CHAPADA DIAMANTINA

O parque nacional da Chapada Diamantina tem uma área em torno de 150 mil hectares e foi criado em 1985. Um dos destinos turísticos imperdíveis da Bahia e um dos melhores do ecoturismo brasileiro! E os motivos para tal são diversos. O parque (que abrange a Serra do Sincorá, Lençóis, Palmeiras, Andaraí e Mucugê) conta com diversas cachoeiras, trilhas, montanhas, natureza exuberante, cavernas e outros muitos atrativos.

Diante do tamanho e diversidade de opções, pode parecer complicado decidir e organizar sua temporada por lá. Preparamos um post detalhado para facilitar suas escolhas e fazer sua viagem acontecer.

DSC05018.JPG

CACHOEIRA DO BURACÃO – IBICOARA, CHAPADA DIAMANTINA

COMO CHEGAR

De avião – Se você não mora ou não está no Estado da Bahia, o aeroporto mais próximo é o de Lençóis (22 km do centro da cidade de Lençóis). A Azul tem voos partindo de Salvador, Belo Horizonte e São Paulo para esse destino. Outra informação sobre o aeroporto é que o mesmo conta com a segunda maior pista da Bahia, tendo possibilidade de receber até mesmo aviões de grande porte. É uma boa opção para deixar sua viagem mais confortável e gastar menos tempo na estrada, mas nem sempre a mais barata.

Outra possibilidade – na maioria das vezes com voos mais em conta – é o aeroporto de Salvador. O aeroporto da capital baiana é bem estruturado e recebe alto número de voos procedentes de diversas localidades por dia (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Recife, Fortaleza têm voos diretos). Sendo assim, passagens não costumam registrar altos valores, exceto quando trata-se de períodos de feriados ou festas como o carnaval.

O tempo de voo partindo de São Paulo é de aproximadamente 2h, Recife 1h (aproximadamente), Porto Alegre 3h (além da espera na conexão; não localizamos voo direto), Brasília pouco mais de 1h30. Isso para você ter uma noção de distância. Para voos, horários e valores atualizados, confira os sites da DECOLAR, LATAM, GOL, AVIANCA, AZUL e TRIPADVISOR.

Chegando a Salvador, a melhor opção é alugar um carro! Isso porque dentro da Chapada Diamantina você terá que percorrer alguns quilômetros para ir de uma atração até outra. Com carro você terá mais liberdade e poderá explorar melhor todas as paisagens do lugar. No próprio aeroporto você terá opções de aluguel de carro, mas já pode avaliar preços e condições desde já e se for o caso, deixar reservado. Indicamos nosso parceiro Rentcars para sua pesquisa.

DSC05177

MIRANTE DO MORRO DO PAI INÁCIO – CHAPADA DIAMANTINA, BAHIA, BRASIL

Sobre o percurso de carro de Salvador até a Chapada,  são cerca de 400 km.  O caminho mais indicado é pela seguinte sequência de estradas: BR 324 até o entroncamento com a BR 116, antes de Feira de Santana; já na BR 116 (direção sul), saia para BR 242 na altura de Argoim; a partir daí, é na BR 242 que você seguirá a maior parte do trecho em pista duplicada, sem maiores dificuldades, passando por Itaberaba e desta cidade quase 150 km até Lençóis, cidade mais famosa da Chapada. Assim: BR 324 (até Feira de Santana) + BR 116 (até o trevo para a cidade de Argoim) + BR 242 (até Lençóis).

Para ir até Andaraí, Mucugê ou Ibicoara (todas na Chapada), o caminho a partir de Salvador é o mesmo até perto de Lençóis. A única diferença é que entre Itaberaba e Lençóis (já na BR 242) deve-se dobrar à esquerda para descer pela BA – 142 pouco antes da entrada para Lençóis.

De ônibus a duração da viagem de Salvador até a Chapada dura, em média, 7 horas, existindo a possibilidade de percorrer o trajeto em horário noturno. Se for uma opção do seu interesse, consulte aqui o site da empresa Real Expresso, nele você consulta valores e horários. Por esse site, você encontra possibilidades saindo também de outras cidades.

mapa_pontos_turisticos[1]

QUANDO IR

Não existe uma época imprópria para conhecer a Chapada Diamantina, mas é bom verificar a respeito de algumas variações importantes ao longo do ano que podem facilitar sua escolha. Qual o melhor mês, vai depender da sua preferência. Nossa indicação, considerando nosso gosto e todos os fatores que vamos compartilhar abaixo, é o mês de maio. Não pudemos ir nessa época – como vão verificar em nossa experiência – mas quando voltarmos, certamente será nossa escolha.

Novembro a janeiro – período das chuvas, principalmente em dezembro e primeira quinzena de janeiro. As trilhas estão com mais lama, mas as cachoeiras com maior volume de água.

Março, Abril, Maio, Junho, Julho, Agosto e Setembro – menor possibilidade de chuva e natureza bem verde (principalmente nos meses de março, abril e maio), considerando que o período de chuva acaba pouco tempo antes. Os dias são mais claros e a luminosidade dos poços é maior.

Obs.: A melhor época para ver o raio de luz no Poço Azul vai de meados de fevereiro a outubro (das 12h30 às 14h); e para o Poço Encantado, a temporada vai de abril a setembro (das 10 às 13h30).

Fevereiro e outubro – são meses de transição entre o período de menor e maior incidência de chuva.

Se quiser verificar a previsão do tempo, deixamos esse link para facilitar sua busca.

DSC05302

PLANTAS ÁQUATICAS NA PRATINHA – CHAPADA

DDD

75

QUANTO TEMPO FICAR

O máximo de tempo possível! A Chapada é enorme e cheia de possibilidades! Ok, você precisa determinar quanto tempo, mas pra isso vai ter que decidir antes quais são os pontos indispensáveis que quer conhecer, considerando o tempo de deslocamento entre os pontos. Leia nosso tópico O QUE CONHECER para facilitar essa difícil tarefa.

Viajar sempre vale a pena, se tiver pouco tempo, também vale arriscar. Mas de uma forma bem geral, acreditamos que com 4 dias completos você conhece as atrações principais. Se puder reservar de 7 a 10 dias na região, vai poder aproveitar bastante, conhecendo os lugares que os nativos indicam, além dos tradicionais mencionados nos blogs.

A Chapada contempla municípios base como Lençóis, Ibicoara, Mucugê e outros. Todos eles oferecem muitas possibilidades nos seus arredores. Pode ser que sua viagem contemple mais do que um município de hospedagem e deslocamentos consideráveis, fora a energia gasta nas trilhas e banhos de cachoeira. É também um bom lugar para descanso e curtir com calma. Tudo depende do seu perfil.

DSC04985.JPG

CÂNIONS PARA A CACHOEIRA DO BURACÃO – CHAPADA

HOSPEDAGEM

Separamos algumas possibilidades de hospedagem nos principais municípios-base para conhecer as atrações. Vale a pena conferir nosso tópico O QUE CONHECER (é só descer a rolagem, logo abaixo, nesse mesmo post) para definir qual ou quais e quanto tempo em cada lugar. O mapinha abaixo também vai te auxiliar a situar-se a respeito da localização dos principais pontos.

Lençóis (indicado para quem prefere melhor infraestrutura e passeios, em sua maioria, mais leves)

  • Hotel de Lençóis (rústico sofisticado; nota 9,2 no Booking);
  • Portal Lençóis (um dos mais tradicionais; à beira do rio; também rústico sofisticado; nota 8 no Booking);
  • Pousada Vila Serrano (também na linha rústica charmosa, a um custo mais acessível que os anteriores; nota 9,1 no Booking);
  • Pousada Bons Lençóis (mais rústico, com quartos arrumados sem sofisticação; boa localização; bom custo-benefício);
  • Pousada Águas Claras (pertinho do centro da cidade com quartos bem simples; boa alternativa para quem deseja economizar);
  • Hospedagem Luanda Dyame (simples e muito econômico; um dos mais baratos do Booking).

Mucugê (a 125 km do aeroporto de Lençóis, no sudeste do parque; recomendado para quem deseja ver as cavernas com lagos e se satisfaz com pousadas simples):

Ibicoara (no extremo sul do parque, a 46 km de Mucugê; indicado para quem deseja conhecer as cachoeiras mais bonitas – para muitos turistas – e gosta de trilhas longas):

  • Pousada Flor de Lótus (foi a que ficamos e indicamos fortemente; atendimento excelente, comida deliciosa e quartos bem agradáveis, perto do centro da cidade e a um curto caminho de carro para as principais cachoeiras da região, tudo isso a preço acessível; nota 9,3 no Booking);
  • Pousada Kabana de Pedra (pertinho da anterior, também com chalés e quartos aconchegantes; tem piscina; nota 9,4 no Booking);
  • Hotel Raio do Sol (baixo custo em uma hospedagem simples a 400m do centro e de baixo custo; nota 8,3 no Booking);
  • Hostel Ibicoara (o albergue mais barato que encontramos na cidade; nota 8,5 no Booking).
mapa_pontos_turisticos2[1]

MAPA COM REFERÊNCIAS À LOCALIZAÇÃO DAS ATRAÇÕES – CHAPADA DIAMANTINA

O QUE CONHECER

Listamos abaixo as atrações mais famosas e uma noção geral de como chegar em cada um desses lugares, mas há inúmeras outras cachoeiras e trilhas pelo parque. Por isso, querendo desbravar mais, consulte alguma agência de turismo ou a recepção do seu hotel na cidade em que você vai ficar. Peça um mapa e leve GPS só por precaução.

Como são muitas opções e possibilidades, separamos de acordo com o município base mais próximo.

Lençóis – um charme de lugar, no norte do parque. A cidade-base mais famosa da Chapada Diamantina (conhecida como o Portal da Chapada), com fortes ares coloniais. Casinhas coloridas, noite animada, gente simpática e a melhor estrutura da região, com hotéis, restaurantes e lojas mais variadas. Perto de lá, as principais atrações são:

  • Morro do Pai Inácio: o cartão-postal da cidade, por tratar-se de um mirante com vista para uma sequência de montes espalhados em um vale (Três Irmãos, Morrão e Monte do Camelo). Fica à margem da BR 242, no caminho entre Lençóis e Palmeiras/Seabra e o cume fica a 1120 metros de altitude, após quase meia hora de subida, em uma trilha considerada leve. Não precisa contratar guia. A entrada custa menos de 15 reais. Leve dinheiro.
DSC05174

MORRO DO PAI INÁCIO – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

  • Pratinha: trecho de rio de águas azul-claro transparente (existe essa cor? Dá uma olhada na foto de capa para ter uma ideia) que fica ainda mais lindo perto da gruta de mesmo nome, por onde é possível mergulhar com acompanhamento técnico. Tudo isso em um complexo de lazer instalado em uma fazenda, com restaurante e várias atrações organizadas (e pagas a parte). Excelente programa para todas as idades. Não precisa contratar guia. Fica na cidadezinha de Iraquara, na BA-480, que é acessada pela BR 242 sentido Lençóis/Pai Inácio – Palmeiras/Seabra. Leve dinheiro (o restaurante aceita cartão). 
DSC05345

PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BAHIA, BRASIL

DSC05270

GRUTA DA PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

  • Cachoeira da Fumaça: considerada a segunda maior queda d’água natural do Brasil, é uma das cachoeiras mais bonitas da Chapada Diamantina, localizada no Vale do Capão. Para chegar lá, é necessário ir de carro com um guia numa estrada de 75 km por dentro do parque (entre Lençóis e Palmeiras). Depois disso, seguir caminhando por uma trilha de aproximadamente duas horas que termina no alto da cachoeira, a uma altitude média de 1000 metros. Para quem prefere uma aventura ainda mais intensa, existe o passeio “Fumaça Por Baixo”, em que todo percurso acima referido é complementado por uma trilha de três dias em que o visitante dorme em barracas/grutas para aproveitar essa atração inteiramente.
  • Cachoeira do Mosquito: bem mais fácil de chegar que a anterior e também muito apreciada pelos turistas pela sua largura e considerável volume de água. Ela fica na Fazenda Santo Antônio. A entrada custa cerca de R$ 15,00 por visitante. Para ir até lá, você deve partir de Lençóis até chegar na BR 242 (sentido Salvador). Nessa estrada você verá uma placa de acesso à Fazenda Santo Antônio. A partir dessa placa são 13 km de estrada de terra até o quiosque/guarita para pagar a entrada. Desse marco, você dirige por mais 6 km até chegar na sede da fazenda (com bom restaurante)  e começar uma trilha tranquila por aproximados 20 minutos até a cachoeira.
  • Gruta Lapa Doce: é a mais famosa da região, com a vantagem de ser relativamente plana e ventilada, com salões largos, altos e cheios de espeleotemas. Fica em Iraquara, perto da Pratinha. O acesso é pela BR 349 (entrada perto do Restaurante Carne Assada), que transforma-se mais à frente na BR 122.
  • Gruta Torrinha: também elogiada em virtude das formações de estalactites, agulhas de gipsita e flores de aragonita. A visita interna é mais difícil que a da gruta anterior, exigindo maior esforço físico. Também fica em Iraquara, perto da Pratinha.

* Além dessas principais, aconselhamos também o Poço do Diabo (cuja trilha começa à beira da BR 242m por trás do restaurante Mucugezinh, que fica entre Lençóis e o Morro do Pai Inácio).

DSC05475

CASAS COLORIDAS NO CENTRO DE LENÇÓIS – CHAPADA DIAMANTINA, BAHIA

Mucugê e Andaraí:

  • Poço Encantado: junto com o Morro do Pai Inácio, é um dos mais simbólicos cartões-postais da Chapada. A beleza dessa gruta com um lago azul espetacular fica ainda maior entre abril e setembro, perto do meio dia, em virtude da entrada de um feixe da luz solar que incide na água em um visual lindíssimo. Apesar da simplicidade do entorno, a estrutura montada para o turista é boa, com capacetes, cordas servindo de corrimão e guias à disposição levando grupos limitados de visitantes. Também considerada de fácil visitação, tendo como único contratempo uma longa escada até a entrada da gruta. Fica às margens da estrada BA-245, que liga Mucugê, Igatú e Andaraí à cidade de Itaeté.
  • Poço Azul: outra lindíssima gruta com água de um azul limpo impressionante. A entrada do raio de sol ocorre de fevereiro a outubro (reserve alguma data dentro desse período – que não seja feriado ou férias escolares).  A grande vantagem desse poço é que você pode mergulhar nele. Como esse diferencial atrai muitos turistas, o ótimo banho no poço é por tempo limitado (cerca de 20 a 30 minutos por grupo). Fica na cidade de Nova Redenção. Para chegar lá a partir de Andaraí ou Igatú, é necessário seguir pela BA-142 e 20 km antes de chegar no cruzamento com a BA-851, dobrar à direita em uma longa estrada de terra.
  • Vale do Pati: mais uma linda região com morros, cachoeiras e grutas, vencedora do prêmio do Ministério do Turismo como melhor roteiro no Brasil em 2010. Os destaques ficam para o Morro do Castelo/Morro da Lapinha e o Cachoeirão, que compete com a Cachoeira da Fumaça como a maior queda d’água da Chapada. Visite-a em época de cheia (vá no fim de janeiro ou fevereiro, quando é possível avistar várias lindas quedas d’água em um mesmo mirante). Para chegar lá, há acesso pelo Vale do Capão (município de Palmeiras), por Andaraí e pelo distrito de Guiné (pertinho de Mucugê). É fundamental o acompanhamento por um guia. A trilha é muito longa, sendo necessário dormir três noites por ela (há pousadas bem simples e arrumadinhas montadas nas casas de nativos. Experiência diferente de todas as demais trilhas.
  • Cemitério Bizantino: bem no final da avenida principal que corta Mucugê (no Km 15 da BA-142), na encosta da Serra do Sincorá,  fica o Cemitério Santa Isabel, com túmulos em alvenaria e caiados, em formato de fachadas de igrejas, com pináculos e arcos (uma mistura de referências à Igreja Católica com construções das áreas banhadas pelo Mar Egeu). Apesar do nome, ele não tem nenhuma influência turca/bizantina comprovada (afinal, o cemitério foi construído na segunda metade do século XIX (cerca de 400 anos após o fim do Império Bizantino). Foi construído em um local mais elevado e afastado do centro da cidade para abrigar os restos mortais de várias pessoas que morreram em uma epidemia de cólera e varíola que atacou a região, sem que isso contaminasse as nascentes e cursos de água da área. As sepulturas em formato incomum (muitas delas de fazendeiros e exploradores de diamantes que abundavam por lá) justificam a rápida visita.
DSC05080

POÇO ENCANTADO – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

Ibicoara:

  • Cachoeira do Buracão: para nós, a mais bonita da Chapada. Isso porque ela fica entre lindos cânions de pedras folhadas e tem altura e volume de água ideais. Para chegar lá, é necessário contratar um guia na cidade de Ibicoara e fazer uma trilha de grau médio (só contraindicada para idosos ou pessoas com problemas nas articulações) de 30 a 40 minutos, pequena parte dela feita a nado para chegar no poço da cachoeira. Se você pretende visitar a região em um feriado concorrido, recomendamos que entre em contato com uma agência de guias locais com antecedência para reservar o seu passeio. Algumas bem avaliadas: Bicho do Mato, Guia João e a Associação dos Condutores de Visitantes de Ibicoara (ACVIB).
  • Cachoeira da Fumacinha: outra impressionante queda d’água entre paredões. Para muitos, é a mais bela da Chapada, com a ressalva de não ter água caindo todos os meses. O guia também é indispensável (faça contato com uma das indicações acima e pergunte se, na época que você vai, terá água caindo da cachoeira), em virtude da trilha de dificuldade elevada – 18 km de caminhada pelo leito do rio. Trata-se de um passeio de dia inteiro e recomendado para quem adora aventuras.
DSC05034

CACHOEIRA DO BURACÃO VISTA DE CIMA – IBICOARA, CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC04959

CACHOEIRA DO BURACÃO VISTA DO POÇO – IBICOARA, CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DESLOCAMENTO DENTRO DA CHAPADA

É praticamente impossível fazer caminhadas entre os pontos turísticos (e contraproducente para quem tem só alguns dias de férias), já que as distâncias são consideráveis. Agora, dentro de cada cidade, o melhor jeito de locomover-se é a pé. Isso porque elas são muito pequenas (inclusive, Lençóis) e suas ruas de pedras e casas rústicas convidam o turista a conhecê-las de perto, embora seja possível e tranquilo conhecê-las de carro.

Dito isso, a melhor opção para o deslocamento entre os pontos turísticos da Chapada Diamantina é o carro, já que as atrações são espalhadas por diferentes cidades nesse imenso parque e o transporte público regular é quase inexistente pelas estradas de terra que você terá que passar.

DSC05181.JPG

BOAS ESTRADAS ENTRE AS PRINCIPAIS CIDADES DA CHAPADA DIAMANTINA – BAHIA, BRASIL

Nosso parceiro que indicamos para aluguel de veículo é o Rentcars (você não paga nada a mais acertando por aqui, e ajuda a gente a conseguir maior divulgação). Você acerta a reserva e busca o carro no ponto indicado no site – normalmente, o aeroporto de Salvador.

Se não for sua escolha, algumas empresas oferecem possibilidades de passeios. Relacionamos abaixo opções para sua consulta:

Chapada Adventure

Desviantes

Extreme Eco Adventure

Adventure Club

DSC05451

A CHARMOSA CIDADE DE LENÇÓIS – CHAPADA DIAMANTINA

CULINÁRIA LOCAL

Na Chapada você vai encontrar de tudo: açaí, pizza, risotos… comida para todos os gostos e bolsos. Mas, pra você que gosta de experimentar comidas locais, a Chapada tem muitas mais opções, a maioria delas preparada em panelas de barro e forno a lenha, com destaque para pescados de rios, carne de sol e galinhas/frangos ensopados. Também não faltam boas sobremesas caseiras (doce de leite, cocada, goiabada).

Separamos mais algumas para você escolher e provar durante sua viagem:

Godó de banana – Como a região foi bastante ocupada por garimpeiros, essa é uma opção que vem por influência deles. O prato leva carne de sol e banana verde.

Coxinha de Jaca – Lendo o nome pode parecer não muito interessante, mas acredite: se você gosta da tradicional coxinha, vai aprovar. Trata-se de uma iguaria que você só encontra na região (principalmente em Ibicoara), feita do broto da fruta verde que é cortado em cubinhos. Desde palmito de jaca, outros pratos também podem ser encontrados na região, tudo muito bom!

DSC05064

LANCHONETE DE COXINHA DE JACA – IBICOARA, CHAPADA

Farofa do Garimpeiro – Na região você encontra essa farofa temperada. Prato bem temperado e bastante saboroso. Um ótimo acompanhamento.

Café – A região é produtora de café de alta qualidade, também conhecido como café gourmet. Você pode comprar para presentear ou já saborear durante sua estadia na Chapada. São diversas opções e marcas. Separamos algumas: Gourmet Piatã, Terroá,  e Rigno.

Cachaça Orgânica – Uma das primeiras cachaçarias a receber o título de cachaça orgânica, vale a pena conferir e degustar. Trata-se de produto artesanal regional, imperdível para os apreciadores que estiverem na região.

Mel – Você encontra à venda e até mesmo no café da manhã opções de mel local. Produto orgânico e de grande qualidade produzido na região.

DSC05239

GRUTA DA PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA

RESTAURANTES

Separamos algumas das mais indicadas opções da região. Boas opções não faltam!

Em Lençóis:

Café do Mato – Cafeteria e Creperia (Rua 10 de Novembro 22, Lençóis, Bahia – Telefone: 75 99229-9895) – Lugar legal para fazer degustação do café regional e ótimo para quem gosta de crepes.

Sabor da Serra (Rua 10 de Novembro, Lençóis, Bahia Telefone: 75 99177-3917) – Ótimo para quem quer provar as delícias regionais. Ótimo atendimento e comida saborosa.

Lampião Culinária Nordestina (Rua da Baderna, Lençóis, Bahia – Telefone 33341157) – Cardápio variado, com opções para vegetarianos.

Portal Lençóis (fica no hotel de mesmo nome, pouco antes de atravessar a ponte que leva ao centro da cidade) – comidas saborosas em pratos sofisticados, com excelentes combinações dos ingredientes locais.

Em Mucugê:

Point da Chapada – restaurante e pizzaria avaliada em segundo lugar pelo Tripadvisor, com boa comida em ambiente intimista e luz baixa. Fica na Praça dos Garimpeiros.

Pizza da Garagem – também muito bem avaliado pelos turistas na região, com a pizza mais aprovada da cidade. Local simples, aconchegante e de ótimo atendimento. Fica na Rua do Caetité, n. 113.

O Matuto – excelentes aperitivos e drinks, com mesas postas na calçada. Fica na praça principal (Coronel Propércio).

* Boas refeições também são feitas no Cascalho Bar & Restaurante (fica na Pousada Refúgio na Serra, na Rua Caitité, n. 40); o Piriquita Café (na Rua João Paraguassu); a churrascaria Sabor de Picanha (fica na Praça 15 de Novembro, n. 66); a hamburgueria Sertãozinho (fica na Rua Direita do Comércio, n. 88), entre outras.

Em Ibicoara:

Flor de Lótus (dentro da pousada de mesmo nome) – variadas opções de comida caseira bem temperadas. A gente fez quase todas as nossas refeições nela.

Cheiro Verde – self service e bons coqueteis em um ambiente simples e elogiado. Fica na rua que dá acesso à praça da prefeitura e da igreja da cidade.

DSC05481

MORRO DO PAI INÁCIO VISTO DA ESTRADA – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

COMPRAS

Para quem gosta de comprinhas de produtos locais, a região está repleta de opções pros mais diversos gostos:Joias, bordados, louças, mobílias e peças em madeira e barro. Além disso, cachaça orgânica artesanal, mel orgânico, cafés gourmet, produtos derivados de plantas da região para cuidados com a pele e outros. Separamos algumas opções:

  • Sabonetes e produtos para pele: A Natursense produz, com garantia de 100 % natural e vegetal, sabonetes e outros produtos para cuidados pessoais. Se quiser saber mais a respeito e onde comprar, deixamos aqui o link para sua consulta.
  • Cachaça Serra das Almas – Rio de Contas:  Uma das primeiras cachaçarias a receber o título de cachaça orgânica, vale a pena conferir e degustar. Trata-se de produto artesanal regional, imperdível para os apreciadores que estiverem na região. Para saber mais, acesse o link aqui disponibilizado.
  • Mel Flor Nativa –  Mel orgânico de alta qualidade e produzido na região. Através deste link você encontra tudo que precisa a respeito.
  • Café – A região é produtora de café de alta qualidade, também conhecido como café gourmet. Você pode comprar para presentear ou já saborear durante sua estadia na Chapada. São diversas opções e marcas. Separamos algumas:Gourmet Piatã, Terroá,  e Rigno.

Já sabe dos produtos, agora vamos deixar algumas opções de lojas e estabelecimentos para suas compras:

Feira de Artes e Rua da Baderna, em Lençóis. Destaque para esculturas, pinturas, bordados, peças em barro e madeira, fotos e livros.

Toca do Morcego – Fica às margens do Rio Paraguaçu, com mirante com vista para o Poço da Donana. Nessa loja você encontra de tudo um pouco da região, desde camisas, artesanatos até joias de produção local. Endereço: Andaraí – BA, 46830-000

Ourives da Chapada – Uma associação de pessoas que lapidam pedras preciosas e transformam em brincos, colares e pulseiras as joias extraídas da região. Tudo com base na história e costumes regionais. Acesse o site para ver a lista dos “ateliês” associados através deste link. Só têm gênios e artistas de primeira linha, cobrando preços acessíveis pelas obras.

DSC05056

PEDRA DO PRECIPÍCIO – IBICOARA, CHAPADA DIAMANTINA

VIDA NOTURNA

Para curtir a noite, o lugar mais agitado (disparado) é Lençóis. Muita gente na rua, muitos bares e restaurantes (principalmente, na Rua da Baderna e no Mercado Cultural). Se você é apreciador de cachaça, os bares oferecem muitas opções locais. Provavelmente você estará bastante cansado depois de um dia de trilhas, cachoeiras e cavernas, mas mesmo assim, é uma boa pedida circular no fim de tarde e anoitecer de Lençóis.

Além do Festival de Inverno de Lençóis, também costumam acontecer alguns festivais culturais no Vale do Capão. Todo ano a região recebe shows e oficinas de reggae, jazz e blues. Confira nos links destacados as datas previstas ou então acompanhe as novidades no Jornal da Chapada ou no portal da Prefeitura de Lençóis.

Embora Mucugê não tenha a estrutura de Lençóis, oferece boas distrações nos bares, cafeterias e restaurantes ao redor da praça principal (Coronel Propércio) e na Rua Caitité. Ibicoara já é uma cidade mais pacata, com poucas alternativas animadas na praça da matriz e na rua que dá acesso a ela.

DSC05483.JPG

CHAPADA DIAMANTINA – BRASIL

NOSSA EXPERIÊNCIA

Essa viagem foi realmente uma aventura! Fomos no carnaval (fevereiro) de 2017. Saímos de carro de Brasília (aproximadamente 12 horas de viagem pela BR-020, BR-242 e BA-142), fazendo paradas em Alvorada do Norte, Luiz Eduardo Magalhães e Seabra. Dormimos 2 noites em Ibicoara e 2 noites em Seabra, começando a ver as atrações do sul e subindo o parque.

Nessa viagem, tivemos a companhia do pai e da mãe do Rafael, o que nos ajuda a melhor dizer sobre o nível de dificuldade das trilhas e escadas quando consideramos o acesso às grutas.

Embora não tenhamos visto os raios de luz no Poço Azul e no Poço Encantado (melhor época é entre abril e setembro), o período escolhido não decepcionou. Pegamos dias de sol, nada de lama e cachoeiras com bom nível de água. Tudo verdinho.

DSC04970

NÓS NA CACHOEIRA DO BURACÃO – CHAPADA DIAMANTINA

Nossa permanência foi bem menor do que a que gostaríamos, mas conseguimos aproveitar bastante em 3 dias completos na região. Nosso roteiro foi o seguinte:

Dia 1: Cachoeira do Buracão. Parada para coxinha de jaca. Fotos na Pedra do Precipício (que fica no caminho entre o centro de Ibicoara e a trilha da Cachoeira do Buracão) e uma caminhada pela cidade de Ibicoara.

Dia 2: Poço Encantado, Poço Azul, Cemitério Bizantino, almoço e caminhada pelo centro de Lençóis e por do sol no Morro do Pai Inácio.

Dia 3: Pratinha e Gruta Azul.

DSC05128.JPG

POÇO ENCANTADO – CHAPADA DIAMANTINA

Sobre os lugares que mais gostamos, sem dúvidas, os pontos fortes foram a Cachoeira do Buracão e a Pratinha. As cores do Poço Azul e Encantado também chamaram muita atenção.

Se tiver um dia a mais, aconselhamos a visita à Cachoeira do Mosquito e ao Poço do Diabo (perto de Lençóis) ou à Cachoeira da Fumacinha (perto de Ibicoara). Com três dias a mais, dedique-os para fazer a trilha pela Cachoeira da Fumaça (no Vale do Capão) OU pelo Vale do Pati.

Na culinária, o maior destaque foi a inusitada coxinha de jaca! Falamos dela em culinária local. Não deixe de provar! Outro destaque foi a comida deliciosa na excelente pousada Flor de Lótus, em Ibicoara.

Adoramos a região pela singularidade das paisagens naturais e pelo charme e rusticidade das ruas de Lençóis, que fica na categoria daqueles lugares que você tem vontade de passar o resto da vida em paz e aproveitando o que a natureza ao redor tem a oferecer.

Um dos locais mais bacanas para visitar no Brasil, junto com Fernando de Noronha, Lençóis Maranhenses, Bonito, Foz do Iguaçu e Gramado (para citar só 5 nessa lista interminável que o Brasil proporciona).

DSC05353

PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DICAS

⇒ É bom levar dinheiro em espécie (há agências e caixas do Banco do Brasil, da Caixa Econômica, bancos postais e, em menor quantidade, do Bradesco, nas principais cidades da região), alguns lugares aceitam cheques também.

⇒ Procure sempre abastecer o carro nas cidades maiores pelas quais passar (Seabra, Lençóis, Andaraí, Mucugê ou Ibicoara). Há muitas atrações espalhadas por longas estradas de terra sem nenhum posto de gasolina por perto.

DSC05165.JPG

MORRO DO PAI INÁCIO – CHAPADA DIAMANTINA, BAHIA, BRASIL

⇒ Informe-se sobre o nível de dificuldade e condições atuais de cada trilha e de cada cachoeira. Se não tiver muita confiança no seu preparo físico, procure uma agência de turismo ou associação de guias para te conduzir. Seguem os contatoss de algumas associações confiáveis:

  • Lençóis: (75) 3334-1425
  • Vale do Capão: (75) 3344-1087
  • Mucugê: (75) 3338-2414
  • Ibicoara: (77) 3413-2468

⇒ Leve calçados confortáveis (de preferência, os fechados impermeáveis). A Chapada é, a grosso modo, uma região de trilhas e banhos.

⇒ Para todos os caminhos que fizer, vá com uma mochila leve que contenha muita água, protetor solar, repelente e alguma comida energética (barra de cereais e frutas).

⇒ Confira a previsão do tempo poucos dias antes de viajar para lá e separe o dia de céu limpo para assistir ao por do sol no alto do Morro do Pai Inácio. Leve o celular ou máquina carregada porque você vai tirar muitas fotos desse lugar incrível. Se puder, leve uma GoPro para os banhos de cachoeira, principalmente a do Buracão.

 

DSC04945

CACHOEIRA DO BURACÃO – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

CURIOSIDADES

 

→ Reza a lenda que o Morro do Pai Inácio recebeu esse nome em homenagem a um escravo que, apaixonado pela filha de um rico fazendeiro da região, fugiu com medo de represálias para o alto do monte e para evitar ser pego na caçada pulou do cume com um guarda-chuva aberto, não sendo mais localizado.

→ Trata-se de um escudo cristalino formado no período Pré-Cambriano, como prolongamento da Serra do Espinhaço.

→ É na região da Chapada Diamantina que ficam os picos mais elevados do Nordeste brasileiro, notadamente o Pico do Barbado, com cerca de 2030 metros de altitude.

→ Apesar de Lençóis ser a cidade mais famosa e tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico, Artístico e Natural), não é a mais populosa da região. De acordo com o IBGE, as três cidades com as maiores populações são: Seabra, Morro do Chapéu e Iraquara.

→ O parque nacional foi criado em 16 de setembro de 1985, com área de 152 mil hectares.

→ Como já mencionamos acima, em 2010, o Ministério do Turismo considerou o Vale do Pati o melhor roteiro de aventura ecológica no Brasil, sendo umas das poucas áreas da Chapada com Mata Atlântica (especificamente na área do Calixto).

 

DSC05431
RUAS DE CASAS COLORIDAS EM LENÇÓIS – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL
DSC05488.JPG

CHAPADA DIAMANTINA, BAHIA, BRASIL

DSC05422

GRUTA AZUL, DENTRO DO COMPLEXO DA PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05366

PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05176.JPG

NO ALTO DO MORRO DO PAI INÁCIO – CHAPADA DIAMANTINA, BAHIA, BRASIL

DSC05341

PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05308

PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05244

GRUTA DA PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05137

IGREJA NO CENTRO DE LENÇÓIS – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05132

ESTRADA DE TERRA PARA O POÇO ENCANTADO – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05119

POÇO ENCANTADO EM FEVEREIRO – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC04942

CÂNIONS ATÉ A CACHOEIRA DO BURACÃO – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05165.JPG

MORRO DO PAI INÁCIO – CHAPADA DIAMANTINA, BAHIA, BRASIL

DSC04920

TRILHA PARA A CACHOEIRA DO BURACÃO – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC04907

TRILHA PARA A CACHOEIRA DO BURACÃO – CHAPADA DIAMANTINA, BRASIL

DSC05215.JPG

PRATINHA – CHAPADA DIAMANTINA, BAHIA, BRASIL

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

7 comentários sobre “CHAPADA DIAMANTINA

  1. Pingback: SALVADOR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s