LIVERPOOL

Para se ter uma ideia do tamanho dos Beatles, a melhor banda de todos os tempos, é só dar uma olhada no fluxo de turistas na cidade natal de seus quatro integrantes: Liverpool.

A cidade portuária ao norte da Inglaterra sabe utilizar esse fato, quase tematizando seus pontos turísticos principais em torno dos Fab Four, e tornando-se um dos 5 mais agradáveis e divertidos destinos ingleses depois de Londres, adequado inclusive como um bate-volta saindo cedo da capital inglesa.

Se você é fã de John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr e da sua obra atemporal (nós somos muito), não deixe de visitar as ruas que eles frequentavam, as casas dos primeiros shows deles, as casas onde cresceram e os museus construídos para eternizar o respectivo legado – tudo isso sem contar as revitalizadas Docas (Albert Dock) e as ruas comerciais e boêmias concentradas em uma área a uma curta caminhada da moderna estação de trem.

Para tanto, continue a leitura nos tópicos abaixo para descobrir todas as informações úteis sobre a cidade de Strawberry Fields e Penny Lane.

img_7198-01

THREE GRACES (TRÊS PRÉDIOS MAIS BONITOS DA ÁREA PORTUÁRIA) – LIVERPOOL, INGLATERRA

COMO CHEGAR

Avião – Não há voos diretos do Brasil para Liverpool (o aeroporto de lá chama-se John Lennon, para se ter uma ideia da devoção aos caras). De avião, a melhor forma é viajar saindo dos aeroportos de Londres (só encontramos voos com conexão, a maior parte deles com parada em Dublin ou no interior da Inglaterra, operados pela RyanAir ou Flybe) ou saindo de Paris (1h30 de duração pela companhia Easyjet). Outro local com voos regulares diretos para Liverpool saem de Dublin (voo direto de 50 minutos, operados pela RyanAir).

*OBS: Mais opções de voos diretos de diferentes origens você encontra para pousar em Manchester, cidade a 55 km de Liverpool que recebe voos diretos de Lisboa, Londres, Paris, Madri, Amsterdã, entre outros. Para ir de Manchester até Liverpool, siga de ônibus, trem ou de carro alugado pela estrada M62.

Trem – melhor forma para chegar em Liverpool para quem está em Londres. Isso porque trata-se de um modal rápido, pontual, organizado e limpo, deixando você no centro de Liverpool, sem precisar fazer conexão em Manchester ou Dublin. A duração do trajeto de trem varia entre 2h10 e 2h30, e a maioria dos trens sai da estação ferroviária de Euston (pertinho da estação de metrô Euston Square, acessada pelas linhas Circle/amarela; Hammersmith & City/lilás; ou Metropolitan/roxa) chegando na estação ferroviária de Lime Street. Para compra da passagem com antecedência, clique nesse atalho para o site da Rail Europe.

IMG_7077-01.jpeg

TERMINAL DE TRENS DE EUSTON – LONDRES, INGLATERRA

*OBS: Se você estiver com tempo sobrando e quer economizar, viajar de ônibus para Liverpool saindo de Londres é uma alternativa indicada. São 6h de percurso e a maior parte dos ônibus que partem de Londres saem da rodoviária Victoria (acessado pelas linhas de metrô Circle/amarela; District/verde; ou Victoria/azul clara) chegando na rodoviária Liverpool One. Para compra de passagens de ônibus, acesse o site da National Express.

**OBS2: Há várias agências de turismo em Londres com pacotes para Liverpool. Se você não tem segurança em viajar de maneira independente até lá, sugerimos a Get Your Guide, a Golden Tours, a London Rock Tour,  a Tours4fun ou a Viator. São caros, mas confortáveis e te deixam despreocupado.

Carro – para quem prefere fazer uma roadtrip pelo interior da Inglaterra ou Grã-Bretanha, as estradas que ligam Londres a Liverpool são a M40 + M6 + M56 (passando por Wembley, Banbury, oeste de Birmingham, Stafford, Sandbach, Birchwood  Warrington).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lembre-se que lá a direção é inversa a que estamos habituados. Assim, na Inglaterra o volante fica no lado dianteiro direito do carro; marcha à esquerda do motorista; e tráfego lento na esquerda, com ultrapassagens pela direita.

Para facilitar sua condução, alugue um carro com câmbio automático, baixe o Google Maps e o aplicativo Waze ou similar (Drive Awake/Fuelio/Econoflex/Car Dashdroid) leve um GPS e mapa físico com as estradas detalhadas (cabe lembrar que o asfalto é perfeito, com acostamento e excelente sinalização).

QUANDO IR

Como você dificilmente visitará Liverpool sem passar por Londres, aconselhamos a mesma época ideal para conhecer ambas as cidades, utilizando a capital londrina como destaque e parâmetro.

As chuvas são um fator que pouco influencia na escolha do melhor mês, porque elas são muito incertas e frequentes o ano inteiro, embora dificilmente sejam intensas (é raro enfrentar um temporal, mas é difícil encarar dois ou mais dias de sol consecutivos). Estatisticamente, os meses menos chuvosos são fevereiro, abril e julho, nessa ordem.

img_7128-01

Por isso, nosso critério leva em conta a vibe mais festiva e o clima mais ameno no ano naquela cidade. Assim, querendo curtir ao máximo dias longos e noites ainda mais animadas, sem ficar tremendo de frio ou fortemente agasalhado, o melhor período para essa viagem é no verão europeu, que acontece entre o fim de junho e o fim de setembro (Liverpool não fica tumultuada nem mesmo com os turistas mais frequentes de verão).

Se puder escolher o período de sua viagem dentro desse intervalo, prefira ir no fim de junho ou no início de julho, quando ocorrem festivais de música, feiras ao ar livre e outros eventos que celebram o início da estação mais quente do ano. Fique por dentro do calendário de festivais da cidade clicando neste link do site Visit Liverpool.

20170520_131549-01.jpeg
VISTO

Não é necessário, bastando um passaporte com validade assegurada por, no mínimo 6 meses após a data da viagem a Londres/Liverpool (ex: se você tem um passaporte que vence em agosto de 2018 deve viajar até a capital inglesa, no mais tardar, em janeiro daquele ano).

Dito isso, destacamos abaixo algumas informações sobre a chegada no território inglês.

A Inglaterra é conhecida internacionalmente pelo alto rigor alfandegário e considerável índice de recusa de imigrantes. Por isso, aconselhamos que leve o máximo de comprovantes que atestem seu vínculo de moradia e estabilidade no país de origem (declaração de seu vínculo empregatício, passagem de ida e volta já compradas e com horário certo, nome e endereço do hotel, período da estadia no hotel que coincida com a data de saída de Londres/Liverpool), afastando qualquer chance de interpretarem que você quer ficar de vez por lá.

IMG_7079-01.jpeg

ST. GEORGE’S HALL (CENTRO CULTURAL E CÍVICO) – LIVERPOOL, INGLATERRA

Outra coisa…comporte-se como um turista comum, sem usar terno e mala executiva ou falar de um jeito muito formal. Seja respeitoso, educado e tranquilo, mas não displicente nem autoritário. Jamais demonstre pressa ou impaciência perante os fiscais.

div class=”linha-topico”> FUSO HORÁRIO

Desconsiderando o horário de verão, o fuso de Liverpool é 4 horas à frente do horário oficial brasileiro. Assim, quando em Brasília são 17h; em Liverpool são 21h.

 

MOEDA

Libra esterlina. Para ter uma estimativa de quanto você vai precisar gastar para conseguir a quantidade de cédulas aceitas na cidade, confira o índice oficial do conversor monetário do Banco Central do Brasil nesse link.

Leve cartão de crédito habilitado para uso internacional. Mesmo com essa providência, é bom ter dinheiro em espécie por lá. Caso queira sacar sua grana em um caixa eletrônico (ATM), consulte os locais onde isso é possível – na estação ferroviária Lime Street, no shopping Liverpool One e perto da roda gigante tem – clicando aqui. Para endereços de casas de câmbio, acesse este link.

20170520_125452-01.jpeg

LIVERPOOL, INGLATERRA

Entendemos que dispor de 60 libras diárias por pessoa é uma quantia razoável para garantir um mínimo de conforto na cidade (esse valor não inclui o preço gasto na hospedagem). Evidentemente que, com 80 a 100 libras/dia/pessoa, é possível viver tranquilo, com boas refeições em todos os turnos e até com sobras para algumas pequenas compras.

IDIOMA

Inglês (com um sotaque bem carregado e gírias próprias do norte da Inglaterra, diga-se de passagem). A comunicação é bem tranquila, haja vista que os britânicos são muito educados e pacientes, sendo que os moradores de Liverpool são mais calorosos e brincalhões que os londrinos, quase sempre tentando ajudar.

QUANTO TEMPO FICAR

Um bate-volta longo (saindo em um trem antes das 8h de Londres e chegando de volta às 21h/22h no mesmo dia) é o mais comum e, por isso, suficiente para quem não quer priorizar a cidade durante a viagem.

20170520_140006-01.jpeg

MELHOR MUSEU DOS BEATLES – LIVERPOOL, INGLATERRA

Agora, se você é super beatlemaníaco e não gosta de fazer nada às pressas, querendo visitar outras atrações menos populares da cidade, aconselhamos 2 dias completos. Caso tenha um terceiro dia livre na região, estique para conhecer a vizinha Manchester.

COMO SAIR DO AEROPORTO

Ônibus – linha 500 e da empresa Arriva (são expressos, chegam no centro em 35 minutos, custando menos de 3 libras; funciona das 4h30 às 19h30) e linhas 80A e 86A (mais demorados, chegam no centro em 1h; custa 2 libras; funciona das 5h a 0h).

Táxi/Uber – Há várias cooperativas de táxi, todas confiáveis, na área de desembarque. O custo da corrida entre o aeroporto e o centro fica entre 25 e 30 libras; já no Uber fica entre 14 e 21 libras.

Compre um chip SIM para ter Internet o tempo todo no seu celular. Isso facilita, principalmente, para chamar o Uber e baixar mapas a qualquer hora e em qualquer lugar.

img_7163-01

RODA GIGANTE NA ÁREA REVITALIZADA DAS DOCAS – LIVERPOOL, INGLATERRA

*OBS: É possível ir até o centro de trem, mas a estação mais próxima do aeroporto é a Liverpool South Parkway, que fica a 5 km. Acreditamos que o tempo de espera e o trabalho de ir até lá não justifica o uso dessa alternativa.

**OBS2: Para ter acesso a todos os transportes em Liverpool com maior praticidade, adquira o cartão de integração Walrus Card em que você compra a quantidade de passagens ou viagens ilimitadas para o período que estiver na cidade.

HOSPEDAGEM

A melhor área para dormir em Liverpool fica entre a estação ferroviária Lime Street até as revitalizadas Docas (Albert Dock). A seguir, algumas acomodações bem avaliadas:

  • IMG_7081-01.jpeg

    CENTRO DE LIVERPOOL – INGLATERRA

Para mais alternativas, consulte os sites do Booking, Trivago ou Tripadvisor. Caso prefira alugar um quarto, um apartamento ou uma casa mantendo contato diretamente com o proprietário, acesse o Airbnb.

IMG_7096-01.jpeg

LIVERPOOL – INGLATERRA

O QUE CONHECER
  • Royal Albert Dock – os antigos armazéns/galpões alaranjados de tijolos aparentes concentram a região turística mais completa da cidade, com museus, restaurantes, diversões e bares às margens do Rio Mersey. Parada obrigatória em Liverpool (quase um Waterfront da Cidade do Cabo, se não for mais importante que esta para a correspondente cidade). Para chegar lá saindo da estação ferroviária Lime Street é muito tranquilo, basta descer caminhando em direção ao rio. Ônibus que param perto: linhas 4, 4A, 27, 204, 500, X1, X5, M12, M15, 79, 79C, 79D, 136 (parada Liverpool ONE) ou linhas 4, 4A, 25, 101 (parada Salthouse Quay). Por lá, não deixe de entrar e/ou tirar fotos no:

1) The Beatles Story (museu mais imprescindível da banda na sua cidade-natal; cobrindo todas as suas fases, inclusive da carreira individual, com fotos, vídeos e áudios, em várias salas interativas, lojas e café; custo do ingresso: pouco menos de 20 libras, e pode ser comprado com antecedência no site oficial; encontre a localização aqui);

20170520_153955-01.jpeg

SEÇÃO DEDICADA AO TRABALHO SOLO DE JOHN LENNON – MUSEU THE BEATLES STORY (LIVERPOOL, INGLATERRA)

2) Museu Tate (o famoso museu inglês com quatro edifícios temáticos distintos – Tate Britain, Tate Modern, Tate Liverpool e Tate St. Ives – tem uma unidade bem bacana no centro de lazer que são as Docas; conta com alas de arte predominantemente modernas e contemporâneas, exposições interativas e algumas obras clássicas; de acordo com o site oficial, a entrada é gratuita, exceto para algumas exibições especiais; encontre a localização exata aqui);

3) Submarino Amarelo (fica perto do museu dos Beatles);

4) Carrossel vitoriano/Salthouse Quay (fica aqui; aberto das 11h às 18h; preço: 2,50 libras por pessoa ou 9 libras para família/grupo de quatro pessoas);

5) Roda Gigante/Wheel of Liverpool (embora não fique tecnicamente no Albert Dock, mas sim no Dukes Dock, exatamente aqui; preço: 10 libras por adulto, para família de 2 adultos e 2 crianças, o custo é de 30 libras);

6) Liverpool Echo Arena (espaço multiuso super moderno onde são realizados shows, premiações, musicais, lutas; também fica no Dukes Dock, pertinho do Albert Dock e quase ao lado da Roda Gigante; acompanhe a programação atualizada no link destacado);

20170520_135510-01.jpeg

ROYAL ALBERT DOCK E O SUBMARINO AMARELO – LIVERPOOL, INGLATERRA

7) Museu Marítimo Merseyside (exibe protótipos de navios famosos e quadros que representam situações nas embarcações pelo mundo, além de exposições temporárias e interativas).

*OBS: É em uma das esquinas do Albert Dock que sai o ônibus psicodélico Magical Mistery Tour pelos locais mais emblemáticos da história da formação dos Beatles e suas respectivas infâncias. O ônibus opera das 9h30/16h30, e o passeio dura 2h. Encontre ele aqui.

  • Pier Head – É o edifício de onde saem os passeios de barco (terminal de balsas) pelo Rio Mersey e onde se tiram as melhores fotos do skyline mais famoso de Liverpool. Isso porque está cercado pelos prédios mais bonitos da arquitetura antiga da cidade (Three Graces = Royal Liver Building/o que tem relógios no topo, The Cunard Building/em formato de quadrado, com linhas retas e Port of Liverpool Building/o que tem a cúpula arredondada cinza) e em seu perímetro fica a melhor estátua dos Beatles, o memorial/obelisco e o Museu de Liverpool. Encontre a localização aqui. Muito tranquilo para chegar lá para quem vem de trem na estação Lime Street, bastando caminhar em direção ao rio, seguindo pela Lord Street e pela James Street, à direita da Strand Street, guiando-se pelos edifícios de fachada mais bonita da cidade. Ônibus que param perto: linhas 10A, 10B, 12, 13, 15, 18, 26, 79, 79C, 136, 800 (parada The Goree Adj Mann Island) ou linhas 14, 14A, 14B, 18 e 19 (parada Goree A).
img_7134-01

ESTÁTUA DOS BEATLES – PIER HEAD – LIVERPOOL, INGLATERRA

*Estátua dos Beatles – entre as várias esculturas para os garotos que trouxeram a fama moderna da cidade, essa é a mais recente (inaugurada em 4 de Dezembro de 2015), a mais bonita e a mais simbólica. Mostra John olhando para o alto, Paul e George conversando e Ringo acompanhando tudo lado a lado, todos eles com os ternos, e cabelos em franjas moptop saindo da cidade em direção ao rio, para seguir pelo mundo. Lugar obrigatório para o beatlemaníaco tirar várias fotos. Fica exatamente aqui.

*Memorial do Titanic – obelisco erguido em homenagem aos heróis que trabalharam na casa de máquinas do Titanic, o famoso transatlântico registrado em Liverpool (embora tenha zarpado de Southampton) que naufragou ao colidir com um iceberg a caminho de Nova York). Encontre a localização aqui.

*Museu de Liverpool – conta a história de ocupação da cidade e seus momentos e personagens mais marcantes, além de abrigar exposições temporárias e exibições de arte contemporânea. Tem uma fachada moderna branca e algumas janelas espelhadas em uma de suas faces. A entrada é gratuita e o museu abre diariamente entre 10h e 17h (fechado nos dias 24, 25, 26 e 31/12 e no dia 1/1). Fica aqui.

IMG_7126-01.jpeg

MUSEU DE LIVERPOOL – INGLATERRA

  • The Cavern Club – a casa de show mais famosa onde os Beatles tocaram em Liverpool (embora não tenha sido o local da maior quantidade de apresentações deles), no subterrâneo de uma das fachadas da legendária Mathew Street, auto-intitulada “o mais famoso club do mundo”, é um lugar imperdível para sentir a vibe do início da carreira deles e da mudança da cultura pop.

Apesar de não ser exatamente o local onde eles se apresentaram – o original foi demolido para reforma nas tubulações da cidade -, é uma cópia quase idêntica àquele e que emociona fãs e não fãs com réplicas de objetos que John, Paul, George e Ringo usavam, papéis e escritos nas paredes, ingressos e fotos originais, palco com bandas tocando músicas dos Fab Four ao vivo e um bar e restaurante em um ambiente excelente para se passar um tempo. Entrada gratuita (você só paga o que consome). Para horários de funcionamento acesse esse link. Encontre a localização aqui. Fica a uma curta caminhada saindo da estação ferroviária Lime Street. Ônibus que param perto: linhas 14, 14A, 25, 61, 78, 79, 79C, 79D, 101 (parada Lord Street LB) ou linhas 407, 437, 464, 471 e 472 (parada Union Court CA).

Este slideshow necessita de JavaScript.

*OBS: De frente para o Cavern Club – ao longo da Mathew Street – fica uma estátua de John Lennon na época de estudante “teddy boy” com jaqueta de couro e encostado na fachada de um edifício onde ficava o Cavern original. Ótimo local para fotos.

img_7087-01

MATHEW STREET – LIVERPOOL, INGLATERRA

  • Estádio Anfield – a cidade é a sede do time inglês que mais venceu a Liga dos Campeões/Champions League da UEFA (torneio mais importante de clubes europeus) e da torcida mais apaixonada do país, que acompanha o time cantando a lindíssima “You’ll never walk alone”. Por isso, não deixe de conhecer esse templo do futebol, onde fica um museu fabuloso de taças e histórias impressionantes, além de poder entrar no gramado, ver o vestiário dos jogadores e a sala de imprensa. O preço dos diferentes tipos de passeios custa em torno de 10 libras. Este monumento fica na zona norte da cidade, pertinho do Parque Stanley, exatamente aqui. Caminhar até lá é complicado, demanda tempo. Para chegar, aconselhamos ir de Uber (a corrida custa cerca de 5 a 8 libras saindo do Liverpool One) ou de ônibus (linhas 17, 26, 27, 501, 503, 839, 917 parada Liverpool FC).
  • Penny Lane – a rua descrita na histórica música composta e cantada por Paul McCartney é uma graça, embora não seja exatamente Penny Lane. Confuso? A gente explica: Penny Lane é uma rua quase sem atrativos com muros baixos separando o asfalto das árvores do Parque Millennium Green. É nessa imediações que ficam as duas placas mais fotografadas da cidade, uma pintada no muro (cheia de assinaturas e declarações ao redor) e outra emoldurada com suporte de duas hastes pretas fincadas no chão. A rua que Paul detalha nos versos de 1967 é na verdade uma área próxima ao cruzamento com a Smithdown Road (ponto de referência: The Penny Lane Hotel, que fica aqui). Por lá George, Paul e, principalmente, John circulavam bastante na mocidade, a pé e de ônibus. Vale ressalvar que muito dos cenários e personagens que constam da música não vivem/trabalham mais ali ou nunca existiram (fruto da imaginação de Paul). O ônibus temático Magical Mistery Tour e uma linha especial do hop-on hop-off, além de outras excursões para os beatlemaníacos, passam por lá. Para chegar lá de forma independente, aconselhamos o Uber (a corrida custa cerca de 5 a 8 libras) ou ir de ônibus (linhas 4, 4A, 699 – parada Penny Lane).
20170520_130036-01.jpeg

PENNY LANE – LIVERPOOL, INGLATERRA

  • Strawberry Fields – o tema da música psicodélica composta e cantada por John – considerada uma das melhores do catálogo da banda – foi inspirada neste antigo orfanato mantido pelo Exército da Salvação onde John Lennon brincou em várias oportunidades durante sua infância ao pular os muros do fundo que quase davam para a rua onde ele morava. Hoje em dia o local está desativado, isto é, dentro dos muros só há árvores e a entrada não é permitida, mas quase todas as fotos são tiradas na sua antiga entrada principal com o portão de ferro pintado de vermelho com o nome “Strawberry Fields” pintado em letra branca e fundo vermelho nas pilastras logo ao lado. Também é parada certa nos circuitos dos ônibus turísticos e excursões beatlemaníacas.  Fica exatamente aqui. Para chegar lá de forma independente, aconselhamos o Uber (a corrida custa cerca de 8 a 11 libras) ou ir de ônibus (linhas 45, 76, 787 – parada Yew Tree Road ou Beaconsfield Road).
  • Catedral – com 189 metros de comprimento, em estilo neogótico de cor alaranjada, é a igreja mais extensa do mundo, a quinta maior igreja e uma das mais altas que existem. Possui o maior e mais alto campanário do planeta, com 100 metros de altura, onde fica o sino mais pesado do Reino Unido, com quase 17 toneladas. Reza a lenda que Paul McCartney foi reprovado no coral da catedral na infância. Fica aqui e a entrada é gratuita das 8h às 18h todos os dias. Para chegar lá de forma independente, a caminhada é um pouco longa, mas possível de ser feita, seguindo pela zona leste da cidade. Outra alternativa é ir de Uber (a corrida custa cerca de 3 a 4 libras) ou de ônibus (linhas 25, 82, 82B, 82C, 101 – parada Upper Duke Street – ou linhas 25, 101 – parada Pilgrim Street).
IMG_7139-01.jpeg

PORT OF LIVERPOOL BUILDING – PIER HEAD, INGLATERRA

  • Radio City Tower/St. John’s Beacon – a torre de rádio, construída em 1969 e restaurada em 2011, é o observatório com vista panorâmica do centro de Liverpool, contando com loja e restaurante. Faz parte do complexo comercial Liverpool One, localizada pertinho da estação ferroviária de Lime Street, precisamente aqui (a caminhada é mais curta do que esperar um ônibus que deixa em uma parada a uma distância maior que a da estação ferroviária). Fica aberta diariamente (exceto no Natal e no Ano Novo) entre 10h30 e 17h30, e o ingresso custa cerca de 6 libras.
  • Liverpool One – complexo comercial e de lazer no centro turístico de Liverpool. É no seu perímetro que você encontrará as melhores lojas (entre elas, Primark e Marks & Spencer), ótimos restaurantes, a torre panorâmica e outras atrações. Localiza-se aqui. Fica a uma curta caminhada saindo da estação ferroviária Lime Street. Ônibus que param perto: linhas 14, 14A, 25, 61, 78, 79, 79C, 79D, 101 (parada Lord Street LB).
  • Casa de John Lennon (Mendips) – local de 2 andares e cor cinza onde o líder da banda e pacifista – autor de In My Life, Help, Twist & Shout, Lucy in the Sky with Diamaonds, Across the Universe, All You Need is Love, Imagine – viveu com sua Tia Mimi desde criança até o estouro dos Beatles, que o levou a morar em Londres. Incluída uma parada rápida em algumas excursões beatlemaníacas. Caso você queira ir de maneira independente, vá de Uber (a corrida custa entre 8 e 11 libras saindo da Liverpool One) ou de ônibus (linha 76 – parada Vale Road). Fica exatamente aqui. Para compra de ingressos, clique neste link (confira antes as datas em que esse patrimônio de Liverpool fica aberto para visitas; não abre diariamente tampouco em todos os meses do ano).
20170520_132353-01.jpeg

PASSADA RÁPIDA DIANTE DA CASA DE INFÂNCIA E JUVENTUDE DE JOHN LENNON – LIVERPOOL

  • Casa de Paul McCartney – em uma fachada de tijolo aparente e mais extensa do número 20 da Forthlin Road (com o interior mais humilde que a casa de John), você encontra a casa do baixista canhoto que compôs Hey Jude, Let It Be, Helter Skelter, Sgt. Pepper’s, Band on the Run e outros clássicos. Também incluída uma parada rápida em algumas excursões beatlemaníacas. Caso você queira ir de maneira independente, vá de Uber (a corrida custa entre 13 e 18 libras saindo da Liverpool One) ou de ônibus (linhas 86, 86A, 45 e 646). Fica exatamente aqui. Para compra de ingressos, clique neste link (confira antes as datas em que esse patrimônio de Liverpool fica aberto para visitas; não abre diariamente tampouco em todos os meses do ano).
  • Passeio de barco pelo Rio Mersey – embora o rio não seja dos mais bonitos e os dias em Liverpool costumem ser cinzentos, trata-se de uma boa distração para quem tem tempo sobrando na cidade e quer ver seu skyline e atrações principais sob outra perspectiva. Os barcos/balsas/ferries saem do Pier Head e os passeios duram cerca de 50 minutos, com ingressos que podem ser combinados com o tour dos ônibus turísticos/hop-on hop-off. Para preço do ingresso (mais barato se comprado pela Internet), horários de saída e rota atualizada do passeio, clique nos correspondentes links destacados. Muito tranquilo para chegar lá para quem vem de trem na estação Lime Street, bastando caminhar em direção ao rio, seguindo pela Lord Street e pela James Street, à direita da Strand Street, guiando-se pelos edifícios de fachada mais bonita da cidade. Ônibus que param perto: linhas 10A, 10B, 12, 13, 15, 18, 26, 79, 79C, 136, 800 (parada The Goree Adj Mann Island) ou linhas 14, 14A, 14B, 18 e 19 (parada Goree A).
IMG_7190-01.jpeg

CARROSSEL VITORIANO NO ROYAL ALBERT DOCK – LIVERPOOL, INGLATERRA

Outras atrações: World Museum (com uma bela fachada clássica dos templos gregos, conta com esculturas romanas, seções de arqueologia, geologia, ciências naturais e físicas; fica pertinho da estação ferroviária Lime Street, exatamente aqui); Saint George’s Hall (lindo complexo cultural e cívico que abriga um teatro, salas de reuniões e gabinetes do Poder Judiciário que atua na cidade; fica de frente para a estação ferroviária Lime Street, mais precisamente aqui); Walker Art Gallery (também com linda fachada, é um museu de belas-artes, aberto em 1877; fica ao lado do World Museum, exatamente aqui); Prefeitura de Liverpool (com um lindo interior e palco de eventos, recebe visitas guiadas; fica pertinho do Cavern Club, exatamente aqui).

DESLOCAMENTO DENTRO DA CIDADE

A pé, bicicleta, ônibus hop-on hop-off e passeio de barco.

A pé – Se você ficar hospedado em alguma das opções sugeridas na seção “Hospedagem” ou em alguma outra entre a estação ferroviária Lime Street e a Albert Dock, será possível conhecer quase todas as atrações principais caminhando.

Para caminhadas com guia e em grupo de turistas, recomendamos o Walking Tour da SANDEMAN (o grupo com o guia sai todo dia às 11h da manhã da estátua do Príncipe Albert, ao lado do St. George’s Hall, na frente da estação ferroviária Lime Street; duração de 3h de passeio pelas atrações principais do centro turístico). Outras opções de passeios guiados você acessa no link destacado do Tripadvisor.

20170520_113856-01.jpeg

ÔNIBUS TURÍSTICO NA PARADA PIER HEAD – LIVERPOOL, INGLATERRA

Bicicleta – Para aluguel de bicicletas, recomendamos as bicicletas rotativas da Citybike (você adquire seu passe pelo aplicativo ou na Internet, pega a bicicleta em qualquer das estações cadastradas no programa, pedala pelo tempo contratado – 1 libra por hora – e devolve a bicicleta na mesma ou em outra estação).

Outras opções de estabelecimentos que alugam bikes você encontra clicando aqui.

Ônibus Turístico – há duas empresas mais famosas que realizam o passeio pelos pontos principais de Liverpool, com direito a áudio-guia em diversas línguas, explicando histórias da cidade e de cada parada do roteiro pré-definido, nas quais você descer e descer quantas vezes quiser durante a validade do seu ingresso, sem precisar pagar a mais por isso: City Explorer e City Sights (este inclui um tour específico com paradas em lugares icônicos para os beatlemaníacos – The City & Beatles Tour, com guia em inglês apenas). Há diferentes tours – combinado com passeio de barco; voltado para conhecer o Estádio Anfield; passeios privativos; etc. Acesse os links destacados e escolha seu preferido.

*OBS: Para quem vai a Liverpool para ver tudo acerca dos Beatles, recomendamos o deslocamento pelo Magical Mistery Tour, que é um ônibus colorido de dois andares saindo de um estabelecimento discreto no Albert Dock e circulando pelas casas da infância, pelas escolas, pelas ruas que frequentavam terminando a sessão de 2h de nostalgia no Cavern Club. Para comprar o ingresso desse passeio clique no link destacado.

Passeio de barco – os barcos/balsas/ferries saem do Pier Head e os passeios duram cerca de 50 minutos, com ingressos que podem ser combinados com o tour dos ônibus turísticos/hop-on hop-off. Para preço do ingresso (mais barato se comprado pela Internet), horários de saída e rota atualizada do passeio, clique nos correspondentes links destacados.

IMG_7151-01.jpeg

ÔNIBUS TURÍSTICO ESPECÍFICO PARA O CIRCUITO BEATLEMANÍACO PARADO EM FRENTE AO STRAWBERRY FIELDS – LIVERPOOL

CULINÁRIA LOCAL

Além do famoso e super consumido chá inglês, acompanhado de “scones” (biscoitos crocantes com geleia ou manteiga), outro destaque para a gastronomia de lá é o café da manhã com bacon, ovos, linguiça e feijão com molho de tomate adocicado (lembra ketchup). É o “english breakfast”. Parece estranho e tem gente que não gosta, mas a gente adorou.

Entre os tira-gostos típicos, destacamos o “bubble and squeak” (rodelas de uma massa aquecida no forno, feita de uma mistura purê de batata, com repolho, ervilhas e cenoura), o “cornish pasty”, que é um pastel de carne, cuja massa é feita de cebola e batata; e o “toad in a hole” (massa aquecida no forno recheada com salsichas, ainda mais gostosas quando servidas com molho e cebola roxa).

Agora, o mais comum mesmo de encontrar é o “fish and chips”, que nada mais é que um prato bem servido de batatas fritas com maionese, vinagre e peixe empanado. Esse prato está quase em todas as ruas. O preço é bem acessível e serve de lanche bem reforçado.

IMG_7185-01.jpeg

CAFETERIA E LANCHONETE DO MUSEU THE BEATLES STORY – LIVERPOOL

Junto a esses, também recomendamos o “Wellington beef”, que consiste em uma carne com patê e cogumelos como recheio de uma massa folheada bem crocante. Delicioso!

Você também verá em muitos restaurantes lá pratos com “roast beef” (carne assada, seja bovina/cordeiro/porco/peru), acompanhada de batatas, molhos, verduras e “Yorkshire pudding” (que é um salgado feito à base de ovos, leite e farinha, que lembra o formato do pastel de Belém, mas não é doce).

Entre as sobremesas, quem viaja no verão encontra com maior facilidade o “summer pudding”, feita com pão italiano, açúcar e frutas vermelhas.

RESTAURANTES
IMG_7122-01.jpeg

LIVERPOOL – INGLATERRA

Caso deseje mais alternativas, remetemos a leitura para a lista da Tripadvisor.

panoramic-34

RESTAURANTE PANORAMIC 34, LIVERPOOL (CRÉDITO: TRIPADVISOR)

Para quem tem pouco tempo na cidade e não faz questão de restaurantes específicos, recomendamos a região do Liverpool One, o Royal Albert Dock e a Hope Street. É nesses lugares que ficam os pubs mais animados, bem decorados e, muitos deles, a preços acessícarrveis.

*Aconselhamos que, se o seu hotel estiver distante desses restaurantes, vá e volte de Uber para jantar (se for pra almoçar, tente ir caminhando). Caso prefira ir de ônibus, encontre as paradas próximas clicando no “aqui” em destaque e localizando o ícone do ônibus em branco com fundo azul.

COMPRAS

Aqui não tem mistério: Liverpool One e imediações, bem como o Royal Albert Dock. É nesses lugares que ficam as maiores concentrações de lojas, sobretudo nas ruas Church Street, Parker Street, Lord Street, St. John Street, Paradise Street, Hanover Street.

IMG_7200-01.jpeg

CHURCH STREET – O PARAÍSO DAS COMPRAS EM LIVERPOOL, INGLATERRA

VIDA NOTURNA

A região das Docas (Albert Dock), do Liverpool One, da Mathew Street e da Hope Street reúnem os melhores pubs e casas noturnas. Caminhando por ali, não tem erro: você vai achar um lugar animado para passar a noite.

Como você está na cidade dos Beatles, recomendamos muito que reserve uma noite ou parte dela para ver algum show no Cavern Club ou no Jacaranda.

Se tiver apenas uma noite em Liverpool e quiser otimizá-la pelos pubs turísticos mais famosos, junto de uma galera em sintonia e com um guia animado, recomendamos que faça o Pub Crawl. As melhores empresas que fazem esse tour divertido são: Liverpool Bar Crawl, Livertours (Beatles Pub Crawl),  Hatters Hostels Pub Crawl.

Encontramos uma lista completíssima com os melhores bares, pubs e nightclubs da cidade, organizada por bairros/regiões, no site The Guide Liverpool. Deu até vontade de voltar para lá para explorar alguns lugares incríveis que não tivemos a oportunidade. Confira no link destacado!

Algumas sugestões clássicas, além das já citadas:

IMG_7118-01.jpeg

BAR DO MÍTICO CAVERN CLUB – LIVERPOOL, INGLATERRA

*Recomendamos que vá e volte de Uber para cada uma dessas baladas/pubs. Caso prefira ir de ônibus, encontre as paradas próximas clicando no “aqui” em destaque e localizando o ícone do ônibus em branco com fundo azul.

NOSSA EXPERIÊNCIA

Fizemos um bate-volta a Liverpool em um dia de garoa intervalada em maio de 2017. Fomos e voltamos pelo terminal de trens de Euston, em Londres, saindo bem cedo e voltando em um trem no início da noite. Chegamos na estação ferroviária Lime Street, pertinho do centro de Liverpool.

20170520_113629-01.jpeg

Fomos caminhando da estação até a Mathew Street, onde entramos e babamos no Cavern Club e tiramos fotos com a estátua de John Lennon e de Cilla Black. De lá, fomos até o Pier Head, onde compramos nosso ingresso para o passeio de ônibus turístico (Beatles Tour) e, enquanto esperávamos, tiramos fotos com a melhor estátua dos Beatles e com os três prédios de fachada mais bonita do skyline de Liverpool (Three Graces).

img_7148-01

PENNY LANE – LIVERPOOL, INGLATERRA

Subimos no ônibus turístico, e passamos pela Catedral e pelo subúrbio, descendo diante da placa de Penny Lane e no muro principal de Strawberry Fields. Passamos devagar pela Smithdown Road (rua descrita por Paul McCartney na música Penny Lane) e pela casa de John. Tudo isso ao som de músicas dos Beatles, e com um guia excelente, animado e conhecedor profundo das histórias da cidade e dos integrantes da melhor banda da história.

20170520_111546-01.jpeg

 O caminho de volta do ônibus turístico passou pela região portuária revitalizada, incluindo a Roda Gigante. Descemos no Royal Albert Dock e entramos no excelente museu The Beatles Story (imperdível para quem é fã dos Fab Four), justamente no ano em que o álbum mais elogiado deles – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band – estava completando 50 anos.

Depois disso, vimos o Submarino Amarelo nas docas e voltamos caminhando pela região do Liverpool One, passando por várias lojas excelentes até chegar na estação de trem da Lime Street, de onde voltamos felizes da vida pelo dia perfeito na cidade.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nossos lugares preferidos, na ordem: Royal Albert Dock; Museu The Beatles Story; Pier Head com a estátua dos Beatles; The Cavern Club; Liverpool One.

Pontos negativos: ausência de metrô e hospedagens relativamente caras (mais baratas que Londres, mas ainda salgadas).

20170520_154800

BRINCANDO DE SER PAUL (OU ADAMASTOR PITACO) – LIVERPOOL, INGLATERRA

Nosso veredicto: cidade muito boa e segura para se conhecer em um bate-volta (para quem é fãzaço dos Beatles, a dica é conhecer Liverpool em 2 dias), com muitas atrações próximas da estação de trem, e um povo mais caloroso que o londrino. Mesmo quem não é fã dos Beatles também consegue curtir a cidade, passeando pelas Docas, pelo Pier Head, pelo quarteirão comercial do Liverpool One e pelo quarteirão cultural do St. George’s Hall, World Museum, Walker Art Gallery e pelas ruas dos pubs (Mathew Street, Hope Street, Castle Street), e passeando de barco com as crianças.

20170520_131721-01.jpeg

STRAWBERRY FIELDS – LIVERPOOL, INGLATERRA

DICAS

⇒ Para descontos no transporte público, adquira o Walrus Card/Mersey Travel; para descontos em compras, refeições, museus, adquira cartão do Independent; para informações atualizadas sobre festivais e atrações em cada bairro da cidade, acesse o Visit Liverpool.

⇒ Aplicativos sempre ajudam (fundamental comprar um chip SIM para ter acesso a Internet em qualquer lugar da cidade). Mencionamos durante o post e aqui resumimos alguns que podem facilitar sua viagem:

Para encontrar os pontos turísticos que pretende conhecer com mapas funcionando off-line, baixe o Google Maps e destaque seus locais preferidos antes de viajar. Para saber sobre o clima Weather Channel; para ajuda no idioma, o conhecido Google Tradutor, o Lexifone (capaz de gerar áudios no idioma escolhido e traduzir áudios) e Wordlens (traduz placas e textos mediante a foto tirada por seu celular, o aplicativo traduz para você o que está escrito).

IMG_7125-01.jpeg

LIVERPOOL – INGLATERRA

⇒ Leve cartão de crédito habilitado para uso internacional e prefira adquirir seus euros nos caixas eletrônicos (ATM) do aeroporto, da estação de trem ou na região da Liverpool One.

⇒ Vale a pena incluir um guarda-chuva ou uma capa na sua viagem para Liverpool. Trata-se de uma cidade com tempo muito instável, sendo muito frequente você encontrar fotos de suas atrações principais com o céu nublado.

⇒ Prefira ir de trem para Liverpool. É a forma mais prática e não muito cara para chegar lá. Para hospedagens, reserve uma acomodação entre a estação Lime Street e o Royal Albert Dock.

⇒ Não sobrou muita grana para gastar, mas você estava doido para levar alguma roupa de Liverpool? Não fique triste! Dá para ser muito feliz na Marks&Spencer, H&M e, principalmente, na Topshop e na Primark (nesta chegamos a comprar 3 tênis muito bons por menos de 10 libras, além de camisas por menos de 5 libras, etc.).

IMG_7135-01.jpeg

ESTÁTUA DOS BEATLES NO PIER HEAD – LIVERPOOL, INGLATERRA

⇒ Querendo carregar seu celular ou máquina, não esqueça de levar um adaptador. O plugue de Londres tem três pinos chatos, 2 na horizontal e paralelos e outro na vertical, separado. A voltagem lá é também diferente: 240 volts, mas não levamos transformador para isso. Se for levar secador de cabelo, vale à pena levar o transformador para a voltagem. Fora isso, não precisa, já que os celulares e notebooks, em sua maioria, são bivolts.

⇒ Leia e releia esse post, viaje de trem até Liverpool (e para qualquer lugar, na verdade) e caminhe pela cidade às margens do Rio Mersey ouvindo uma coletânea dos Beatles para ir entrando no clima. Nossas músicas preferidas: Hey Jude, In My Life, Help, She’s Leaving Home, While My Guitar Gently Weeps, I’m a Loser, You’re Gonna Lose That Girl, Nowhere Man, Let It Be, Come Together, Eleanor Rigby, Drive My Car, Ticket To Ride, Hey Bulldog, I Am The Walrus, Penny Lane.

IMG_7089-01.jpeg

MATHEW STREET – LIVERPOOL, INGLATERRA

⇒ Antes de viajar para lá veja o documentário Beatles – Anthology e os filmes O Garoto de Liverpool (todo filmado na cidade) e Uma Lição de Amor e Across the Universe, ambos com trilha sonora dos Beatles.

⇒ Confira todas as nossas informações sobre Londres e Stonehenge.

CURIOSIDADES

→ O município de Liverpool foi criado em agosto de 1207, por um alvará de João Sem-Terra. Até então era apenas uma vila de pescadores. Foi no reinado de Elizabeth I, com a superação do comércio das Índias Ocidentais sobre o da Irlanda, que o porto de Liverpool (construído em 1715) tornou-se a principal porta mercantil para o novo mundo.

→ O famoso transatlântico Titanic foi registrado em Liverpool, embora em sua trágica jornada não tenha passado pela cidade.

20170520_135517-01.jpeg

RODA GIGANTE – LIVERPOOL, INGLATERRA

→ Em 1830, Liverpool e Manchester passaram a ter a primeira ligação ferroviária interurbana.

→ Há uma grande influência irlandesa na composição da população de Liverpool. Isso se deve a um maciço êxodo que ocorreu em meados de 1840 com a Grande Fome que assolou a Irlanda.

→ Em virtude de sua posição estratégica para a fortíssima esquadra inglesa combater os nazistas, Liverpool foi uma das cidades mais atingidas pelos bombardeios aéreos da Luftwaffe durante a II Guerra Mundial. Foram 80 ataques aéreos, que resultaram 2500 mortos e que danificaram mais da metade das casas da região metropolitana.

→ Liverpool tem duas Catedrais, uma católica (é a Catedral Metropolitana, moderna, cinza, lembrando vagamente a de Brasília) e outra anglicana (mais antiga da cidade, em cor alaranjada e considerada a mais extensa e uma das mais altas do mundo).

IMG_7112-01.jpeg

CAVERN CLUB – LIVERPOOL, INGLATERRA

→ Os dois times da cidade (Everton e Liverpool FC) são alguns dos mais tradicionais do país. O Everton tem 9 títulos do campeonato nacional é um dos mais antigos times da Inglaterra; o Liverpool FC é o 2º maior campeão de campeonatos nacionais e o que tem mais títulos da Liga dos Campeões da UEFA.

→ A casa visitada de Paul McCartney nas excursões beatlemaníacas (número 20, da Forthlin Road) não é a casa que ele nasceu, mas sim a casa que ele viveu os poucos anos mais decisivos de sua adolescência: foi nela que a família viveu o luto da morte precoce da mãe de Paul, Mary – vítima de câncer de mama – e foi em seus corredores estreitos que Paul ensaiou e compôs algumas músicas com John, poucos anos antes dos Beatles estourarem. Você pode dar sorte de cruzar com ele por essa área. Isso porque Paul visita muito Liverpool, tendo relação profunda com a Universidade da cidade.

IMG_7137-01.jpeg

ESTÁTUA DOS BEATLES NO PIER HEAD – LIVERPOOL, INGLATERRA

→ Nenhum álbum dos Beatles foi gravado em Liverpool. Todos foram gravados em Abbey Road, em Londres, com exceção do Let It Be, gravado em estúdios da Apple.

→ Apesar de o Cavern Club ficar com a fama do local com mais registros visuais dos shows dos Beatles na cidade, eles tocaram poucas vezes lá. O local que mais recebeu os shows deles antes do estrelato foi o The Jacaranda, cuja dona era mãe do antigo baterista da banda, Pete Best.

→ O lendário produtor da banda, George Martin, revelou que um dos seus maiores arrependimentos profissionais foi ter lançado Strawberry Fields Forever e Penny Lane (locais frequentados por eles durante a infância pela cidade) como um single, ao invés de músicas de um álbum específico em homenagem a Liverpool que John e Paul queriam compor pouco antes de trabalharem no Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band.

20170520_154332-01.jpeg

MUSEU THE BEATLES STORY – LIVERPOOL, INGLATERRA

→ O aeroporto da cidade chama-se Liverpool John Lennon Airport, e em uma de suas entradas há o famoso, poético e apropriado verso “Above us only sky” (acima de nós só o céu), que está na música Imagine, composta pelo eterno líder dos Beatles.

→ Embora a trama se passe em Nova York, o filme “Animais Fantásticos e Onde Habitam” foi boa parte em Liverpool. As cenas de fuga de Harry Potter e o vigia de Hogwarts, Hagrid, em um túnel no filme “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I” foi filmada no túnel Mersey, em Liverpool.

SEGURO VIAGEM

Para viajar tranquilo, só curtindo as paisagens e desfrutando de todos os pontos turísticos e passeios, recomendamos o conforto (a preços justos) do seguro viagem pela empresa Real Seguro. Ela indica a seguradora mais confiável e adequada – muitas vezes a mais barata – para a cobertura dos sinistros que você quer evitar. Confira!

20170520_113531-01.jpeg

ESTÁTUA DOS BEATLES – LIVERPOOL, INGLATERRA

12 comentários sobre “LIVERPOOL

  1. Herculano disse:

    Tive oportunidade de conhecer, pra mim a cidade mais simpática da Inglaterra. Possui uma magia especial por respirar Beatles. Nela temos chance de vivenciar experiências nos locais onde os “rapazes” que mudaram o mundo, tocaram e se inspiraram. Tudo muito bem descrito com muita propriedade pelo blog, como é de praxe.

Deixe uma resposta