BUDAPESTE

Considerada por diversas fontes especializadas como uma das 10 cidades mais bonitas do mundo, a capital da Hungria deixou de ser encarada como uma mera parada em uma trip pela Europa Central e uma simples coadjuvante de Praga e Viena.

Budapeste vem ganhando merecido destaque e enche os olhos de qualquer turista que caminha por suas ruas, pontes, parques, igrejas, monumentos e, principalmente, encanta aqueles que passeiam pelo Rio Danúbio durante a noite. Afinal, estamos falando de uma das cidades que ficam mais lindas iluminadas da Europa.

Descrevemos abaixo as informações e dicas sobre essa capital, dividida em duas partes, com uma das linhas de metrô mais antigas do mundo, palco de uma rica história e de uma beleza arquitetônica absurda, além de um povo que adora tradições (como os banhos termais) e novidades (como noitadas nos “ruin pubs”), cada vez mais aberto ao turismo.

Continue lendo e confira como chegar, quando ir, onde e quanto tempo ficar, o que conhecer, como se deslocar, bons restaurantes e dicas de atrações na vida noturna na principal cidade húngara e um dos destinos mais bonitos do Leste Europeu.

IMG_1344.JPG

BASTIÃO DOS PESCADORES – BUDAPESTE, HUNGRIA

COMO CHEGAR

Avião – não há voos diretos a partir do Brasil. Há voos frequentes que pousam no aeroporto internacional de Budapeste vindos de grandes cidades hubs como Lisboa, Paris, Londres, Frankfurt, Barcelona, Praga, Roma, Viena, Genebra, Amsterdã, Moscou, entre outros. Portanto, considere fazer uma ou mais conexões até chegar lá.

Algumas companhias aéreas que operam no aeroporto de Budapeste: Wizz, easyJet, TAP, Lufthansa, RyanAir, Transavia, Czech Airlines, Alitalia, KLM, Aeroflot, Vueling, Austrian Airlines.

Trem – Transporte mais rápido e confortável para chegar em várias cidades europeias, inclusive Budapeste. Ótima opção para quem não deseja dirigir, quer chegar rápido, mas não encontra passagens aéreas baratas.

Faça a simulação da data que deseja ir para Budapeste a partir de várias cidades importantes da Europa pelo site da Rail Europe. A capital mais próxima de Budapeste é Bratislava (2h40 de trem), já a mais distante entre as populares é Praga (6h40 de trem).

O terminal ferroviário internacional principal de Budapeste é o Keleti Pályaudvar (colada a uma estação de metrô de mesmo nome e perto de 2 shoppings e do famoso café New York Káveház), mas também há trens que chegam no Kelenföld Pályaudvar (bem servida de bondes elétricos por perto e a menos de 1 km de caminhada para a estação de metrô Bikás Park).

IMG_1356.JPG

IGREJA DE SÃO MATIAS – BUDAPESTE, HUNGRIA

Ônibus – Forma tradicionalmente mais barata, porém certamente a mais demorada e cansativa para chegar em Budapeste a partir de capitais ou grandes cidades vizinhas.

Encontre a melhor empresa de ônibus para o seu horário e condição financeira (Student Agency, Orangeways, Flixbus, Arda Tur, Korona Travel, entre outras) nos sites Bus Radar, Busbud ou CheckMyBus.

Tenha em conta que os terminais rodoviários de Budapeste mais comuns nas chegadas internacionais são o Nyugati (servido de uma estação de metrô em seu complexo  – linha M3, azul -, McDonald’s, restaurantes e hotéis por perto, além do Parlamento ficar a apenas pouco mais de 1 km de caminhada) e o Népliget (servido de uma estação de metrô de mesmo nome – linha M3, azul – e perto de um parque, de uma McDonald’s e de um estádio).

Carro – boa alternativa, sobretudo, para quem sai de Bratislava, Viena, Zagreb, Cracóvia ou Praga (nessa ordem). Tenha fácil o Google Maps, Waze e/ou GPS, para saber as condições atualizadas das vias. Adiantamos que as melhores estradas para esses deslocamentos costumam ser:

  • A partir de Bratislava (Eslováquia): E75 + M15 + E60 + M1 (cerca de 200km);
  • A partir de Viena (Áustria): A4 + E60 + M1 (245 km, aproximadamente);
  • A partir de Zagreb (Croácia): E65 + E71 + M7 (cerca de 350 km);
  • A partir de Cracóvia (Polônia): E77 (aproximadamente 400 km);
  • A partir de Praga (República Tcheca): E50 + E65 + E75 + E60 +M1 (cerca de 530 km);
IMG_1291.JPG

PONTE DAS CORRENTES VISTA DA PRAÇA ADAM CLARK – BUDAPESTE, HUNGRIA

QUANDO IR

Budapeste tem grande variação térmica durante o ano. No inverno, as temperaturas podem chegar a ficar negativas e no verão os termômetros passam de 25º. Se quiser conferir a tabela de chuva e variação de temperatura completa, clique aqui.

Junho, julho e agosto são os meses mais quentes; dezembro, janeiro e fevereiro, os mais frios.

Março, fevereiro, janeiro, outubro e setembro são, respectivamente, os meses menos chuvosos. Por sua vez, os meses estatisticamente mais chuvosos são junho, maio, novembro, julho e agosto, nessa ordem.

Assim, os meses mais indicados são: março (o mês mais seco, mas ainda frio – neste mês acontece o Festival da Primavera, que recebe o título de maior evento cultural da Hungria), setembro e outubro (temperaturas mais agradáveis).

IMG_1322

BASTIÃO DOS PESCADORES E CATEDRAL DE SÃO MATIAS – BUDAPESTE

VISTO

Não é necessário. O que importa é que você tenha o passaporte válido por 6 meses a contar da data de saída da Hungria. A permanência máxima para pessoas com visto de turista é de 90 dias.

FUSO HORÁRIO

GMT+1. Isso significa que são quatro horas a frente do horário oficial brasileiro (desconsiderando o horário de verão). Assim, quando no Brasil são 9h, em Budapeste são 13h.

IMG_1375.JPG

IGREJA DE SÃO MATIAS – BUDAPESTE, HUNGRIA

MOEDA

Florim húngaro (Forint). Para ter uma estimativa do câmbio, confira a conversão monetária do Banco Central do Brasil neste link.

Recomendamos que já troque um pouco (de 15 a 20 euros por pessoa) antes de sair do país de origem ou logo no aeroporto de Budapeste, para chegar com dinheiro húngaro para emergências.

Chegando em Budapeste, os melhores locais para realizar o câmbio são nas imediações da avenida Andrassy, da estação de metrô Deák Ferenc tér (linhas M1/amarela, M2/vermelha e M3/azul – pertinho do shopping Fashion Street e do Hard Rock Café), da Basílica de Santo Estevão, da estação de metrô Ferenciek Tere (linha M3/azul), todas elas na parte leste do Rio Danúbio (Peste).

Há menos casas de câmbio e bancos na parte oeste do Rio Danúbio (Buda). De qualquer forma, a maior parte deles fica ao longo da avenida Bartók Béla (pertinho da estação de metrô Moricz Zsigmond körtér – linha M4/verde).

OBS: Dentro dos mencionados terminais de trem (Keleti Pályaudvar e Kelenföld Pályaudvar) e de ônibus (Nyugati e Népliget) não costuma haver casas de câmbio. Caso você chegue dessa forma, dirija-se a alguma galeria ou estação de metrô próxima onde há lojas de conveniência e faça sua troca lá.

IMG_1424.JPG

PONTE DAS CORRENTES (SZCHÉNYI HÍD) – BUDAPESTE, HUNGRIA

IDIOMA

Húngaro. Trata-se de uma das línguas mais difíceis de se falar e de compreender. A notícia boa é que hotéis, restaurantes e pontos turísticos têm funcionários que entendem e se comunicam satisfatoriamente em inglês.

Tenha fácil um Google Tradutor ou algum aplicativo que facilite a tradução por som e escrita (tais como: Lexifone, S Tradutor, Jibbigo, Verbalizeit). Isso sempre ajuda demais.

QUANTO TEMPO FICAR

Em 2 a 3 dias completos, você consegue passar pelos pontos turísticos mais famosos da cidade – tendo que escolher em quais dos poucos visitará – e ainda tem a chance de conhecer a noite iluminada de Budapeste (seja caminhando ou passeando de barco pelo Rio Danúbio).

Agora, procure reservar de 4 a 7 dias inteiros por lá. Com esse tempo, você vai às atrações principais, conhece parques e praças que os locais adoram frequentar e tem tempo para mais restaurantes e museus, com mais calma para apreciar.

IMG_1142.JPG

RUA ZRÝNYI – BUDAPESTE, HUNGRIA

COMO SAIR DO AEROPORTO

Através de ônibus de linha, ônibus executivo, táxi ou carro alugado.

O ônibus da linha 200E é a forma mais barata de sair do aeroporto. Ele conecta o terminal 1 e 2 do aeroporto até a estação de metrô Kobanya-Kispest (da linha azul, M3), que é a última parada desse ônibus. Funciona entre 4 horas da manhã até as 23h. Essa integração (ônibus + metrô) custa menos de 3 euros e pode ser paga no guichê de informações turísticas no aeroporto ou em máquinas perto de onde o ônibus sai. Procure saber qual é a linha de metrô que passa mais perto do seu hotel antes de viajar consultando o Google Maps ou esse link ou mesmo perguntando no quiosque de informações turísticas do aeroporto. É uma maneira bem fácil e tranquila, gastando quase nada.

Caso queira ter um pouco mais de conforto e ainda de uma forma também econômica, o ônibus executivo (Airport Shuttle-Minibus) é uma boa alternativa para fazer esse traslado. Você pode comprar sua passagem com antecedência pela internet nesse site oficial ou baixando o aplicativo do miniBUD, e o pagamento pode ser feito por cartão de crédito ou em dinheiro (forint ou euro). O custo varia a depender da região em que você está da cidade (a tarifa mínima custa quase 10 euros e, perto do Rio Danúbio, o valor total é cerca de 20 euros).

IMG_1412

PONTE DAS CORRENTES E PARLAMENTO – BUDAPESTE, HUNGRIA

Apesar de serem só 18 km entre o aeroporto e o centro, a corrida de táxi é mais cara que as opções anteriores. Recomendamos essa modalidade caso você esteja apressado, tenha chegada cansado no final da noite ou tenha dinheiro sobrando.

Outra alternativa é alugar um carro. A gente adianta que é desnecessário e dispensável em Budapeste. A cidade é bem servida de metrô e bondes elétricos, os estacionamentos perto da atrações principais são concorridos e pagos e a sinalização é em um idioma bem complicado. De qualquer forma, caso você queira trafegar em carro alugado, recomendamos que deixe tudo acertado com antecedência através da Rentcars.

HOSPEDAGEM

A melhor região para ficar na capital é em Peste (margem leste do Rio Danúbio), principalmente perto do rio, na região vizinha à estação de metrô Deák Ferenc Tér. É perto dessa área que ficam os pontos turísticos principais da cidade e onde fica a maior concentração de restaurantes e a animação noturna.

IMG_2547

BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃO E RUA ZRÝNYI – BUDAPESTE, HUNGRIA

Outra boa região (embora não tão animada quanto a anterior) é em Buda, entre o Castelo e o Bastião dos Pescadores. A seguir listamos algumas opções de hotéis/pousadas/albergues bem avaliados:

Mais sofisticados:

  • Kempinski Hotel Corvinus Budapest (5 estrelas, perto de estação de metrô, da Basílica de Santo Estevão, da Avenida Andrassy e do Hard Rock Cafe; nota 9,1 no Booking);
  • InterContinental Budapest (5 estrelas, perto das cidades atrações e com vista privilegiada para o Rio Danúbio, a Ponte das Correntes e para o Castelo de Buda; nota 8,9 no Booking);
  • Hotel Zenit Budapest Palace (4 estrelas, perto do local de onde saem os passeios de barco – Promenade; nota 9 no Booking);
  • Hilton Budapest (5 estrelas, pertinho do Bastião dos Pescadores e da Catedral de São Mathias, com vista para o Parlamento; fica na região de Buda, margem oeste do rio; nota 8,8 no Booking).

Bons custo-benefício:

  • Andrassy Thai Hotel (hotel tradicional, 3 estrelas, localizado na famosa e central Avenida Andrassy, com decoração tailandesa; nota 7,9 no Booking);
  • Promenade Apartment (apartamento mobiliado a 650 metros da Ponte das Correntes e da Basílica de Santo Estevão e a 600 metros do centro de transportes Deák Ferenc Tér; nota 9,2 no Booking);
  • 4 Seasons Apartment (apartamento mobiliado – alguns acomodam 4 pessoas – entre a Basílica de Santo Estevão e a Ponte das Correntes; nota 9,7 no Booking; é possível acertar o transfer do aeroporto);
  • Ékszerdoboz A Budai Vár Alatt (no mesmo estilo dos anteriores, só que localizado em Buda, entre o Bastião dos Pescadores e o Castelo de Buda; nota 9,6 no Booking).
IMG_20160821_211620871.jpg

PARLAMENTO VISTO DO RIO DANÚBIO – BUDAPESTE, HUNGRIA

Mais econômicos:

  • Gold Apartmant (fica entre o Parlamento e a Basílica de Santo Estevão; nota 8,7 no Booking);
  • Opera Hostel Budapest (albergue a uma curta caminhada da Basílica de Santo Estevão e das demais atrações do centro; nota 7,4 no Booking);
  • Avenue Hostel (albergue perto do anterior e de estação de metrô; nota 8,7 no Booking);
  • Westend Hostel (a poucos metros de estação de metrô Lehel tér e da estação de trem Nyugati, e relativamente perto da Ilha Margarida e do Parlamento; o mais barato dessa lista; nota 6,9 no Booking).

Para mais alternativas, acesse o Booking, Trivago ou Tripadvisor. Caso queira alugar um quarto, uma casa ou um apartamento por uma temporada acertando os detalhes diretamente com o proprietário, consulte o Airbnb.

IMG_1118

BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃO – BUDAPESTE, HUNGRIA

O QUE CONHECER

Parlamento – para nós, o monumento mais bonito da Europa depois da Torre Eiffel. Um edifício ricamente decorado com o domo vermelho/grená e um pináculo, é limitado de um lado pelo Rio Danúbio e, de outro, por uma bela praça (Kossuth Lajos), com estátuas, jardins, o belo Museu Etnográfico e o Ministério da Agricultura.

É a sede da Assembleia Nacional húngara, onde são editadas as leis. É um dos edifícios legislativos mais antigos da Europa e o segundo maior parlamento europeu. É lá que fica a coroa do primeiro rei húngaro.

IMG_1221.JPG

PARLAMENTO VISTO DA PRAÇA KOSSUTH LAJOS TÉR – BUDAPESTE, HUNGRIA

Visite esse local de dia e de noite. Tire fotos caminhando por perto e não deixe de passear de barco para vê-lo a partir do Danúbio. Parada imperdível em Budapeste. Para informações sobre a elogiada visita guiada (preços e horários de funcionamento atualizados, além de regras de vestimenta), clique nos links destacados.

Aproveite que está perto e caminhe em direção à Ponte das Correntes, margeando o Rio Danúbio. No caminho, você verá o memorial “Cipok a Duna-parton“/Shoes on the Danube, que consiste em pares de sapatos (infantis, masculinos e femininos) feitos em ferro e homenageiam os judeus mortos durante a II Guerra Mundial, que eram obrigados a tirar suas roupas e sapatos antes de serem fuzilados e terem seus corpos levados pelo rio.

Metrô mais próximo: Kossuth Lajos Tér (linha M2/vermelha). Bondes elétricos que passam perto: 2 e D11. Ônibus com paradas próximas: 15, 115, 70 e 78.

IMG_1210

MUSEU ETNOGRÁFICO (NÉPRAJZI MUSEUM) – BUDAPESTE, HUNGRIA

Ponte das Correntes (Széchenyi Lánchíd) – é a ponte mais famosa da cidade, inaugurada em novembro de 1849 (época em que foi considerada uma das maravilhas do mundo). Têm dois portais em sua extensão e leões em suas pontas. Liga Buda e Peste, sendo delimitada por duas belas praças (a Széchenyi István, no lado de Peste) e a praça do Km 0 (no lado de Buda, onde fica o funicular, que leva até a parte alta, já perto do Castelo).

Também vale muito a pena vê-la de dia e à noite.

Metrôs mais próximos: estação Deák Ferenc Tér (linhas M1/amarela, M2/vermelha, M3/azul) ou estação Vörösmarty Tér (linha M1/amarela). Bondes elétricos que passam perto: 2 e 2* (paradas Széchenyi István tér ou Eötvös tér). Ônibus que param perto: 15, 16, 105, 115, 916, 990 (parada Széchenyi István tér).

IMG_20160821_174727492_HDR

PONTE DAS CORRENTES E O CASTELO DE BUDA – BUDAPESTE, HUNGRIA

Castelo de Buda – é a sede do antigo Palácio Real, onde viviam os reis húngaros. Belíssimo complexo de edifícios medievais, barrocos e clássicos, com museus (é lá que fica a impressionante Galeria Nacional), biblioteca e jardins em sua extensão. Tombado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade desde 1987. É a partir dos terraços desse castelo voltados para o rio – acesso gratuito durante o ano todo – que se tem uma das melhores vistas da cidade (vá de dia e, principalmente, à noite), de onde é possível tem uma noção do alinhamento e harmonia paisagística entre a Ponte das Correntes e a Basílica de Santo Estevão.

Por toda a sua riqueza histórica e estética, justifica a visita guiada, que pode ser combinada com outras atrações em ótimos tours. Confira os horários de funcionamento aos salões reais e aos museus com exposições permanentes e temporárias, além dos preços atualizados desses pacotes nos links destacados.

Metrôs úteis (devem ser combinados com uma caminhada razoável, de 15 a 20 minutos): estação Deák Ferenc Tér (linhas M1/amarela, M2/vermelha, M3/azul) ou estação Vörösmarty Tér (linha M1/amarela) – ambos ainda no lado de Peste; ou as estações Batthyány tér Széll Kálmán tér (ambas da linha M2/vermelha), já no lado de Buda. Bondes elétricos que passam perto: linhas 19, 19*, 41 (parada Clark Ádám tér) ou 56, 56A, 56A* (parada Krisztina tér ou parada Dózsa György tér). Ônibus que passam perto: linhas 16, 916 (parada Palota út, gyorslift; ambas as citadas linhas podem ser acessadas nos arredores da estação de metrô Széll Kálmán tér), linha 105 ou 990 (parada Clark Ádám tér).

IMG_1441.JPG

CASTELO DE BUDA – BUDAPESTE, HUNGRIA

Bastião dos Pescadores (Halászbástya) – outro lindíssimo monumento na colina de Buda, bem perto do Castelo. Trata-se de um terraço em pedra branca, no estilo neogótico, com sete pequenas torres em forma de cone que representam as sete tribos magyares que fundaram o país, no final do século IX. A alusão aos pescadores deve-se ao fato de esse trecho da colina ter sido protegido por uma associação de pescadores contra invasores durante a Idade Média. Foi destruído na II Guerra Mundial e reconstruído seguindo o projeto do filho do arquiteto do monumento original.

Boa parte desse monumento é gratuito, mas o acesso a alguns terraços e torres é pago. Vale a pena, por ser barato (menos de 4 euros por pessoa) e por render ótimas vistas para o Parlamento. Confira os horários de funcionamento e os preços atualizados nos links destacados.

Metrô mais próximo: estação Batthyány tér (linha M2/vermelha). Bondes elétricos: linhas 19, 19* e 41 (parada Halász utca). Ônibus que param perto: linhas 16 e 916 (parada Donáti utca), linhas 16, 16A, 116, 916 (parada Szentháromság tér).

IMG_1321

BASTIÃO DOS PESCADORES – BUDAPESTE, HUNGRIA

Igreja de São Matias (Mátyás Templom) – lindo templo religioso neogótico com telhado cônico colorido (com as cores da bandeira húngara) por fora, e murais e artefatos medievais em seu interior. Foi lá que Francisco José e Sissi foram coroados rei e rainha do império áustro-húngaro. Fica colado ao Bastião dos Pescadores, em uma praça que ainda conta com uma estátua do primeiro rei da Hungria, István I.

Outro lugar que compensa pagar para entrar. Veja os preços atualizados nesse link.

Metrô, bonde e ônibus que param perto são os mesmos que dão acesso ao Bastião dos Pescadores, mencionados logo acima.

IMG_1342

IGREJA DE SÃO MATIAS – BUDAPESTE, HUNGRIA

Praça dos Heróis (Hõsök tere) – uma das mais importantes praças da capital húngara, localizada na extremidade norte da Avenida Andrássy, e parte do conjunto tombado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, porta de entrada para o lindo parque da cidade “Városliget” com várias atrações (Castelo de Vajdahunyad, cafeterias, lagos com pedalinhos, rinque de patinação no gelo e banhos termais).

IMG_2378

CASTELO VAJDAHUNYAD NO PARQUE VÁROSLIGET

A praça possui em si diversas estátuas ao redor obelisco que representam o arcanjo Gabriel e as sete tribos que fundaram a Hungria em 896, além de outras personalidades importantes da história do país espalhadas nas colunas por trás do obelisco. Acesso gratuito.

Fica entre dois belos edifícios (repare quantas vezes a gente falou em prédios bonitos de Budapeste): o Museu de Belas Artes e o Palácio da Arte.

Metrô mais perto: Hõsök Tere (linha M1/amarela). Ônibus com paradas próximas: 30, 30A, 75, 79, 230, 979 (parada Benczúr utca).

Termas de Széchenyi – uma das maiores tradições do país são os banhos termais, e é no parque por trás da Praça dos Heróis que ficam as mais bonitas e concorridas termas húngaras. A água é quentinha e bonita (cor de piscina), alguns jatos tem efeito de massagem e fisioterapia, em uma região ornamentada e bem cuidada, com um belo edifício amarelo por perto. É um programa para todas as idades, desde grupos de amigos e casais até idosos jogando xadrez e outros jogos de tabuleiro.

Não deixe de aproveitar algumas poucas horas de seu tempo na cidade para conhecer um dos maiores hobbies dos habitantes locais. Para se ter uma ideia do quanto eles gostam, há uma estação de metrô específica naquela área, dando acesso direto a essas termas. Super recomendado.

IMG_1062

MUSEU DAS ARTES (MÜCSARNOK) – BUDAPESTE, HUNGRIA

Confira os preços atualizados neste link. Os horários de funcionamento você localiza na página principal, bastando clicar no título dessa atração ou aqui.

Metrô mais perto: Széchenyi fürdõ (linha M1/amarela). Ônibus que param perto: linhas 72, 72* (parada Állatkert) ou quaisquer ônibus que pare na Praça dos Heróis, mencionados acima.

Avenida Andrássy – é o boulevard mais famoso de Budapeste, com diversas lojas de grife em sua extensão (Gucci, Louis Vuitton, Burbery, etc), além de edifícios de lindas fachadas neoclássicas (entre eles, a sede da Ópera húngara), repartições públicas e diplomáticas e restaurantes renomados, além de museus (destaque para a Casa Memorial Fran Liszt, a Casa/Museu do Terror, o Museu de Arte Ferenc Hopp e o Teatro de Marionetes). Liga a Praça dos Heróis à Praça Isabel (Erszebét tér), pertinho da Basílica de Santo Estevão.

Metrô mais perto:  estações Bajcsy Zsilinszky út, Opera, Oktogon, Vörösmarty utca, Kodály körönd, Bajza utca ou Hõsök Tere (todas servidas pela linha M1/amarela, a primeira perto da Basílica e do Rio Danúbio e a última perto da Praça dos Heróis, na parte norte da avenida).

IMG_1480.JPG

PARLAMENTO – BUDAPESTE, HUNGRIA

 

Basílica de Santo Estevão – é a maior igreja da Hungria, dedicada ao primeiro rei do país e fundador da igreja católica por lá, Estevão I (seus restos mortais mumificados estão dentro da basílica). Esse templo majestoso tem capacidade para 8500 pessoas, lindos arcos detalhados em seu interior, com mosaicos e vitrais impressionantes, além de uma cúpula escura entre duas torres simétricas que servem de campanário. Sua harmonia e beleza justificam o fato de ser uma das igrejas mais fotografadas do mundo. Na basílica são celebradas missas, concertos e festivais eclesiásticos.

Aproveite para subir até o patamar superior da basílica, de onde é possível ter uma vista panorâmica da cidade (a subida pode ser feita pela escada ou por elevador, e é paga). Para tanto, consulte os horários de funcionamento e valor dos ingressos nesse link.

Os arredores dessa basílica contêm ruas bem animadas, cheias de bares e restaurantes. O destaque fica para a Rua Zrínyi (Zrínyi utca), com casas noturnas, restaurantes, artistas de rua e várias lojas.

Metrô mais perto: estação Bajcsy Zsilinszky út (linha M1/amarela) ou estação Arany János utca (linha M3/azul. Ônibus que param próximo: linhas 9, 914, 914A, 931, 950 (parada Szent István Bazilika) ou linhas 105, 979 (parada Bajcsy Zsilinszky út) ou linhas 16, 916, 990 (parada Deák Ferenc tér M).

IMG_1105

BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃO – BUDAPESTE, HUNGRIA

Ilha Margarida – ilha fluvial no Rio Danúbio, onde há parques, ginásios e estruturas de esportes, estátuas comemorativas, um pequeno zoológico, espaço de eventos e shows. Carros são raros por lá, o que torna o passeio mais agradável e seguro. Ideal para levar crianças.

Metrôs úteis (demandam uma caminhada complementar de 5 a 10 minutos): estação Árpád híd ou estação Nyugati Pályaudvar (ambas da linha M3/azul, do lado de Peste) ou estação Batthyány tér (linha M2/vermelha, do lado de Buda). Bondes elétricos que param perto: linhas 4, 6 (parada Margitsziget/Margit híd), 19, 19*, 41 (parada Margit híd, budai hídfõ H) ou linhas 1, 17 (parada Népfürdõ utca/Árpád híd). Ônibus que param perto: linhas 6 ou 26 (parada Margitsziget/Margit híd) ou linhas 91, 191, 291, 932 (parada Margit híd, budai hídfõ H) ou linhas 34, 106, 901, 918 (parada Margitsziget/Árpád híd).

Citadella – espécie de fortaleza e museu militar construído durante o império áustro-húngaro, em meados da década de 1850, tendo servido de base militar para os soviéticos atacarem os dissidentes húngaros que se rebelaram contra o regime comunista, em 1956. É o local mais elevado da capital, situado no alto da colina Géllert, e, por isso, um dos melhores mirantes de Budapeste. Se tiver mais de um dia na cidade, reserve um para ver o anoitecer (e os prédios se iluminando) a partir desse local.

Metrô mais perto: Szent Gellért tér (linha M4/verde). Bondes elétricos por lá: linhas 19, 19*, 41, 47, 47B, 47*, 48, 49, 56, 56A, 56A* (parada Szent Gellért tér M). Ônibus que param próximo: linhas 7, 907, 973 (parada Rudas Gyógyfürdõ).

IMG_2371

COLUNA LATERAL NA PRAÇA DOS HERÓIS – BUDAPESTE, HUNGRIA

Mercado Central – programa ideal para aqueles que adoram experimentar a culinária local e se misturar em um pontos de encontro dos habitantes locais, o Grande Mercado de Budapeste é o maior do país e é datado final do século XIX. Há várias tendas e lá é possível comprar iguarias húngaras e até artesanato.

O legal desse mercado é que existe programação específica para turistas (para saber mais, clique aqui) e até eventos temáticos com comidas e decoração de diferentes nacionalidades (acesse esse link).

Metrô mais perto: estação Fõvám tér (linha M4/verde). Bondes elétricos que passam por lá: linhas 47, 47B, 47*, 48, 49 (parada Fõvám tér M). Ônibus que param próximo: linhas 15, 83, 83*, 115, 979, 979A (parada Fõvám tér M).

OBS: Passeio de barco noturno – programa indispensável em Budapeste. Se tiver pouco tempo na cidade, invista nesse passeio. Através dele, você terá uma noção inesquecível da beleza da capital húngara, passando por belas pontes iluminadas e pelos monumentos grandiosos de Buda e Peste, com destaque para o Castelo e o Parlamento. Os passeios saem do píers em frente ao Promenade – que fica entre a Ponte das Correntes e a ponte Erzsébet híd (principalmente da doca 7,  da doca 8A e da doca 11) e duram entre 1h e 2h, independente das várias empresas confiáveis que os oferecem. Há diversos tipos diferentes de minicruzeiros (com jantar incluído; com degustação de vinhos; em datas festivas; privativos; combinado com pub crawl; etc).

IMG_1285

PASSEIO DE BARCO PELO DANÚBIO E O PARLAMENTO

OBS2: Bares nas ruínas (Ruin Bars) – uma moda que “pegou” em Budapeste são os bares e restaurantes interessantíssimos instalados em ruínas ou locais abandonados. Excelente forma de aproveitamento de espaços até então sem utilidade, muito frequentados por turistas e “nativos”, principalmente jovens. Não deixe de conhecer pelo menos um deles. Os mais famosos são:

  • Fogas Ház (entre as estações Opera, da linha M1/amarela, e Blaha Lujza tér, da linha M2/vermelha);
  • Instant (vizinho ao estabelecimento anterior, entre as estações Opera e Blha Lujza tér);
  • Szimpla Kert (é o menos “balada” e o mais eclético e melhor pra conversar entre os três; também perto dos mencionados acima, sendo que ao sul do parque Klauzál tér e mais próximo à estação de metrô Blaha Lujza tér, da linha M2/vermelha. É considerado o nº 1 pelo Tripadvisor).
IMG_1021.JPG

CAPELA JÁKI – PARQUE VÁROSLIGET – BUDAPESTE, HUNGRIA

DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

Considerando que você estará hospedado na região recomendada (em Peste, perto do Rio Danúbio), seus deslocamentos serão feitos, em sua maioria, a pé, de bicicleta, de metrô e de ônibus hop-on hop-off. Essas três formas são suficientes para você chegar nas principais atrações acima citadas.

Caminhada – caso opte por esta maneira (a melhor forma de se sentir parte da cidade, na nossa opinião), recomendamos o Free Walking Tour, em que você anda em um roteiro pré-definido pelas grandes atrações da cidades ouvindo histórias e curiosidades de cada ponto e paga no final o quanto acha que o guia merece. Esses passeios guiados costumam ter seu ponto de encontro ao lado da estação de metrô na praça Vörösmarty tér (linha M1/amarela) ou, no caso da empresa Free Budapest Tours, da estação de metrô na praça Deák Ferenc tér (linhas M1/amarela, M2/vermelha ou M3/azul). Consulte os horários e mais detalhes no link destacado.

Bicicleta – como a cidade é plana e cheia de praças e parques, principalmente no lado de Peste, pedalar é uma ótima alternativa para conhecê-la. Faça o Budabike Sightseeing Tours, no mesmo estilo do walking tour (com guia), sendo que de bicicleta, com variados trajetos (inclusive maregando o Rio Danúbio ou mesmo durante a noite). A sede da empresa que organiza esses passeios fica na pracinha de frente à Basílica de Santo Estevão. Metrô perto: estação Bajcsy-Zslinszky út (linha M1/amarela). Ônibus: linhas 9, 914, 914A, 931, 950, 950A (parada Szent István Bazilika).

IMG_1330.JPG

PARLAMENTO VISTO DO BASTIÃO DOS PESCADORES – BUDAPESTE, HUNGRIA

Outra empresa que realiza esses passeios é a Budapest Bike Breeze, no mesmo estilo da anterior. Ela costuma sair da praça Deák Ferenc tér, acessada por uma estação de metrô de mesmo nome logo ao lado (linha M1/amarela, M2/vermelha e M3/azul).

Por sinal, a região entre as estações de metrô Oktogon (linha M1/amarela), Bajcsy-Zsinsliszky (linha M1/amarela), Astoria (linha M2/vermelha) e Blaha Lujza tér (linha M2/vermelha) é cheia de locadoras de bicicletas e segways (Yellow Zebra, Bike & Relax Kft, Zed Bikes Open, entre outras).

Também não faltam na cidade estações de bicicletas rotativas. Elas são viabilizadas pela Mol Bubi. Você compra um bilhete (de 24h, 72h ou semanal) ou paga um aluguel e pode usar uma bicicleta dessa rede, devendo devolvê-la em qualquer das estações cadastradas no site destacado ao terminar seu prazo. Confira mais informações naquele link.

Para quem está perto da Praça dos Heróis e está com vontade de pedalar pelo paque Városliget ou descer rumo ao Rio Danúbio, indicamos a Bike Rental (endereço: Dózsa György út 80; metrô: estação Hõsók Tere, linha M1/amarela; ônibus: linhas 30, 30A, 75, 75*, 79, 230, 979 – parada Damjanich utca/Dózsa György út).

Metrô – muito útil para ir à Praça dos Heróis, aos banhos termais do parque Városliget e à estação Kõbánya-Kispest, que dá acesso ao ônibus que leva ao aeroporto. Fique atento ao mapa abaixo e aos preços – podem ser por ingresso unitário ou combos – e horários de funcionamento nesse link.

mapa-metro-budapest.png

MAPA DO METRÔ DE BUDAPESTE

A linha M1/amarela é perfeita para quem deseja chegar na Avenida Andrássy e na Praça dos Heróis, além de levar também ao burburinho do centro (estações Deák Ferenc tér e Vörösmarty tér)

As estações mais turísticas da linha M2/vermelha são a Deák Ferenc tér (perto do burburinho e da saída do free walking tour), a Kossuth Lajos tér (a mais próxima ao Parlamento) e a Batthyány (perto do Bastião dos Pescadores e relativamente perto da Ilha Margarida).

IMG_0981.JPG

PRAÇA DOS HERÓIS – BUDAPESTE, HUNGRIA

Por sua vez, a linha M3/azul é ótima para quem chega do aeroporto pelo ônibus 200E até a estação Kõbánya-Kispest e para quem chega de ônibus na rodoviária Népliget ou na rodoviária Nyugati, passando pelas mencionadas estações do burburinho central.

Já a linha M4/verde, inaugurada em 2014, é ideal para quem chega de trem na ferroviária Keleti ou na ferroviária Kelenföldi, para quem se hospeda no sul de Buda e quer ir para as atrações de Peste,  e para levar os turistas até a Citadella (parada Szent Gellért tér).

Ônibus hop-on hop-off – outra excelente forma de conhecer a cidade. É operado pela empresa City Sightseeing. Através desses ônibus, você paga apenas um ingresso (de 24h ou 48h) para ter direito a passear de ônibus climatizado e com áudio-guia, com paradas previamente definidas nos pontos turísticos principais da cidade, podendo subir e descer quantas vezes quiser nos ônibus da empresa (não precisa esperar exatamente o mesmo do qual você desceu) durante a validade de seu ticket, que pode ser, inclusive, combinado com passeio de barco.

São quatro tipos diferentes de rotas: 2 regulares que funcionam durante o dia (a vermelha e a roxa; você pode trocar entre elas ao longo do dia, mas se tiver que escolher uma, vá pela vermelha), 1 noturna e outra que consiste no passeio de barco. Confira o itinerário de cada rota e os preços atualizados nesse link.

IMG_1383.JPG

CASTELO DE BUDA – BUDAPESTE, HUNGRIA

Bondes elétricos e ônibus – são ótimas alternativas e muito baratas, embora um pouco mais difíceis (pela necessidade de comunicação com motoristas que não costumam ter um inglês fluente) e suscetíveis de enfrentar trânsito e esperas.

Consulte as linhas de metrô, de bondes elétricos e ônibus que servem aos pontos turísticos mais famosos lendo a seção acima.

Uber ou táxi – úteis apenas se você tiver dificuldade de locomoção, pressa ou dinheiro sobrando, sobretudo para ir ao aeroporto. Preferimos o Uber, mas os táxis são confiáveis, destacando-se as companhias Budapest Taxi e a City Taxi (de qualquer forma, na dúvida, peça para o recepcionista do seu hotel ou funcionário do restaurante que recomende algum; certamente, não haverá problemas ou golpes para você chegar ao seu destino).

IMG_1131.JPG

VISTA DO ALTO DA BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃO – BUDAPESTE, HUNGRIA

CULINÁRIA LOCAL

Os húngaros adoram comidas “molhadas”, temperadas com páprica, pimentão e alho. Além disso, consomem bastante crepes enrolados (Palacsinta) ou repolhos recheados com carne, arroz e tejföl (Töltött Káposzta), pãezinhos com queijo gratinado nos lanches ao longo do dia (Pogácsa), bem como chocolates Túró Rudi, tortas recheadas de sobremesa e café. A seguir, alguns pratos e sobremesas muito consumidos nas refeições por lá:

Gulyás – é o famoso goulash ou ensopado de carne, com legumes e páprica;

Lángos – massa empanada/frita de pão com diversas coberturas. As tradicionais levam sour cream e queijo ralado, mas há várias com presunto e muitas outras doces (com Nutella, caramelo, entre outros). Provamos um em uma feirinha montada ao lado da entrada do Castelo de Buda. Gorduroso, mas delicioso. Espere se sujar bastante (não costumam ser servidos com talheres);

IMG_2832

Galuska – frango ao molho cremoso de páprica (paprikás csirke), acompanhado de massa frita de ovo, sal e farinha (dumplings/nokedli);

Halászlé – sopa de peixes de água doce, temperada com páprica. O cozimento é em caldeiradas e bem longo, o que deixa o sabor bem forte.

Túrós Csusza – massa delicada com requeijão húngaro (túró) e pedaços de bacon.

Kürtõskalács – são os trdelnik húngaros, isto é, aquela massa doce enrolada em um espeto/palito, com canela, amêndoas e açúcar, na forma mais básica. São mais comuns em Praga, mas você vê muita gente caminhando nas ruas de Budapeste com esse lanche nas mãos. Os mais incrementados podem ser acrescentados por nutella e outras gordices.

Somói Galouska – tradicional bolo de chocolate e chantilli, com um toque de baunilha e rum.

Dobos – bolo em camadas de massa fina, intercalada por chocolate e caramelo. Muito tradicional, era uma das sobremesas favoritas da imperatriz Sissi.

Meggyleves – sopa de ginja/cereja, servida fria. Vendida como sobremesa, mas serve de entrada leve antes das refeições, principalmente consumidas no verão.

IMG_2831

RESTAURANTES

New York Café – restaurante de ambiente lindíssimo (palaciano) e super famoso na cidade. Destaque para os pratos super elaborados, bebidas quentes e sobremesas finas. Tudo isso servido em belas louças e garçons trajados como antigamente. Reserve com antecedência, por ser super concorrido. Endereço: Erzsébet krt. 9-11. Metrô mais perto: estação Blaha Lujza (linha M2/vermelha). Bondes elétricos: linhas 4 ou 6 (parada Blaha Lujza tér M). Ônibus úteis: linhas 6, 74 ou 923 (parada Blaha Lujza tér M).

Café Gerbeaud – cafeteria clássica na cidade, muito frequentado por Sissi, a famosa imperatriz do império áustro-húngaro. Destaque para os doces e a decoração, com lustres e arcos no salão. Endereço: 

Onyx Restaurant – é do mesmo grupo do Gerbeaud, e ao lado deste. A qualidade do prato e do serviço justificam as filas de espera, o elevado valor da conta e as indicações desse local em variados sites. Reserve com antecedência. Endereço: 

IMG_1029

CAPELA JÁKI – PARQUE VÁROSLIGET – BUDAPESTE, HUNGRIA

Baraka – cozinha contemporânea europeia, com algumas opções vegetarianas. Ambiente clean bonito, classificado entre os dez melhores da cidade pelo Tripadvisor. Fica bem pertinho dos dois anteriores. Endereço: 

Menza – um dos mais elogiados pelos turistas. Preço barato (menus completos por menos de 10 euros), bem localizada, comida e atendimento muito bons e com uma decoração jovem e arrumada. Endereço: 

IMG_1019.JPG

PARQUE VÁROSLIGET – BUDAPESTE, HUNGRIA

Mák Bistro – lugar charmoso e com pratos elogiados em diversas publicações especializadas. Além disso, o valor é super acessível. Endereço: 

Zeller Bistro – comida deliciosa, em um ambiente tranquilo, pequeno e charmoso/acolhedor. Confiram as fotos do link para ter uma noção de como vale a pena comer lá. Endereço: 

Fatál Étterem – pratos bem servidos nesse restaurante com comida tipicamente húngara, localizado na famosa rua Váci. Endereço: 

IMG_1309

IGREJA DE SÃO MATIAS – BUDAPESTE, HUNGRIA

Kiosk – restaurante descolado com ótima comida e que vira balada ao longo da noite. O ambiente é bem bacana, por ter aquele clima rústico de tijolos aparentes. É famoso por ter um carrossel logo na entrada. Fica perto da Doca 7 e da ponte Erzsébet híd. Endereço: 

Spoon the boat – restaurante/lounge caro instalado em um barco, mas muito famoso e com uma das melhores vistas da capital (de cara para o Castelo). É bom reservar com antecedência. Ótima maneira para se apaixonar de vez pela cidade e perfeito para casais. O barco fica atracado em um píer entre a Ponte das Correntes e o Promenade. Metrô: Vörösmarty tér (linha M1/amarela). Bondes elétricos: linhas 2 ou 2* (parada Eötvös tér). Ônibus: linhas 15 ou 115 (parada Vigadó tér).

Costes – outro sofisticado, também renomado pelo Tripadvisor. Cozinha típica da Europa Central. Endereço: 

IMG_1314

DETALHE DO TETO COLORIDO DA IGREJA DE SÃO MATIAS – BUDAPESTE

Vadaspark Étterem – conhecido por seu jantar onde há apresentação de danças típicas. É do tipo ame ou odeie, já que muitos identificam nele um local “pega turista”. Para quem gosta de jantares temáticas, é uma boa proposta. Fica na zona oeste de Buda, distante de estações de metrô e do Rio Danúbio. É preferível ir de táxi.

Querendo comer algo mais rápido e barato, vá ao Mercado Central (melhor local para encontrar os pratos típicos húngaros; endereço: ), ao Meatology Budapest (pub com restaurante que serve comida contemporânea; endereço: fica atrás da Basílica de Santo Estevão, na ), à pizzaria Pizzica (endereço:  ao Bors Gasztrobar (street food, sopas, sanduíches; endereço: ) ou ao Costa Coffee (rede famosa na Europa com bons sucos, salgados e sobremesas; as unidades mais famosas ficam na Avenida Andrássy, perto da Basílica de Santo Estevão, e na rua Zrínyi utca, de frente para a citada Basílica; metrô: estação Bajcsy-Zsilinszky, linha M1/amarela).

IMG_1298

PARLAMENTO VISTO DO BASTIÃO DOS PESCADORES – BUDAPESTE, HUNGRIA

COMPRAS

Ruas comerciais:

  • Avenida Andrassy – consulte a seção “O que conhecer” e confira como chegar na mais emblemática avenida de Budapeste, repleta de lojas de variados estilos);
  • Váci utca – essa é, provavelmente, a rua da “modinha” da cidade. Repleta de lojas, tanto de grifes famosas quanto de designers húngaros e estabelecimentos menores que vendem souvenirs, leva desde a praça Vörösmarty até o lindo Mercado Central, ótimo para comprar comidas e temperos. Metrô: estação Vörösmarty tér, linha M1/amarela; estação Ferenciek tere, linha M3/azul; ou estação Fõvám tér, linha M4/verde. Bondes elétricos: linhas 47, 47B, 47*, 48, 49, 49* (parada Fõvám tér M). Ônibus: linhas 5, 7, 8E, 108E, 110, 112, 133E, 178, 907, 908, 956, 973 (parada Ferenciek tere M) ou linhas 15, 83, 83*, 115, 979, 979A (parada Fõvám tér M);
  • Zrínyi utca – é a rua que liga a Basílica de Santo Estevão até o hotel Four Seasons, a praça Széchenyi tér e a Ponte das Correntes. Também bem movimentada, com menos lojas que anteriores, mas bons achados. Metrô: Bajcsy-Zsilinszky út (linha M1/amarela). Bondes elétricos: 2 ou 2* (parada Széchenyi István tér). Ônibus: linhas 15, 16, 105, 115, 916, 990 (parada Széchenyi István tér).
IMG_1469

PARLAMENTO VISTO DO RIO DANÚBIO – BUDAPESTE, HUNGRIA

Bons shoopings:

  • Aréna Plaza – o maior e mais recente, mas afastado do centro. Fica colado à ferroviária Keleti Pályaudvar. Metrô: estação Keleti Pályaudvar (linha M2/vermelha ou linha M4/verde). Bondes elétricos: 24, 24G (parada Keleti Pályaudvar M). Ônibus: linhas 5, 7, 7E, 8E, 20E, 30, 30A, 108E, 110, 112, 133E, 178 (parada Keleti Pályaudvar M).
  • WestEnd City Center – cheio de marcas conhecidas, com cassino, boa praça de alimentação o que fica aberto por mais tempo. Localizado em uma região mais acessível, entre a Praça dos Heróis e a Ilha Margarida. Fica ao lado da ferroviária Nyugati Pályaudvar. Metrô: estação Nyugati Pályaudvar ou Lehel tér (ambas da linha M3/azul). Bondes elétricos: 4 ou 6 (parada Nyugati Pályaudvar M). Ônibus: linhas 6, 9, 914, 914A, 923, 931, 950, 950A (parada Nyugati Pályaudvar M).
IMG_2776

ESTÁTUA DE SANTO ESTEVÃO E BASTIÃO DOS PESCADORES – BUDAPESTE, HUNGRIA

  • Mammut – fica em Buda e também tem boas opções de lojas de souvenirs e lazer. Metrô: estação Széll Kálmán tér (linha M2/vermelha). Bondes elétricos: linhas 4, 6 ou 17 (parada Széna tér). Ônibus: linhas 39, 990 (parada Széna tér) ou linhas 22, 22A, 222, 922, 956 (parada Széll Kálmán tér M).
  • MOM Park – pequeno shopping em Buda (a alguns quilômetros a oeste da Citadella), com muitas lojas ao redor. Não há metrô por perto. Bondes elétricos: linhas 17 ou 61 (parada Csörsz utca). Ônibus: linhas 139, 140, 140A, 142, 960 (parada Csörsz utca). Táxi é uma boa alternativa.

Boas lojas avulsas, galerias e bons mercados:

  • Cultivini – loja de degustação e compra de vinhos excelentes, com ambiente charmoso; pertinho da rua Váci utca; confira como chegar consultando o metrô, os bondes elétricos e os ônibus mencionados para aquela rua.
  • Paloma – souvenirs, roupas e acessórios. Fica perto da loja anterior, já na avenida Kossuth Lajos, entre as estações de metrô Ferenciek tere (linha M3/azul) e Astoria (M2/vermelha). Bondes elétricos: 47, 47B, 47*, 48, 49, 49* (parada Astoria M). Ônibus: linhas 9, 15, 100E, 115, 909, 914, 914A, 950, 950A, 979, 979A, M3 (parada Astoria M) ou linhas 5, 7, 8E, 108E, 110, 112, 133E, 178, 907, 908, 956, 973 (parada Ferenciek tere M).
IMG_1207

PARLAMENTO – BUDAPESTE, HUNGRIA

  • Lucky Sheperd Designer Store – loja especializada em utensílios com design diferenciado, além de souvenirs. Metrô: Batthyány tér (linha M2/vermelha). Bondes elétricos: linhas 19, 19* e 41 (parada Batthyány M + H). Ônibus: linhas 11, 39, 109, 111 (parada Batthyány tér M+H).
  • Eventuell Gallery – vende também objetos com design singular, em especial, acessórios femininos. Fica pertinho da ponte Erzsebét híd (endereço: Nyáry Pál utca, 7). Metrô: estação Ferenciek tere (M3/azul). Bondes elétricos: linhas 2 ou 2* (parada Március 15, tér). Ônibus: linhas 5, 8E, 108E, 110, 112, 133E, 178 (parada Március 15, tér).
  • Mercado Central (Központi Vásárcsarnok) – como mencionado anteriormente, é um lugar excelente para comprar souvernirs e, principalmente, comida local. Metrô: Fõvám tér (linha M4/verde). Bondes elétricos: linhas 47, 47B, 47*, 48, 49, 49* (parada Fõvám tér M). Ônibus: 15, 83, 83*, 115, 979, 979A (parada Fõvám tér M).
  • Lehel Market Hall – mercado de pulgas e feira livre. Fica ao lado da estação de metrô Lehel tér (linha M3/azul). Bondes elétricos (linhas 12M, 14M, 14M* (parada Dévai utca).
VIDA NOTURNA

Em uma das cidades que ficam mais bonitas à noite no mundo, não poderiam faltar atrações neste turno. Budapeste reserva inúmeras opções para quem gosta de dormir tarde, seja aproveitando passeios de barco (imperdível; tem que ser sua prioridade), vendo espetáculos em belas casas de eventos, jantando ou batendo um papo em restaurantes, pubs e cafeterias, ou emendando um dia no outro em baladas super indicadas.

Como falamos na seção “O que conhecer”, reforçamos a recomendação para que você conheça algum dos ótimos (e tipicamente húngaros) “Ruin Pubs”, aqueles pubs que foram instalados em locais abandonados e que revitalizaram de forma incrível vários pontos da cidade.

IMG_1399

VISTA DO CASTELO DE BUDA (PARLAMENTO E PONTE DAS CORRENTES)  – BUDAPESTE, HUNGRIA

Confira nessa lista os mais elogiados, seus endereços e fotos para que escolha o que melhor adequa ao seu estilo. Relembramos abaixo os principais do link destacado:

  • Fogas Ház (entre as estações Opera, da linha M1/amarela, e Blaha Lujza tér, da linha M2/vermelha);
  • Instant (vizinho ao estabelecimento anterior, entre as estações Opera e Blha Lujza tér);
  • Szimpla Kert (é o menos “balada” e o mais eclético e melhor pra conversar entre os três; também perto dos mencionados acima, sendo que ao sul do parque Klauzál tér e mais próximo à estação de metrô Blaha Lujza tér, da linha M2/vermelha. É considerado o nº 1 pelo Tripadvisor).

Na dúvida ou se você tiver pouco tempo na cidade, não hesite: faça o pub crawl pelos melhores ruin pubs, com um “guia” super animado e um grupo de turistas querendo interagir e curtir a noite como você. O pub crawl do link destacado começa a divertida programação de frente para o Fogas (

IMG_20160821_162349250.jpg

BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃO – BUDAPESTE, HUNGRIA

Casas noturnas também não faltam na agitada noite de Budapeste, principalmente na rua Zrýnyi (de frente para a Basílica de Santo Estevão), na rua Váci ou nos arredores da praça Deák Ferenc tér. A seguir, indicamos algumas baladas elogiadas:

  • Doboz – mistura de ruin pub e balada elogiada pelos locais e turistas. Endereço: Klauzál u. 10. Metrô: estação
  • Akvarium – DJs tocando músicas da moda e muita gente marcam esse que é um dos mais queridos pelos locais, logo abaixo da praça Erzsebét tér. Endereço: Erzsébet tér 12. Metrô: estação Déak Ferenc tér (linhas M1/amarela, M2/vermelha ou M3/azul). Bondes elétricos: 
  • A38 Hajó – DJs e bandas que tocam pop rock, jazz e sucessos atuais, em uma alternância de estilos que agrada todos os públicos. Fica ao lado da ponte Petőfi híd. Metrô: estação Szent Géllert tér (linha M4/verde; demanda uma caminhada de cerca de 10/15 minutos). Bondes elétricos: 4 ou 6 (parada Petőfi híd, budai hídfõ). Ônibus: 6, 153, 154B, 212, 918, 1163, 1173, 1174, 1175, 1176, 1177, 1183 (parada Petőfi híd, budai hídfõ);
  • Pool party nas noites dos sábados, principalmente no verão – DJs, música animada, banhos quentes e muita luz e gente divertida. As mais famosas acontecem nas termas Széchenyi (mesma forma de chegar citada na seção “O que conhecer”) ou nas termas Lukacs (fica pertinho da Ilha Margarida, no lado Buda; o metrô mais perto é na estação Batthyány, da linha M2/vermelha, mas o melhor é ir de táxi ou de bonde elétrico – linhas 17, 19, 19*, 41, parada Szent Lukács Gyógyfûrdõ – ou de ônibus – linhas 9, 109, 923, 934, 960, parada Császár-Komjádi uszoda);
  • Peaches and Cream Club – classificada na 5ª posição entre as melhores opções de vida noturna em Budapeste pelo Tripadvisor. Endereço: Nagymező u. 46-48. Metrô:  estação Oktogon (linha M1/amarela) ou estação Arany János utca (linha M3/azul). Ônibus: 70, 70*, 78 (parada Zichy Jenõ utca) ou 9, 914, 914A, 931, 950, M3 (parada Arany János utca M);
IMG_1130

VISTA DO ALTO DA BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃO (AO FUNDO, BUDA) – BUDAPESTE

  • Hello Baby Bar – classificada como nº 25 pelo Tripadvisor. Endereço: Andrássy út 52. Metrô: estação Oktogon (linha M1/amarela). Bondes elétricos: linhas 4 ou 6 (parada Oktogon). Ônibus: linhas 6, 105, 923, 979 (parada Oktogon M);
  • Bed Beach – na ilha Hajógyári-sziget, que é cheia de festas e festivais. É a ilha seguinte ao norte da Ilha Margarida (Margit sziget). O metrô mais perto é o que para na estação Arpád híd (linha M3/azul), mas é necessário caminhar cerca de 15 a 20 minutos até chegar na Hajógyári-sziget. O melhor é ir de táxi, de bonde elétrico (linhas 1, 17, 19, 41 – parada Szentélek tér H) ou ônibus (linhas 29, 34, 106, 901, 918 parada Szentélek tér H);
  • Goszdu Udvar – pátio cheio de bares e com música animada. Metrô: estação Deák Ferenc tér (linhas M1/amarela, M2/vermelha ou M3/azul). Bondes elétricos: linhas 47, 47B, 47*, 48, 49, 49* (parada Deák Ferenc tér M). Ônibus: linhas ;
  • Budapest Boat Party – o nome já diz: festa no barco passeando pelo Rio Danúbio. A sede da empresa fica ao lado da estação de metrô Oktogon (linha M1/amarela). As festas nos barcos saem das docas entre a Ponte das Correntes e a Ponte Erzebét híd, no lado Peste. Outra opção no mesmo estilo você observa ao clicar aqui). ;
  • Corvintetõ – bar e balada com DJs excelentes na cobertura de um edifício, com linda vista para a cidade. Endereço: Blaha Lujza tér 1-2. Metrô: estação Blaha Lujza (linha M2/vermelha). Bondes elétricos: linhas 4 ou 6 (parada Blaha Lujza tér M). Ônibus úteis: linhas 6, 74 ou 923 (parada Blaha Lujza tér M).

Para quem não gosta muito de baladas, mas não quer voltar cedo pro hotel, sugerimos os restaurantes mencionados na correspondente seção acima, bem como um jantar com degustação de vinhos no Faust Wine Cellar (endereço: fica dentro do Hilton, no claustro dominicano, ao lado da Igreja de São Matias e do Bastião dos Pescadores; ler na seção “o que conhecer” a forma de chegar) ou no Tasting Table (endereço: Bródy Sándor utca 9; metrô: estação Astoria, da linha M2/vermelha; bondes elétricos: linhas 4, 6, 47, 47B, 47*, 48, 49, 49* – parada Astoria M ou Rakóczi tér M; ônibus: linhas 9, 15, 100E, 115, 909, 914, 914A, 923, 950, 950A, 979, 979A, M3, parada Astoria M). Outro lugar indicado é o Jardin Bar (bonito ambiente, considerado o 11º melhor pelo Tripadvisor; endereço: Dohány u. 16; metrô: estação Astoria, da linha M2/vermelha; bondes elétricos: linhas 4, 6, 47, 47B, 47*, 48, 49, 49* – parada Astoria M; ônibus: linhas 9, 15, 100E, 115, 909, 914, 914A, 923, 950, 950A, 979, 979A, M3, parada Astoria M) ou qualquer restaurante nos barcos atracados no Rio Danúbio (com destaque para o Pannónia Gastro Boat, o Silverline Dinner Cruise ou o Spoon The Boat).

IMG_1269

PONTE DAS CORRENTES E O CASTELO DE BUDA – BUDAPESTE, HUNGRIA

Ainda nessa linha mais tranquila, porém boêmia, indicamos alguns dos vários clubes/bares de jazz de Budapeste:

  • Budapest Jazz Club – Endereço: Hollán Ernő u. 7. Metrô: estação Nyugati Pályaudvar (linha M3/azul). Bondes elétricos: linhas 4 ou 6 (parada Jászai Mari tér). Ônibus: linhas 6, 9, 26, 91, 191, 291, 923, 931, 934 (parada Jászai Mari tér).
  • Cotton Club – Endereço: Jókai u. 26. Metrô: estação Nyugati Pályaudvar (linha M3/azul) ou estação Oktogon (linha M1/amarela). Bondes elétricos: linhas 4 ou 6 (parada Nyugati Pályaudvar M). Ônibus: linhas 6, 9, 72, 72*, 73, 914, 914A, 923, 931, 950, 950A (parada Nyugati Pályaudvar M/Podmaniczky utca);
  • Opus Jazz Club – Endereço: Mátyás u. 8. Metrô: Fõvám tér (linha M4/verde). Bondes elétricos: linhas 2 ou 2* (parada Zsil utca) ou linhas 47, 47B, 47*, 48, 49, 49* (parada Fõvám tér). Ônibus: linhas 15, 83, 83*, 115, 979, 979A (parada Fõvám tér M).
  • Columbus Jazz Pub – barco com restaurante, café e clube onde tocam bandas de jazz, ao lado do Promenade e da praça Vigadó. Endereço: Vigadó u. 4. Metrô: estação Vörösmarty tér (linha M1/amarela). Bondes elétricos: linhas 2 ou 2* (parada Eötvös tér ou parada Vigadó). Ônibus: linhas 15 ou 115 (parada Vigadó tér).

Não deixe de conferir a programação (shows, peças, balés ou espetáculos líricos) da Opera da cidade ou dos teatros (destaque para o Palácio das Artes/Mûvészetek Palotája, para o Teatro Nacional e para o Vigadó Hall) ou mesmo os festivais que rolam por lá (principalmente o Szigét Festival, um dos melhores do mundo), acessando o Budapestbylocals ou esse site especializado ou mesmo clicando aqui.

NOSSA EXPERIÊNCIA

Fomos a Budapeste em agosto de 2016. Fizemos um bate-volta a partir de Praga. O dia foi nublado, mas sem chuva, e a temperatura estava ótima, na faixa dos 23°C.

Chegamos de ônibus – cerca de 7h de viagem – às 11h na rodoviária Nepligét, de onde saímos às 22h30/23h. Conhecemos todos os pontos de interesse que havíamos planejado, mas deixou o gostinho de “quero mais”.

Todos os deslocamentos foram feitos a pé ou de metrô. A segurança foi enorme, sem nenhuma sensação de insegurança.

Nossa programação foi a seguinte:

  • Da rodoviária Népliget fomos para a Praça dos Heróis de metrô. Depois de várias fotos na praça e nos museus laterais, demos uma volta no parque Városliget, principalmente na área do Castelo Vajdahunyad e no grande lago.
  • De lá, fomos de metrô para a praça Erzsébet tér, cheia de gente e com fontes modernas. Caminhamos até a linda Basílica de Santo Estevão, com artistas de rua na praça da frente. A igreja é espetacular de fora e mais bonita ainda internamente, com inúmeros detalhes. Subimos até a cúpula, de onde tivemos a famosa vista (pra ser sincero, esse mirante é um pouco frustrante, já que há vários outros mais bonitos à beira do Rio Danúbio). Saímos da basílica e caminhamos na charmosa rua Zrýnyi, com muitos restaurantes e movimento.
IMG_20160821_175016909_HDR

INDO PARA BUDA PELA PONTE DAS CORRENTES – BUDAPESTE, HUNGRIA

  • Seguimos até a beira do rio Danúbio e caminhamos até chegar no espetacular Parlamento, passando pela homenagem aos judeus (os sapatos em ferro mencionados na seção “O que conhecer”). O Parlamento é deslumbrante. Gastamos meia hora ou mais tirando fotos e apreciando seus detalhes e a linda praça Kossuth Lajos tér. Se tiver tempo sobrando, não deixe de fazer a visita guiada (pelas fotos oficiais, parece ser lindíssimo também).
  • Fizemos o caminho de volta pela margem do Rio Danúbio, passando pela bela praça Széchenyi István tér (com o lindo hotel Four Seasons em um dos lados). Depois, atravessamos a lindíssima e imponente Ponte das Correntes, com suas estátuas de leões e os portais que lembram bastante a Ponte do Brooklyn (em Nova York).
  • Chegamos na florida praça Adam Clark e no Km 0 da cidade, subimos caminhando (é possível ir de funicular) até o alto da colina de Buda, indo direto para a praça do Bastião dos Pescadores e à Igreja de São Matias. Mais um trecho muito lindo da cidade. O Bastião dos Pescadores é incrível, tanto por sua construção em si, quanto pela incrível vista para o Parlamento e para o lado de Peste.
  • Andamos pelo agradável caminho (muito bem sinalizado) entre o Bastião dos Pescadores até o impressionante Castelo de Buda. Antes lanchamos um lángos delicioso em uma feirinha de rua. Depois do lanche, entramos no complexo do Castelo e de seus terraços tivemos a melhor vista da cidade, sendo possível enquadrar em uma mesma imagem o Parlamento, a Ponte das Correntes e a Basílica de Santo Estevão. Ficamos lá até o por do sol, e vimos a parte mais bonita da capital húngara se iluminando. Uma das cenas mais bonitas que já vimos nas nossas viagens. Budapeste fica muito mais espetacular à noite.
  • Depois disso, fizemos o caminho de volta para Peste e, ainda andando pela margem do rio, chegamos na doca 7, onde subimos no barco e fizemos o passeio sob as lindas pontes e com vistas para os monumentos da capital, todas essas atrações incrivelmente iluminadas. Se só tiver poucas horas em Budapeste, escolha esse passeio de barco noturno para fazer. Foi a parte mais encantadora do nosso dia de sonho.
  • Ao final do passeio de uma hora, fomos andando rápido passando pela rua Váci utca até chegar na estação de metrô Ferenciek tere, pegando a linha M3/azul até descer na estação Népliget, de onde pegamos nosso ônibus de volta para Praga.
IMG_1200

PARLAMENTO HÚNGARO – BUDAPESTE

As impressões foram as melhores possíveis. Adoramos todos os monumentos que visitamos. O sistema de transporte público é excelente. O povo foi mais simpático e solícito do que imaginávamos. Os preços das comidas e atrações turísticas foram bem acessíveis.

O que mais gostamos: passeio de barco noturno; Parlamento; Bastião dos Pescadores; Castelo de Buda; Basílica de Santo Estevão; Parque Városliget; Praça dos Heróis (nesta ordem). Sinceramente, não lembramos de nenhum ponto negativo.

Por termos ficado pouco tempo, faltou ver muitos lugares bacanas. Por isso, traçamos a seguinte sugestão de roteiro para quem vai ficar 3 dias completos na cidade, em ordem de prioridades (pensando em quem não terá esse tempo):

1º dia: Passeio pelas margens do Rio Danúbio, vendo principalmente o Parlamento, a Basílica de Santo Estevão, a Ponte das Correntes, o Bastião dos Pescadores, a Igreja de São Matias e o Castelo de Buda. À noite, faça o passeio de barco pelo rio e depois aproveite a noite no A38.

2º dia: Caminhada pelo Parque Városliget (se puder, tome um banho nas termas Széchenyi) e pela Praça dos Heróis. De lá, tente ir caminhando pela avenida Andrássy inteira, fazendo suas compras e vendo os belos prédios por lá. Visite depois o Mercado Central, vindo pela rua Váci utca. Se der tempo, coma no New York Café. Por fim, curta sua noite em algum ruin pub ou na pool party que acontece aos sábados nas termas acima citadas.

3º dia: Alugue uma bicicleta ou segway e dê um passeio pela Ilha Margarida. Vá aos pontos que mais gostou nos dias anteriores ou entre na Galeria Nacional do Castelo de Buda ou faça a visita guiada no Parlamento. Outra opção é fazer compras em algum shopping que recomendamos na seção “Compras”. Veja o anoitecer na Citadella e, depois disso, aproveite sua noite em algum bar/restaurante/balada na rua Váci utca ou nos arredores da praça Deák Ferenc tér ou mesmo na rua Zrýnyi.

IMG_2549

RUA ZRÝNYI E BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃO AO FUNDO – BUDAPESTE

DICAS

⇒ Faça o passeio de barco ou caminhe pelas duas margens do Rio Danúbio à noite.

⇒ Caminhe pelas duas margens do Rio Danúbio ou faça o passeio de barco à noite. A gente enfatiza isso porque foi o que mais gostamos de fazer em Budapeste. A capital é bonita de dia, mas ganha um charme ainda maior à noite.

⇒ Reserve mais de um dia na cidade e fique hospedado perto do rio, principalmente em Peste. Lá você encontrará mais animação e alternativas de lazer.

⇒ Leve um casaco, mesmo no verão. Em boa parte dos dias o sol é tímido, o que diminui a sensação térmica.

⇒ Se for a Budapeste a partir de algum país vizinho, troque alguns euros ou dinheiro local pelo forint antes de ir. As melhores casas de câmbio ficam na área central da capital húngara, distantes do aeroporto e das rodoviárias e ferroviárias.

IMG_1311

ESTÁTUA DE SANTO ESTEVÃO E IGREJA DE SÃO MATIAS – BUDAPESTE, HUNGRIA

⇒ Não deixe de ir para um ruin pub e para os banhos termais. Trata-se de duas manifestações culturais preferidas da cidade: uma mais recente e outra tradicional.

⇒ Se for usar o transporte público, prefira o metrô. Os ônibus e bondes elétricos são guiados por motoristas com menor familiaridade com o inglês ou outra língua mais acessível. Já as estações de metrô costumam ter balcão de funcionários que sabem se comunicar em outra língua, além de possuir mapas melhores para circular pela cidade.

⇒ Para chegar no Castelo de Buda, indicamos os ônibus das linhas 16 e 916, que saem da praça Széll Kálmán tér (a qual é acessada pela estação de metrô de mesmo nome, da linha M2/vermelha).

⇒ Para se prevenir contra qualquer dificuldade de comunicação, tenha fácil o Google Tradutor ou algum aplicativo de celular que facilite a tradução por som e escrita (tais como: Lexifone, S Tradutor, Jibbigo, Verbalizeit).

⇒ Se for fazer a visita guiada ao Parlamento ou alguma atração turística ou restaurante concorrido indicado ao longo desse post, acesse os links que destacamos para comprar ou reservar sua entrada com antecedência pela Internet (muitas vezes, é possível conseguir descontos comprando/reservando desta maneira).

⇒ Como é certo que você vai tirar inúmeras fotos e fazer diversos vídeos, não se esqueça de levar um adaptador universal de tomadas para poder carregar seus aparelhos eletrônicos.

⇒ Antes de viajar para lá, baixe o mapa da cidade no Google Maps e destaque os pontos principais que deseja conhecer, facilitando o seu roteiro.

IMG_1319

BASTIÃO DOS PESCADORES – BUDAPESTE, HUNGRIA

CURIOSIDADES

→ Budapeste é a maior e mais populosa cidade da Hungria (com mais de 1,7 milhão de habitantes), formada pela união de duas antigas cidades separadas pelo Rio Danúbio (Peste, mais animada; Buda, com mais monumentos históricos).

→ Trata-se da sexta maior cidade da União Europeia, e que ostenta um dos melhores Índices de Desenvolvimento Humano do continente (para se ter uma noção, foi considerada a cidade com a melhor área urbana da Europa Central em qualidade de vida, pela Economist Intelligent Unit).

→ É classificada como a 9ª cidade mais bonita do mundo pela UCityGuides, com vários patrimônios da humanidade tombados pela Unesco (Castelo de Buda, Avenida Andrássy, Praça dos Heróis, entre outros).

→ A beleza de Budapeste já era muito apreciada antigamente. A impetriz Sissi, figura mais famosa do Império Áustro-Húngaro, apesar de ter seus principais palácios sediados em Viena, era apaixonada pela capital da Hungria, passando longas temporadas na cidade.

IMG_1380

CASTELO DE BUDA E GALERIA NACIONAL -BUDAPESTE

→ A linha 1/amarela do metrô de Budapeste é a segunda mais antiga do mundo e a mais antiga da Europa Continental (só mais nova que o metrô de Londres), e também é tombada como patrimônio pela UNESCO.

→ A Ponte das Correntes – mais antiga ligação permanente entre as duas margens da capital – recebe esse nome por ter sido feita de correntes de ferro. Com sua destruição quase completa na II Guerra Mundial, os reconstrutores modificaram o material de sustentação, mas o nome original permaneceu.

Os maiores edifícios da cidade são, por lei, o Parlamento e a Basílica de Santo Estevão e sua altura remete ao ano de fundação do país (96m, em alusão ao ano 896).

→ É em Budapeste que fica a maior Sinagoga europeia, precisamente na rua Dohany (pertinho da estação de metrô Astoria, da linha M2/vermelha).

→ O cubo mágico (aquele em que cada face tem que ficar com apenas uma cor diferente) foi criado por um húngaro, Ernõ Rubik.

SEGURO VIAGEM

 

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

 

IMG_1105.JPG

BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃO – BUDAPESTE, HUNGRIA

IMG_1512.JPG

PARLAMENTO – BUDAPESTE, HUNGRIA

 

IMG_1341

IGREJA DE SÃO MATIAS – BUDAPESTE, HUNGRIA

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

7 comentários sobre “BUDAPESTE

  1. Maria Antônia disse:

    Estou encantada com este post de Budapeste, ficou maravilhoso! ❤💟💜💖
    As fotos estão lindíssimas e o vídeo do rio Danúbio com o parlamento iluminado ficou muito bom, Parabéns! 👌👍

    Curtir

  2. hajaviagem disse:

    Olá Rafael e olá Aline, aqui é a Thais, colega da PRR. Meu blog e do meu marido não é tão lindo e maravilhoso quanto o de vocês, mas se quiserem, passem lá para dar uma olhadinha! 🙂
    Estamos começando ainda, espero que um dia tenhamos um tão belo e completinho quanto o de vocês!!! =** Beijos e parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Tiago disse:

    Essa cidade é top! Parlamento, Bastião dos Pescadores e a Praça dos Heróis são pontos espetaculares! Fora o lindo rio Danúbio! Palinká, Galuska e os salames húngaros são show de bola! Vale muito a pena conhecer Budapeste! Super recomendo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s