PETRA

A Cidade Rosa parece ser cenário criado para filmes de mistério e aventura – como Indiana Jones e a Última Cruzada -, mas vai muito além dessa aparência.

O fascínio turístico de Petra, tombada como Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1985, deve-se ao fato de sua impressionante história e beleza: foi erigida há milhares de anos pela civilização dos nabateus, esculpida nas pedras rosadas e alaranjadas, após uma sequência de canyons, com sistema avançado de canalização de água, em uma área desértica, sendo utilizada como importante ponto de passagem de rotas comerciais árabes antes da dominação romana.

Confira nos tópicos abaixo todas as informações úteis para fazer seu roteiro gratuito a uma das 7 Novas Maravilhas do Mundo. 

IMG_20180206_132527355-01.jpeg

TESOURO/AL KHAZNA – PETRA, JORDÂNIA

COMO CHEGAR

Pelos aeroportos de Aqaba (mais perto, a uma 1h30 de Petra; poucas companhias aéreas pousam lá) ou Amman (entre 3h e 4h de ônibus; o Aeroporto Queen Alia é o principal da Jordânia, recebendo voos regulares no Oriente Médio – Dubai/3h30 de voo; Istambul/2h25 de voo pela Royal Jordanian ou pela Turkish Airlines; Cairo/1h15 de voo pela Royal Jordanian ou Egyptair; Tel Aviv/45 minutos de voo pela Royal Jordanian).

Chegando em Aqaba ou em Amman, contrate uma excursão, siga de carro alugado (confira a estrada – moderna Desert Highway ou a cênica Kings’ Highway – para Petra saindo de Amman aqui; e de Aqaba aqui) ou de ônibus Jett VIP (custo de 8JD; local de saída: estação Abdali, em Amman; horário de saída 6h30 da manhã, chegando às 10h30 em Petra) ou de mini-ônibus local (preço de 5JD; só sai quando enche; locais de saída: estação sul/Mujamaaa Janobi, em Amman, ou da estação sul/Mojamaa albassat, perto do mercado do centro de Aqaba) para Petra/Wadi Musa.

img_20180206_065908678_hdr-01

TRAVESSIA DO GOLFO DE AQABA SAINDO PORTO DE TABA/EGITO

Além disso, por ficar em uma área de fronteira com Israel e Egito, há várias empresas que viabilizam day tours para Petra saindo de Éilat/Israel e de Sharm El Sheikh/Egito (algumas empresas: Memphis Tours e All Tours Egypt). Na nossa opinião, esses passeios só são recomendados para quem está na região e não tem Petra como prioridade, mas quer inclui-la para uma visita rápida.

Chegando em Amman, para ir até Petra sem stress e com conforto, sugerimos que contrate os serviços da elogiada agência Jordan Select Tours.

20180206_085919-01.jpeg

A TUMBA DA URNA (A CORTE) – PETRA/JORDÂNIA

Se não for seu caso, a melhor forma pra chegar em Petra é indo de táxi/a pé saindo de Éilat ou de barco saindo Sharm El Sheikh/Dahab/Taba até a fronteira da Jordânia (cidade de Aqaba) e, de lá, após o procedimento alfandegário, seguir para Petra nos modos citados acima – na nossa ordem de preferência: carro alugado, ônibus Jett VIP, excursão que inclua pernoite ou micro-ônibus local.

IMG_20180206_114941690~2.jpg
QUANDO IR

Entre fevereiro e maio. Isso porque a chance de chuva é menor que no outono e no auge do inverno (outubro é o mês mais chuvoso; dezembro e janeiro incluem tempo nublado frequente) e os dias não são tão quentes quanto em julho e agosto – os piores meses para visitar Petra.

 

VISTO

É obrigatório para brasileiros. A forma mais fácil de consegui-lo é entrando por Aqaba ou chegando de avião no aeroporto de Amman. Em ambos, você paga a taxa alfandegária (cerca de 60 dólares por pessoa para o visto de entrada única; para sair do país, é cobrada uma taxa de 13 dólares, exceto para quem sai de avião por Amã) e recebe lá mesmo o visto e o carimbo no passaporte.

A entrada para quem vem de Tel Aviv/Jerusalém pela Ponte Allenby/Rei Hussein – via terrestre – já demanda que você tenha o visto antecipado, isto é, se você for brasileiro e pretender entrar na Jordânia por essa faixa de fronteira, saia do Brasil já com o visto em mãos.

Para adquirir seu visto com antecedência (muito bom para quem mora em Brasília ou São Paulo) ou para conseguir informações atualizadas sobre valor de taxas e exigências documentais ou de vacinas, sugerimos que entre em contato com as representações diplomáticas da Jordânia, com telefones e endereços neste link.

Outra excelente fonte de informação sobre preços de vistos e requisitos para entrar na Jordânia você descobre no site oficial de turismo do país (Visit Jordan).

IMG_20180206_134952431-01.jpeg
FUSO HORÁRIO

UTC/GMT +2. Isso significa que são 5 horas à frente do horário de Brasília, desconsiderado o horário de verão.

MOEDA

Dinar Jordaniano (JD). Para ter uma estimativa da conversão confira a cotação oficial no link do Banco Central.

Há casas de câmbio e caixas eletrônicos (ATM) no aeroporto de Amman, na turística Aqaba e em Wadi Musa, perto da entrada de Petra (leve dólares ou euros para fazer a troca; não aceitam reais brasileiros).

Para aproveitar seu tempo nas proximidades e no complexo da Cidade Rosa, aconselhamos que leve 50 dólares por pessoa por dia que passar lá, além do dinheiro para comprar o ingresso, que custa entre 50 JD e 60 JD (90 JD para quem não dorme nenhuma noite na Jordânia).

IMG_20180206_132852355-01.jpeg
IDIOMA

Jordaniano. Há tours guiados em Petra na língua inglesa, espanhola, francesa, alemã, italiana, russa e árabe.

Em Aqaba e Amã, a maioria dos hotéis e prestadores de serviços turísticos tem noção básica de inglês.

Não tivemos nenhuma ressalva quanto ao povo que conversamos na Jordânia. Ninguém nos tratou mal (muito diferente da hostilidade de muitos habitantes do Cairo/Egito). Pelo contrário, foram receptivos e tornaram a comunicação sem problemas.

IMG_20180206_132714213-01.jpeg

PETRA (CIDADE ROSA) – JORDÂNIA

QUANTO TEMPO FICAR

1 dia inteiro, incluindo a noite. Por isso, é fundamental hospedar-se em Wadi Musa por uma diária.

Petra é impressionante de dia. Manhã e tarde são os melhores turnos para ver os detalhes das construções, entrar nelas e fazer as trilhas para os melhores mirantes, mas não deixe de ver a Cidade Rosa iluminada! A experiência do Petra by Night vale cada centavo da viagem à Jordânia.

20180206_072612-01.jpeg

INÍCIO DO PERCURSO DENTRO DE PETRA/JORDÂNIA

COMO SAIR DO AEROPORTO

Para quem chega na Jordânia pelo aeroporto Queen Alia, a forma mais econômica de ir ao centro é no Ônibus Expresso que sai a cada meia hora e vai até o centro da capital (custo da passagem 1,50 JD). Também há várias cooperativas de táxi no hall de chegadas.

Todavia, se sua intenção é sair de lá direto para Petra, sugerimos o aluguel de veículos pela Rentcars (você faz a locação antes de chegar na Jordânia e, no aeroporto, dirija-se com o comprovante do aluguel ao balcão da empresa locadora, que fica no terminal de desembarque). Se essa for a sua preferência, baixe o Google Maps e o Waze, para facilitar o deslocamento.

IMG_20180206_132533681~2-01.jpeg

TESOURO/AL KHAZNA – PETRA/JORDÂNIA

Aos que desejam praticidade para conhecer os pontos principais da capital e concentrar esforços para visitar Petra, indicamos fortemente que saia do aeroporto já tendo contratado uma agência de turismo bacana. Encontramos ótimas recomendações sobre a Jordan Select Tours.

*Em Aqaba (extremo sudoeste da Jordânia), o aeroporto só recebe voos domésticos. Por isso, como a forma mais comum pra chegar lá é cruzando a pé ou de carro a fronteira com Éilat/Israel, ou de barco vindo do porto de Taba/Egito, para sair do posto de fronteira, reiteramos a sugestão pelo aluguel de veículo ou contratando uma boa agência de excursão.

20180206_074637-01.jpeg

DENTRO DO SIQ – PETRA/JORDÂNIA

HOSPEDAGEM

Apesar da entrada em Petra ser relativamente bem organizada, com pórticos, pracinha, centro de compras e bilheteria estruturados, a cidade-base de Wadi Musa é bem simples. Por isso, não espere nenhum conforto/luxo ou extravagância nas hospedagens. A seguir, algumas opções bem avaliadas:

IMG_20180206_074051594~2-01.jpeg

MARINA DE AQABA, CERCADA DE BONS HOTÉIS – JORDÂNIA

Para mais alternativas, acesse o Booking, Trivago, Tripadvisor ou o site oficial de Petra. Caso queira alugar um quarto, uma casa ou um apartamento, conversando e tirando suas dúvidas diretamente com o proprietário, consulte o Airbnb.

INFORMAÇÕES ÚTEIS SOBRE A VISITA

Horário de funcionamento: aberto todos os dias das 6h da manhã às 18h. No inverno, vai das 6h às 16h.

*O imperdível tour “Petra by Night” acontece toda segunda-feira, quarta-feira e quinta-feira. Dura 2h, das 20h30 às 22h30 (é proibido dormir no complexo).

20180206_070950-01

ENTRADA DO COMPLEXO DE PETRA/JORDÂNIA

Valor do ingresso: para quem só faz o bate-volta, sem dormir uma noite sequer na Jordânia (“non-accommodated visitor”), tem que pagar 90 JD.

Para quem dorme, pelo menos, uma noite na Jordânia (“accommodated visitor”) as taxas de entradas são as seguintes: 50 JD para um dia de visita; 55 JD, para dois dias; e 60 JD, para três dias.

De acordo com o site oficial de Petra, a pessoa que dorme, no mínimo, uma noite na Jordânia e  visita o complexo arqueológico no dia da chegada no país, tem que pagar 90 JD e, ao sair das fronteiras jordanianas, deve solicitar a devolução de 40 JD.

IMG_20180206_111638826-01.jpeg

INGRESSO DE UM DIA PARA PETRA – JORDÂNIA

*A entrada do “Petra by Night” custa 17 JD (não é possível comprar o ingresso noturno com antecedência).

OBS: Crianças com menos de 12 anos não pagam.

OBS2: O pagamento pode ser feito em dinheiro ou cartão de crédito.

20180206_074653-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

OBS3: Para contratar um guia local no Centro de Visitantes, o custo extra varia de 50 JD (trilha principal de 4 km), 100 JD (trilha principal + mirante do monumento do sacrifício) ou 110 JD (trilha principal + Monastério).

OBS4: Para contratar o passeio de carruagem no Centro de Visitantes, o custo extra varia de 20 JD (até o Tesouro e retorno; percurso de 4 km cada trecho) ou 40 JD (até o museu e retorno; percurso de 8 km cada trecho).

IMG_20180206_130146964_HDR~2-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

Vestimenta: embora a Jordânia seja um país muçulmano, é um dos mais abertos ao Ocidente, sem tantas restrições de vestuário para mulheres. Por isso, é possível visitar Petra de bermuda e com ombros descobertos, além de outras peças de roupa leves/de algodão (o próprio site oficial de Petra recomenda esse tipo de vestimenta).

20180206_072834-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

Mesmo com essa flexibilidade, aconselhamos que leve alguma canga, xale ou similar na sua bolsa/mochila para cobrir as pernas e ombros na hipótese de algum fiscal mais rigoroso e tradicional reclamar (não vimos nenhuma intercorrência ou mal-estar nesse sentido, mas não custa nada ter isso em mãos).

*Procure levar bons tênis de caminhadas/trilhas e um boné ou chapéu, já que o sol lá é forte.

IMG_20180206_100204350~2-01.jpeg

MIRANTE PARA WADI RUM – A CAMINHO DE PETRA/JORDÂNIA

Amenidades: logo na pracinha de frente para o Centro de Visitantes, poucos metros depois do estacionamento, você encontra uma série de lanchonetes e lojas de artesanato bem organizadas (embora mais caras do que no centro de Wadi Musa). Há bebedouros e banheiros nessa área – perto do Centro de Visitantes. Não esqueça de comprar água ou encher suas garrafas e usar o banheiro, já que dentro do complexo/parque arqueológico não tem como fazer isso. Ao comprar seu ingresso no Centro de Visitantes, você tem direito a levar conseguido um mapa do complexo, com as atrações e trilhas principais, na língua que tenha maior familiaridade (inglês, espanhol, alemão, italiano, russo, árabe).

20180206_072944-01.jpeg

ROCHAS ESCULPIDAS POR TODA PARTE – PETRA/JORDÂNIA

Pontos principais de visitação:

  • Siq (sequência de paredões rochosos impressionantes logo no começo da trilha; a entrada principal de Petra);
  • O Tesouro/Al Khazna (o monumento mais visitado e fotografado de Petra; datado do século I a.C, tem 40 metros de altura em dois andares de três câmaras separadas por colunas coríntias e frisos. No topo dessa construção milenar impecável fica uma urna que representa um memorial para a realeza da civilização dos nabateus; alguns arqueólogos dizem que era um templo de devoção aos mortos; outros entendem que o Tesouro era apenas um local de venda e troca de documentos. Não deixe de tirar fotos com os camelos de frente para essa construção. Tenha paciência para aturar e negar a insistência dos vendedores de todos os tipos e idades que ficam por lá);
IMG_20180206_121302716_HDR-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

***Não deixe de fazer a trilha para o mirante que permite ver o Tesouro do alto da falésia. É de lá que você terá as melhores fotos de todo o seu passeio por Petra. Para tanto, use o mapa e pergunte para os guardas locais que ficam na área ou contrate um guia no Centro de Visitantes (não contrate nenhum dos garotos ou jovens que se oferecem para fazer esse percurso).

20180206_073032-01.jpeg

CENÁRIO DO INÍCIO DA TRILHA EM PETRA/JORDÂNIA

  • A Rua das Fachadas (sequência de tumbas esculpidas na pedra da falésia que se segue ao Tesouro; acredita-se que nessas tumbas lá teriam sido guardados os restos mortais dos oficiais mais importantes que assessoravam a realeza, bem como das princesas);
  • O Teatro (uma impressionante construção onde eram realizadas apresentações culturais. Com três corredores que separam arquibancadas de pedras edificadas no recorte do sopé da montanha, tinha capacidade para 4000 espectadores; foi construído durante o reinado de Aretas IV, tendo sido reformado parcialmente pelos romanos);
20180206_073203-01.jpeg

SIQ – PETRA/JORDÂNIA

  • A Tumba da Urna (A Corte) (no andar mais alto de uma rocha em níveis, esse lugar é composto de nichos onde foram construídas pequenas câmaras funerárias. É precedido por um pátio profundo com colunas dos dois lados);
  • O Grande Templo (um dos maiores componentes arqueológicos e de arquitetura em Petra; com várias colunas, pavimentos hexagonais em calcário, frisos florais elaborados e com o exterior em vermelho e branco, é um dos locais mais espetaculares e duradouros do complexo, tendo sido utilizado até o final do período bizantino);
20180206_085449-01.jpeg

TEATRO – PETRA/JORDÂNIA

  • Ponto Alto do Sacrifício (acessível após meia hora de caminhada em uma subida íngreme a partir do Teatro, é o local de sacrifício mais bem preservado do mundo antigo; dispõe de uma bela vista com obeliscos que representam os deuses Dushara e Al-Uzza);
  • Monastério/Dayr (disputa com o Tesouro o título de mais bela construção de Petra; construído no século II d.C, durante o reinado de Rabel II, sobre o modelo de Al Khazna, embora com mais esculturas e adornos; seu interior é ocupado por bancos laterais e um altar; servia como sede para reunião de associações religiosas).

Este slideshow necessita de JavaScript.

DESLOCAMENTO DENTRO DO COMPLEXO

A pé, de carruagem, a cavalo ou de camelo. Carros não entram em Petra. Se você tiver disposição e moderado preparo físico (além de tempo), faça as trilhas caminhando no seu ritmo. É a melhor forma de ver os detalhes de cada construção antiga e imergir no clima do lugar.

Carruagem é apenas indicada para quem tem problemas de locomoção ou para quem tem o tempo muito curto (contrate o serviço no Centro de Visitantes; não deixe para pagar aos vendedores dentro do parque, já que os preços cobrados por estes são extorsivos e o passeio é mais curto). Para quem quer uma experiência mais diferente e aventuresca, aconselhamos o passeio de cavalo ou de camelo, embora este percorra um caminho mais limitado.

20180206_073740-01.jpeg

DENTRO DO SIQ – PETRA/JORDÂNIA

Se você não tiver chegado de carro alugado ou excursão em Petra, contrate um dos vários táxis na saída do complexo (mesmo ponto da entrada) para seguir até o centro de Wadi Musa (bem pertinho) ou volte a pé mesmo. A região é segura, embora muitos nativos possam importunar você – insistindo em vender algo mesmo sem você querer.

CULINÁRIA LOCAL

As famosas comidas árabes: mezze (entradinha com pães pita e molho de iogurte, salada e outros patês), falafel (bolinho frito feito de grão de bico), shawarma/kebab (“sanduíches” de pão sírio com recheio de kafta ou outros tipos de carne, e com molho), marshi (charuto de folha de uva ou de berinjela ou de repolho, recheado de carne moída e temperos), patês (homus, tahine, babaganush), tabule (a salada com muitos grãos e pepino) e carne de cordeiro.

Os nativos quando preparam suas comidas, adoram cozinhar carnes de cordeiro (mansaf – cordeiro ao molho de iogurte seco) com arroz e o bzar/bezar: mistura de especiarias, sobretudo, grão de bico (dungaw), açafrão, pimenta, lentilha, canela, gengibre, cominho, coentro e noz moscada, cúrcuma e limão seco (loomi).

20180206_081240-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

De sobremesa, experimente a baklava (torta leve de nozes, pistache e cobertos de mel) e o raleu (preparado com pasta de gergelim e mel).

Os digestivos mais comuns são os chás, servidos aos montes em todos os restaurantes, principalmente o de hortelã, cardamomo e hibisco.

*Em Aqaba, aproveite para pedir os peixes e mariscos do Mar Vermelho.

IMG_20180206_095849741~2-01.jpeg

MIRANTE PARA O CÂNYON DE WADI RUM – PETRA/JORDÂNIA

RESTAURANTES

Além das lanchonetes que ficam ao redor da praça de frente para o Centro de Visitantes, o site oficial de Petra e o Tripadvisor sugerem alguns restaurantes, entre os quais:

20180206_110546-01.jpeg

RESTAURANTE ONDE NOSSA EXCURSÃO PAROU PARA ALMOÇARMOS – PETRA/JORDÂNIA

COMPRAS

Você encontrará tapetes, tecidos, mobílias, louças e souvenirs nas lojinhas que cercam a pracinha do Centro de Visitantes. Os preços não são baratos como em Amman.

20180206_074003-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

VIDA NOTURNA

/EntertainmentsDetailsEn.aspx?PID=4″ target=”_blank” rel=”noopener”>Petra by Night, que acontece nas noites de segunda, quarta e quinta das 20h30 às 22h30. É nele que você vê o Tesouro/Al-Khazna iluminado apenas pela lua, pelas estrelas e, principalmente, pelas velas no chão. Experiência inesquecível.

Para quem quer aproveitar mais as noites, sugerimos os restaurantes listados acima.

NOSSA EXPERIÊNCIA

Fomos a Petra no início de fevereiro de 2018, em um bate-volta super puxado saindo de Sharm El Sheikh com a empresa All Tours Egypt. A temperatura estava bem agradável (pouco acima dos 20ºC) e o dia foi encoberto, mas sem chuva.

Saímos nas primeiras horas da madrugada do nosso hotel em um micro-ônibus repleto de turistas russos, com um guia bem simpático, mas que só falava em árabe e em russo (ele falava pouquíssimo de inglês, o que dificultou demais nosso tour). Desembarcamos em Taba, onde fizemos nossos procedimentos alfandegários de saída do Egito. Lá pegamos o barco – confortável, grande e potente -, atravessamos o golfo até chegar em Aqaba (deslocamento de 15 a 20 minutos), onde pagamos pelo visto da Jordânia.

Aqaba revelou-se uma agradável cidade balneário, com belos hotéis e praias, além de uma boa infraestrutura urbana. Semelhante a Sharm El Sheikh, embora tenha uma aparência menos artificial que esta. Acreditamos que passar mais de um dia ali deve ser ótimo para descansar e curtir bons mergulhos.

IMG_20180206_133047262-01.jpeg

NA FRENTE DO TESOURO/AL KHAZNA – PETRA, JORDÂNIA

Após a burocracia da migração (não demorou mais que 30 minutos), seguimos de micro-ônibus pelas boas estradas da Jordânia até uma loja de conveniência com mirante para o Wadi Rum/Vale da Lua, onde tomamos café da manhã – não incluído no pacote – e compramos souvenirs.

Em seguida, percorremos por quase 2h no micro-ônibus até chegar na descida sinuosa para Wadi Musa e, pouco depois, em Petra, onde nosso ingresso e o guia em inglês já estavam incluídos.

Ficamos dentro do complexo da Cidade Rosa por cerca de 3h. O tempo dentro de Petra foi livre para andarmos por onde quiséssemos, no nosso ritmo (nos desgarramos do grupo russo e do guia para poder ver o máximo de monumentos possíveis). Como ele estava apertado, não conseguimos fazer a trilha para o mirante que dava para a vista do alto do Tesouro/Al Khazna e nem chegar no Monastério. Andamos pelo Siq, Tesouro (a mais espetacular de todas, trazendo a sensação de estarmos no filme de Indiana Jones), Teatro, Rua das Fachadas e a Tumba da Urna.

Na volta, almoçamos no bom self-service do restaurante Petra Magic, em Wadi Musa (refeição incluída no pacote), paramos para compras nos arredores de Aqaba e voltamos de barco até Taba, de onde seguimos de micro-ônibus até nosso hotel em Sharm El Sheikh. Toda a maratona demorou quase 24h. Super cansativo, mas com paisagens deslumbrantes pelo caminho.

20180206_074354-01.jpeg

DENTRO DO SIQ – PETRA/JORDÂNIA

Petra em si foi uma grata experiência. O lugar é realmente muito bonito e difícil de descrever pela complexidade das construções milenares praticamente intactas. A riqueza arquitetônica e o conhecimento de engenharia, astronomia e respeito aos mortos e a divindades nos impressionou mais que em Machu Picchu, embora esta tenha um enorme valor por ter sido construída por um povo (incas) com muito menos contato com outros que os nabateus de Petra.

O complexo é bem organizado, com um Centro de Visitantes estruturado, placas e mapas que orientam todos os tipos de turistas, espaço para compras e refeições. Além disso os templos e mausoléus dentro do labirinto de falésias rosadas e alaranjadas são fascinantes, sobretudo o Tesouro/Al Khazna e, pelas fotos que vimos, o Monastério (sem esquecer os lindos paredões do Siq). É um lugar que certamente demanda um dia inteiro e uma noite para explorar com calma. Mas há pontos negativos…

Dentro de Petra você verá muitas crianças e jovens tentando vender seus serviços o tempo todo e a qualquer custo e com mentiras de todo o tipo (oferecendo trilhas mais rápidas e baratas; passeios de carruagem sem custo adicional; etc. – não caia nessas!).

IMG_20180206_120044212_HDR~2-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

Outra ressalva importante: evite fazer excursão de bate-volta e em grupo. O tempo é muito reduzido para explorar uma da 7 Novas Maravilhas do Mundo e você acaba tendo seu ritmo adaptado a um grupo de desconhecidos com diferentes perfis. Prefira chegar lá de carro alugado ou contratando um guia/motorista particular que te permita ficar, no mínimo, 1 turno em Petra. Aproveite para visitar o complexo à noite também! Agindo de maneira independente, você vai curtir muito mais esse lugar cinematográfico e de uma riqueza histórica absurda.

DICAS

⇒ Viaje para Petra de forma independente (carro alugado) ou contratando um tour privativo (não vá em grupo). Evite ir em esquema bate-volta de Amman, Éilat/Egito ou de Sharm El Sheikh/Egito.

⇒ Não deixe de visitar Petra à noite em uma segunda-feira, quarta-feira ou quinta-feira.

⇒ Leve roupas leves, água, lanche e chapéu/boné.

⇒ Não aceite nada de crianças ou jovens dentro do complexo de Petra. Embora não tenhamos visto nenhum furto ou roubo, golpes/fraudes não são raros lá dentro.

20180206_074246-01.jpeg

FENDAS ESTREITAS DO SIQ – PETRA/JORDÂNIA

⇒ Viaje com o cartão de crédito habilitado para uso internacional. Dessa maneira, você consegue pagar o ingresso na bilheteria de Petra bem como consegue sacar dinheiro local ou dólar ou euro nos caixas ATM das grandes cidades.

⇒ Tenha em mãos um mapa do Centro de Visitantes para fazer as trilhas e baixe o Google Maps, definindo com antecedência os locais que mais deseja ir. Na dúvida, pergunte aos guardas dentro de Petra (alguns deles ficam de frente para o Tesouro/Al Khazna) como chegar em cada local pretendido.

⇒ Melhores locais para fotos: Tesouro/Al Khazna visto da fenda do Siq e visto do mirante no alto da trilha; e o Monastério.

⇒ Não esqueça de levar um T ou uma régua de tomadas e um adaptador universal.

IMG_20180206_115526593-01.jpeg

TESOURO/AL KHAZNA – PETRA/JORDÂNIA

⇒ Acesse nosso post sobre a linda e confortável cidade de Sharm El Sheikh, o balneário mais famoso do Egito, que fica perto de Petra.

⇒ Para mais dicas técnicas sobre Petra (opções de restaurantes, hotéis, trilhas, preços atualizados de ingressos, dias do Petra by Night), acesse o site oficial neste link. Para opções de excursão, acesse este atalho específico do Tripadvisor.

CURIOSIDADES

→ Petra foi eleita uma das 7 Novas Maravilhas do Mundo, tendo sido tombada como patrimônio mundial em 1985, e considerada pela Smithsonian um dos “28 lugares para ver antes de morrer”.

→ É disparada a atração turística mais visitada da Jordânia.

→ O sítio arqueológico ficou desconhecido do mundo ocidental até 1812, ano em que foi descoberta pelo explorador suíço Johann Ludwig Burckhardt.

20180206_081557-01.jpeg

RUA DAS FACHADAS – PETRA/JORDÂNIA

→ Além de ter sido cenário do clássico Indiana Jones e a Última Cruzada, Petra também serviu de locação para cenas dos filmes Transformers 2, Mortal Kombat: Aniquilação; foi retratada na história em quadrinhos Carvão no Porão, de Tintim, e palco da novela brasileira Viver a Vida.

→ Os nabateus teriam se estabelecido em Petra no ano 312 a.C, utilizando sua localização estratégica como importante entreposto comercial.  Durante o governo do imperador romano Pompeu, Petra e outros territórios nabateus foram conquistados e anexados pelo Império. Embora tenha mantido certa autonomia durante o governo de Pompeu, ela foi retirada pelos imperadores Trajano e Adriano, que renomeou a cidade como Adriana Pétrea. Com o fortalecimento do Império Romano e a criação do Império Bizantino por Constantino, Petra foi sendo cada vez mais negligenciada e substituída por outros pontos mais estratégicos, entrando em decadência comercial.

→ Petra foi duramente atingida pelo terremoto da Galileia em 363 e pelo terremoto de Beirute em 551, tendo muito de seus templos demolidos nesses abalos.

SEGURO VIAGEM

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

20180206_074624-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

20180206_090352-01

A TUMBA DA URNA (A CORTE) – PETRA/JORDÂNIA

IMG_20180206_113616714-01.jpeg

A IMENSIDÃO DO SIQ – PETRA/JORDÂNIA

IMG_20180206_114359821_HDR~2-01.jpeg

PETRA – JORDÂNIA

IMG_20180206_115108889-01.jpeg

TESOURO/AL KHAZNA – PETRA/JORDÂNIA

 

⇒Gostou do blog? Clique AQUI e siga nossa fanpage do Facebook!

16 comentários sobre “PETRA

  1. Pingback: SHARM EL SHEIKH

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s