CLIFFS OF MÖHER

Dublin, a capital, pode ser famosa por seu clima festivo e boêmio, por sua riqueza literária e universitária, bem como por seu povo receptivo e supersticioso, mas é em Cliffs of Möher que você encontra o principal e mais bonito motivo para visitar a Irlanda, na nossa opinião.

Continue a leitura e confira nos tópicos seguintes todas as informações úteis para conhecer os penhascos mais espetaculares e fotografados da Europa.

20170525_143504~3.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

COMO CHEGAR

Avião + carro alugado/excursão

O aeroporto internacional mais próximo é o de Dublin (DUB), a 270 km dos Cliffs of Möher. Não há voos diretos do Brasil até ele.

Para pousar lá, os voos de origem mais comuns saem de Londres (1h20 de duração, principalmente partindo do aeroporto de Luton), Edimburgo (1h05 de duração) e Cardiff – todos eles muito baratos (muitas vezes custando menos de 200 reais, ida e volta), principalmente os operados pelas companhias áreas low costs Ryanair e Flybe.

Você também encontra voos diretos bem econômicos saindo de Lisboa (2h50 de duração operados pela Ryanair ou Aer Lingus), de Madri (2h40 de duração, também operados pela Iberia), de Paris (principalmente saindo do aeroporto Beauvais Tillé ou do aeroporto de Orly; 1h35 de duração, também operados pela Transavia), de Frankfurt (2h05 de duração, também operados pela Lufthansa), de Milão (2h35 de duração), entre outras cidades hubs europeias que recebem voos frequentes do Brasil.

20170525_134828~2.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

Para saber a forma mais barata para ir até lá no período pretendido, simule diferentes pontos de partida no Skyscanner ou no Viajanet. Além disso, baixe o aplicativo “Passagens Baratas” para receber mensagens e e-mails das promoções aéreas.

*Se for viajar em uma das citadas low costs (especialmente a Ryanair), imprima seu check in com antecedência. Se deixar para imprimir quando chegar no aeroporto de partida, terá que pagar uma taxa extra. Além disso, vale ficar atento às dimensões da bagagem e à escolha dos assentos. Por serem bem mais baratas, as companhias low costs costumam restringir bastante o tamanho e peso da bagagem gratuita e o assento só não é pago se você não escolhê-lo.

20170525_120634~2.jpg

A CAMINHO DOS CLIFFS OF MÖHER – BURREN, IRLANDA

Chegando em Dublin, você deve escolher entre ir de carro alugado ou de excursão realizada por várias agências na capital. A primeira opção dá maior independência e tempo livre para você no local de interesse; já a excursão conta com guia animado, que conta histórias e curiosidades da região, parando em locais estratégicos para boas fotos e a um custo similar ou até mais barato do que o aluguel e combustível do carro + eventual hospedagem de quem vai por conta própria.

Caso prefira dirigir um carro alugado (indicamos sempre a locação antecipada no site Rentcars), o caminho mais recomendado é feito pela seguinte sequência de rodovias: M4 (até perto da cidade de Kinnegad) + M6 (até o trevo pouco depois de Athenry) + M18 (até a entrada da cidade de Gort) + R460 (até Killinaboy, que fica pouco depois do Parque Nacional Burren) + R476 (passando por Kilfenora e seguindo rumo a oeste, passando pelo castelo Ballynagowan e pelo vilarejo Doolin Holliday) + R478. São 3h10 de percurso.

bd2888eb791fa4544132e1adacf3db9b

MAPA DA IRLANDA (DUBLIN À DIREITA/LESTE E CLIFFS OF MÖHER/OESTE)

As estradas no interior da Irlanda, embora estreitas, são impecáveis, com sinalização constante. Apenas vá preparado para dirigir na mão inglesa (volante no assento dianteiro direito; marcha à esquerda do motorista; ultrapassagens feita pela faixa da direita.

Para facilitar sua condução, alugue um carro com câmbio automático, baixe o Google Maps e o aplicativo Waze ou similar (Drive Awake/Fuelio/Econoflex/Car Dashdroid) leve um GPS e mapa físico com as estradas detalhadas (cabe lembrar que há vários pontos de acostamento ou recuos com postos de gasolina e lojas de conveniência).

20170525_144717~3.jpg

TORRE O’BRIEN – CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

Se acha melhor a praticidade de fazer o tour de um dia com uma agência especializada, sugerimos algumas empresas bem avaliadas: Paddywagon (ônibus verde com o mascote de um gaélico de barba ruiva e chapéu verde; fizemos nosso passeio com essa excelente empresa; recomendamos), Wild Rover, Healy Tours, Extreme Ireland, Irish Day Tours, Cliffs of Moher Day Tours, Galway Tour Company (para quem sai de Galway). A maior parte dessas empresas fica na O’Connell Street e no encontro entre a College Green e a Grafton Street, bem como na Suffolk Street, e cobram entre 40 e 50 euros pelo passeio. Consulte o site de cada uma delas e acerte os detalhes do tour, principalmente o horário e local exato de saída.

*OBS: Também é perfeitamente possível chegar nos Cliffs of Möher de ônibus. O coletivo sai do aeroporto de Dublin ou do centro da capital (Aston/Crampton Quay – pertinho da famosa ponte Ha’penny Bridge) e é operado pelo City Link, chegando na rodoviária da cidade de Galway, de onde saem vários ônibus para Cliffs. Não recomendamos essa alternativa, por ser mais demorada e trabalhosa do que as anteriores. Mesmo assim, se quiser ir de ônibus, confira os horários de saída e compre sua passagem com antecedência nesse link.

IMG_7988~2.JPG

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

QUANDO IR

O tempo na Irlanda é famoso pelas chuvas quase diárias, embora não muito intensas, ou pelas nuvens quase sempre cinzentas de nebulosidade.

Assim, o turista que deseja conhecer os Cliffs of Möher nas suas melhores condições – um dia de sol com poucas nuvens – precisa contar com uma boa dose de sorte.

Recomendamos a viagem até lá entre abril e julho, por ser historicamente os meses menos chuvosos da região. Além disso, nessa época a temperatura média oscila entre 10ºC e 15ºC.

***Evite ir no outono e no inverno, principalmente entre outubro e janeiro. É frio (média entre 7,5ºC e 5ºC) e chove bastante, atrapalhando a visibilidade dos penhascos.

IMG_7981~2.JPG

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

VISTO

Não é exigido de turistas brasileiros que pretendem ficar menos de 3 meses na Irlanda. Para entrar no país, basta levar o passaporte válido por 6 meses.

Caso precise fazer conexão na Inglaterra antes de entrar no país do trevo de quatro folhas, relembramos que Londres é conhecida internacionalmente pelo alto rigor alfandegário e considerável índice de recusa de imigrantes. Por isso, aconselhamos que leve o máximo de comprovantes que atestem seu vínculo de moradia e estabilidade no país de origem (declaração de seu vínculo empregatício, passagem de ida e volta já compradas e com horário certo, nome e endereço das hospedagens, período da estadia no hotel que coincida com a data de saída de Londres), afastando qualquer chance de interpretarem que você quer ficar de vez por lá.

20170525_145019~3.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

Outra coisa…comporte-se como um turista comum, sem usar terno e mala executiva ou falar de um jeito muito formal. Seja respeitoso, educado e tranquilo, mas não displicente nem autoritário. Jamais demonstre pressa ou impaciência perante os fiscais.

Esses cuidados são bem menores assim que você pousa em Dublin. Os agentes da imigração chegam a puxar conversa e falar de amenidades com turistas durante o procedimento do carimbo do passaporte. Para mais informações, acesse o Portal Consular.

FUSO HORÁRIO

GMT +1. Isso significa que são 4 horas à frente do horário predominante no Brasil, desconsiderado o horário de verão. Assim, quando o relógio marca 7h30 da manhã em Brasília, são 11h30 da manhã na Irlanda (mesmo horário para Dublin e Cliffs of Möher).

IMG_8005~2.JPG

TORRE O’BRIEN – CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

MOEDA

Euro. Para ter uma estimativa da cotação, confira o conversor monetário do Banco Central do Brasil.

Com o hotel e o passeio para Cliffs of Möher pagos no cartão (leve impresso seu voucher, disponibilizado assim que feito o pagamento antecipado pelo site da agência), é bom levar, pelo menos, 60 euros diários por pessoa e o cartão de crédito habilitado para uso internacional.

IMG_8012~2.JPG

CASTELO BUNRATTY – CAMINHO DOS CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

Caso deseje adquirir mais euros em Dublin, recomendamos o saque nos caixas ATM do moderno aeroporto ou as casas de câmbio nas turísticas O’Connell Street, Grafton Street e Essex Street.

*Apesar de Dublin ser mais segura que a maioria das capitais brasileiras, previna-se contra os batedores de carteira guardando seu dinheiro e seu cartão em um porta-dólar/pochete dentro da calça. Na região de Cliffs of Möher o risco de furto é quase inexistente.

IDIOMA

Inglês. Os irlandeses são muito simpáticos e prestativos – não é só a fama. Mesmo se você não falar inglês muito bem, eles vão te ajudar. Além disso, muitos brasileiros escolhem a Irlanda para fazer intercâmbios ou para trabalhar. Assim, eles estão acostumados a lidar conosco. Comunicação, enfim, é bem tranquila por lá.

20170525_144337~2.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

QUANTO TEMPO FICAR

Cliffs of Möher é um lugar lindíssimo e fica em uma área verde bem agradável no oeste da Irlanda. O passeio feito pelas agências dura 1 dia inteiro por essa região (3 a 4 horas reservadas só para as falésias).

Se for por conta própria (carro alugado ou ônibus de linha), reserve 1 ou 2 dias para conhecê-lo, além de 2 dias completos em Dublin.

20170525_140043~3.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

COMO SAIR DO AEROPORTO

Se o seu hotel em Dublin não estipular transfer/traslado a partir do aeroporto, o trecho de 11 km até o centro pode ser realizado de ônibus comum, ônibus executivo de madrugada, táxi ou de carro alugado.

A forma mais barata é de ônibus. As linhas até as avenidas principais de Dublin são 16 e 41. O valor da passagem não ultrapassa os 5 euros e só pode ser paga em moeda (troque sua cédula no aeroporto).

d547a97124004dfef3f51e8aa18dbc0b

AIRCOACH (DO AEROPORTO PARA O CENTRO DE DUBLIN) – CRÉDITO: GOOGLE IMAGENS/PINTEREST

Para quem chega em voos noturnos ou de madrugada, a melhor alternativa é ir de Aircoach, o melhor ônibus que funciona nas altas horas (é confortável e seguro). Há guichês para comprar essa passagem logo no desembarque ou na parte externa do aeroporto – tudo bem sinalizado pelas placas no moderno aeroporto da capital. O preço do bilhete é de cerca de 6 euros (ida e volta custa 10 euros aproximadamente).

O táxi custa pouco mais de 20 euros até o centro, e varia a depender da quantidade de malas e de passageiros que transporta. O Uber funciona, mas cobra preço similar aos táxis credenciados da saída do aeroporto.

Caso deseje alugar o carro, recomendamos a locação antecipada pelo site da Rentcars.

IMG_7925~2.JPG

CAMPOS DO BURREN – A CAMINHO DOS CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

HOSPEDAGEM

Se for pernoitar ou passar alguns dias em Dublin, prefira hospedar-se nas imediações da O’Connell Street (perto do monumento The Spire) ou da Grafton Street. São as áreas mais movimentadas da capital irlandesa, caracterizada por hospedagens caras, mesmo as mais simples. Confira abaixo algumas opções bem avaliadas por turistas:

20170525_141407~3.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

  • Eccles Townhouse – pousada boutique de fachada vitoriana elegante. Ótimo custo-benefício. O único ponto negativo é que não fica tão perto do centro quanto os anteriores; fica a 900m ao norte das primeiras atrações turísticas de Dublin, já perto do Croke Park. Nota 8,2 no Booking.
  • Ha’penny Bridge View Flat – um bom custo-benefício de Dublin (mais barato que as opções acima e com ótima localização). Apartamento de 40m² com capacidade de abrigar 4 pessoas. Nota 7 no Booking.

Para quem viaja de maneira independente e quer conhecer Galway (a terceira maior cidade do país e localizada a 75 km dos Cliffs of Möher), seguem algumas dicas de hospedagem de lá:

  • The Residence Hotel – um dos mais luxuosos de Galway, com lindos quartos, a 15 minutos de caminhada para a praia. Nota 8,7 no Booking;
  • Eyre Square Hotel – 3 estrelas no centro de Galway. Nota 8,3 no Booking;
  • The Two of Clubs – 5 estrelas de ótimo custo-benefício. Nota 9,1 no Booking;
  • Dun Roamin – um dos mais baratos da cidade. Um pouco mais afastado que os anteriores, fica a 20 minutos de caminhada até a Catedral de Galway. Nota 7,8 no Booking.
IMG_7911~3.JPG

CASTELO DUNGUAIRE, EM KINVARA – A CAMINHO DOS CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

Se quiser ficar o máximo de tempo possível nos Cliffs of Möher, chegando antes e saindo depois dos ônibus turísticos, hospede-se em Doolin, a menos de 10km de caminhada até os famosos penhascos. A seguir, algumas hospedagens que recomendamos:

  • Mary’s Meadow – casa de aluguel de temporada que fica a 450m do centro. São mais de 140m², com capacidade para 8 pessoas. Nota 9,7 no Booking.
  • Doolin View B&B – essa pousada com quartos simples e limpos, além de incluir café da manhã, fica 10 minutos de caminhada dos bares e restaurantes tradicionais de Doolin (450m do centro). Nota 9,6 no BookingBooking;
  • Rainbow Hostel – um dos mais baratos de Doolin. Conta com quartos duplos e banheiros privativos a 650m do centro. Nota 8,7 no Booking.

Para mais alternativas de hospedagens, consulte o Booking, Trivago, Tripadvisor. Caso prefira alugar um quarto, apartamento ou uma casa para uma temporada, tratando dos detalhes diretamente com o proprietário, acesse o Airbnb.

IMG_7924~2.JPG

INTERIOR DA IRLANDA – A CAMINHO DOS CLIFFS OF MÖHER, NA REGIÃO DO BURREN

O QUE CONHECER

Nos Cliffs of Möher, a melhor coisa é caminhar pela trilha (Burren Way) sobre os penhascos verdes de mais de 200m de altura. A trilha completa é de 11km, começando em Doolin, mas o trecho mais bonito e visitado atinge menos de 5km. A sequência de paisagens e rochas sobre o mar é espetacular. É difícil seguir sem parar para fotos ou só para ficar olhando o cenário. Não deixe de visitar a Torre O’Brien (toda de pedra cinza, construída em 1835; 2 euros para entrar nela e ter uma vista panorâmica diferente), o centro de visitação/museu/loja Cliffs of Moher Visitors Experience e o belo café-restaurante montado sob um monte verde, dentro da rocha.

A dica é caminhar da Torre O’Brien ou do centro de visitantes rumo ao sul (sentido Estação Telegráfica e Jordan Denning Point). Na nossa opinião, esse é o lado com as melhores vistas – é muito melhor olhar para a Torre O’Brien sobre o penhasco do que entrar nela.

20170525_145730~2.jpg

TORRE O’BRIEN – CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

Procure ao máximo ficar dentro dos limites da trilha, principalmente em dias de muito vento. Quase não há fiscalização de funcionários e, assim, muita gente chega muito perto dos precipícios (muitos já morreram por caírem em virtude de desequilíbrio ou mal-estar). Por isso, tome cuidado! Só arrisque sair da trilha em áreas com rochas mais firmes e com maior área de acostamento.

20170525_122205~2

BABY CLIFFS – UMA BELA MINIATURA DAS FAMOSAS FALÉSIAS DA IRLANDA

*Aos que contratam o tour de 1 dia – empresas recomendadas você encontra na seção “Como Chegar” – a visita aos Cliffs of Moher costumam durar de 1h30 a 2h logo depois do almoço (pago à parte e normalmente realizado em Doolin). A entrada no parque e o audioguia já estão incluídos no preço do tour. Ao longo do percurso, a excursão passa ainda pela baía de Galway e pelas Ilhas Aran, com parada na vila de pescadores em Kinvara (onde fica o Castelo Dunguaire), nos Baby Cliffs e no Castelo de Bunratty. (outros tours incluem paradas em Galway – conhecida como a Veneza do Oeste). Consulte o itinerário dos tours de cada uma das empresas recomendadas anteriormente e escolha a que mais te atraia.

IMG_8013~2.JPG

CASTELO DE BUNRATTY – IRLANDA

*Para quem viaja de forma independente (carro alugado ou ônibus de linha), o ingresso é pago à parte logo na entrada do parque. Custa em torno de 6 euros – apesar de não haver catracas, os funcionários espalhados pela área podem solicitar que você apresente seu ingresso. Acesse o site oficial desse parque para saber os horários de funcionamento, preços atualizados e informações mais recentes. Depois de explorar bastantes as trilhas dos Cliffs, aproveite seu tempo livre para visitar e ficar quanto tempo quiser nas cidades de Galway, Doolin e para conhecer também o Castelo Dunguaire (em Kinvara) e o Castelo de Bunratty (castelo normando do século XV, cercado de lojinhas de artesanato e souvenirs).

DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

Como dissemos nos tópicos anteriores, as trilhas pelos Cliffs of Möher são feitas a pé – caminhos bem delimitados e pouco irregulares, com subidas e descidas suaves. Para chegar até a entrada principal, você pode ir de carro alugado, ônibus de linha ou em vans/ônibus turísticos de excursões, saindo de Dublin ou de Galway.

20170525_104609~2.jpg

CASTELO DE DUNGAIRE, EM KINVARA – A CAMINHO DOS CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

CULINÁRIA LOCAL

Assim como na Inglaterra e na Escócia, o café da manhã irlandês é bem reforçado e com ingredientes incomuns para o desjejum brasileiro. Você encontrará, logo cedo, lanchonetes e restaurantes servindo pratos com panquecas de batata (“boxty“), pães tostados, acompanhados de linguiças, ovos, bacons, feijão com molho de tomate (isso tudo espalhado em um prato ou dentro de um pão baguete – conhecido como “breakfast roll“). Para quem quer pegar mais leve de manhã cedo, a dica é comer o “porridge“, que é um mingau de aveia e outros grãos com pedaços generosos de frutas.

No almoço e lanche, também é bem comum o fish & chips (peixe frito com batata frita cobertos de maionese), um prato de ostras, o chicken roll (pão baguete recheado de frango empanado, alface e maionese), ou pratos com carne de carneiro ou porco com misturas de legumes e verduras (“coddle“, normalmente repolho, batata, bacon/linguiça, cebola ou purê de ervilhas/mushy peas).

IMG_7959~2.JPG

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

À noite é fácil encontrar restaurantes servindo um ensopado de carne com legumes (“irish stew” ou “guiness stew“, quando o molho também é formado com a famosa cerveja local) ou a sopa de frutos do mar (“seafood chowder“), acompanhadas de pão feito de bicarbonato de sódio (“Soda bread“) e as tortas gratinadas recheadas de carne e purê de batata (“shepherd’s pie“).

Para acompanhar essas refeições, não poderiam faltar as bebidas – estamos falando da Irlanda, ora! Não saia do país sem tomar um pint da cerveja Guiness (patrimônio e orgulho irlandês; a stout mais consumida no planeta) tampouco sem experimentar o licor Bailey’s (feito com uísque, nata e outros ingredientes), o Irish Coffee (também preparado com uísque, sem esquecer do creme de leite) e a sidra Bulmers.

IMG_7885.JPG

EXPERIMENTANDO UMA GUINESS NA FÁBRICA – DUBLIN, IRLANDA

RESTAURANTES

Para quem viaja de excursão até Cliffs of Möher, a parada para almoço costuma ser feita em Doolin, em restaurantes pré-definidos pela agência de viagem. Entre os mais saborosos de lá:

20170525_150327~2

RESTAURANTE DENTRO DO PARQUE – CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

Para quem está por conta própria, uma boa dica é comer em Galway (para muitos intercambistas, a cidade mais charmosa da Irlanda), consulte o guia do Tripadvisor. Adiantamos algumas sugestões:

índice.jpg

DA ROBERTA’S RISTORANTE, EM GALWAY – CRÉDITO: SITE OFICIAL DO RESTAURANTE

Restaurantes em Dublin serão melhor apresentados no post específico. A maior parte deles fica na O’Connell Street e entre o parque St. Stephen’s Green, o Trinity College e o Castelo de Dublin (ruas: College Green, Grafton Street, Dawson Street) e na Essex Street. Para algumas opções bem avaliadas, clique nesse link.

COMPRAS

No parque Cliffs of Möher, só há uma lojinha de lembranças (blusas, chaveiros, ímãs de geladeira e outros souvenirs) no Centro de Visitantes, pertinho do estacionamento.

Para quem vai de excursão de 1 dia, há outras paradas para compras: no vilarejo de Kinvara e em frente ao Castelo de Bunratty.

IMG_8008.JPG

PLACA COM INDICAÇÃO DA LOJINHA (AO FUNDO CENTRO DE VISITANTES) – CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

Ainda sobre o assunto, não faltam lojinhas e bom comércio em Galway, com destaque para a Shop Street.

Em Dublin, os melhores pontos de compra ficam na O’Connell Street e na Grafton Street.

VIDA NOTURNA

Não existe vida noturna em Cliffs of Möher (no verão – maior horário de funcionamento do parque – ele fica aberto até as 20h).

Quem quiser aproveitar a noite ali perto, a melhor pedida é curtir os pubs com música ao vivo ou karaokê do Latin Quarter ou de Salthill, em Galway. Recomendamos:

20160805-223838-lls-largejpg.jpg

O’CONNORS PUB, EM GALWAY – CRÉDITO: TRIPADVISOR

Em Dublin, não faltam opções – a fama da cidade deve-se aos hábitos notívagos do seu povo. Se tiver pouco tempo por lá, dirija-se aos pubs da Essex Street, principalmente, ao Temple Bar. Ele é parada tão obrigatória quanto a visita à fábrica da Guiness e à universidade Trinity College.

IMG_7900.JPG

O MÍTICO TEMPLE BAR – DUBLIN, IRLANDA

NOSSA EXPERIÊNCIA

Fomos aos Cliffs of Möher em um dia de sol no final de maio de 2017, saindo de Dublin com a ótima empresa Paddywagon Tours.

O passeio começou cedo: antes das 8h da manhã saímos no ônibus da agência a partir da O’Connell Street (perto do monumento The Spire). O ônibus era novo, confortável e limpo; o guia era bem divertido, educado e contava muitas histórias locais – sobre o processo de independência da Irlanda; a relação com a vizinha Irlanda do Norte e com a Inglaterra; algumas superstições famosas do país; curiosidades sobre pontos turísticos de Dublin e do interior do país, com fatos inusitados que aconteceram em castelos, etc.

20170525_143247~3.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

Nossa primeira parada foi no deck de Kinvara, uma vila de pescador bem pacata, com casas coloridas à beira mar e perto do belo Castelo de Dunguaire. Depois de meia hora por lá, seguimos por um lindo trecho da estrada no Condado de Claire (região de Burren) com campos verdes e cheios de ovelhas de um lado e o mar de outro. Paramos por 20 minutos nos Baby Cliffs – uma linda miniatura dos famosos Cliffs of Möher, com falésias escuras impressionantes.

Em seguida, fomos até Doolin, onde paramos para almoçar no saboroso restaurante FitzPatrick’s (self service com comida típica e opções da cozinha internacional; valor pago à parte da excursão).

Uma hora depois seguimos poucos quilômetros até chegarmos na entrada dos espetaculares Cliffs of Möher. O lugar é extraordinário; um dos cenários naturais mais lindos que já vimos. Dá vontade de passar o dia inteiro por lá, caminhando por toda a trilha de 8km várias vezes (tente ir de forma independente ou combine com sua agência de viagens um tour que permita você ficar mais de 3 horas naquele que é o ponto alto do interior irlandês). O trecho que mais gostamos foi poucos metros na trilha à esquerda da bifurcação do Centro de Visitantes e que dava vista para a Torre O’Brien.

20170525_121818~2.jpg

NOS BABY CLIFFS – IRLANDA

Apesar de 1h30 parecer muito pouco para se dar conta da beleza daquele lugar, conseguimos caminhar bastante, tirar inúmeras fotos e ainda lanchamos no café bem bacana que fica na entrada do parque (montado na pedra e coberto do verde da grama, adaptando o cenário natural sem destruí-lo).

Depois daquele tempo naquele lugar espetacular – o mais bonito que vimos em toda a Irlanda, com folga -, começamos nosso retorno. No caminho, paramos para compras e para apreciar o lindo Castelo de Bunratty, pertinho do Folk Park. Meia hora depois dessa agradável parada, nosso ônibus seguiu de vez até Dublin, chegando na capital irlandesa já no final da tarde.

Nossas impressões: Cliffs of Möher, por si só, vale a viagem para a Irlanda. É uma das belezas mais absurdas de toda a Europa. O passeio ideal para quem curtir as paisagens bucólicas e sentir um pouco a cultura gaélica/celta da antiguidade irlandesa. Gostamos mais de lá do que de Dublin, por isso, aconselhamos a visita até lá mesmo se você só tiver um dia na Irlanda (na volta você pode conhecer algum pub da capital). Imperdível!

IMG_7985~2.JPG

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

DICAS

⇒ Procure ir na época que chove menos. Um dia de sol nos Cliffs of Möher é incomparável. A maior probabilidade disso acontecer é entre abril e julho, período historicamente pouco mais seco.

⇒ Leve um agasalho, protetor solar e capa de chuva, além de um bom calçado e garrafa de água. Você pode enfrentar no mesmo dia tempo chuvoso, com muitos ventos e até um sol forte para percorrer a trilha pelo parque.

⇒ Se for viajar em uma das citadas low costs (especialmente a Ryanair), imprima seu check in com antecedência. Se deixar para imprimir quando chegar no aeroporto de partida, terá que pagar uma taxa extra. Além disso, vale ficar atento às dimensões da bagagem e à escolha dos assentos. Por serem bem mais baratas, as companhias low costs costumam restringir bastante o tamanho e peso da bagagem gratuita e o assento só não é pago se você não escolhê-lo.

IMG_7993~2.JPG

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

⇒ As estradas no interior da Irlanda, embora estreitas, são impecáveis, com sinalização constante. Apenas vá preparado para dirigir na mão inglesa (volante no assento dianteiro direito; marcha à esquerda do motorista; carros lentos trafegando pela faixa da esquerda e ultrapassando pela faixa da direita).

Para facilitar sua condução, alugue um carro com câmbio automático, baixe o Google Maps e o aplicativo Waze ou similar (Drive Awake/Fuelio/Econoflex/Car Dashdroid) leve um GPS e mapa físico com as estradas detalhadas (cabe lembrar que há vários pontos de acostamento ou recuos com postos de gasolina e lojas de conveniência).

⇒ Leve um adaptador universal de tomadas e uma régua ou extensão para carregar seus celulares e outros aparelhos eletrônicos. O plugue padrão na Irlanda é do tipo G (três pinos retangulares, sendo dois horizontais paralelos e um vertical). A voltagem varia entre 220V e 240V.

20170525_135412~2.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

⇒ Também não esqueça de levar dinheiro em espécie (euros) guardados em um porta-dólar, bem como seu cartão de crédito habilitado para uso internacional.

⇒ Assista ao filme P.S.: Eu Te Amo para entrar no clima da linda região rural da Irlanda.

CURIOSIDADES

→ O nome Cliffs of Möher faz alusão às falésias que ficam perto do local onde existia o forte Mothar, destruído durante as guerras contra Napoleão para a construção de um farol.

→ Estudos geológicos indicam que os penhascos mais famosos da Irlanda têm mais de 300 milhões de anos.

20170525_120711~2

A CAMINHO DOS CLIFFS OF MÖHER – INTERIOR DA IRLANDA

 

 

→ A falésia mais alta desse parque atinge os 214 metros e fica ao norte da Torre O’Brien.

→ A Torre O’Brien, construção mais destacada nas falésias, foi construída em 1835 por sir Cornelius O’Brien, descendente do rei irlandês Brian Boru, para servir de ponto de observação e proteção contra invasores.

→ Os Cliffs of Möher ficaram entre os finalistas no concurso das 7 Novas Maravilhas do Mundo. Perderam para: Cristo Redentor, Taj Mahal, Muralhas da China, Machu Picchu, Petra, Chichen Itzá, Coliseu de Roma.

20170525_115604~2.jpg

REGIÃO DE BURREN, EM DIREÇÃO AOS CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

→ A região já foi cenário de vários filmes, entre eles, “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”, bem como “Casa Comigo”.

→ É a atração natural mais visitada da Irlanda, recebendo mais de 1 milhão de visitantes por ano.

SEGURO VIAGEM

 

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

IMG_7974~3

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

IMG_7990~2.JPG

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

 

20170525_115817~2

INTERIOR DA IRLANDA

20170525_165012~2

CASTELO DE BUNRATTY – IRLANDA

 

20170525_145730~2

TORRE O’BRIEN – CLIFFS OF MÖHER, IRLANDA

IMG_7910~2.JPG

DECK DE KINVARA NA MARÉ BAIXA COM VISTA PARA O CASTELO DE DUNGAIRE – IRLANDA

20170525_145145~3

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

20170525_105513~2

CASTELO DE DUNGAIRE, EM KINVARA – IRLANDA

20170525_135921~2.jpg

CLIFFS OF MÖHER – IRLANDA

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

2 comentários sobre “CLIFFS OF MÖHER

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s