta. Não é todo lugar que permite pedaladas. Existem ciclovias específicas. Oriente-se pela sinalização. Não havendo demarcação de bicicletas no chão ou não havendo grande fluxo de bikes onde você circular, provavelmente não dá para você pedalar por lá. Procure um estacionamento de bicicletas perto daí e turiste a pé.

⇒ Não deixe de fazer o passeio de barco pelo canais. Alguns oferecem degustação de queijos e vinhos, oferecem ainda guia contando a história e as curiosidades do lugar.

⇒ Compre seus ingressos com antecedência para evitar filas no Ticketbar, principalmente para a Casa de Anne Frank, Museu de Van Gogh e balada da Paradiso.

⇒ Procure ir para a Holanda em abril, para visitar o parque das tulipas (Keukenhof). Olhe as fotos do link e entenda o motivo.

⇒ Se sobrar tempo, conheça cidades próximas como Zaanse Schans (é o vilarejo dos moinhos) e Marken e Volendam. Com mais dias, estique a viagem para Roterdã e Haia, nessa ordem.

 

IMG_5027

PSICODELIA NO RED LIGHT DISTRICT – AMSTERDÃ

CURIOSIDADES

A capital holandesa tem mais de 1.000 pontes, com mais de 160 canais e 2 milhões de metros cúbicos de água. Diariamente, as águas dos canais são bombeadas e trocadas.

Amsterdã tem  mais de  1.200 cafés..

Holanda é considerada o maior país produtor de tulipas do mundo.

1/10 da cidade  de Amsterdã é constituído por água.

Existem 550.000 bicicletas na cidade. Você vai notar que elas estão por toda parte. Para se ter uma noção da presença absurda das magrelas, há mais bicicletas do que habitantes.

Os queijos mais famosos de Amsterdã são o Edam e o Gouda.

→ Na Holanda,  o consumo de drogas como a maconha e o haxixe não é proibido. Não que seja legalizadoNão é aceito consumo nas ruas, porém é tolerado nos coffee shops.

Você vai encontrar inúmeras vitrines com garotas de programa no Red Light District (Distrito da Luz Vermelha). Embora a intenção do governo local seja tornar isso mais discreto, reduzindo a associação da cidade a essa atividade, há muita resistência encabeçada pelas próprias profissionais, interessadas em manter a fama da região.


img_5066

TAMANCOS NO MERCADO DAS FLORES – AMSTERDÃ, HOLANDA

SEGURO VIAGEM

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

 

 

img_5041

AMSTERDÃ – HOLANDA

IMG_20170128_104317_025.jpg

AMSTERDÃ – HOLANDA

img_5045

HOUSEBOAT E ARQUITETURA – AMSTERDÃ, HOLANDA

img_5049

AMSTERDÃ – HOLANDA

img_5322

NOITE DE AMSTERDÃ – HOLANDA

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

 

5 comentários sobre “AMSTERDÃ

  1. Pingback: MALTA
  2. Pingback: COPENHAGUE
  3. Pingback: SÃO PETERSBURGO
  4. Pingback: CESKY KRUMLOV

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s