MALDIVAS

Conhecer o mar mais lindo que você verá na vida não é a tarefa mais difícil que parece. Comprada a passagem para ir até lá e escolhido um entre os inúmeros hotéis/resorts espetaculares dentro da sua possibilidade e vontade, seus problemas estarão resolvidos e você irá desfrutar os seus dias mais bonitos, sossegados e inesquecíveis nesse planeta.

Exagerado dizer isso?! No nosso ponto de vista, definitivamente não, conforme você pode conferir nas seções abaixo, ilustradas com as fotos mais difíceis de escolher na história desse blog. Continue lendo! 

Image00035

MALDIVAS – CRÉDITO: FIHALHOHI RESORT

COMO CHEGAR

Junto com a hospedagem, trata-se da seção mais decisiva/importante desse post.

Não há voo direto saindo do Brasil. A forma mais fácil e rápida é fazendo uma conexão em alguma cidade hub. As mais comuns com voos até o surpreendente Aeroporto Ibrahim Nassir ou Velana (ao lado da capital, Malé) são: Dubai (4h05 de voo pela Emirates), Abu Dhabi (4h20 de voo pela Etihad), Istambul (quase 8h de voo pela Turkish Airlines).

Há também voos diretos saindo de Londres (10h20 de voo pela British Airways), para citar outro local facilmente acessado por voos regulares do Brasil.

Cabe acrescentar que, pela localização geográfica de Maldivas – ao sul da Índia, colado com o Sri Lanka, no meio do Oceano Índico -, os voos mais baratos para chegar lá saem do Sudeste Asiático (Delhi/Kochi, na Índia; Kuala Lumpur, na Malásia; Bangkok, na Tailândia; e Cingapura) e, em seguida, dos países no Oriente Médio (Emirados Árabes, Catar, Omã, Arábia Saudita).

Além das companhias aéreas já referidas, operam voos diretos para Malé/Maldivas: Air Asia (achamos voos saindo de Bangkok, 4h20 de duração; e saindo de Kuala Lumpur, com 4h15 de duração); Spice Jet (costumam sair de Delhi/Kochi, na Índia); Fly Dubai (saem dos Emirados Árabes); Scoot e Singapore Airlines (saem de Cingapura; 4h35 de voo).

Consulte o Skyscanner, o Tripadvisor e o Google Flights, sem esquecer de baixar o aplicativo Passagens Baratas, para receber promoções atualizadas até lá ou fazer simulações a partir dos pontos de partida citados.

*Se for fazer conexão/stopover em alguma das cidades mencionadas neste tópico, certifique-se se há necessidade de visto para cada um deles. Veja se eles têm post nesse blog. Se não tiverem, tire suas dúvidas pelo nosso e-mail ou nos comentário ao final do post.

IMG_20180131_131011119_2

MALDIVAS

QUANDO IR

Apesar de muita gente falar que há duas épocas distintas durante o ano nas Maldivas (uma seca, normalmente no segundo semestre – de maio a dezembro – e outra, chuvosa – de janeiro até abril), estatisticamente, trata-se de uma região de chuvas frequentes, muitas vezes resumidas a pancadas diárias rápidas, típicas do seu clima tropical.

De acordo com os registros do Climate-data, os meses menos chuvosos (e, por isso, os que mais indicamos) são: Fevereiro, Março, Janeiro e Abril – nesta ordem. Os menos aconselháveis são novembro, dezembro e maio.

De qualquer forma, trata-se de uma probabilidade, mas é possível encarar chuvas nos meses destacados em negrito, bem como dar sorte com dias de sol forte nesses últimos citados.

IMG_20180131_142030763_2

FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

VISTO

Ele é feito na entrada do país (visa on arrival). Apenas leve seu passaporte válido por mais 6 meses (considerando a data do retorno) e uma carteira internacional de vacinação que ateste ter tomado a vacina contra a febre a amarela há mais de dez dias e menos de dez anos da viagem.

Não esqueça de ter em mãos a reserva do seu hotel, com dia de check in e check out, bem como o bilhete aéreo de ida e volta, e dinheiro em espécie.

Importante destacar que, por ser um país muçulmano, não é permitido levar bebida alcoólica (só é permitido o consumo dentro do hotel).

Para mais informações diplomáticas, acesse o link do Portal Consular.

IMG_20180131_121927983_2

MALDIVAS

FUSO HORÁRIO

GMT +5. Isso significa que são 8 horas a frente do horário de Brasília. Assim, quando na capital brasileira são 15h, na capital Malé são 23h. Todavia, há alguns hotéis em ilhas isoladas que possuem fuso horário diferenciado (1 hora a mais ou a menos da capital).

Image00030.jpg

MALDIVAS – CRÉDITO: FIHALHOHI RESORT

MOEDA

A oficial é a Rúpia Maldívia, mas o dólar norte-americano (US$) é aceito em todas as operações financeiras de lá. Basta levar dólares que você pode pagar sua hospedagem, transfer, refeições e passeios.

Há muitas casas de câmbio no aeroporto, em Malé, e na recepção dos hotéis das ilhas privativas.

IDIOMA

Língua divehi. Apesar disso, por ser um país eminentemente turístico, todos os que trabalham no aeroporto, restaurantes e hotéis falam inglês fluentemente. Comunicação não é problema por lá.

IMG_20180131_121941152_2

MALDIVAS

QUANTO TEMPO FICAR

De 2 a 4 dias completos em cada hotel que você pretende conhecer.

Dedique 1 dia, pelo menos, para descansar e curtir as áreas comuns do seu hotel e do marzão que circunda sua ilha. Para os demais dias, compre os passeios que seu hotel oferece (indicamos 1 para conhecer algum banco de areia – passeio imperdível -, outro dia para mergulhar com golfinhos/tubarões, e outro para conhecer as atrações da capital ou mergulhar junto aos corais).

Mais do que isso, nunca é ruim, mas as paisagens paradisíacas podem parecer repetitivas a um elevado custo.

IMG_20180201_151927505_2

MALDIVAS

COMO SAIR DO AEROPORTO

Se você ficar em uma ilha afastada da capital (a melhor forma para visitar Maldivas), acerte o transfer/traslado com o seu hotel. A maioria é feita de barco (escolha o “speed boat” para ser mais rápido e balançar menos), mas há hotéis mais afastados e de incrível infraestrutura que trazem e levam o hóspede por hidroavião.

O preço é bem salgado (há hotéis que cobram entre 90 a 120 dólares por passageiro, cada trecho, no transfer por barco), mas é compensado pela comodidade e o serviço de excelência. Ao combinar com o seu hotel, eles resolvem todo o resto. O pagamento pode ser feito no check out (ele é cobrado à parte; não está incluído na diária).

Como funciona: basta comunicar ao seu hotel por e-mail/whataspp a data e o horário de sua chegada, bem como o número de seu voo, a companhia área e o lugar de onde você está vindo, que eles providenciam o transfer, cuidando de sua bagagem assim que você chega.

IMG_20180201_112957939_BURST000_COVER_TOP_2 (1)

BANCO DE AREIA DO FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

Ao sair da área de recolhimento de bagagem e imigração, já no saguão de desembarque, você verá vários agentes de viagem com placas e tablets indicando o nome do hotel para quem trabalham e o nome dos clientes/hóspedes que eles estão esperando. Se não encontrar o preposto do seu hotel nesse setor, dirija-se aos guichês/quiosques com os nomes do hotéis que ficam já perto da saída do aeroporto. Toda essa área é muito pequena e, provavelmente, seu hotel comunicará previamente por e-mail ou whatsapp o local que você deve ir (se deve aguardar o agente turístico ao sair da porta automática do desembarque ou o número do guichê até qual você deve caminhar).

Seu transporte pode ser privativo (só para você e seus acompanhantes) ou compartilhado com outros hóspedes. Se for este o caso, torça para que seu voo seja o último a chegar para completar o barco/hidroavião, do contrário, você terá que aguardar um pouco até que o último hóspede chegue para completar o número de passageiros do barco/hidroavião.

A volta (hotel-aeroporto) é bem parecida, só que com horários mais flexíveis e sem a necessidade de ter que aguardar mais gente para que o barco/hidroavião decole. O hotel costuma informar os horários-limites de saída. Se você desejar ficar mais tempo curtindo as instalações e só sair para o aeroporto depois dos horários-limite, combine sua hora de saída com a recepção (neste caso, provavelmente, você terá que pagar um valor extra, já que ele será privativo para você em horário extraordinário).

IMG_20180201_150210002_2

MALDIVAS

HOSPEDAGEM

Dá para pagar pouco para se hospedar em Maldivas? Resposta: sim. Dá para aproveitar Maldivas com o mais bonito que ela oferece hospedando-se em locais mais baratos? Resposta: não.

Existe “uma Maldivas” em Malé (a capital) e existem outras Maldivas completamente diferentes nas ilhas afastadas da capital – daquelas de cenário de filmes, daquelas que bem definem o que é paraíso.

Para chegar até esse país, você tinha noção que ia desembolsar uma grana maior que em outros locais. Se você aterrissar ali, viva a melhor experiência possível. Por isso, economize o que puder antes de ir ou planeje-se para se recompor financeiramente depois, mas, se for até lá, não hesite: hospede-se em algum hotel com uma ilha exclusiva. NÃO fique na capital, Malé!

São centenas de excelentes hotéis, quase todos com meia pensão (café da manhã e almoço já no preço das diárias; o almoço deve ser pago à parte) ou pensão completa (todas as refeições incluídas) e com diferentes atrativos espetaculares. É tratamento vip, mesmo para quem não fica nos bangalôs sobre o mar. A seguir uma lista de hotéis bem avaliados (todos com direito a bangalôs e outros quartos mais simples):

  • Fihalhohi Island Resort (foi onde ficamos; queridos parceiros que nos proporcionaram dias incríveis; a melhor hospedagem das nossas vidas; atendimento/staff, comida, quarto, logística, oferta de tours…tudo mais do que excelente; custo-benefício incrível; fica a 40/50 minutos de barco saindo de Malé);
  • Anantara Veli Maldives Resort (outro a preço mais acessível para o “padrão Maldivas”);
  • Velassaru Maldives (cenário da lua de mel de muita gente famosa; apesar de caro quando comparado a outros países, é um dos melhores custo-benefício nas Maldivas; fica a menos de 30 minutos de barco saindo de Malé);
  • One&Only Reethi Rah (um dos mais exclusivos e bonitos hotéis de Maldivas; é de lá que são tiradas muitas das fotos pela Secretaria/Ministério do Turismo do país, com telas flexíveis que lembram redes sobre a água; celebra casamentos incríveis; fica em um atol ao norte de Malé, a 45/50 minutos de barco/speed boat ou a 15/20 minutos de hidroavião).
  • Six Senses Laamu (outro que está no top 5, assim como o anterior; o transfer é feito de hidroavião em virtude da maior distância para a capital);
  • Soneva Fushi (também procurado pelos artistas e “social influencers”; fica em uma ilha distante ao norte de Malé; para chegar, o transfer é feito de hidroavião);
  • Conrad Maldives Rangali Island (o que conta com o restaurante mais incrível que você verá na vida; é um restaurante debaixo d’água, funcionando como um aquário; sem contar as inúmeras regalias dessa rede de hotéis sofisticados; acessado por hidroavião).

Caso deseje hospedar-se na capital (pagando bem menos para dormir, porém muito mais para curtir as mais belas passagens e o sossego de Maldivas), seguem algumas sugestões:

**OBS: O cenário idílico de Maldivas tem atraído cada vez mais noivos a casarem em alguns de seus exclusivos resorts. É o chamado “elopement wedding”. Caso deseje realizar o seu casamento por lá, entre em contato com os “wedding planners” do seu hotel (o Anantara Veli, o Constance Halaveli, o One&Only, o Conrad e vários outros celebram esse evento). Eles informam o preço atualizado e o que esse custo inclui da cerimônia.

IMG_20180131_123558170_2

MALDIVAS

O QUE CONHECER

Se ficar em um hotel/resort em uma ilha privativa, aproveite as atividades oferecidas pelo respectivo setor de lazer. Normalmente, são disponibilizados caiaques, stand-up paddles e snorkels (boa parte dos mencionados hotéis cobram um custo adicional por cada um desses esportes – entre 10 a 20 dólares para um tempo limitado). Além disso, eles vendem uma variedade de passeios:

  • Banco de areia – é o melhor passeio que você pode fazer em Maldivas. Cada hotel costuma ter um ou mais bancos de areia exclusivos. Você combina com os encarregados pelos tours o horário que pretende sair para o seu banco de areia. Ao chegar no destino, o motorista do barco e o “co-piloto” montam a mini-estrutura (guarda sol, toalhas e águas) para você aproveitar durante as horas que você acertar com eles para retornarem. Você fica quase sozinho em uma ilha de areia branquinha cercada do mar de azul claro mais bonito que existe. É imperdível. Reserve seu dinheiro para fazer pelo menos esse passeio. Se puder levar ou alugar um drone, melhor ainda (você vai tirar as fotos mais incríveis da sua vida);
IMG_20180201_110629247_2

BANCO DE AREIA DO FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

  • Passeio com golfinhos e tartarugas – normalmente é feito de manhã cedo;
  • Mergulho em corais e com tubarões inofensivos e arraias – pode ser feito de dia ou à noite;
  • Tour aéreo panorâmico pelos atóis – sai em apenas alguns dias específicos (se as condições climáticas permitirem) e só alguns hotéis/resorts o oferecem. Você tem uma noção da beleza da região, com o azul claro nos trechos mais rasos da ilha contrastando com o azul profundo. Ótima forma de conhecer o país por outra perspectiva.
  • Passeio de parasail – mais uma linda maneira de ver as Maldivas do alto. Você vai acoplado a um paraquedas que alça voo puxado por uma lancha.
IMG_20180131_130220613_2

FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

  • Tour pelas atrações da capital, Malé – aconselhado a quem tem muitos dias no país e quer dar uma pausa na “sombra e água fresca” do hotel. O roteiro já é pré-definido, e passa pelo Museu Nacional, no Sultan Park (onde você verá armas e objetos antigos dos sultões), bem como pela mesquita Hukuru Miskiiy (datada do século XVII, construída com rocha de coral) e por mercado de frutas, mercado de artesanato e pelo mercado de peixes. Para mais pontos turísticos na capital, clique aqui.

Diferentemente das praias tailandesas, Maldivas é um destino muito mais indicado para quem quer relaxar e contemplar. Não há muitas festas e nem agito de grupos de turistas. É predominantemente visitado por casais em lua de mel ou em aniversário de casamento e por famílias com crianças.

Aproveite suas horas ociosas para curtir as atividades gratuitas organizadas pelo hotel/resort (academia; campeonato de ping pong; shows e jantares temáticos; gincanas e quiz entre casais),  sem contar o spa e as massagens oferecidas a preços mais acessíveis.

IMG_20180131_075641413~2

NASCER DO SOL – MALDIVAS

DESLOCAMENTO DENTRO DO PAÍS

Você pode fazer tudo dentro de sua ilha a pé ou em carrinhos de golfe (dirigidos por funcionários do hotel) ou de bicicleta. O ambiente é super seguro, sem nada para incomodar ou ameaçar.

Para visitar outras ilhas e bancos de areia próximos, assim como ver recifes de corais/golfinhos/tartarugas/tubarões, o mais comum é de ir speed boat/lanchas velozes. As atrações mais distantes são conhecidas por hidroavião. Esses deslocamentos são pagos à parte (não incluídos na diária) e o pagamento pode ser feito no check out.

IMG_20180130_190004900_HDR~3

MALDIVAS

CULINÁRIA LOCAL

Por ser um país que recebe turistas de todas as partes do mundo, principalmente europeus e asiáticos, a cozinha dos hotéis/resorts é internacional. Você encontrará macarronadas, sushis, mini hamburgers, carnes ensopadas, frangos empanados no buffets, bem como pratos franceses, tailandeses e de outras nacionalidades nos restaurantes a la carte.

O destaque fica para os frutos do mar e as frutas tropicais (como base de molhos ou em pedaços). As sobremesas não são tão gostosas quanto estamos acostumados no Brasil e a variedade de drinks é menor, uma vez que estamos falando de um país muçulmano – não habituado ao consumo e dose ideal da mistura.

IMG_20180131_075917049~3

RESTAURANTES

Cada ilha privativa conta com, pelo menos, um restaurante. Conforme informamos na seção “Hospedagem”, a maioria dos hotéis com ilhas próprias trabalham com o esquema de meia pensão (café da manhã e jantar incluído no preço da diária; o almoço é pago separadamente para quem quiser comer) ou de pensão completa (todas as refeições incluídas no valor das diárias).

O restaurante mais espetacular é o Ithaa Undersea, que fica no resort Conrad Maldives Rangali Island. Isso porque trata-se de um restaurante submerso, em que você vê tubarões, peixes e arraias passando. Experiência única.

conrad-maldives-rangali-island.jpg

RESTAURANTE ITHAA UNDERSEA – CRÉDITO: CONRAD MALDIVES RANGALI ISLAND

O arquipélago com mais restaurantes bem avaliados no Tripadvisor é o de Niyama. Lá você encontra os elogiados Tribal (comida africana), Edge, Epicure, NEST (comida asiática) e o BLU.

Para quem pretende se hospedar na capital (Malé), os restaurantes indicados são o Belleamie Bistro (fica no hotel Somerset), o Sala Thai, o The Sea House e o Pizza Mia.

IMG_20180131_125852106_2

MALDIVAS

COMPRAS

Os hotéis com ilhas próprias contam com lojas de produtos de verão (biquinis, cangas, shorts, blusas, sandálias) e souvenirs alusivos à fama de Maldivas (cartões-postais, imãs de geladeira e chaveiros). Quanto mais caro o hotel, maiores as opções de produtos de qualidade para comprar.

Em Malé, a capital, bons locais de compra são o mercado de frutas e o mercado de peixes e as lojas que ficam na Majheedhee Magu Road (a avenida principal).

VIDA NOTURNA

Não espere encontrar o agito e as baladas de Bangkok e das praias tailandesas. Longe disso.

Como já falamos, Maldivas é um país muçulmano mais aconselhado para quem quer descansar e contemplar a natureza.

Festas moderadas com animadores, música ao vivo, competição de karaokê, jogos/quiz com casais e e crianças, bem como sessões de cinema na praia são realizados em vários hotéis com ilha própria. Dificilmente essas atividades vão além da meia noite.

IMG_20180130_192241852_BURST000_COVER_TOP

POR DO SOL – MALDIVAS

Para quem fica no arquipélago de Niyama, aproveite para curtir a festa em um ambiente submerso com vista para a vida marinha no Underwater Party at Subsix, Per Aquum.

Na capital, a dica para quem não quer dormir cedo, é ficar em algum restaurante acima citado ou pegar um ferry para curtir a festa no Kurumba ou passear pela orla.

Para mais alternativas da nightlife de Maldivas, clique aqui.

NOSSA EXPERIÊNCIA

Fomos a Maldivas no final de janeiro de 2018. Viajamos pela Spice Jet saindo de Nova Delhi (com conexão no ótimo aeroporto de Kochi; passagem por menos de R$ 450,00 por pessoa) e saímos de lá com a Fly Dubai para os Emirados Árabes Unidos.

Ficamos 2 dias e meio hospedados no ótimo Fihalhohi Island Resort, parceria inequecível que tivemos no Sudeste Asiático. Desde o acerto firmado, eles tomaram conta de tudo para a gente. O transfer já estava nos esperando no desembarque (só aguardamos um pouco para que outro casal de hóspedes chegasse em outro voo).

Além disso, o atendimento deles foi extraordinário (todo mundo sorrindo, dando bom dia/boa tarde/boa noite mesmo trabalhando); o quarto, amplo e limpo; lindo e aconchegante bangalô sobre a água; hotel muito seguro; comida deliciosa; opções de lazer variadas; e cercado pelo mar mais lindo que já vimos – um azul claro transparente até acabar a tinta.

Enfrentamos um fim do dia nublado e o resto do nosso tempo foi de sol. Nosso passeio favorito foi para o banco de areia a 20 minutos de speed boat saindo do hotel. Ficamos com uma “ilha de areia” só para nós dois por mais de 3 horas. E que lugar, viu?! Um azul claro bem vivo para qualquer lugar que olhávamos, até aonde a vista alcançava. Parecia marca-texto. Tinta mesmo. E a temperatura da água não poderia ser melhor.

IMG_20180131_095643728_2

APROVEITANDO O FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

Além disso, alugamos um caiaque e demos muitas voltas na ilha do nosso hotel, tomando banho de mar e tirando foto em cada centímetro possível. Adoramos ver os cardumes, as arraias e os pequenos tubarões (estes nadavam perto da gente, mas eram totalmente inofensivos).

 

No final das contas, nosso veredicto: lugar mais lindo que já fomos. Dá vontade de tirar todas as férias possíveis para voltar lá ou jogar tudo pro alto e se candidatar a uma vaga de emprego no hotel, nem que seja para ficar varrendo as folhas. A gente esquece todos os outros destinos quando a gente lembra da beleza que são as Maldivas.

IMG_20180201_115415324_BURST000_COVER_TOP_2

BANCO DE AREIA DO FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

Não morra sem conhecer esse país. Junte o dinheiro que puder para viajar até lá. Você não vai se arrepender. Aproveite uma promoção aérea para Istambul, Londres ou Dubai OU combine uma viagem para a Índia com alguns dias nas Maldivas (acesso mais barato). Escolha um bom hotel, em uma ilha distante, e só aproveite. Fique certo que mais difícil que chegar é sair das Maldivas.

IMG_20180201_111122400_2

BANCO DE AREIA DO FIHALHOHI – MALDIVAS

DICAS

→ Embora a época mais seca seja o primeiro trimestre, os meses mais chuvosos são os mais baratos para visitar as Maldivas. O preço da hospedagem chega a cair pela metade em muitos bons estabelecimentos.

→ Fique hospedado em um resort em uma ilha própria afastada da capital, Malé. Se você já vai chegar nas Maldivas, procure ficar nos atóis com o mar mais bonito, que é a principal atração do país.

→ O nascer do sol é extraordinário nas Maldivas. Acorde cedo para assistir a ele.

IMG_20180201_101921086_4

FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

→ Se só tiver tempo e dinheiro para fazer um passeio/tour  no país, escolha o que leva para algum banco de areia. O ponto turístico mais bonito de lá é – disparado – o mar.

→ Não leve bebidas alcoólicas para as Maldivas. Trata-se de um país muçulmano que só admite o consumo dentro dos hotéis.

→ Apesar de ser mais comum chegar nas Maldivas fazendo conexão/stopover em Dubai, considere outras opções de origem de voo (elencamos algumas sugestões na seção “Como Chegar”). Compramos a nossa passagem saindo de Nova Delhi/Índia, com conexão em Kochi, por menos de R$ 450,00 para cada um – voo muito mais curto e barato do que partindo dos Emirados Árabes Unidos.

→ Se puder escolher, chegue ou saia das Maldivas em voos diurnos. O visual dos atóis com diferentes tons de azul é perfeito.

→ A tomada para carregar seu indispensável celular e sua máquina fotográfica é a do tipo C (com dois pinos redondos paralelos), igual a do Brasil. Mesmo assim a gente sempre aconselha que leve um adaptador universal.

DCIM100MEDIADJI_0551.JPG

MALDIVAS – CRÉDITO: FIHALHOHI RESORT

CURIOSIDADES

⇒ Maldivas é um país composto de quase 1200 ilhas espalhadas em 26 atóis, das quais apenas pouco mais de 200 são habitadas.

⇒ Foi colônia portuguesa, holandesa e inglesa.

⇒ Depois de um período de sultanato, obteve a independência em 1965 e instaurou a república em 1968. Apesar disso, por 38 anos depois da república, só teve dois presidentes.

IMG_20180201_133256187_2 (1)

FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

⇒ É o menor e menos populoso país da Ásia e o menos habitado país muçulmano.

⇒ A atividade econômica predominante é a pesca (maior fonte de exportação) sendo seguida de perto pelo turismo.

⇒ A alfabetização de adultos atinge 99%.

⇒ A expectativa de vida no país pulou de 46 anos em 1978 para quase 75 anos atualmente.

⇒ O cenário idílico de Maldivas tem atraído cada vez mais noivos a casarem em alguns de seus exclusivos resorts. É o chamado “elopement wedding”. Caso deseje realizar o seu por lá, entre em contato com os “wedding planners” do seu hotel. Eles informam o preço atualizado e o que esse custo inclui da cerimônia.

IMG_20180201_101459749_BURST001_3

FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

SEGURO VIAGEM

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

 

IMG_20180131_125914920_2

FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

IMG_20180201_112247783_BURST000_COVER_TOP_2 (1)

BANCO DE AREIA DO FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

IMG_20180201_132056387_BURST000_COVER_TOP_2

BANCO DE AREIA DO FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

IMG_20180201_110020001_2

BANCO DE AREIA DO FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

IMG_20180201_102355189_2

FIHALHOHI RESORT – MALDIVAS

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

14 comentários sobre “MALDIVAS

  1. Guilherme disse:

    Grande Rafael! Pra quem só visualiza teus posts não sabe que além disso tudo, você é um grande ser himano! Parabéns pelo sucesso das suas viagens! Que venham muitas outras. Guilherme

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s