MILÃO

A segunda maior cidade italiana, capital mundial da moda, é indevidamente tratada por muitos como uma cidade de chegada ou de passagem pela “bota”. Com uma das igrejas mais lindas do mundo, restaurantes a céu aberto, castelo, galerias, teatros e muita gente curtindo os espaços públicos, Milão é muito mais do que se diz e pensa a respeito dela.

Continue a leitura e confira como chegar, quando ir, o que conhecer, dicas de restaurantes, baladas, hospedagens, e muitas outras informações úteis nas seções seguintes.

IMG-20180926-WA0077~2

DUOMO DE MILÃO – ITÁLIA

COMO CHEGAR

O aeroporto internacional de Malpensa (MXP) e o aeroporto de Bérgamo/Orio al Serio são as formas mais comuns para a maioria dos turistas que vêm de outros países e pretende chegar em Milão.

Há voos diretos para lá saindo de São Paulo (11h30 de duração operado pela LATAM).

Para quem viaja de outras cidades brasileiras, outra boa alternativa é voar até Roma, capital italiana de onde saem vários trens diários para Milão (3h de percurso; para conferir preços e horários do excelente serviço ferroviário da Itália, clique nesse link do site oficial companhia encarregada desse transporte – Trenitalia; escolha como ponto de chegada a estação “Milano Centrale”).

Considere também chegar em Milão voando a partir de várias grandes cidades europeias, tais como: Lisboa (2h35 de duração, pela TAP), Barcelona (1h35 de duração, pela Vueling), Paris (1h30 de duração, pela Air France), Londres (1h55 de duração, pela Ryanair), Frankfurt (1h10 de duração, pela Lufthansa), Amsterdã (1h35 de duração, pela Vueling e Alitalia) e Zurique (55 minutos de duração, pela Swiss). Todas essas contam com vários voos diretos até Milão e são facilmente acessíveis pelos grandes aeroportos do Brasil.

IMG-20180926-WA0054~2.jpg

NAVIGLIO GRANDE – MILÃO, ITÁLIA

*Compare os diferentes pontos de partida acima citados (pelos sites: Skyscanner, Viajanet, Max Milhas, 123 Milhas) para escolher o que melhor se adeque ao seu orçamento para a época que pretende conhecer Milão.

**Para acompanhar as promoções aéreas, baixe os aplicativos do Melhores DestinosSubmarino e Passagens Baratas, de forma a receber automaticamente e-mails com avisos de passagens a baixos preços em tempo real.

***Se quiser alugar um carro e fazer uma roadtrip pela Itália (incrível, por sinal), as estradas para chegar em Milão, saindo de Roma, são a E35 + A1.

QUANDO IR

É interessante a visita durante todo o ano a Milão, mas considerando temperatura e também a quantidade de chuvas, o melhor mês é setembro (2º mês menos chuvoso entre os de temperatura amena – média de 19,3ºC). Outros bons momentos para conhecer a cidade são maio e junho.

Os meses mais chuvosos são, estatisticamente, outubro e novembro. Os mais secos são janeiro (temperatura média de 1,9ºC, com possibilidade de neve) e julho (média de 23, 8ºC, mais gente nas ruas, alta temporada, preço mais alto dos serviços).

Para saber os eventos e festivais que acontecem em Milão e se algum deles coincidirá com os dias de sua viagem – destaque para a Fashion Week (em fevereiro), Summer Festival (entre junho e julho), Carnaval Ambrosiano (ocorre em um sábado, variando conforme a data da Páscoa), Festival Del Naviglio (ocorre nos primeiros 10 dias de junho), Festival de Cinema (em setembro) e Festival de Jazz (em novembro) – acesse esse link ou aqui.

IMG-20180926-WA0087~2

GALERIA VITTORIO EMANUELE – MILÃO, ITÁLIA

VISTO

Não é obrigatório, assim como não se exige vacina específica para turistas brasileiros que ficam na Itália por 90 dias. Apenas leve o passaporte válido por, pelo menos, 3 meses a contar da data do fim da viagem.

Para mais informações sobre documentos e requisitos diplomáticos para entrar em território italiano, acesse o Portal Consular ou o site da Embaixada da Itália.

IMG-20180926-WA0066~2
FUSO HORÁRIO

No horário de verão europeu (normalmente, entre abril e setembro): GMT +2, ou seja, 5 horas à frente do horário de Brasília. No horário de verão brasileiro (entre outubro e fevereiro): 3 horas adiantadas em relação à hora predominante no Brasil.

IMG-20180926-WA0053~2

CASTELO SFORZESCO – MILÃO, ITÁLIA

MOEDA

Euro. Para estimativa da cotação atualizada, confira o conversor monetário oficial do Banco Central do Brasil.

Casas de câmbio, caixas eletrônicos (ATM) e agências bancárias você encontra nos citados aeroportos (Malpensa e Bérgamo), nas estações de trem, em vários hotéis e nos pontos indicados neste link.

Leve um cartão de crédito habilitado para uso internacional e tenha em mãos 60 dólares por pessoa diariamente (valor esse desconsiderado o pagamento da hospedagem). Esses recursos permitem fazer boas refeições, visitar os pontos principais da cidade e comprar algumas lembrancinhas.

IMG-20180926-WA0062~2.jpg

ARQUITETURA DA PUJANÇA FINANCEIRA DE MILÃO – ITÁLIA

IDIOMA

Italiano, mas dá pra se virar também com o inglês. É interessante ter noção de algumas palavras no idioma local, para ganhar a simpatia dos nativos, evitar grosserias e até pra conhecer mais uma língua mesmo.

Expressões italianas básicas: Ciao (oi e tchau); Scusi (desculpe, com licença); Grazie mille (muito obrigado); Non capisco italiano (não entendo italiano); Per favore (por favor); Niente (nada);  Nessuno (ninguém); Arrivederci (até logo); Buongiorno (bom dia); Buon pomeriggio (boa tarde); Buona sera (boa noite); Buonanotte (boa noite, quando estiver indo dormir).

Biglietto (passagem); Treno (trem);  Pullman / Bus (ônibus); Bisogno (preciso); Metropolitana (metrô);  Acquistare (comprar); Piazza (praça).

IMG-20180926-WA0043~2

MILÃO – ITÁLIA

QUANTO TEMPO FICAR

2 dias completos são suficientes para conhecer as atrações principais de Milão. Todavia, por ser uma cidade próxima a lugares lindíssimos no norte da Itália e sul da Suíça, recomendamos de 3 a 5 dias extras para conhecer a região de Como/Bellagio, Turim, Verona e/ou Lugano.

IMG-20180926-WA0038~2

PARQUE SEMPIONE E ARCO DELLA PACE – MILÃO, ITÁLIA

COMO SAIR DO AEROPORTO

Se não tiver transfer/traslado incluído pelo seu hotel, a melhor forma para ir do aeroporto de Malpensa até o centro da cidade é de ônibus executivo (Malpensa Shuttle – passagem pode ser comprada nos guichês ou pela Internet e levam até a estação central de Milão) ou de trem (Malpensa Express – ticket comprado em guichês, máquinas de autoatendimento ou pela Internet).

São duas opções mais baratas que o táxi e, sobretudo o trem, faz você evitar os congestionamentos. Assim, o percurso até a estação central dura entre 20 e 30 minutos, e custa entre 10 e 15 euros por pessoa.

IMG-20180926-WA0060~2

AEROPORTO DE MALPENSA – PRINCIPAL PORTA DE ENTRADA PARA MILÃO, ITÁLIA

*O trem Malpensa Express sai do Terminal 1 e do Terminal 2 do aeroporto e deixa nas estações Cadorna, Porta Garibaldi e Stazione Centrale. Já o ônibus Malpensa Shuttle também sai dos Terminais 1 e 2 chegando apenas na Stazione Centrale. Para localizar os pontos de saída desses dois modais, basta seguir as placas com os símbolos correspondentes ou perguntar no balcão de informações (normalmente, indicado com o ícone “I”).

**Para quem chega em Milão pelo aeroporto de Bérgamo/Orio Al Serio (BGY), a melhor forma para ir ao centro da cidade é pelo ônibus das companhias Orio Shuttle, Terravision ou Autostradale. Você os encontra estacionados logo na saída do saguão de desembarque. O trajeto até o centro dura cerca de 1h e os ônibus partem a cada meia hora. O valor da passagem fica entre 5 e 10 euros.

milan.gif

MAPA DA LOCALIZAÇÃO DOS AEROPORTOS – MILÃO, ITÁLIA

HOSPEDAGEM

Procure se hospedar entre a estação central e a Galeria Vittorio Emanuele/Duomo. É uma região bonita, movimentada e onde tudo acontece na cidade. Outra alternativa é ficar perto do Castelo Sforzesco. Abaixo uma relação de opções bem avaliadas:

IMG-20180926-WA0039~2.jpg

UMA DAS ENTRADAS DA GALERIA VITTORIO EMANUELE – MILÃO, ITÁLIA

IMG-20180926-WA0055~2.jpg

ENCANTOS DE MILÃO, ITÁLIA

Para mais alternativas, consulte o Booking, Trivago, Tripadvisor. Se tem interesse em alugar um quarto, apartamento ou uma casa para uma temporada, tirando suas dúvidas diretamente com o proprietário, acesse o Airbnb.

Qualquer que seja o hotel escolhido, pergunte com antecedência se eles oferecem gratuitamente o serviço de transfer do/para o aeroporto, principalmente se você chegar em um horário no qual os trens/metrôs não estejam funcionando.

O QUE CONHECER

Duomo – a catedral da cidade, com uma das fachadas mais bonitas que nós já vimos. Parada obrigatória para fotos de todos os ângulos possíveis. Para preços (normalmente, 3,50 euros) e horários de funcionamento das visitas, clique aqui. Metrô: estação Duomo (linha 1/vermelha ou 3/amarela). Tram/bonde: linhas 12, 15, 16, 19 (parada Duomo).

IMG-20180926-WA0081~2.jpg

A MONUMENTAL DUOMO – MILÃO, ITÁLIA

Galeria Vittorio Emanuele II – belíssimo centro de lojas e restaurantes com colunas detalhadas e teto arqueado de vidro. Liga a praça da catedral ao do Teatro alla Scala. Metrô: estação Duomo (linha 1/vermelha ou 3/amarela). Tram/bonde: linhas 1 (parada Teatro alla Scala), 12, 15, 16, 19 (parada Duomo).

IMG-20180926-WA0048~2

GALERIA VITTORIO EMANUELE II – MILÃO, ITÁLIA

Teatro alla Scala – uma das mais renomadas casas de ópera do mundo, com uma fachada neoclássica. Construído por ordem da imperatriz Maria Teresa da Áustria, em 1778. Para visitas, clique aqui. Metrô: estação Duomo (linha 1/vermelha ou 3/amarela). Tram/bonde: linhas 1 (parada Teatro alla Scala), 12, 15, 16, 19 (parada Duomo).

Castello Sforzesco – construído no século XV, abriga uma vasta coleção de artes cívica (estátuas, bibliotecas, pinturas) entre jardins e belas torres avermelhadas. É na enfermaria espanhola do Castelo que fica a última Piettà esculpida por Michelangelo (Piettà Rondanini, encontrada na casa do mestre renascentista quando ele morreu). Metrôs: estação Cairoli Castello (linha 1/vermelha) ou estação Lanza (linha 2/verde). Tram/bonde: linhas 1 ou 4 (paradas Via Ricasoli/Foro Bonaparte/Piazza Castello), bem como 2, 12 ou 14 (parada Lanza). Ônibus: 50, 57, 58, 61, 94, NM2 (paradas Cairoli/Lanza/Cadorna).

IMG-20180926-WA0051~2.jpg

CASTELO SFORZESCO – MILÃO, ITÁLIA

Parque Sempione/Arco della Pace – agradável área verde muito utilizada pelos locais para prática de esportes e piqueniques, com lago, fontes, estátuas, galeria de arte e design (Triennale), Aquário e Arena Cívica.

Na extremidade norte do parque (oposta ao Castello Sforzesco), fica o Arco della Pace. Trata-se de uma linda estrutura de mármore, com 23m de altura, em 3 arcadas, colunas corintianas e estátuas de cavaleiros e carruagem, construída por ordem de Napoleão Bonaparte para simbolizar suas conquistas no norte da Itália, embora concluída a mando de Franz Josef I (da Áustria) dedicado à paz.

Metrôs: estação Cairoli Castello (linha 1/vermelha), estação Lanza ou estação Moscova (essas últimas da linha 2/verde). Tram/bonde: linhas 1 ou 4 (paradas Arco della Pace/Arena/Via Ricasoli/Foro Bonaparte/Piazza Castello), bem como linha 10 (parada Arco della Pace/Via Pagano Via Cadona), linhas 2, 12 ou 14 (parada Lanza). Ônibus: 43, 50, 57, 58, 61, 94, NM2, N26 (paradas Triennale/Piazza Lega Lombarda/Via Pagano Via Cadona/Cairoli/Lanza/Cadorna).

IMG-20180926-WA0052~2

PARQUE SEMPIONE E ARCO DELLA PACE – MILÃO, ITÁLIA

Navigli/Naviglio Grande – canal em cujas margens fica uma sequência de restaurantes, bares, sorveterias, lojinhas e galeria de arte (há uma super charmosa escondida dentro de um beco no número 4 na margem oeste do canal). Um dos lugares mais bacanas para passar o fim de tarde e curtir o que os jovens milaneses gostam. Metrô: estação Porta Genova FS (linha 2/verde). Tram/bonde elétrico: linhas 2, 9, 10 e 14 (paradas Via Vigena Viale Gorizia/Porta Genova). Ônibus: linhas 74, 169, 325, NM2, N25, N26 (parada Porta Genova).

*Há também uma estação de trem muito perto “Milano Porta Genova”.

Estádio San Siro/Giuseppe Meazza – é onde jogam os times de futebol Milan e Internazionale, dois dos mais tradicionais da Itália. Vale a pena conhecer o museu do Milan, o segundo maior vencedor da maior competição de clubes europeus. Metrô: estação San Siro Stadio (linha 5/violeta). Tram/bonde: linha 16. Ônibus: linhas 64, 78, 80, 423 (parada Via S. Gusto Via Dessie), linha 49 (Piazza Axum/Stadio Meazza).

Cenacolo Vinciano – onde fica exposto o quadro “A Última Ceia”, pintada por Leonardo Da Vinci. Tem que comprar o ingresso com bastante antecedência, já que é muito concorrido (só podem entrar grupos de até 25 pessoas) e só aberto alguns dias da semana. Para reservar, clique nesse link do site oficial.

IMG-20180926-WA0063~2

Parque/Jardim Público Indro Montanelli – nos seus arredores você encontrará a linda Galeria de Arte Moderna e o Museu de História Natural. Algumas poucas ruas a oeste, já perto do Castello Sforzesco, você encontrará a Pinacoteca di Brera e o Jardim Botânico. Metrô: estação Turati (linha 3/amarela), estações Porta Venezia ou Palestro (ambas da linha 1/vermelha). Tram/bonde: linhas 1, 9, 33 (paradas Piazza Cavour/Viale Vittorio Veneto/Porta Venezia). Ônibus: linhas 43, 94, NM1, NM3 (paradas Turati/Palestro).

Quadrilátero da Moda – lojas de grife localizadas entre quatro grandes ruas e algumas ruelas situadas entre o Teatro alla Scala e o Parque Indro Montanelli, com destaque para a Via della Spiga, a Via Montenapoleone, Via Bigli e a Via Sant’Andrea. Metrô: estação Montenapoleone (linha 3/amarela). Tram/bonde: linha 1 (paradas da Montenapoleone). Ônibus: linhas 61, 94, NM3 (paradas Montenapoleone/Piazza Cavour/Via Senato). Outras duas ótimas ruas para compras são a Corso Vittorio Emanuelle II (continuação por trás da Duomo; metrô: estação Duomo – linha 1/vermelha e linha 3/amarela; tram/bonde: linhas 12, 15, 16, 19 –  parada Duomo) e a Via dei Mercanti/Cordusio/Dante (metrô: estação Cordusio – linha 1/vermelha – ou Duomo – linha 1/vermelha e linha 3/amarela; tram/bonde: linhas 1, 2, 12, 14, 16, 19 – paradas Via Orefici Piazza Cordusio; ônibus: linha NM1 – parada Via Orefici Piazza Cordusio).

*Para locomoção ilimitada em transportes públicos e acesso gratuito ou com ótimos descontos em museus e outras atrações, adquira o Milan Pass.

OBS: Acrescente 3 dias extras e aproveite para conhecer de carro ou trem a região de Como/Bellagio (encontre a rota e distância aqui), Turim (rota e distância aqui), Verona (trajeto e distância aqui) e/ou Lugano (rota e distância aqui).

map-centre.gif

MAPA DOS PONTOS TURÍSTICOS DE MILÃO, ITÁLIA

map_of_milan.jpg

MAPA DOS PONTOS TURÍSTICOS DE MILÃO, ITÁLIA

DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

A pé, de metrô ou ônibus turístico.

A pé – a cidade tem um centro turístico concentrado em três áreas, relativamente próximas entre si, em um percurso seguro e plano: 1) Duomo/Scala/Galeria Vittorio Emanuele – a 3 km da Estação Central da cidade rumo ao sul; 2) Castelo/Parque Sempione/Arco della Pace – a 3 km da Estação Central rumo a sudoeste, e a pouco mais de 2 km a oeste da catedral Duomo; 3) Naviglio Grande – a 5 km ao sul da Estação Central, a 2 km ao sul da catedral Duomo e a 3 km a sudeste do Arco della Pace.

Para otimizar o tempo de sua caminhada, sugerimos que faça o Free Walking Tour. Você ouve histórias e curiosidades caminhando pelas atrações principais, por meio do guia local e acompanhado de outros turistas em uma vibe parecida com a sua, só pagando o que acha que o guia merece ao final. Algumas boas empresas que oferecem esse serviço:  Milan Free Tour e Strawberry Tours.

Metrô – a melhor maneira para conhecer a cidade para quem não quer gastar com ônibus turístico e não tem condições ou disposição para caminhar por muito tempo. Indicamos as estações próximas a cada um dos mais importantes pontos turísticos na seção “O que conhecer”. Reforçamos que a linha 1/vermelha leva até Duomo/Teatro Scala/Galeria Vittorio Emanuele II/Castelo Sforzesco/Parque Sempione/Cenacolo Vinciano; a linha 2/verde leva até o Naviglio Grande/Parque Sempione/Estação Central; linha 3/amarela leva até a Estação Central/ Duomo; linha 5/violeta leva até o Estádio San Siro. A seguir, mapas das estações de metrô de Milão:

IMG-20180926-WA0040~2.jpg

A INACREDITÁVEL DUOMO DE MILÃO, ITÁLIA

Ônibus turístico: melhor alternativa para quem tem pouco tempo na cidade, quer ouvir curiosidades em áudio guia em diferentes línguas e parar nas atrações principais pagando uma vez para subir e descer de um ônibus de dois andares quantas vezes quiser durante a validade da passagem (normalmente, de 1 dia). São de cor vermelha e operados pela City Sightseeing. Para saber qual das rotas e combos melhor atende suas prioridades, confira nesse link.

*Para quem deseja conhecer a cidade pedalando, sugerimos as bicicletas rotativas da BikeMi (compre seu acesso no link destacado e veja o mapa das estações aqui) ou alugue a bicicleta em uma das locadoras desse mapa.

CULINÁRIA LOCAL

A culinária em Milão costuma agradar pelo sabor e simplicidade (poucos ingredientes para não confundir os sabores). Outro fator são os pratos fartos. É comum a refeição com entrada, primeiro prato, segundo prato e sobremesa. (em italiano: antipastoprimi piatti , secondi piatti).

Além dos destaques indiscutíveis para as massas frescas tradicionais (lasanhas e macarronadas principalmente), pizzas assadas em forno à lenha, os azeites, queijos e cortes de carne; há que se experimentar o PANZEROTTO/PANZEROTTI (espécie de pastel recheado, com massa de cor alaranjada típica das comidas empanadas) e o risoto milanês, vendidos em vários lugares como alguns dos pratos preferidos entre os locais.

IMG-20180926-WA0079~2

LASANHA E RISOTO – CLÁSSICOS DE MILÃO, ITÁLIA

Um patrimônio imaterial da cidade e encontrado quase em todos os restaurantes e cantinas são as carnes e frangos “à milanesa”, isto é, empanados (farinha envolvendo a carne frita, fazendo surgir uma crosta crocante), consumidos no mundo inteiro.

Como sobremesa, não deixe de saborear um dos espetaculares e baratíssimos “gelatos” (sorvetes cremosos) ou tiramissu, vendidos em vários lugares da cidade.

As bebidas mais consumidas são Aperol Spritz, espumantes e vinhos, muito bem acompanhados por uma tábua de queijo gorgonzola (o mais consumido na cidade, e cuja origem vem de uma cidade homônima perto de Milão).

RESTAURANTES

Falando em uma cidade grande e glamourosa, não poderiam faltar ótimas opções para comer em Milão. Se tiver pouco tempo por lá, caminhe pela região do Naviglio Grande ou pelo Mercado del Duomo (ao lado da catedral) e escolha um dos vários incríveis restaurantes que combine mais com a sua vontade no momento. A seguir, algumas boas alternativas espalhadas na cidade:

IMG-20180926-WA0042~2

NAVIGLIO GRANDE – MILÃO, ITÁLIA

IMG-20180926-WA0078~2

GALERIA VITTORIO EMANUELE II – MILÃO, ITÁLIA

Para achar as estações de metrô e paradas de ônibus próximas, procure no “aqui” em destaque o ícone do M ou do ônibus em branco com fundo azul.

COMPRAS

A capital da moda é repleta de lindas lojas, a maior parte delas cara. A região de maior concentração de lojas de roupas e maquiagens/cosméticos são: Quadrilátero da Moda e Via dei Mercanti/Cordusio/Dante.

Quadrilátero da Moda – quatro grandes ruas e algumas ruelas situadas entre o Teatro alla Scala e o Parque Indro Montanelli, com destaque para a Via della Spiga, a Via Montenapoleone, Via Bigli e a Via Sant’Andrea. Metrô: estação Montenapoleone (linha 3/amarela). Tram/bonde: linha 1 (paradas da Montenapoleone). Ônibus: linhas 61, 94, NM3 (paradas Montenapoleone/Piazza Cavour/Via Senato). Outras duas ótimas ruas para compras são a Corso Vittorio Emanuelle II (continuação por trás da Duomo; metrô: estação Duomo – linha 1/vermelha e linha 3/amarela; tram/bonde: linhas 12, 15, 16, 19 –  parada Duomo).

IMG-20180926-WA0041~2.jpg

UMA DAS MILHARES LOJAS EM MILÃO, ITÁLIA

Para chegar na Via dei Mercanti/Cordusio/Dante – metrô: estação Cordusio – linha 1/vermelha – ou Duomo – linha 1/vermelha e linha 3/amarela; tram/bonde: linhas 1, 2, 12, 14, 16, 19 – paradas Via Orefici Piazza Cordusio; ônibus: linha NM1 – parada Via Orefici Piazza Cordusio).

Outros bons locais para encontrar alguns souvenirs/lembranças são: Galeria Vittorio Emanuele II, Naviglio Grande, Estação Central, Corso Buenos Aires, Shopping Il Centro (onde fica a loja Primark, com artigos muito baratos).

VIDA NOTURNA

Para quem quer ver o movimento em um espaço agradável ao ar livre, indicamos os restaurantes e bares ao longo das margens do canal Naviglio Grande. É por lá que turistas e milaneses se encontram para bater um papo, com artistas de rua e bandas ao vivo. Se prefere uma balada ostentação na capital italiana do glamour, a Corso Como é o endereço que você procura (é lá que fica o Loolapaloosa, a Eleven e o Hollywood, entre outros ótimos lugares para passar a noite). A seguir, algumas outras opções de night clubs elogiadas:

  • Old Fashion (diversão para todos os gostos e todas as idades; é bem central, no Parque Sempione; encontre a localização aqui);
  • Alcatraz (presente em quase todas as listas das melhores de Milão; fica aqui);
  • The Club (encontre a localização aqui);
  • The Wall (música eletrônica super dançante em um ambiente com luzes de LED coloridas; encontre a localização aqui);
IMG-20180926-WA0045~2.jpg

VIA DANTE – MILÃO, ITÁLIA

  • Club 747 (abre às sextas para música house internacional e aos sábados para sucessos atuais; encontre a localização aqui);
  • B: free cocktail bar (além da música excelente, o local serve uma extensa variedade de bons drinks; encontre a localização aqui);
  • Just Cavalli (frequentada por artistas e gente do mainstream italiano; cara, mas com a decoração e vibe que compensam; encontre a localização aqui);
  • Fabrique (espaço imenso e com DJs renomados passando por lá; encontre a localização aqui).

*Se tiver pouco tempo na cidade, otimize-o com o Pub Crawl. Você sai com guia e grupo de turistas animados passando por um circuito de casas noturnas famosas na cidade, com direito a alguns shots e outros benefícios (descontos em cervejas/vinhos, entradas liberadas, fotos). Duas empresas bem avaliadas que fazem esse tour divertido: Original Milan Pub Crawl e Empire Pub Crawl Milano.

**Recomendamos que vá e volte de Uber para cada uma dessas baladas. Caso prefira ir de metrô ou ônibus/bonde elétrico, encontre as estações e paradas próximas, clicando no “aqui” em destaque e localizando o ícone do M ou do ônibus ou bonde elétrico em branco com fundo azul.

NOSSA EXPERIÊNCIA

Estivemos em Milão em junho de 2017, ficamos na cidade por dois dias e meio de muito sol e temperatura maravilhosa, um dos quais dedicados a um bate-volta à linda cidade de Lugano, no sul da Suíça.

Ficamos hospedados no Lecco Apartment, em uma agradável pousada a poucas ruas ao sul da Estação Central, entre as estações de metrô Repubblica (linha 3/amarela) e Lima (linha 1/vermelha). Ele era muito bem localizado, com quarto espaçoso (embora antigo) e com banheiro compartilhado limpo e amplo. Não é dos mais baratos, porém passa longe de ser um dos mais caros.

Chegamos em Milão em um voo vindo de Malta, pousando no Aeroporto de Malpensa. Tanto o trecho de lá até o centro da cidade quanto o inverso foi feito por meio do ônibus Malpensa Shuttle: pontual, confortável e mais barato que táxi/Uber.

IMG-20180926-WA0046~2.jpg

DUOMO – MILÃO, ITÁLIA

Dentro da cidade, fizemos todos os percursos a pé (inclusive, à noite), exceto no último dia para irmos da Duomo à região do Naviglio Grande e para voltar deste lugar animado para o nosso hotel. Apesar de ter muitos trechos escuros, com prédios de fachada grafite/cinzenta, sentimo-nos seguros o tempo todo, sem medo em rua alguma, sequer nas estações de metrô. O maior risco por lá são os batedores de carteira. Assim, só fizemos guardar o dinheiro e o cartão em um porta-dólar dentro da roupa.

Conhecemos o Teatro alla Scala, a Galeria Vittorio Emanuele II, a praça da Duomo, a Via Dante, o Castelo Sforzesco, o Parque Sempione, o Naviglio Grande, o Quadrilátero da Moda, a Corso Buenos Aires, a Estação Central e as ruas que conectam esses pontos.

Tudo dito acima é lindíssimo, mas o que mais nos impressionou foi: Duomo (a catedral de fachada mais bonita que já vimos; é espetacular; não à toa o ponto mais fotografado e famoso da cidade); a Galeria Vittorio Emanuele II (é disparado o centro de compras mais elegante e bonito que já visitamos); o Parque Sempione (área verde deliciosa com muitas atrações por perto) e o Naviglio Grande (área animada e bonita, ótima para começar a noite).

IMG-20180926-WA0067~2.jpg

CASTELO SFORZESCO – MILÃO, ITÁLIA

Sugestão de roteiro de 2 dias completos:

1º dia – caminhada pela região do Teatro alla Scala (com visita guiada), Galeria Vittorio Emanuele II e praça da catedral (com visita guiada dentro da Duomo, incluindo subida ao seu mirante). De lá, seguir caminhando pela Via dei Mercanti/Cordusio/Dante (fica a oeste da praça da catedral), passando pelas lojas e restaurantes ao ar livre até chegar no Castelo Sforzesco. Visita ao castelo e, na saída, seguir em frente para caminhar Parque Sempione, atravessando-o até alcançar o Arco della Pace. De lá, seguir até o Cenacolo Vinciano, para ver o “A Última Ceia” pintada por Da Vinci (reserve sua entrada com muita antecedência antes de viajar). Em seguida, curtir a noite no Naviglio Grande, petiscando, vendo as galerias de arte, tomando sorvete e até passeando de barco pelos canais que se cruzam na região.

2º dia – conhecer o museu do Milan e ver um jogo no estádio San Siro (olhe o site oficial antes de se programar para visitá-lo); de lá, pegar um metrô para voltar ao centro, na região de Brera e passear pelo Quadrilátero da Moda, pelo Parque/Jardim Público Indro Montanelli (onde fica o Museu de História Natural e a Galeria de Arte Moderna). No fim do dia, caminhar pela Corso Como e escolher o melhor lugar para curtir a noite (Hollywood Rythmoteque, Loolapaloosa, Tocqueville 13).

Com mais tempo, pegue um trem na Estação Central até Como/Bellagio. Com mais um dia sobrando, viaje para Lugano (na Suíça) ou para Verona.

IMG-20180926-WA0050~2.jpg
DICAS

⇒ Para locomoção ilimitada em transportes públicos e acesso gratuito ou com ótimos descontos em museus e outras atrações, adquira o Milan Pass.

⇒ Aplicativos sempre ajudam (fundamental comprar um chip SIM para ter acesso a Internet em qualquer lugar da cidade). Mencionamos durante o post e aqui resumimos alguns que podem facilitar sua viagem:

Para encontrar os pontos turísticos que pretende conhecer com mapas funcionando off-line, baixe o Google Maps e destaque seus locais preferidos antes de viajar. Para saber sobre o clima Weather Channel; para ajuda no idioma, o conhecido Google Tradutor, o Lexifone (capaz de gerar áudios no idioma escolhido e traduzir áudios) e Wordlens (traduz placas e textos mediante a foto tirada por seu celular, o aplicativo traduz para você o que está escrito).

IMG-20180926-WA0084~3.jpg

DUOMO – MILÃO, ITÁLIA

⇒ Vale a pena incluir um guarda-chuva ou uma capa na sua viagem para Milão. Trata-se de uma cidade com tempo muito instável, sendo muito frequente você encontrar fotos da Duomo com o céu nublado ou poças d’água em virtude das chuvas.

⇒ Antes de viajar, consulte se sua hospedagem inclui o transfer do/para o aeroporto. Caso não, sugerimos que esse percurso seja feito pelo ônibus da Malpensa Shuttle ou pelo trem da Malpensa Express. Ambos saem dos dois terminais do aeroporto e levam até a Estação Central. Para quaisquer dúvidas, procure o balcão de Informações (ícone I).

⇒ Para carregar seus celulares e máquinas fotográficas, não esqueça de levar um adaptador universal e uma régua de tomadas. A tomada padrão na Itália é do tipo L, com três pinos arredondados alinhados na vertical.

⇒ Leve cartão de crédito habilitado para uso internacional e prefira adquirir seus euros nos caixas eletrônicos (ATM) dos aeroportos ou da Estação Central.

CURIOSIDADES

→ Milão é a capital da província da Lombardia.

→ Sua área urbana é a quinta maior da União Europeia, e sua região metropolitana é a maior da Itália e a terceira maior da União Europeia.

→ A cidade foi fundada pelos celtas, tendo sido conquista pelos romanos em 222 a.C, passando a ter um papel de destaque durante o Império.

→ Já foi dominada pelos espanhóis e pelos austríacos, tendo sido conquistada por Napoleão Bonaparte, que a consagrou como a capital do Reino da Itália em 1805. Foi o principal centro da resistência italiana durante a II Guerra Mundial, tendo sofrido vários bombardeios dos Aliados, sobretudo, a partir de 1943.

IMG-20180926-WA0061~2.jpg

ESTAÇÃO CENTRAL DE MILÃO – ITÁLIA

→ É uma das cidades mais importantes para finanças, negócios e design na União Europeia (é a de maior crescimento de construção de arranha-céus em toda a Itália, concentrados nas regiões de Puorta Nova e City Life), tendo sediado a Exposição Universal de 1906 e de 2015.

→ Trata-se do centro artístico erudito mais importante da Itália, principalmente na área de ópera. Foi no Teatro alla Scala que Giuseppe Verdi estreou a ópera Nabucco. Lá também foi lançadas as óperas Madame Butterfly e Turandot, ambas de Puccini.

→ A plataforma 21 da Estação Central foi utilizada na II Guerra Mundial para transportar os judeus italianos aos campos de concentração e extermínio gerenciados pelos nazistas.

SEGURO VIAGEM

 

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

IMG-20180926-WA0047~2.jpg

IMG-20180926-WA0049~2.jpg

IMG-20180926-WA0083~2

DUOMO DE MILÃO – ITÁLIA

 

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

10 comentários sobre “MILÃO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s